sábado, 31 de outubro de 2009

Nova dieta dos pontos reduz a barriga

 

tabela

A nova versão de uma das dietas mais famosas do país, a Dieta dos Pontos, promete, além de mais rapidez no emagrecimento, ser um ótimo guia para quem quer eliminar principalmente a barriga e cuidar da saúde. Com a ajuda das nutricionistas Mônica Beyruti e Ana Paola Monegaglia Vidigal, o endocrinologista Alfredo Halpern ensina no livro “A nova dieta dos pontos”, como reduzir a ingestão de gordura trans — a pior de todas.
As pessoas que consomem menos trans emagrecem mais depressa — explica Halpern, que pontuou 1.785 alimentos em seu livro.

 

bem-viver-somar

bem-viver-tabela2

 

 

Fonte: http://extra.globo.com/saude/bemviver/

 

Tirando Dúvidas : A nova Dieta dos Pontos

nova dieta dos pontos livro

O famoso programa ficou ainda melhor: você emagrece até 6 kg por mês - sem passar fome!- com uma única restrição: nada de gordura trans!

 

Brigadeiro, batata frita, pão de batata... Com a Dieta dos Pontos você emagrece comendo de tudo. Ops, quase tudo. A nova versão do programa tem uma única restrição: a gordura trans. E há boa razão para isso. Presente no rótulo de alimentos industrializados, como bolos e congelados, a gordura vegetal hidrogenada, nome completo da trans, eleva os níveis de LDL (colesterol ruim) e diminui os de HDL (colesterol bom).


Assim, facilita o entupimento das artérias e, consequentemente, o surgimento de doenças cardíacas. "Alguns estudos também mostram que quem excede no consumo de trans acumula mais gordura e tem mais di?? culdade para emagrecer", alerta Alfredo Halpern, autor do livro A Nova Dieta dos Pontos (Ed. Abril, R$ 24,90) e chefe do Grupo de Obesidade e Síndrome Metabólica do Hospital das Clínicas de São Paulo. Ou seja, riscando essa substância do cardápio você soma saúde e acelera o emagrecimento! Então, prepare a calculadora e consulte as tabelas de alimentos para montar seu prato como e onde quiser - em casa, no restaurante por quilo e até no fast food.

Como funciona?
Para facilitar, no lugar de calorias você conta pontos (cada ponto vale 3,6 calorias). Se o objetivo é secar até 4 kg por mês, consuma até 320 pontos (o equivalente a 1 200 calorias) por dia. Quer potencializar o programa e eliminar até 6 kg? Pratique uma caminhada por uma hora, quatro vezes por semana. Dá para montar o prato do jeito que quiser.


Como a alimentação equilibrada é o segredo para emagrecer e ainda evitar o efeito sanfona, recomenda-se reservar entre 160 e 176 pontos (entre 50% e 60% do total de pontos) para os carboidratos (pães, massas, frutas, legumes, verduras e cereais – integrais, de preferência) e de 33 a 50 pontos (o que equivale de 10% a 15% do total) para as proteínas (carnes, grãos, leite e derivados). Já as gorduras (óleo, azeite, manteiga e castanhas) devem somar até 96 pontos (30% do total diário). E lembre-se: os alimentos geralmente levam gordura no preparo.

Trans, a única restrição
A Organização Mundial de Saúde (OMS) limita o consumo de gordura trans em até 2 g por dia. Para não extrapolar, a dica é sempre conferir o valor na embalagem do produto. Na tabela de pontos, há também uma referência aproximada do teor de trans em cada alimento. No diário onde anotar seus pontos, desenhe um quadrado dividido em quatro partes. Essa é a sua cota diária de gordura trans. Se o alimento tiver até 0,5g de trans, preencha uma parte. De 0,6 a 1g, duas partes. Se contém entre 1,1 e 1,5g, preencha 3 partes do quadrado. Mais de 1,6g de trans, pinte o quadrado inteiro e pare já!

Momento de Reflexão

 

Dieta-002-Page-3

Bom fim de semana a todos!!!

Sucos que vão te ajudar a manter a boa forma

 

A cara do verão

Sucos que vão te ajudar a manter a boa forma

Fonte: Bolsa de Mulher
Foto: Getty Images

O inverno acaba despertando aquela vontade de comer algumas comidinhas bem engordativas. O friozinho naturalmente já nos remete a chocolates, massas, fondues, risotos, suflês...Todo esse desejo acontece porque nesta estação, com a baixa temperatura, o corpo passa a consumir mais calorias e, por isso, você precisa de pratos mais consistentes.

Com a chegada do verão, a maioria das mulheres quer perder todos esses quilinhos extras. As academias ficam lotadas, mas para recuperar o corpinho, exercícios físicos não são a única solução. Aqui, vamos listar algumas dicas de sucos que te ajudam a manter a boa forma e a liberar as toxinas que seu corpo acumulou durante o inverno.

A nutricionista Livia Pieroni, do Mundo Verde, ensina que, nessa época, devem ser privilegiados os alimentos integrais, ricos em fibras como alface, couve, hortelã, aipo, abacaxi, tofu, maçã, quinua e linhaça. "É bom evitar a carne vermelha que é mais difícil de ser digerida", explica a nutricionista. Ela dá três receitas de sucos que vão ajudar a limpar seu organismo. Além de nutritivos, eles são deliciosos!

