sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Perigo Que Dura Dois Dias Sábado e Domingo costumam ser cheios... De comida!

 

Final de Semana


É sexta-feira e a cidade começa a se agitar para o final de semana, que tem início praticamente no término do expediente. Convites para festas, reuniões em família, jantares em restaurantes, etc.
O que dizer da famosa pizza da sexta à noite? Ou então da incrível feijoada do sábado à tarde? No domingo... Churrasco já virou tradição. É difícil “fugir” das tentações, afinal, ninguém gosta de privar-se dos encontros com amigos ou parentes. A sociabilização é bem-vinda, faz parte do ser humano e a alimentação do ritual de integração.
Seria cruel sugerir que a alguém negue todos os convites para tais ocasiões, só para poder manter ou entrar em forma. O correto é saber lidar com cada uma delas. É preciso lembrar que o ano tem 365 dias. Até aí nenhuma novidade correto? O interessante é quando paramos para contar os dias que correspondem aos finais de semana. São 104 por ano! (sábados e domingos). Isso corresponde a quase um terço!
Portanto, àqueles que fazem destas épocas uma espécie de “refúgio do exagero” estão cometendo um enorme erro. Achar que a reeducação alimentar é necessária apenas de segunda à sexta dará a falsa idéia de que está praticando um bem à saúde e, além disso, irá ocasionar grandes obstáculos para o emagrecimento.

Dicas:
* Evite as pizzas mais calóricas. Dê preferência para as mais leves e saudáveis, como a de rúcula com tomate seco; atum com cebola; escarola; etc.
* Se for a um churrasco, aprecie cortes mais magros como alcatra e fraldinha, além de frangos (sem pele). Procure tirar as gorduras visíveis e evite grande quantidade de pão, refrigerantes e bebidas alcoólicas.
* Caso o prato do dia seja feijoada procure não exagerar nas carnes, coma a quantidade recomendada de arroz e aproveite a couve. Banana empanada possui alto valor calórico, portanto evite, assim como a farinha de mandioca (ou farofa). Aproveite a laranja como sobremesa, é uma ótima combinação..

Matéria por:Dionisio Alexandrini Neto - Jornalista – emagrecendo.com.br

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

A obesidade é genética?

 

Obesidade

A genética exerce uma importante influência sobre a obesidade. Um evidente sinal disso são os casos de duas pessoas que comem a mesma quantidade de comida, mas uma engorda e a outra não. Essa influência também pode ser vista em famílias nas quais vários membros têm problema com a balança, mesmo tendo estilos de vida bastante diferentes.

Mas é preciso tomar cuidado para não colocar toda a culpa na genética. Na verdade, a obesidade tem diversas causas. Ela envolve também fatores psicológicos, nutricionais, socioeconômicos e culturais.

Os estudos mais recentes apontam a leptina, um hormônio produzido naturalmente pelo nosso corpo, como um dos principais causadores da obesidade. Essa substância informa o cérebro que estamos saciados, aumenta o gasto de energia do organismo e promove a dissolução do tecido adiposo. O problema surge quando há baixa produção de leptina ou falhas em seu mecanismo de ação, dois defeitos relacionados com a genética.

Pode-se dizer, portanto, que existe uma forte tendência familiar para a obesidade. Mas, na maioria dos casos, ela pode ser controlada por meio dos outros fatores que nos fazem engordar.

Aprender uma nova forma de lidar com a comida, comendo de tudo e mudando hábitos, é o caminho mais fácil e seguro para emagrecer, pois assim você não volta a engordar.

Fonte: Site Emagrecendo.com.br

A relação entre o cigarro e o peso

 

Um dos maiores medos de quem quer parar de fumar é o de engordar. As estatísticas mostram que 1/3 dos ex-fumantes de fato ganham peso. Outro 1/3, no entanto, mantém o mesmo corpo e o 1/3 restante até emagrece.


Mesmo entre os que engordam, apenas 10% permanecem nessa situação por mais de seis meses, tempo aproximado que o organismo leva para se adaptar à nova vida.


Na verdade, indivíduos que fumam têm propensão a ser mais magros. Isso ocorre porque a nicotina diminui o apetite, entre outras razões, por paralisar as papilas gustativas. Assim, o ex-fumante apura seus sentidos: o paladar e o olfato melhoram sensivelmente, aumentando o prazer de comer. Outro motivo para o ganho de peso é o fato de o cigarro acelerar o metabolismo da gordura. Sem ele, o metabolismo torna-se mais lento.


Há também um componente psicológico nesse fenômeno. Para diminuir a ansiedade provocada pela abstinência, o ex-fumante tende a levar balas e outros alimentos à boca em substituição ao cigarro. E muitos passam a comer mais por achar que merecem um prêmio pelo sacrifício de largar o cigarro.


Evitar essas armadilhas psicológicas e iniciar ou aumentar a intensidade do exercício físico constituem o melhor antídoto contra o ganho de peso.

