quinta-feira, 21 de maio de 2009

O RISCO DE EMAGRECER RÁPIDO!

 

emagrecer 

 


É difícil ter paciência quando o assunto é emagrecer, só que, nesse caso, ele é a garantia de saúde.

 

Ficar magra de um dia para o outro é o maior desejo de quem está acima do peso. E muita gente acaba comentendo loucuras, submetendo-se a várias dietas absurdamente rígidas, muitas vezes combinadas a inibidores de apetite, laxantes e diuréticos para conseguir chegar o mais rapidamente ao peso que considera ideal para si. Pior, ávidas por um corpo de modelo, dificilmente pensam nos problemas de saúde que o emagrecimento rápido pode acarretar. E não são poucos!

Este risco existe porque o corpo precisa de um tempo para se adaptar às mudanças de peso. Quando isso não acontece, o emagrecimento pode vir acompanhado de complicações físicas e psicológicas. Para ficar em um patamar de segurança, a OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda a perda de um quilo a um quilo e meio por semana, no máximo. Mais do que isso é considerada uma situação de risco.

Até chegarem a essa conclusão,os médicos tiveram que aprender errando. Na década de 60 e início dos anos 70, eles prescreviam dietas de baixíssimas calorias (cerca de 400) por longo tempo. A meta era fazer com que a pessoa perdesse cerca de 23 quilos em 76 dias (2,300 kg por semana).

Com o passar do tempo, os especialistas perceberam os problemas que essa redução acelerada causava: queda frequente da pressão, desmaios e até morte súbita. Á partir daí, as tais dietas ficaram restritas a 15 dias (como ocorre hoje em alguns spas), sendo contra indicadas para crianças, adolescentes, gestantes, pessoas com mais de 60 anos e durante o período de amamentação.

Outras complicações que a perda de peso rápida, geralmente a base de dieta alimentar desiquilibrada podem trazer serão explicitadas agora e, ao final das explicações voce vai poder concluir que quem quer continuar com saúde deve ir com calma em seu emagrecimento, investir em um processo moderado e equilibrado, que tem maiores chances de ser definitivo.

Sem tempo para se adaptar às mudanças de peso ,o corpo responde de maneira negativa, surgindo:

  • Alterações no coração - além de leves modificações nos batimentos cardíacos, você pode desenvolver taquiarritmia atípica, um problema no coração que não responde à remédios. A única solução é implantar um marcapasso temporário.

  • Alterações Hepáticas - o aumento do metabolismo da gordura pode causar complicações no fígado.

  • Alterações na Libido - a diminuição na produção de hormônios sexuais altera o interesse sexual.

  • Anemia - dietas não equilibradas geram carência de vitamina B (contida nos cereais) e ferro (contido nas carnes vermelhas e verduras escuras). O resultado pode ser um comprometimento cerebral, que leva a dificuldade para andar.

  • Baixa imunidade - O sistema imunológico dos obesos é muito menos eficiente do que dos magros. Mas com o emagrecimento rápido o problema pode piorar ainda mais, crescendo as chances de gripe, infecções, viroses, verminoses e reações alérgicas.

  • Cálculos na vesícula - a quantidade de ácido úrico na circulação sanguínea aumenta, favorecendo a formação de cálculos- as famosas pedras nos rins, que provocam cólicas fortes.

  • Distúrbio Hidroeletrolítico - a pessoa urina muito, perdendo água e sais minerais. Consequentemente, fica sugeita a cãimbras, mal estar, fraqueza e perda da sensibilidade nas mãos.

  • Embolia - as pessoas com excesso de peso normalmente apresentam tendência à embolia (formação de coágulos que impedem a passagem do sangue nas veias), por causa dos níveis elevados de triglicérides e de colesterol. Durante um emagrecimento rápido, esses coágulos podem aumentar, elevando o risco da doença.

  • Flacidez - a pele não acompanha a redução de peso rápida e fica flácida. Além disso, a falta de nutrientes deixa as fibras de colágeno e elastina desnutridas, impedindo a firmeza da pele.

  • Intolerância ao frio - causada pela diminuição do tecido gorduroso e redução da produção de adrenalina e hormônios tireoideanos, que regulam a temperatura corporal.