1. SUCHÁ DE ABACAXI E CAVALINHA

"Na primeira receita vamos combinar o poder do abacaxi de digestão das proteínas e o efeito de desinchaço e de reposição dos minerais da cavalinha. O kiwi também é rico em fibras que estimulam o intestino", diz Lívia.
Ingredientes:
1 xícara (chá) de água
1 colher (sobremesa) de cavalinha seca
1 rodela de abacaxi
4 folhas de hortelã
1 kiwi sem a casca
1 folha de alface
1 colher (sopa ) de mel (orgânico)
1 cubo de gelo
Modo de fazer:
Prepare o chá: coloque a água no fogo e, assim que ferver, desligue e acrescente a cavalinha. Tampe a panela. Deixe em infusão por cinco minutos e coe. Bata no liquidificador com os outros ingredientes e coe novamente.

2. SUCO DE AIPO COM MELANCIA

O segundo suco mistura o sabor da melancia com o poder de "faxina" da inhaça. "Ela é ótima porque, além de proteger contra a formação de tumores, é excelente para quem deseja perder peso, pois ajuda a diminuir o colesterol e a controlar a sensação desnecessária de apetite. A linhaça tem grandes quantidades de fibra dietética, cinco vezes mais que a aveia", garante a nutricionista.
Ingredientes:

2 fatias de melancia picada
1 talo de aipo com as folhas
1 colher de sopa de linhaça ou Quinua real
1 colher de sopa de mel (orgânico)
1 cubo de gelo.
Modo de fazer:

Coloque a melancia, o aipo, as sementes e o mel e bata tudo no liquidificador, depois se quiser coe e sirva.

3. SUCO VERDE:
Já o Suco Verde conta com a ajuda da maçã e da couve para repor nutrientes perdidos. "A pectina, que está na casca da maçã, é uma fibra muito importante para reduzir a gordura e a glicose do sangue, além de ser uma fruta muito rica em vitaminas B1, B2, niacina, ferro e fósforo. A couve tem alto teor de clorofila, que ajuda a limpar o intestino e ainda protege o fígado dos efeitos nocivos das bebidas alcoólicas", comenta Lívia.
Ingredientes:
1 copo de 200 ml de água de coco
1 maçã com casca picada
1 folha de couve
1 colher de sopa de mel
1 colher de sobremesa de linhaça
1 cubo de gelo
Modo de preparo:
Colocar no liquidificador a água de coco, a maçã picada, a couve, o mel e o gelo. Bate tudo depois de pronto o suco, salpique a linhaça por cimado suco, para dar um a brilho e vai estar pronto para ser servido.

 

Fonte: http://itodas.uol.com.br/

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Para emagrecer: musculação ou aeróbico?

 

Você fica na dúvida na hora de escolher uma modalidade para alcançar o corpo dos seus sonhos? Descubra qual a melhor opção e comece a queimar calorias

Por Eliane Terrataca


A maioria das pessoas fica confusa quando resolve decidir o que fazer para perder peso, ficar mais saudável e feliz com o corpo. Por isso é importante aprender as diferenças de cada modalidade para conhecê-las e escolher um programa que seja mais interessante a fim de atingir os objetivos.

Musculação
É um treino de força. Durante a série, grande parte do sangue é desviado para a região que está sendo trabalhada, o que aumenta a vascularização e oxigenação do local. Qualquer um pode fazer, desde que liberado pelo seu médico após exames clínicos. "Pessoas com pressão alta, bem como as que realizaram cirurgias cardíacas ou ainda as que possuem outras limitações patológicas estão liberadas quando acompanhadas profissionalmente”, de acordo com o personal trainer Julio Marchetti.

A musculação também queima mais calorias que exercícios aeróbicos porque o corpo começa a gastar muito mais energia. É fácil de entender: "quando os músculos ficam mais condicionados o metabolismo fica mais acelerado e consome mais calorias durante o dia para manter esse estado físico. É o mesmo efeito de remédios de emagrecimento, mas de maneira natural", afirma Julio.

Aeróbico

É um treino de resistência. Gera energia para os músculos e proporciona maior oxigenação. Por esta razão, nem todos podem praticar estes exercícios, já que exige grande esforço cardiovascular. Outra diferença é que “os aeróbios não proporcionam um aumento considerável de massa muscular, não estimulam os músculos do tronco nem dos membros superiores”, afirma o especialista.

É importante destacar aqui que a sua escolha está diretamente relacionada aos resultados que deseja atingir e às condições físicas individuais.

saiba qual a melhor opção!

Escolha certo
Qual é melhor para emagrecer? As duas! Para obter os resultados tão desejados é importante combinar musculação com aeróbicos e alimentação saudável. Você já deve estar cansada de ouvir sobre alimentação saudável – se você ingerir mais energia do que gasta durante o dia, com certeza irá engordar. O que você não sabe é que essa combinação é mais do eficiente no processo de emagrecimento.
Por exigir grandes esforços específicos, a musculação é a recomendação do personal Julio para quem deseja emagrecer. Mas esclarece que “apesar de ser um excelente exercício, não faz milagres. O que controla o peso do ser humano é o balanço calórico, isto é, o que ele ingere por meio da alimentação o que o organismo gasta diariamente. Não é porque começou a praticar esse tipo de exercício que vai emagrecer”.