 

Fonte: Site Emagrecendo.com.br

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Você conhece bem suas medidas?

Para saber se o seu peso está normal ou se você está com uns quilinhos a mais, métodos não faltam. Por isso, um site sobre emagrecimento selecionou as formas mais utilizadas de medida e avaliação corporal, para que você as conheça e tire suas dúvidas. Segue a baixo a matéria retirada do site Cyber Diet.


Deixamos claro, que não existe um método de medidas perfeito, pois todos apresentam suas vantagens e desvantagens. Desta maneira, para cada situação um deles é recomendado. Além disso, você saberá como funcionam os aparelhos que conseguem detectar quanto tem de gordura no seu corpo. Achou interessante? Então acompanhe.

Independente da avaliação que será feita é muito importante que alguns cuidados na medição do seu peso e estatura sejam tomados. Assim, confira as dicas abaixo para não ter erro:


Ao se pesar


-Não importa o tipo de balança utilizada, fique em pé, em posição reta e com os pés afastados lado a lado. O olhar deve estar fixado em um ponto à frente;

-Utilize o mínimo de roupa possível;

-A pesagem deve ser feita preferencialmente pela manhã ou duas horas após a última refeição, para que a ingestão de alimentos não interfira no resultado;

-É recomendado que a pesagem seja feita semanalmente - e não diariamente - para ter o acompanhamento do ganho ou eliminação de peso;

-Para cada pesagem, utilize sempre a mesma balança.

Para medir a altura


-Os braços devem ficar soltos ao lado do corpo, com as palmas voltadas para as coxas;

- Fique descalço ou com meias finas e com o mínimo de roupas, para que a posição do corpo possa ser vista e avaliada;

- Os calcanhares devem ficar unidos e devem tocar a superfície vertical (a parede, por exemplo), que está sendo usada para fazer a medida;

- Distribua o peso do corpo nos dois pés;

- Mantenha a postura ereta;

- Faça uma inspiração profunda, mantendo o equilíbrio do corpo, para que a medida seja registrada.

Veja abaixo os métodos de avaliação mais utilizados:

Índice de massa corporal (IMC)

Através dos valores de peso e altura de uma pessoa, pode-se fazer o cálculo do IMC. Esta fórmula procura relacionar o comprimento (altura) com a largura (peso) do corpo. Assim, conforme o resultado do IMC, pode-se classificar se a pessoa está com o peso reduzido, adequado, com sobrepeso ou obesidade


A faixa de IMC considerada normal é de 18,5 a 24,9; valores abaixo de 18,5 indicam desnutrição
e entre 25 e 29,9, que a pessoa está com sobrepeso. Um valor de IMC acima de 30 significa obesidade. O IMC é o método de avaliação utilizado pelo Cyber Diet.

Talvez você já saiba de cor e salteado, mas muitos estudos foram feitos para se chegar a esta fórmula, que hoje é bastante conhecida:

IMC = Peso (Kg) / altura (m)2

Para ficar mais claro, observe este exemplo:

Uma pessoa que pese 57Kg, cuja estatura é 1,67m possui um valor de IMC igual a 20,43; este valor enquadra-se, portanto, na faixa normal.

Vantagem do método: resultado eficaz, baixo custo e praticidade.

Desvantagem do método: não discrimina quanto o corpo tem de massa magra (músculos, ossos e órgãos) e gorda (tecido gorduroso). A sua utilização, entretanto, não é recomendada para atletas, pois eles possuem grande quantidade de massa magra, devido ao nível intenso de atividade física que praticam.



Índice cintura quadril (ICQ) e Dobras cutâneas

Este indicador é utilizado para relacionar a gordura localizada
na região abdominal e no quadril

Algumas pessoas têm "forma de maçã", pois possuem mais gordura na região abdominal, enquanto outras têm "forma de pêra", pois apresentam mais gordura no quadril. Alguns estudos demonstram que pessoas com "forma de maçã" têm mais risco de desenvolver doenças crônicas, como as doenças cardiovasculares.

A fórmula para calcular este índice é:

ICQ = perímetro cintura (cm)/perímetro quadril (cm)

­ Um resultado superior a 1 para homens ou 0,8 para mulheres


indica que há excesso de gordura abdominal e isso pode representar risco à saúde como, por exemplo, para doenças coronarianas.

Dobras cutâneas

O adipômetro é o aparelho usado para medir as pregas (ou dobras) cutâneas. As medidas são feitas em lugares do corpo pré-determinados, onde a gordura costuma se depositar. Com essas medidas, são feitos alguns cálculos, para assim, estimar a quantidade total de gordura corporal. Esse método é bastante utilizado em clínicas e academias. Mas, é preciso verificar se o profissional está habilitado a tirar as medidas. É necessário que ele esteja padronizado, pois erro na pinçada acarreta em uma avaliação errônea da composição corporal.



