sábado, 17 de janeiro de 2009

Reeducação alimentar



Educar é transformar, portanto, reeducar é reaprender esta transformação. A reeducação alimentar é um processo de mudança comportamental onde realmente ocorre uma modificação verdadeira nos seus hábitos alimentares. Enquanto nas dietas não ocorre uma mudança interna, e ao fim de cada uma, as pessoas voltam aos antigos hábitos, na reeducação alimentar as mudanças acontecem de forma tão profunda que se tornam você mesmo.

A reeducação alimentar pode ter vários objetivos; perda ou ganho de peso, controle do colesterol, glicose ou até de inúmeras outras doenças e situações que exigem uma mudança, como por exemplo, a cirurgia bariátrica. Porém, mesmo que você esteja super saudável e queira apenas manter o peso, a reeducação alimentar é fundamental, pois hoje já temos total certeza da importância da nutrição no bem estar e qualidade de vida. A ciência da nutrição evoluiu muito nas últimas décadas, e hoje, sabe-se que a alimentação e o estilo de vida (exercício, controle do estresse, tabagismo, etc...) têm uma influência enorme na prevenção e controle das doenças crônicas. No entanto, como o prazer pelo alimento tem um contexto muito profundo em nossas vidas, a reeducação alimentar deve otimizar ao máximo os hábitos alimentares, permitindo ao mesmo tempo alguns prazeres que têm para nós um significado especial. E por isso, ela deve ser personalizada, pois o significado afetivo de um alimento é individual para cada um de nós!

Ao longo da vida vamos construindo nossa história alimentar, com alguns alimentos que têm um significado emocional, familiar ou que nos traz memórias preciosas. Negociar estes prazeres, associando-os a uma alimentação saudável faz parte do processo de transformação que é a reeducação alimentar.



Bia Rique é nutricionista, representante da American Overseas Dietetic Association no Brasil. É também chefe do Serviço de nutrição na 38ª enfermaria da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro. Atende na Clínica Ivo Pitanguy e em seu consultório particular.


Fonte: Site - Márcia Peltier


Um comentário:

  1. OLA meu nome é Lúcia Helena,tenho 53 anos tive trombose tenho pressão alta,hoje estou com um só rim ,estou pesando 82 kl,minha altura é de 1,61 quero esclarecer MUITAS duvidas,adorei o modo como você explicou tudo eu ja faço algumas das coisas que falou,como sentada a mesa, prato pequeno,pouca comida,mastigo bem antes de colocar outra garfada de comida a boca,almoço no horario correto ( entre 12:00 hs a 12:40 mais ou menos) quando posso compro arroz integral,torrada integral, leite desnatado, e assim faço uma dieta mas quando estes alimentos acabam e não tenho como comprar volto a comer a comida que faço para os filhos e marido, pelo menos o arroz e feijão pois a mistura sempre tem gordura, frituras salsichas tudo que eu não posso comer,então fico no mais simples(arroz e feijão),quero saber o que você me aconselha a fazer para comer quando eu não tiver a minha comida?as vezes tenho salada,então vai arroz e salada o feijão sai fora.
    E tem mais, no lanche da tarde as vezes não tenho nada para comer e nem a bolacha integral é ai que fico sem comer ,sei que é errado mas vou comer o que ?
    agradeço desde ja a sua ajuda neste esclarecimento e imensa duvida.
    Obrigada e um grande abraço
    meu E-mail é: shispita_sensey@ig.com.br

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...