Lembrando que as recomendações dependem dos objetivos de cada pessoa uma possibilidade para facilitar o emagrecimento é a seguinte seqüência: alongamento, exercícios de musculação e exercícios aeróbicos. Os aeróbicos depois do alongamento podem atrapalhar a musculação, diminuindo o rendimento dos músculos. Por isso deixá-los por último é uma boa opção.

Não esqueça: conforme você for atingindo os resultados desejados, com um programa de exercícios bem estruturados e muito bem realizados, a sua alimentação também precisará ser repensada. Afinal um corpo diferente exige uma quantidade de energia diferente, o que deve ser refletido nas suas refeições. Agora que você já sabe disso, comece hoje mesmo a ficar mais bonita!

Fonte: Julio Marchetti - personal trainer

Fotos Getty Images

Matéria publicada no site http://itodas.uol.com.br/

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

As mentiras (mais comuns) de como emagrecer

Nada de diz-que-me-diz! Saiba o que é verdade e o que é mito na hora de perder uns quilinhos

Por Raquel Moraes

balan_a

Você escuta, de todos os lados, as pessoas discutirem “verdades e mentiras” sobre como perder peso. Mas a maioria dessas “frases prontas” que são passadas de geração a geração, são mitos que já foram desvendados.

E, uma das pessoas que desmistificou essas maneiras de emagrecer, foi a endocrinologista Karla Saggioro, que coloca em seu livro “Emagrecer! Soluções práticas” - Editora Fundamento - algumas respostas para essas ficções que arrumamos no dia-a-dia, além de outras coisas que todos que buscam entrar em um número menor de roupa, devem saber.


Veja alguns desses mitos e saiba que nem sempre o que a nossa avó fala, vem só da experiência...


Exercício que sua emagrece.
Não! Todo e qualquer exercício queima calorias. Até mesmo, quando você está em movimento, está perdendo calorias. Com uma caminhada regular, por uma hora, você pode perder até 10 quilos em um ano, sem muitas mudanças na alimentação. Acredite!

Comer a noite engorda.
Não! Se você comer da maneira errada, você realmente vai ganhar uns quilos a mais – mas, não importa a hora. O grande problema é que no fim de tarde as pessoas têm o hábito de chegar em casa e ir direto para as comidinhas mais pesadas e calóricas e depois, cama ou TV.

Ser vegetariano emagrece!
Não! A alimentação dos vegetarianos pode ter muito colesterol e gordura, o que é péssimo para emagrecer. Além de aumentar essa gordura e calorias, deixar a carne de lado, por alguns ovos, laticínios, sementes e carboidratos, podem não segurar e saciar sua vontade de comer.

Ficar de jejum, além de emagrecer, reduz o tamanho do estômago.
Não! Não é nada disso. Se você ficar sem comer, realmente seu peso irá diminuir, porém, parte da redução será feita pela perda de água ou músculo e, não, gordura. Até porque, quando você voltar a comer, irá recuperar todo esse peso que foi “eliminado”.

Nada de comer entre refeições.
Não! A informação é falsa porque se você fizer refeições saudáveis entre as refeições, elas irão manter seu metabolismo ativo e evitam que você corra muito rápido a caminho da próxima alimentação. A maior parte das pessoas precisa comer a cada três a quatro horas.

Repetir o prato engorda.
Não! Não tem jeito. Tem dia que estamos mesmo, com mais fome. Por isso, comer um pouco mais em uma refeição não ditará o quanto você irá pesar. O importante são os hábitos da sua alimentação durante o dia, e até mesmo, durante a semana.

 

FONTE: http://itodas.uol.com.br

Jogo de dominó

O psiquiatra Ezequiel Gordon estimula quem quer perder peso fazendo uma associação inteligente com o velho jogo de pedras pretas e brancas

O jogo de dominó tem regras bem definidas, que permite ao participante traçar estratégias para sair-se vencedor. Ao iniciar o jogo, eu sorteio as sete pedras que me caberão, não posso trocá-las meramente porque não gostei da configuração. Com estas peças ao acaso por mim escolhidas é que terei que me conduzir até o final da partida, tendo sido do meu agrado ou não. Por aproximação à sabedoria religiosa do Hinduismo, poderíamos dizer que este é o nosso carma, é o pedaço que nos toca e com o qual deveremos contar indelevelmente.

Posso ter pego um grupo de peças muito ruim, como, por exemplo, ter entre as minhas sete pedras quatro que tem um número dobrado (algo que na minha cidade natal chamávamos de "carretão"), e que diminui bastante a probabilidade de coloca-las à mesa quando chegar a minha vez de jogar. Por outro lado, posso dar de cara com um jogo altamente favorável, como, por exemplo, ter cinco peças contendo o mesmo número que propiciará fechar a mesa para os oponentes ganhando tempo precioso para fechar a partida à frente dos demais.