Bioimpedância ou Impedância Bio-elétrica

É um método muito utilizado em academias, clubes e consultórios para avaliar a composição corporal de gordura. A bioimpedância utiliza um aparelho que consegue medir a gordura do corpo através de uma corrente elétrica de baixa intensidade, que é imperceptível. Quanto maior a quantidade de água contida em um órgão, mais facilmente a corrente irá passar

Assim, como a gordura possui pouca água, a corrente sofrerá uma resistência maior nos órgãos que têm mais gordura, ocasionando uma corrente mais lenta. Desta maneira, é feito o registro da corrente elétrica de acordo com a quantidade de água e de gordura presentes no corpo.

Para fazer essa avaliação, dois eletrodos são colocados nos braços e dois nos pés. Alguns cuidados devem ser tomados, para que o resultado seja perfeito. Assim, a pessoa avaliada não deve consumir alimentos e líquidos - especialmente bebidas alcoólicas e café - algumas horas antes do teste, nem mesmo realizar atividade física.


Além disso, o avaliado não pode tomar diuréticos nos 7 dias antecedentes e deve urinar e permanecer em repouso alguns minutos antes da avaliação, para não interferir nos resultados. Mais alguns detalhes: todos os acessórios de metal (brincos e pulseiras) devem ser retirados; gestantes e portadores de marcapasso não podem passar por esta avaliação. Qualquer falha antes ou durante o teste pode levar a um resultado alterado, portanto, a atenção deve ser redobrada.

26 dicas para dar o pontapé inicial na dieta!

Produção: Beth Brito


Se você anda sem pique, veja algumas boas idéias.




Que precisa começar a dieta, a gente sabe, chega até a ensaiar – mas, às vezes, falta aquela famosa palavrinha mágica: motivação! Então, inicia aquela velha história de planejar sempre para a próxima segunda-feira, afinal, no fim de semana é quase impossível...


Em vez de ficar se culpando pelo doce saboreado, a grande sacada é bolar estratégias que ajudem você a dar o primeiro passo. Veja só estas 26 dicas das nutricionistas Ana Paola Monegaglia e Renata Pepe, da clínica Alfredo Halpern, de São Paulo, e da nutricionista Gisele Paques, do Spa Sorocaba (a 90 km de São Paulo). Com elas você não terá desculpas para interromper o regime na metade.

1. De grão em grão... Se seu grande sonho é emagrecer oito ou dez quilos mas só de pensar nisso você desanima, mude já de estratégia mental! Em vez de se fixar no total de quilos extras, é mais animador (e realista!) lidarcom a perda de dois ou três quilos por mês.

2. Ação entre amigos. Que tal combinar com eles um final de semana light que marcará o início da dieta de todos? Juntos, fé mais estimulante e fácil de encarar. No menu de largada, em vez de churrasco, frango ou peixe grelhado. Para acompanhar, troquem a maionese por saladas maravilhosas, a cerveja por bebidinhas diet e a sobremesa hipercalórica por frutas da estação.

3. Sem mudanças radicais. Se o que mais a desanima num regime é a mudança abrupta de hábitos alimentares, faça isso gradativamente: comece reduzindo a quantidade de comida com que serve seu prato. Você ficará animadíssima para seguir em frente ao descobrir que conseguiu perder um ou dois quilos sem tanto sacrifício!

4. Tire da cabeça a palavra "proibido". Ela costuma ser a grande responsável pela falta de motivação na hora de começar um programa de emagrecimento. Nas dietas modernas, todos os alimentos são permitidos – você precisa apenas limitar a quantidade dos mais calóricos e gordurosos.

5. Fique linda. Compre uma roupa lindíssima que seja de um manequim menor que o seu. A vontade de usá-la pode ser o start que faltava para começar a emagrecer!

6. Você é sedentária? Então trate de se engajar num programa de caminhada ou de qualquer outra atividade física que lhe seja agradável. De bem com a vida, fica mais fácil ter vontade de se cuidar e começar o regime.

7. Menu levinho. Monte uma coleção de receitas leves, saudáveis e deliciosas. Você ficará inspirada a descobrir, na prática, que fazer um regime para emagrecer não é necessariamente sinônimo de tortura e comida sem graça.

8. Haja água!
Você sabia que, além de hidratar, a água ajuda a diminuir o apetite? Experimente beber um copo de água sempre que se lembrar e veja a diferença no seu apetite. Fazer dieta ficará bem mais fácil.

9. Coma verduras. Se o maior obstáculo para iniciar a dieta é a impressão de estômago vazio dos primeiros dias, contorne isso começando as refeições com um pratão generoso de verduras e raízes (apenas do tipo nabos, rabanetes, etc. Mandioca e congêneres, nunca!). Ricos em fibras, os vegetais aumentam a sensação de saciedade.

10. Família saudável.
Você se preocupa com o colesterol de sua família, que também tem pessoas mais gordinhas? Pois esse é um estímulo para preparar pratos saudáveis e magrinhos em casa. A saúde dos filhos (ou dos pais) sai ganhando com a melhoria na qualidade da alimentação!

