terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

15 coisas que você precisa saber sobre calorias

Texto: Isabel Taranto



Quem quer emagrecer vive somando, cortando e falando sobre elas. Como são tão importantes nas dietas, vale a pena conhecê-las melhor.




1. O que é exatamente uma caloria?

É uma unidade de energia. "No caso, é a medida da energia fornecida pelos alimentos ao organismo," explica a nutricionista Priscila Maximino, da Nutrociência, clínica de assessoria em nutrologia de São Paulo (SP). Ou seja, o número de calorias de um item corresponde à quantidade de energia que este nos dá. Vale lembrar que nosso corpo precisa
de energia para tudo: desde prover o metabolismo basal, responsável pela manutenção das funções vitais em estado de repouso (tais como a respiração, o batimento do coração, a temperatura corporal, o crescimento do cabelo e a renovação dos tecidos), até possibilitar qualquer atividade física e intelectual.

2. Todo alimento tem calorias?


Sim, porque todos fornecem energia. Somente nutrientes como vitaminas, minerais e fibras e a água não contêm calorias. Se dividirmos os alimentos em grupos, veremos que cada grama de proteína e de carboidrato possui 4 calorias. A mesma quantidade de álcool tem 7 calorias e um grama de gordura tem 9 calorias.

3. Como se calcula as calorias de um alimento?


"Esse cálculo é feito em laboratório através da análise bromatológica, que consiste na verificação detalhada da composição dos alimentos", explica Priscila Maximino.

4. Basta comer menos calorias para emagrecer?

Não. "Emagrecer é uma conta matemática: é preciso gastar mais calorias do que se consome. O ideal é diminuir a ingestão com dieta e aumentar o gasto com mais exercício", assegura Carlos Cintra, preparador físico e especialista em fisiologia do exercício, de São Paulo (SP). A atividade física, além de contribuir para a perda de peso, ajuda a manter a boa forma.

5. Desde quando é obrigatório ter o número de calorias nas embalagens?

Desde 2000, segundo a Resolução nº 94, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que tornou a informação obrigatória na rotulagem nutricional de alimentos embalados.

6. Onde encontrar tabelas calóricas confiáveis?

No site da revista Dieta Já e em Cyber Diet, você encontra excelentes tabelas calórias. "Devem servir como referência também as tabelas de composição de alimentos que foram elaboradas por pesquisadores, tais como a da Universidade de São Paulo (USP), que se encontra disponível no site http://www.fcf.usp.br/tabela", recomenda Jocelem Salgado, nutricionista e professora da USP de Piracicaba (SP).

7. Como saber quantas calorias são gastas numa atividade física?

Esse número depende da duração da sessão de exercícios, do pique com que se faz e também do peso de quem a pratica. Na tabela abaixo, relacionamos o gasto calórico por quilo de peso corporal de algumas atividades praticadas em intensidade moderada durante uma hora. Aí, basta multiplicar o valor do seu exercício predileto pelo seu peso para descobrir quanto é capaz de queimar a cada vez que for malhar.

Atividades
Calorias gastas por
hora por quilo de
peso corporal
Balé
3,5
Basquete
7
Caminhada a 5,5 km/h
4,7
Corrida a 10 km/h
9,3
Ciclismo a 16 km/h
5,9
Dança de salão
3,5
Futebol
8,2
Hidroginástica
4,5
Ioga
3,9
Pular corda
8,4
Musculação
4,2
Natação (crawl lento)
7,7
Tênis de mesa
4,2
Tênis simples
6,4
Trekking
7,9
Vôlei
4,9

8. Alimentos diet e light têm menos calorias?

Nem sempre. Produtos diet não têm açúcar porque são elaborados para diabéticos. Em geral, quando se substitui açúcar por adoçante o item fica menos calórico, mas isso não é uma regra. O chocolate diet, por exemplo, costuma ser tão ou mais calórico do que a versão convencional porque tem mais gordura para compensar a diferença de sabor ocasionada pela falta de açúcar. Já os alimentos light precisam ter seu valor calórico reduzido em 25% em relação ao produto comum.

9. Fazendo uso de tabelas calóricas, consegue-se perder peso?

"Se a pessoa optar por alimentos menos calóricos e, ao mesmo tempo, souber compor uma dieta adequada do ponto de vista nutricional, com certeza irá perder peso gradativamente", garante Jocelem Salgado.

10. Qual é o menor nível de calorias que se pode consumir por dia?

Os níveis calóricos diários devem ser estabelecidos após avaliação de um profissional, levando em consideração as necessidades específicas de cada indivíduo. "Em geral, indica-se um consumo mínimo que varia entre 1.000 e 1.200", afirma Jocelem. Existe uma fórmula para se fazer esse cálculo, conforme explica o preparador físico Carlos Cintra. Acompanhe...

11. Calorias provenientes de gorduras engordam mais do que as outras?

Sim, porque há diferenças no seu processamento pelo organismo. Quando 100 calorias oriundas de uma porção de manteiga entram em nosso corpo, apenas 3% são queimadas no mecanismo que as transformam em depósito de gordura. Já com o equivalente de carboidratos ou proteínas, o organismo vai usar 23% das calorias na conversão, resultando em um estoque menor.

12. O que são as chamadas calorias ocultas?

Entende-se por este termo as que estão embutidas no preparo de um prato sem que se saiba. Por exemplo, uma porção de legumes pode ficar altamente calórica se eles forem refogados na manteiga. Efeito semelhante passa o arroz, se cozido na banha em vez de óleo vegetal. Por isso, é fundamental ter conhecimento sobre como a refeição é preparada.

13. E o que são calorias vazias?

Aquelas fornecidas por alimentos que são apenas calóricos e não oferecem nenhum nutriente. É o caso dos refrigerantes, por exemplo, que não têm sais minerais nem vitaminas.r.


14. Numa dieta de 1.000 calorias, tanto faz se elas vêm de chocolate ou do arroz com feijão?

Ingerir a cota diária em chocolates pode afinar, sim, embora não seja saudável. "Se quem está fazendo a dieta respeitar o limite de calorias diário, irá emagrecer mesmo que coma só besteiras e guloseimas", defende a nutricionista Ana Paola Monogaglia, da Clínica Alfredo Halpern, de São Paulo (SP). Mas ela mesma ressalta: "Nada, contudo, se compara a uma dieta equilibrada e variada, que garante o fornecimento de todos os nutrientes essenciais para a saúde". E não é só. "Doces em geral são pobres em fibras e ricos em gorduras e açúcar, o que significa pouca saciedade", lembra Jocelem Salgado. Ou seja, em um curto intervalo de tempo, o impulso de comer retorna forte e o regime acaba indo por água abaixo.

15. Calorias ingeridas à noite são processadas diferentemente daquelas consumidas durante o dia?

Não existem pesquisas que comprovem essa idéia. "Por isso, é bobagem dizer que não se deve comer carboidratos à noite. A recomendação é diminuir o consumo, já que o corpo logo vai passar por um estado de repouso durante o sono", assegura Priscila. Mas tudo vai depender da atividade de cada um. Quem faz exercícios físicos à noite, por exemplo, precisa desse grupo de alimentos no fim do dia. E mesmo na hora de optar pelos itens, use o bom senso: dê preferência a versões integrais, que são mais saudáveis e garantem a saciedade por um tempo maior.



Fonte: Site "Cyber Diet"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...