Ocorre que a regra do jogo não permite que estando eu de posse de uma mão sofrível venha a me declarar perdedor ou estando com um jogo alvissareiro venha a reclamar a vitória sem que antes maneje as pedras até o fim, confirmando em um ou em outro caso a derrota ou a vitória. Há uma máxima que diz: "O jogo tem que ser jogado e o lambari tem que ser pescado". Isto se deve à possibilidade de que, apesar da desfavorável sina, eu me conduzir tão bem no jogo, que possa sair vencedor ou, no segundo caso, esgrimir com tanta imperícia, que acabe perdendo uma partida que se assegurava vencedora. A esta maneira com a qual eu vou reger a minha conduta pessoal, podemos, novamente invocando o Hinduismo, chamá-la de darma.

 

Com a questão do emagrecimento poderíamos usar o esquema do jogo de dominó como analogia. Seja, por exemplo, a herança genética o nosso carma, ou seja, as pedras com as quais fomos contemplados. Digamos então que eu sou gordo e as famílias de ambos os lados são constituídas de grande número de indivíduos anafados. Certamente neste caso terei sido sorteado com peças muito ruins para desenvolver o jogo do emagrecimento. Situação inversa se daria se eu não tivesse nenhum parente obeso por parte de pai ou de mãe. Com esta configuração a minha peleja em busca do emagrecimento se iniciaria com pedras de qualidade invejável.

Mas, aqui, tanto quanto no dominó, não posso proclamar derrota ou vitória sem que a partida termine, pois mesmo tendo uma genética que conspira contra a minha ânsia de perder peso, posso manejar com destreza as peças deste jogo, alcançando um sucesso antes impensável, bem como posso por a perder o meu favoritismo com o qual iniciei a campanha, manejando com tal imperícia o meu jogo, que coloco tudo a perder. Estas ações que coloco em prática, efetivas ou não, são o darma e delas dependerá, tanto quanto das condições à priori estabelecidas, o sucesso da minha empreitada.

Com isso quero posicionar-me entre aqueles que acreditam que a posição do sujeito não é passiva diante da natureza, muito pelo contrário cada um de nós é autor do enredo que é a história da nossa vida, enredo no qual somos também atores e que cabe a nós a possibilidade da sua reinscrição. Somos gordos enquanto estivermos ocupando o lugar do gordo, que nos é fornecido e sempre solicitado pelas condições somáticas, pela nossa subjetividade, seja consciente ou inconsciente e pelo meio social, que tenta nos subjugar para desempenharmos uma função de objeto de exclusão, necessário para o "status quo". A palavra chave na recuperação da obesidade é mudança no sentido de uma transformação.

Severina era uma senhora de quase 50 anos e que além de estar numa condição avantajada de obesidade estava diabética e hipertensa. Tinha uma história triste de relação tumultuada com a mãe, da qual dizia que não a amava e que punha veneno de rato no leite de sua mamadeira. Pouco importa se este acontecimento foi real ou imaginário, o fato é que assim sentiu esse período da sua vida. Atualmente tem um marido que a mima com muitos doces e guloseimas, mesmo sendo ela diabética, ou seja, trocaram as personagens, mãe por marido, veneno de rato por glicose, mas o enredo continua o mesmo sendo Severina envenenada pelo seu cuidador.

Severina é a autora e atriz desta novela e o final, no que concerne ao emagrecimento não será bem sucedido, mesmo que suas pedras de dominó sejam as mais favoráveis possíveis, pois Severina nada faz para transformar sua história em uma outra história.

Ezequiel José Gordon é psiquiatra e coordenador do Grupo de Estudo e Tratamento da Obesidade (Gesto). Fale com ele através do e-mail ezejogo@uol.com.br
Foto (dominó): Getty Images

Matéria publicada no site http://itodas.uol.com.br

30 Minutos de exercício por dia será que adianta?

 

Especialistas respondem se você consegue emagrecer doando meia hora do seu tempo a uma atividade física

Por Renata Rode

Todo ano é a mesma coisa: você faz matrícula na academia e não a frequenta, dizendo ter a falta de tempo como aliado. Mas experimente começar com apenas 30 minutos por dia, selecionando também o que come. Pronto! Você vai emagrecer de maneira saudável e sem quase perceber.

Para Marcelo Peres, professor de educação física e personal trainer, nosso corpo necessita de movimento constante. “As atividades do cotidiano, quando não nos mantém estagnados fazem pior, submetem-nos a posturas e esforços altamente inadequados”. Daí surgem doenças, dores e quilinhos a mais, que incomodam e persistem. Atividades como caminhada, alongamento, hidroginástica e natação podem ser praticadas por 30 minutos de maneira dosada, já que não exigem um grande tempo de recuperação do corpo.

É claro que o emagrecimento também depende do seu cardápio. É importante ao iniciar qualquer atividade física, associá-la a uma dieta nutricional balanceada, com recuperação adequada entre os treinos, incluindo o bom sono. “Sempre oriento os alunos a procurar orientação especializada antes ao menos de iniciar a atividade, assim, ele saberá qual a frequência cardíaca ideal durante uma caminhada e vai acompanhar sua evolução, motivando a continuidade da rotina de exercícios”, fala o especialista.