11. Um bombom, pode. Você é chocólatra assumidíssima e acha que, por isso, jamais conseguirá dar início a uma dieta? Saiba que não é preciso abrir mão do seu chocolatinho de todo dia. Tente apenas reduzir o consumo para uma barrinha de 30 g. E curta ao máximo cada pedacinho para prolongar a sensação de prazer – assim não sentirá necessidade de comer mais.

12. Atenção "formiguinhas"!
A mesma dica vale para as que não vivem sem doce e acabam desistindo de dar a largada para uma dieta porque é difícil abrir mão das guloseimas.A boa notícia é que o vício por alimentos doces diminui na mesma proporção em que se passa a reduzir o seu consumo. Ou seja, quanto menos você comer, menos vai querer. Não é animador? Então comece já!

13. Estipule prêmios irresistíveis. A cada dois quilos perdidos premie-se com uma roupa nova, um programa diferente e até uma viagem no fim de semana. Assim, o regime ficará bem mais estimulante!

14. Fracione as refeições. Este é um jeito bom de principiar uma dieta. Em vez de sair de casa sem café da manhã e depois almoçar e jantar feito uma leoa, faça cinco refeições magras e saudáveis ao longo do dia, uma a cada 3 horas. Com o estômago sempre forrado, você sentirá menos fome e será mais fácil manter a gula sob controle.

15. Faça um curso de culinária light. Além de aprender vários segredos sobre a preparação dos alimentos, o ambiente, as conversas e as pessoas que você vai conhecer também servirão para animar o começo de sua dieta.

16. Menu personalizado. Se você ainda não encontrou uma dieta "com a minha cara", peça a uma nutricionista para montar um cardápio mensal personalizado, que leve em conta tudo de que gosta de comer e os horários em que sente mais fome.

17. Inspire-se em si mesma. Grude, na porta da geladeira, uma foto dos tempos em que tinha um corpo mais enxuto. Cada vez que sentir vontade de assaltar a geladeira, a foto terá um efeito neutralizador sobre a gula, despertando o desejo de emagrecer.

18. Roupas justíssimas. Quando estiver em casa, use aquelas peças apertadas que quase não servem mais. Cada vez que sentir vontade de comer além da conta, elas lembrarão você de que está na hora de maneirar e começar o tão adiado regime.

19. Apoio extra. Freqüente reuniões de grupos de apoio ao emagrecimento, como o Vigilantes do Peso e a Meta Real. Elas podem dar a injeção de ânimo que faltava para sua dieta.

20. Evite o boicote.
Tem a turma do tudo-ou-nada que não tem pique para começar uma dieta porque sabe que jamais ficará com o corpo de modelo. Mas esse tipo de pensamento só serve para boicotar a auto-estima - e a possibilidade de emagrecer e ficar mais bonita. Nesse caso, o primeiro passo é ser realista e esquecer de vez esse padrão fantasioso. Na vida real, todo mundo tem defeitinhos. Coloque então energia em fazer o seu melhor!

21. Mora sozinha? Ótimo! Então se proponha a comprar apenas comidas de baixas calorias (saborosas, é claro!), muitas frutas e verduras para beliscar sempre que der vontade. O que os olhos não vêem o estômago não sente, não é mesmo? E logo no primeiro dia você verá que trocar doces, bolos, frituras por nutrientes mais saudáveis não é tão difícil como parecia.

22. Evite cair em tentação!
Se almoça fora e vai sempre àquele restaurante cheio de pratos irresistíveis, convenhamos, vai ser difícil não cair em tentação. Procure um restaurante mais "econômico" em diversidade ou até mesmo um vegetariano, onde o forte sejam saladinhas deliciosas e comida sem tanta gordura. Já é um ótimo começo!

23. Tem um jeito maluco de começar uma dieta. Escolha um alimento a cada semana e passe a comer apenas 50% do que comeria dele. Por exemplo: se ia comer dois filés de frango, coma um só. Na segunda semana, adicione mais um alimento, e assim por diante. Você perceberá que depois de um tempo terá cortado tudo pela metade e nem reparou.
24. O começo é o difícil. No entanto, você precisa se lembrar de dois ditados que auxiliam muito as pessoas em qualquer começo (ou recomeço): Hoje é o primeiro dia do resto de sua vida. Você acaba de dar o primeiro passo dos mil quilômetros que tem a percorrer. Portanto, já necessita percorrer um passo a menos.

25. Iniciar uma dieta é complicado mesmo. Assim como entrar num emprego novo ou um recente relacionamento. Dar o primeiro passo assusta e dá até um pouco de medo. Por que não? Somos todos humanos. Mas quem não começa não prova esses sentimentos. E nem vai experimentar a sensação de vitória (no trabalho, no relacionamento e no regime) afinal, você consegue!

26. Toda vez que você estiver com uma vontade irresistível de comer um doce (aquela que dá de noite, no intervalo do filme) corra até o banheiro e escove os dentes. Você nem acredita como isso engana essa vontade.