  • Metabolismo lento - Quanto mais restrito for o consumo de calorias, mais o organismo vai se proteger. Resultado: queima menos calorias.

  • Osteoporose intensa - nas mulheres em fase de menopausa, que tem osteoporose, a doença se agrava, exigindo controle constante, reposição hormonal e a prática de exercícios.

  • Prisão de ventre - existe maior chance de ter intestino preso nas dietas à base de líquido e pobre em fibras.

  • Queda de cabelos e unhas fracas - o que desencadeia esses problemas é uma dieta pobre em vitaminas, zinco e proteínas.

Sua cabeça também sofre danos, não dá para separar corpo e mente andam juntos. Veja os principais prejuízos psicológicos que a perda de peso rápida pode trazer:

  • Auto-imagem de gordo - você ainda se acha gorda, mesmo exibindo uma silhueta mais magra. Nesse conflito, o cérebro faz de tudo para ficar com o corpo de acordo com a imagem mental criada, favorecendo a recuperação de todo o peso perdido.

  • Expectativas frustradas - você pode pensar que todos os seus problemas vão acabar quando conseguir chegar no peso ideal. Mas,emagrecendo muito depressa, não dá tempo para as mudanças internas acontecerem. Resultado: você emagrece, mas se frustra porque as dificuldades continuam. Daí para voltar a comer exageradamente é um pulo. Existe também, de forma inconsciente, a vontade de voltar ao corpo gordinho que, apesar de não ser socialmente bem aceito, é um velho conhecido, que representa segurança.

  • Compulsão alimentar - geralmente se emagrece muito em pouco tempo com dietas rígidas. A privação exagerada depois disso tudo pode levar você à compulsão alimentar e ganho muito mais rápido de peso.

Entenda o círculo vicioso que faz voce entrar num emagrece-engorda sem fim:

  1. Ao perder peso muito rápido (quer dizer que voce está se privando de muitos alimentos), seu corpo reage como se estivesse numa guerra, passando fome.

  2. Para reverter a ''situação de perigo'', as células de gordura estimulam seu cérebro a não ficar satisfeito.

  3. Você volta à antiga alimentação e seu corpo absorve tudo para formar novamente a mesma quantidade de gordura de antes.

  4. Recuperando o antigo peso, as células de gordura ficam satisfeitas e param de estimular seu cérebro.

  5. O ganho de peso continua porque as células de gordura demoram para avisar o cérebro de que seu corpo já voltou ao peso anterior. E quando esta mensagem chega você já ganhou de 2 a 5 quilos além do que pesava antes da dieta rígida.

  6. Inconformada por estar mais gorda do que antes, você se sente mal, sua auto-estima baixa e acontece a procura por outra dieta rápida... e começa do número 1. novamente.

Entenda porque a fórmula mais divulgada para o emagrecimento (dieta equilibrada + exercício físico) realmente dá resultado.

Dieta equilibrada: Ingerindo todos os nutrientes que o seu corpo precisa, você reduz o rico de ficar doente e comprometer a continuidade do tratamento para emagrecer e chegar ao corpo e peso desejados. Além disso, só comendo de tudo (com moderação), você combate a compulsão pelos alimentos e aumenta a chance de manter o novo peso. (= não mais engordar)

Exercícios Físicos : A atividade física queima calorias e acelera o metabolismo, que se torna mais eficiente mesmo em repouso (ou seja, você vai gastar mais calorias mesmo parada). Também colabora para o aumento da massa muscular, outra responsável pela queima calórica. Através desta fórmula seu emocional também se beneficia, pois você vai emagrecer aos poucos e com saúde. Sua mente vai ter tempo de ir se habituando ao seu novo corpo e peso, sem frustrações e ansiedades com este, garantindo assim uma auto-estima, auto-confiança e auto-imagem adequadas, evitando o efeito iô-iô.

 

 

Fonte: http://www.pensemagro.com.br

Um comentário:

  1. OI, eu emagreci 20kg em 4 meses, mas eu caminhava quase todos os dias uns 2km mas uma caminhada moderada aquela normal do dia-a-dia. Enfim isso pode ser sintoma de alguma doença ou é normal ?

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...