 

A prática de atividade física constante mesmo com duração de pouco tempo, mas que seja frequente, melhora o sistema cardiovascular e previne diversas doenças em todos os sistemas do corpo. “Algumas atividades podem recuperar quadros de leões musculares anteriores e até problemas de articulação. Além disso, a depressão e outras ocorrências de ordem psicológica são minimizados com os efeitos da liberação de serotonina na corrente sanguínea após a prática de exercício, causando a sensação de bem estar”, explica. Isso pode te auxiliar na luta contra a balança, já que, sentindo-se melhor e mais bonita, você está estimulada a conseguir mais resultados.

Para Artur Zular, médico especializado em doenças psicossomáticas, é possível emagrecer facilmente praticando atividades físicas rotineiramente, mesmo com as modalidades mais “leves”. “Em uma semana você já começa a perceber os resultados e acaba de motivando a buscar sempre mais e mais. Apenas não recomendo a prática à noite porque pode prejudicar o sono”. Para Artur, pequenas atitudes como descer um ponto antes do trabalho para caminhar duas quadras ou deixar o carro na garagem para ir à padaria já contribuem para que a pessoa saia do sedentarismo e queime algumas calorias.

 

Musculação também pode

Se você frequenta academia, também pode montar um treino específico de musculação com duração de meia hora. “Já que o seu objetivo é a queima de gordura, você pode iniciar com qualquer atividade. Se o programa for feito corretamente sabemos que não só a corrida emagrece, como a musculação também”, ensina Paulo Domingos Junior, professor de musculação da Cia Athletica de Ribeirão Preto.
Para ter um bom desempenho em suas atividades físicas, e com isso diminuir o percentual de gordura, precisamos pensar não só nos momentos que antecedem o treino, e sim ter uma visão macro da situação. “Isso significa que nosso corpo necessita de uma dieta balanceada de micronutrientes (vitaminas e minerais) e macronutrientes (carboidratos, lipídios e proteínas). Mas, quando você for treinar, faça uma ingestão de carboidatros de 30 a 60 minutos antes do treino e nunca se esqueça da hidratação”, fala Thiago Nogueira Brieger, personal trainer.
Caminhar é preciso

Se você não está acostumada com atividade física, inicie com uma caminhada simples, uma vez por dia por 30 minutos. Você deve escolher roupas leves, confortáveis e de cores claras. Fique atenta para a escolha do tênis, que deve ter amortecimento adequado à sua pisada, para não causar lesões. Sempre antes de iniciar e após o exercício, faça um alongamento simples de pernas e braços e hidrate-se antes, durante e depois. Com uma dieta balanceada e a caminhada diária você pode perder até um quilo e meio por semana. Arregace as mangas e não esqueça do protetor solar se for caminhar ao ar livre, hein!

Fontes:
www.iqv.com.br
www.fitboard.com.br
www.ciaathletica.com.br
Imagens: Get Images

Matéria  publicada no site http://itodas.uol.com.br

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Você quer mesmo emagrecer?

 

O colunista Ezequiel Gordon fala da importância da força de vontade na hora de perder peso. Leia o texto do médico psiquiatra que é especializado no tema

O que é que vocês vieram buscar aqui? Invariavelmente faço esta pergunta ao grupo de pessoas obesas, que vem procurar nossa equipe de atendimento para iniciar mais um tratamento para este aflitivo problema. Segue-se um silêncio profundo, indicativo da perplexidade causada por tão ingênua colocação que rapidamente dá vez a olhares reprovadores como a me acusar de fazer questões tolas.

Por diversas vezes eu me vi pensando que esta pergunta seria efetivamente uma tolice se não fosse a convicção de ser este é um ponto fundamental, quando se propõe a combater os efeitos da obesidade.

Pois bem, insisto em querer uma resposta, que acaba chegando na forma de: "É evidente que vim aqui para emagrecer".

A resposta óbvia. Que explicita a demanda dos candidatos ao tratamento, encobre o real desejo dos mesmos, qual seja: queremos ser emagrecidos. Sim, que maravilha seria se as coisas funcionassem da mesma maneira como acontece com o meu automóvel. Outro dia, meu carro sofreu uma pane mecânica e eu o levei à oficina do meu amigo Zezinho, que o examinou, fez o diagnóstico, orçou os custos e disse taxativo: "Volte em três horas que ele estará pronto". Dito e feito. Neste espaço de tempo fui assistir a um filme no cinema do shopping e a,o retornar, maravilha! Lá estava o carro funcionando direitinho.

Mas com a obesidade não se passa do mesmo modo. Não é possível ir ao CRATOD (unidade da Secretaria de Estado da Saúde aonde o GESTO atua seu programa) deixar o corpo gordo lá nas mãos da equipe de profissionais e após três horas de passeio, compras voltar e buscar este corpo, agora emagrecido dentro das mais auspiciosas expectativas sonhadas pelos seus donos e exigidas pelos atuais modelos culturais, que a sociedade nos impõe.