Fonte: Site "Cyber Diet"

15 coisas que você precisa saber sobre calorias

Texto: Isabel Taranto



Quem quer emagrecer vive somando, cortando e falando sobre elas. Como são tão importantes nas dietas, vale a pena conhecê-las melhor.




1. O que é exatamente uma caloria?

É uma unidade de energia. "No caso, é a medida da energia fornecida pelos alimentos ao organismo," explica a nutricionista Priscila Maximino, da Nutrociência, clínica de assessoria em nutrologia de São Paulo (SP). Ou seja, o número de calorias de um item corresponde à quantidade de energia que este nos dá. Vale lembrar que nosso corpo precisa
de energia para tudo: desde prover o metabolismo basal, responsável pela manutenção das funções vitais em estado de repouso (tais como a respiração, o batimento do coração, a temperatura corporal, o crescimento do cabelo e a renovação dos tecidos), até possibilitar qualquer atividade física e intelectual.

2. Todo alimento tem calorias?


Sim, porque todos fornecem energia. Somente nutrientes como vitaminas, minerais e fibras e a água não contêm calorias. Se dividirmos os alimentos em grupos, veremos que cada grama de proteína e de carboidrato possui 4 calorias. A mesma quantidade de álcool tem 7 calorias e um grama de gordura tem 9 calorias.

3. Como se calcula as calorias de um alimento?


"Esse cálculo é feito em laboratório através da análise bromatológica, que consiste na verificação detalhada da composição dos alimentos", explica Priscila Maximino.

4. Basta comer menos calorias para emagrecer?

Não. "Emagrecer é uma conta matemática: é preciso gastar mais calorias do que se consome. O ideal é diminuir a ingestão com dieta e aumentar o gasto com mais exercício", assegura Carlos Cintra, preparador físico e especialista em fisiologia do exercício, de São Paulo (SP). A atividade física, além de contribuir para a perda de peso, ajuda a manter a boa forma.

5. Desde quando é obrigatório ter o número de calorias nas embalagens?

Desde 2000, segundo a Resolução nº 94, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que tornou a informação obrigatória na rotulagem nutricional de alimentos embalados.

6. Onde encontrar tabelas calóricas confiáveis?

No site da revista Dieta Já e em Cyber Diet, você encontra excelentes tabelas calórias. "Devem servir como referência também as tabelas de composição de alimentos que foram elaboradas por pesquisadores, tais como a da Universidade de São Paulo (USP), que se encontra disponível no site http://www.fcf.usp.br/tabela", recomenda Jocelem Salgado, nutricionista e professora da USP de Piracicaba (SP).

7. Como saber quantas calorias são gastas numa atividade física?

Esse número depende da duração da sessão de exercícios, do pique com que se faz e também do peso de quem a pratica. Na tabela abaixo, relacionamos o gasto calórico por quilo de peso corporal de algumas atividades praticadas em intensidade moderada durante uma hora. Aí, basta multiplicar o valor do seu exercício predileto pelo seu peso para descobrir quanto é capaz de queimar a cada vez que for malhar.

Atividades
Calorias gastas por
hora por quilo de
peso corporal
Balé
3,5
Basquete
7
Caminhada a 5,5 km/h
4,7
Corrida a 10 km/h
9,3
Ciclismo a 16 km/h
5,9
Dança de salão
3,5
Futebol
8,2
Hidroginástica
4,5
Ioga
3,9
Pular corda
8,4
Musculação
4,2
Natação (crawl lento)
7,7
Tênis de mesa
4,2
Tênis simples
6,4
Trekking
7,9
Vôlei
4,9

8. Alimentos diet e light têm menos calorias?

Nem sempre. Produtos diet não têm açúcar porque são elaborados para diabéticos. Em geral, quando se substitui açúcar por adoçante o item fica menos calórico, mas isso não é uma regra. O chocolate diet, por exemplo, costuma ser tão ou mais calórico do que a versão convencional porque tem mais gordura para compensar a diferença de sabor ocasionada pela falta de açúcar. Já os alimentos light precisam ter seu valor calórico reduzido em 25% em relação ao produto comum.

9. Fazendo uso de tabelas calóricas, consegue-se perder peso?

"Se a pessoa optar por alimentos menos calóricos e, ao mesmo tempo, souber compor uma dieta adequada do ponto de vista nutricional, com certeza irá perder peso gradativamente", garante Jocelem Salgado.

10. Qual é o menor nível de calorias que se pode consumir por dia?

Os níveis calóricos diários devem ser estabelecidos após avaliação de um profissional, levando em consideração as necessidades específicas de cada indivíduo. "Em geral, indica-se um consumo mínimo que varia entre 1.000 e 1.200", afirma Jocelem. Existe uma fórmula para se fazer esse cálculo, conforme explica o preparador físico Carlos Cintra. Acompanhe...