Interessante notar que nós profissionais também compartilhamos desse conto de fadas, acreditando poder mudar este corpo só com o nosso empenho e com a nossa competência, prescindindo da participação do sujeito interessado. Isto não só não é passível de ser alcançado, como também não seria útil ao próprio indivíduo, se assim pudesse ocorrer. Para defender esta última afirmação, lanço mão de uma parábola na qual um menino observava a eclosão da borboleta saindo de seu casulo e se penalizava ao ver quanto esforço, quanta energia a borboleta despendia para realizar tal feito. Resolveu interferir, auxiliando o pobre inseto a livrar-se de sua apertada prisão, usando para tanto, com cuidado uma tesoura para, delicadamente, cortar as bordas do pesado invólucro.

De fato, a borboleta viu facilitada sua saída, porém nunca pode voar, porque, e isto o menino ignorava, o esforço que fazia para sair do casulo era necessário para impelir a linfa, que daria vigor às suas asas. A obesidade seria como o casulo e o uso da tesoura é como a eliminação dos sintomas sem a participação efetiva do sujeito, pois sem esta o corpo adelgaça, mas a transformação só se dá na aparência, ou seja, o inseto sai do casulo, mas não se realiza como borboleta.

A senhora, que chamaremos de Lucinda, portadora da condição de obesa mórbida, estava com nossa equipe havia dois anos. Como bons resultados obtidos no seu empenho em deixar de ser gorda estavam uma importante melhora da sua auto-estima, uma facilidade maior em relacionar-se com as outras pessoas e um sentimento de potência a substituir o de fracasso. Entretanto o seu peso mantinha-se e este era o ponto fraco do seu tratamento. Havendo se inscrito num programa de cirurgia do estômago, acabou sendo chamada e já de posse de todos os requisitos para ser operada, estando internada com sua cirurgia marcada, toma uma decisão: resolve não ser operada, levanta-se do leito e vai embora do hospital.

Atualmente, passados mais dois anos emagreceu cerca de um terço do seu peso inicial e sua preocupação atual é encontrar condições de fazer cirurgia plástica, pois quer livrar-se dos excessos de pele, advindos da perda de peso. A questão aqui não é do tratamento adotado, mas da participação efetiva que teve na sua recuperação. Lucinda quis emagrecer e não ser emagrecida.

 

Ezequiel José Gordon é psiquiatra e coordenador do Grupo de Estudo e Tratamento da Obesidade (Gesto)
ezejogo@uol.com.br

Matéria publicada no site http://itodas.uol.com.br

Trate a compulsão alimentar

Psicóloga dá dicas para acabar com esse mal que leva ao sobrepeso e à obesidade

Ataques noturnos à geladeira e falta de controle para parar de comer, mesmo estando saciado. Essas são algumas das queixas que a psicóloga Adriana de Araújo, autora do livro O Segredo para Emagrecer (Universo dos Livros) ouve com freqüência em seu consultório. Todas relacionadas à compulsão por comer.

"Para diagnosticarmos o comer compulsivo é preciso que os comportamentos descritos anteriormente sejam recorrentes, ou seja, aconteçam com freqüência e estejam associados à perda de controle do paciente", explica a psicóloga.

Quando pensamos em compulsão alimentar, estamos nos referindo à pessoa que come uma grande quantidade de alimentos rapidamente, perde o controle e não consegue interromper a refeição mesmo quando se sente plenamente saciada. "Para caracterizar esse comportamente como doença é preciso que ocorra pelo menos duas vezes por semana", afirma a profissional.

Não se caracteriza como compulsão o fato de a pessoa comer três ou quatro pratos de macarronada num almoço de domingo, sentindo prazer durante a refeição e consciente de que está exagerando na quantidade. Pacientes com comer compulsivo referem-se sempre à perda de controle. Se servem a primeira vez, e repetem e repetem, pois não conseguem parar de comer. "Apesar da sensação de empanturramento, muitos continuam comendo até vomitar", diz a Adriana de Araújo.
Outra face da compulsão alimentar é a síndrome alimentar noturna, doença que vem sendo muito estudada nos últimos anos. "Ela acomete pessoas que seguem, sem nenhum esforço, hábitos alimentares normais durante o dia, mas, à noite, despertam com a necessidade de ingerir algum alimento. Em geral, nessas ocasiões, ingerem alimentos hipercalóricos, como os doces e os ricos em gordura, que não fazem parte da dieta usual desses pacientes".

O aparecimento desse descontrole é mais freqüente entre os 20 e os 30 anos de idade. Pode ser originado, por exemplo, pela frustração causada pelo casamento ou uma separação, pela insegurança gerada pela perda de emprego ou pela promoção no trabalho. Estudos revelam que a prevalência é igual nos dois sexos, mas as mulheres procuram mais o tratamento do que os homens. "Elas buscam o tratamento não porque estejam preocupadas com os episódios de compulsão alimentar, mas porque estão preocupadas com os sinais de sobrepeso ou obesidade. Em geral, os homens não se incomodam com isso", explica Adriana de Araújo

Tratando o problema

O tratamento destes pacientes inicia-se, sempre, pela reeducação alimentar. A Sociedade Brasileira de Endocrinologia, seguindo as orientações da Organização Mundial de Saúde, não recomenda a prescrição de dietas de baixo valor calórico, mesmo para as pessoas com sobrepeso e obesidade nesses casos. "O que se faz é tentar ensinar este paciente a adequar alimentos de valor calórico corretos a horários de refeição também corretos", diz a psicóloga. Isto significa que os alimentos próprios do café da manhã devem ser ingeridos no café da manhã; os do almoço, na hora do almoço e os o jantar, na hora do jantar.


Outra medida importante é comer alguma coisa nos intervalos entre as três refeições principais. Agindo assim, mesmo que valor calórico do alimento seja baixo, o corpo irá perceber que está sendo constantemente alimentado. "O objetivo disso é educar o relógio biológico em relação aos horários alimentares para a pessoa perceber que é capaz de controlar os episódios de compulsão e de atingir um nível satisfatório de saciedade".

Se a orientação nutricional falhar, o próximo passo é identificar fatores psicológicos, crenças ou pensamentos que possam estar desencadeando os episódios de compulsão. "O tratamento psicoterápico cognitivo-comportamental ajuda a desenvolver comportamentos que previnem o aparecimento desses episódios. Nos casos em que o fator psicológico desencadeia a compulsão, é preciso trabalhar o sentimento de frustração, a autocrítica e a auto-avaliação como forma de prevenir o comportamento compulsivo", explica a profissional.


O terapeuta pode auxiliar o paciente a elaborar uma lista de soluções viáveis para enfrentar os momentos de compulsão. “Existem algumas técnicas que ajudam: ler um livro, ouvir música, sair de casa, andar de bicicleta. Uma vez posta em prática uma delas, 30 ou 40 minutos depois, terá desaparecido a vontade de comer, isso se ele não estiver realmente com fome e já tiver corrigido os maus hábitos alimentares”, afirma Adriana.

 

Foto: Digital Vision / Getty Image

Serviço:
Psiclínica e Wecare

(11) 5051 8338/4586 2729
www.curadalma.com.br
Adriana de Araújo: adriana@curadalma.com.br

Matéria publicada no site http://itodas.uol.com.br/

Neurose engorda

Ficar contando calorias, pensar no jantar em pleno almoço e correr o supermercado decifrando os rótulos de cada produto estressa e pode engordar

Por Renata Rode

Você resolveu começar uma dieta e está toda empolgada contando as calorias que consome. Tudo bem enquanto isso não for algo que toma seu tempo e torra seu cérebro. Ou seja, enquanto for um hábito saudável e você não deixar de participar de programas sociais por causa disso, pode se considerar uma mulher normal. Mas se começar a ficar neurótica com a balança, esqueça. Seu antídoto contra os quilos a mais pode virar contra você, sem que perceba. Por isso, muitas pessoas que seguem rigorosamente a dieta, muitas vezes, não conseguem perder gramas.


Quando a pessoa está com o emocional muito alterado, sua glândula supra renal libera cortizol na corrente sangüínea. Essa substância faz com que a pessoa engorde sem comer em grande quantidade. Além do fator hormonal, há outro ponto muito importante quando falamos em ganhar peso ao preocupar-se demais com a dieta alimentar: o controle do impulso compulsivo. “Comer é um prazer e se a pessoa não está bem por algum motivo, ela utiliza essa sensação de bem-estar ao comer como uma substituição. Passa a comer de forma emocional e não fisiológica”, explica a nutricionista Claudete Rocha Luz. “A diferença é que uma pessoa em estado ‘normal’ come corretamente, em horários adequados e guiados pela necessidade do organismo. A compulsiva sente necessidade de comer o tempo todo, não importa o que e geralmente em grande quantidade”, diz a especialista.


Além disso, o estresse pode fazer você aumentar o número de seu manequim. “O estresse pode alterar o peso, o sono e a pressão arterial, inclusive, causando diversas doenças recorrentes”, diz Ana Paula Ragonlia, endocrinologista da Clínica Cirúrgica Plástica e Beleza. Algumas pessoas quando muito ansiosas engordam e outras, emagrecem. “Há relação de ansiedade com alguns hormônios que podem alterar o peso, a pressão arterial e até manifestar doenças após um estresse”, revela a médica.


Nem neurótica, nem compulsiva


Não adianta também sair por aí achando que é só desencanar do regime, comendo de tudo e ficando feliz. Claro que se você comer sem parar, não praticar atividade física e exagerar nas quantidades, vai engordar. Aliás, também comer por felicidade apenas, também faz você aumentar a circunferência corporal, viu?
Ser compulsivo atrapalha não só a vida social e o controle sobre o peso na balança. Na verdade, esse estado faz com que qualquer dieta não dê certo. Por isso, algumas pessoas compulsivas não conseguem se livrar do efeito sanfona. “O paciente compulsivo precisa de um tratamento multidisciplinar que conta com a ajuda de um nutricionista, um endocrinologista e um psicólogo”, explica Claudete.

Dicas práticas:

- procure diagnosticar quando você come por fome ou por vontade

- não passe vontade, se está com desejo de comer um doce, coma, mas em pouca quantidade e use a lei do equilíbrio

- se exagerar no almoço, pegue leve no jantar

- para controlar a ansiedade, escolha atividades como ioga ou pilates, assim você troca o prazer de comer pelo bem-estar do seu corpo

- divirta-se, se produza e seja feliz! seu corpo vai agradecer!