11. Calorias provenientes de gorduras engordam mais do que as outras?

Sim, porque há diferenças no seu processamento pelo organismo. Quando 100 calorias oriundas de uma porção de manteiga entram em nosso corpo, apenas 3% são queimadas no mecanismo que as transformam em depósito de gordura. Já com o equivalente de carboidratos ou proteínas, o organismo vai usar 23% das calorias na conversão, resultando em um estoque menor.

12. O que são as chamadas calorias ocultas?

Entende-se por este termo as que estão embutidas no preparo de um prato sem que se saiba. Por exemplo, uma porção de legumes pode ficar altamente calórica se eles forem refogados na manteiga. Efeito semelhante passa o arroz, se cozido na banha em vez de óleo vegetal. Por isso, é fundamental ter conhecimento sobre como a refeição é preparada.

13. E o que são calorias vazias?

Aquelas fornecidas por alimentos que são apenas calóricos e não oferecem nenhum nutriente. É o caso dos refrigerantes, por exemplo, que não têm sais minerais nem vitaminas.r.


14. Numa dieta de 1.000 calorias, tanto faz se elas vêm de chocolate ou do arroz com feijão?

Ingerir a cota diária em chocolates pode afinar, sim, embora não seja saudável. "Se quem está fazendo a dieta respeitar o limite de calorias diário, irá emagrecer mesmo que coma só besteiras e guloseimas", defende a nutricionista Ana Paola Monogaglia, da Clínica Alfredo Halpern, de São Paulo (SP). Mas ela mesma ressalta: "Nada, contudo, se compara a uma dieta equilibrada e variada, que garante o fornecimento de todos os nutrientes essenciais para a saúde". E não é só. "Doces em geral são pobres em fibras e ricos em gorduras e açúcar, o que significa pouca saciedade", lembra Jocelem Salgado. Ou seja, em um curto intervalo de tempo, o impulso de comer retorna forte e o regime acaba indo por água abaixo.

15. Calorias ingeridas à noite são processadas diferentemente daquelas consumidas durante o dia?

Não existem pesquisas que comprovem essa idéia. "Por isso, é bobagem dizer que não se deve comer carboidratos à noite. A recomendação é diminuir o consumo, já que o corpo logo vai passar por um estado de repouso durante o sono", assegura Priscila. Mas tudo vai depender da atividade de cada um. Quem faz exercícios físicos à noite, por exemplo, precisa desse grupo de alimentos no fim do dia. E mesmo na hora de optar pelos itens, use o bom senso: dê preferência a versões integrais, que são mais saudáveis e garantem a saciedade por um tempo maior.



Fonte: Site "Cyber Diet"

Alimentos que limpam, desincham e afinam a cintura

por Eliane Contreras




Cereais, frutas e folhas frescas, suplementos e ervas secas

A nutricionista Lucyanna Kalluf explica por que essa turma é importante na recuperação do seu organismo (e das medidas da cintura) depois de um dia de exageros à mesa

Arroz integral

Contém fitoquímicos (orizanol e fitoesteróis) que tem o poder reduzir a absorção da gordura pelo organismo. Também e rico em fibras, que fazem a faxina do intestino.

Farelo de aveia

Tem betaglucanas, substâncias que estimulam o organismo a absorver menos a gordura vinda dos alimentos. Suas fibras melhoram o trânsito intestinal contribuindo para limpar o intestino, além de prolongar a sensação de saciedade.

Alface

Carrega substâncias (clorofila + flavonoides) que, combinadas, contribuem para diminuir o excesso de líquido, o que faz desinchar.

Couve

Entre vários nutrientes importantes, tem alto teor de clorofila, substância que ajuda a limpar o organismo, especialmente o intestino. Esse nutriente ainda protege o fígado dos efeitos nocivos das bebidas alcóolicas.

Cenoura

A combinação de vitaminas desse legume estimula o metabolismo que costuma ficar mais lento depois de um processo de digestão difícil. Ainda carrega dois minerais, silício e potássio, que trabalham juntos na eliminação do excesso de líquido no organismo.

Abacaxi

A enzima bromelina presente na fruta facilita a digestão dos alimentos ricos em proteína (carne, peixe, frango). E suas fibras aumentam a saciedade.

Melancia

Carregada de fibras e água, desincha e limpa o organismo. Para oferecer um efeito diurético ainda mais eficiente, você pode bater a fruta com as sementes e coar o suco.

Kiwi

Rico em clorofila (e por isso que, mesmo madura, a fruta tem cor verde), limpa o organismo. Os minerais que ele carrega (cálcio, magnésio, potássio) diminuem o inchaço e as fibras estimulam o intestino.

Mel

Rico em frutose, equilibra o pH do sangue e os níveis de açúcar. E, como diminui o desejo de doce, no dia da dieta ajuda voce a esquecer o pavê de chocolate que sobrou da festa.

Cavalinha e hibisco

Facilitam a digestão, desincham e tem um efeito levemente laxante, especialmente o hibisco. A cavalinha ainda repõe potássio e silício, minerais importantes para a recuperação do organismo que trabalha em dobro quando você come mais do que o normal.

Camomila e melissa

Contém substâncias (o flavonóide apigenina, na camomila, e óleos essenciais, na melissa) com efeito relaxante, proporcionando uma boa noite de sono.

Levedo de cerveja

Rico em vitaminas do complexo B e minerais (cálcio, cobre, cromo, magnésio, potássio, selênio, silício, e zinco), diminui a absorção do açúcar. Além disso, facilita a recuperação do fígado, que fica especialmente sobrecarregado nos dias de comilança.

Revista: Boa Forma - Ed. 262 - Janeiro/2009



Revista: Boa Forma - Ed. 261 - Dezembro 2008



domingo, 8 de fevereiro de 2009

A Soja é um Alimento Completo?

Conhecida a mais de 5000 anos, no Oriente, a soja, nas últimas décadas, tornou-se um produto bastante conhecido sendo o seu consumo incentivado



Ela e alguns de seus derivados tornaram-se conhecidos como "alimentos completos".

Deve-se saber, no entanto, que nenhum alimento por si só pode ser considerado completo pois, não possui a variedade de nutrientes de que necessitamos diariamente.

A soja é uma planta pertencente à família das leguminosas, ou seja, do feijão, lentilha, grão de bico, ervilha e, destaca-se por ser rica em proteínas, lipídeos (gordura), fibras e algumas vitaminas e minerais.

Contém, também, uma classe de

fito-hormônios (hormônio de origem vegetal) conhecidos como isoflavonas ou isoflavonóides.

Estudos indicam que tais substâncias atuam como um elemento anti-oxidante reduzindo as taxas do colesterol ruim (LDL) no sangue e, conseqüentemente, diminuindo o risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, além de exercem também atividade hormonal equilibrando a quantidade do hormônio estrógeno no organismo feminino podendo amenizar, dessa forma, os sintomas da menopausa.

Apesar desses possíveis benefícios (que ainda estão em estudo), não podemos esquecer que a concentração dos isoflavonóides na soja depende da variedade da planta, das condições climáticas (seu teor é mais elevado na soja cultivada em regiões frias) e do metabolismo de cada indivíduo.



O fato de ser industrializada também influencia, visto que, conforme o tipo de processamento do produto pode haver uma perda maior ou menor do fito-hormônio. Outros alimentos como cereais (especialmente o trigo integral e a cevada), feijões, semente de linhaça, alho, brócolis, repolho e frutas cítricas também contém o hormônio vegetal, no entanto, em quantidades inferiores à da soja.

Assim, pode-se concluir que a soja deve ser incluída na alimentação não somente pelas possíveis vantagens que ela pode nos trazer mas, principalmente, pelo fato de ser mais uma opção de alimento rico em diversos nutrientes e que contribuirá para a diversificação da alimentação diária contribuindo, do ponto de vista nutricional, para a saúde.

Conheça na lista abaixo os principais derivados da soja:

- Óleo de Soja: é um dos tipos de óleo mais consumido no mundo.

- Farelo de Soja (resíduo proveniente da extração do óleo): pode ser utilizado como alimento para animais, visto que contém de 40 a 55 % de proteína.

- Farinha de Soja: pode ser usada na indústria alimentícia para enriquecer pão, biscoito, macarrão, produtos infantis, misturas para sopas.

- Concentrado e isolados protéicos de soja: são mais caros que a farinha e sua aplicação restringe-se aos produtos ela não pode ser empregada.

- Proteína texturizada de soja (PTS): pode ser obtida por "extrusão" e por "fiação". No primeiro caso, a PTS apresenta teores mais baixos de proteínas sendo utilizadas no preparo de hambúrgueres, bolinhos de carne e outros produtos cárneos. No segundo tipo, ela apresenta elevado teor de proteína e é utilizada na fabricação de produtos semelhantes à carne (bife), presunto, entre outros, devido à sua estrutura fibrosa mais definida.

- Extrato protéico de soja (leite de soja): é um alimento que possui a aparência muito semelhante ao leite de vaca. Pode ser encontrado na forma líquida ou em pó. Em geral, são aromatizados.

- Queijo de soja (tofu): elaborado a partir do leite de soja apresenta cerca de 135 calorias em 100 g e cerca de 12,5 g de proteína.

- Missô (pasta de soja) e shoyu (molho de soja): basicamente são usados como temperos na culinária oriental

- Soja torrada: possui a aparência de um amendoim torrado e pode ser consumida como tal.

Milena Lima
Nutricionista formada pela
Universidade Católica de Santos
CRN-3 14.100


Fonte: Site
"CyberDiet"


O que são alimentos funcionais?

Texto Rafael Tonon


Os alimentos funcionais ou nutracêuticos são aqueles que colaboram para melhorar o metabolismo e prevenir problemas de saúde. Ou pelo menos deveriam ser assim: os cientistas já reconhecem as propriedades funcionais de muitos desses alimentos, porém os estudos ainda não são conclusivos. “A ciência ainda não consegue determinar uma dieta diária de alimentos funcionais que atenda a todas as necessidades do organismo”, explica Valdemiro Sgarbieri, da Faculdade de Engenharia de Alimentos da Unicamp.

Essas substâncias não são novidade, como às vezes prega a indústria de alimentos. As isoflavonas, por exemplo, compostos que ajudam na redução do colesterol ruim, fazem parte da alimentação humana desde que a soja foi descoberta pelos chineses, há mais de 5 000 anos.

O que vem acontecendo é um aprofundamento nos conhecimentos da natureza química das substâncias funcionais e das suas funções no organismo. Com isso, os laboratórios e a indústria alimentícia passaram a produzir, em larga escala, alimentos funcionais formulados ou “artificiais”, como leites fermentados, biscoitos vitaminados e cereais matinais ricos em fibras.

Para chegarem ao mercado, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária exige que o fabricante apresente provas científicas das propriedades funcionais alegadas na embalagem. Mas não se entusiasme demais com os rótulos: 1 litro de leite com ômega 3, por exemplo, oferece menos desse ácido graxo que uma posta de salmão.

Fonte: Inar de Castro, pesquisadora da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP.

Betacaroteno

O que faz: Ajuda a diminuir o risco de câncer.

Como age: Quando ingerimos gorduras e proteínas, o betacaroteno se converte em vitamina A, protegendo as células do envelhecimento.

Onde encontrar: Abóbora, cenoura, mamão, manga, damasco, espinafre, couve.

Isoflavonas

O que fazem: Atenuam os sintomas da menopausa.

Como agem: Por ter uma estrutura química semelhante ao estrógeno (hormônio feminino), alivia os efeitos de calor e cansaço da menopausa e da tensão pré-menstrual.

Onde encontrar: Soja e seus derivados.

Licopeno

O que faz: Está relacionado à diminuição do risco de câncer de próstata.

Como age: Evita e repara os danos dos radicais livres que alteram o DNA das células e desencadeiam o câncer.

Onde encontrar: Tomate e seus derivados, além de beterraba e pimentão.

Ômega 3

O que faz: Diminui o risco de doenças cardiovasculares.

Como age: Reduz os níveis de triglicerídeos e do colesterol total do sangue, sem acumulá-lo nos vaso sanguíneos do coração.

Onde encontrar: Peixes de água fria, como salmão e truta, e óleo de peixes.

Flavonóides

O que fazem: Diminuem o risco de câncer e atuam como antiinflamatórios.

Como agem: Anulam a dioxina, substância altamente tóxica usada em agrotóxicos.

Onde encontrar: Suco natural de uva e vinho tinto, além de alimentos como café, chá verde, chocolate e própolis.

Probióticos

O que fazem: São microorganismos vivos que ajudam no equilíbrio da flora intestinal.

Como agem: Impedem que bactérias e outros microrganismos patogênicos se proliferem no intestino.

Onde encontrar: Iogurtes e leite fermentado.


Fonte: Site "Revista Superinteressante"

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Livro: Lelington Lobo Franco - 100 Sucos Com Poderes Medicinais


Resultado de pesquisa de vários anos, o livro "100 Sucos com Poderes Medicinais", do Professor Lelington Lobo Franco, reúne o estudo dos princípios ativos das plantas medicinais, frutas, verduras e hortaliças, combinando-os de várias formas: chás, sucos e vitaminas, de maneira adequada e completa do ponto de vista nutricional, para diversos males. Além de saborear os deliciosos sucos naturais, seu organismo estará mais protegido contra os desgastes físicos e, conseqüentemente, as doenças. Esta obra mostra um novo caminho para todas as pessoas que procuram uma vida mais saudável e ativa, de maneira simples e prática, adaptável ao seu dia-a-dia, por meio de ótimas receitas aqui apresentadas.

DOWNLOAD

Livro: Viva Melhor Com a Medicina do Lar - Chaves, António Leal



Pesquisas estão a comprovar que um dos meios mais eficazes, não só para prevenir, como também para combater doenças, é a prática de uma alimentação correcta e a sua aplicação terapêutica. Aliando a complexidade dos problemas da Humanidade aos problemas de saúde pessoais e à força de vontade para adoptar um estilo de vida saudável, estamos convencidos de estar a colocar à disposição dos leitores uma magnífica obra que os irá auxiliar a encontrar o caminho para os levar a conseguir o verdadeiro objectivo da vida: a saúde e o bem-estar. De forma clara e objectiva, esta obra, com mais de 400 páginas, sugere formas de ­prevenir e combater mais de 250 doenças por meio de recursos naturais (por exemplo: as frutas, as hortaliças, a terapia da água e da argila, etc.). Portanto, siga o exemplo de milhares de pessoas, decida-se hoje mesmo pela ­Medicina do Lar e Viva Melhor!


DOWNLOAD
Ou
OU
( Password: www.tugapirata.org)


Fontes: Site "Viciado em Livros" e www.tugapirata.org
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...