 

FONTE: http://itodas.uol.com.br/

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

A depressão provoca obesidade ou a obesidade provoca depressão?

 

Difícil saber quando um quadro leva a outro mas tem como descobrir analisando alguns sinais que a psicologia mostra


Por Renata Rode

É muito difícil saber com clareza se é a obesidade que provoca a depressão ou a depressão a obesidade. Estudos relatam que ambos os transtornos estão muito interligados. Para a psicóloga Cleuse Nogueira, tanto para depressão quanto para a obesidade existem diversos fatores emocionais e sociais que estão envolvidos e provocam muito sofrimento. “O mais comum é encontrarmos pessoas, principalmente jovens pré-adolescentes e adolescentes entrando na fase adulta, em que o excesso de peso e a baixa auto estima contribuem para uma depressão”, explica a especialista.


Também existem casos em que a pessoa deprimida teve aumento de peso em até 20% mas isso não é suficiente para definir um quadro. “Na depressão geralmente ocorre uma falta de apetite, falta de vontade de fazer as atividades que antes eram prazerosas, alteração do humor,
diminuição da libido, desejo de isolamento, entre muitos outros sintomas”,
conta Cleuse.

Quando colocamos emoções no alimento

Ilusão. É a palavra que define o que é comer por impulso. “A pessoa que come compulsivamente está colocando no alimento uma série de fantasias e emoções que a leva a pensar que o alimento é o único responsável que irá preencher o seu vazio existencial”, diz a psicóloga.
Para que haja uma melhora na qualidade de vida da pessoa que come de maneira descontrolada, é necessária ajuda profissional. Regimes e dietas, muitas vezes, acabam se tornando um outro ato compulsivo e não um tratamento adequado.

Viver hoje em grandes metrópoles está contribuindo para o surgimento de muitos outros malefícios que antigamente não existiam, como Síndrome do Pânico, Ansiedade, Bulimia e Anorexia, por exemplo. “O sintoma da ansiedade é uma sobrecarga de conteúdos emocionais que, em geral, levam uma pessoa a ter alta freqüência de atividade e excitabilidade. Esse pico de emoções, na maioria das vezes, não deixa a pessoa dormir, causando insônia e outras desordens físicas ou emocionais. “Na depressão ansiosa o indivíduo terá dificuldade em dormir ou dorme e acorda no meio da noite. A sensação de vazio ou de que seus objetivos não vão prosperar leva a pessoa a acordar cedo e mesmo que não saia da cama, os pensamentos são recorrentes e acelerados”, explica.

A ansiedade pode também ser uma resposta psíquica para se ajustar, buscando o equilíbrio emocional. Na passagem da infância para a adolescência e em todas as mudanças significativas de vida pode ocorrer esse transtorno ora por conta das pressões ambientais, ora por uma alta exigência pessoal. Podemos dizer que é uma iniciação das fases de vida que não são elaboradas na sociedade moderna. Assim corpo e mente são afetados pelo estado ansioso de inúmeras maneiras e que sempre estará na dependência do modo como a pessoa lida com seu estado emocional.


A alimentação pode vir a ser um fator de grande importância na vida de uma pessoa ao ponto de causar muito sofrimento psíquico, fazendo com que ela se isole do convívio familiar ou social, além de colaborar com muitos outros transtornos em sua vida afetiva, e, até mesmo, profissional. Quando isso acontece é sempre importante que a pessoa procure ajuda de um profissional. Fazer regimes ou dietas por conta própria nunca é aconselhado.

“Todas nós conhecemos diversos fatos reais em que nossos amigos ou conhecidos através de regimes e dietas sem orientação especializada, sofreram outros danos físicos e psíquicos. Portanto se a pessoa está sofrendo por transtornos alimentares e a vida está um caos por conta da alimentação, é necessário e muito importante procurar ajuda médica e psicológica com o objetivo de transformar essa história”, alerta Cleuse. Só assim é possível uma mudança saudável, responsável e segura, que perdura por mais tempo, evitando o temido efeito sanfona.

FONTE: http://itodas.uol.com.br/

Hortaliças do bem

Verduras e legumes parecem todos iguais? Entenda por que os médicos insistem tanto em variar o cardápio

 

Quando bate aquela vontade de comer algo gostoso, poucos procuram comer uma salada com alface e cenoura para saciar a fome, certo? Doces, frituras e massas são os preferidos dos gulosos de plantão e mesmo quem segue uma alimentação regrada pode dar uma escorregada.
Mas quem disse que esse prato precisa ser sem graça? As verduras e legumes são alimentos funcionais, ou seja, possuem vitaminas e sais minerais que auxiliam o corpo a funcionar melhor. A sensação de saciedade proporcionada pelas fibras segura a fome e evita ataques compulsivos comuns a quem faz alterações na alimentação.
“Começar a refeição pela salada potencializa o efeito dos alimentos, melhora o trânsito intestinal e faz com que se coma menos os pratos mais calóricos”, afirma a nutricionista Juliana Pansardi (PR).
Segundo o princípio da pirâmide alimentar, é necessário ingerir de 3 a 5 porções de hortaliças por dia. Você pode deixar a salada mais saborosa acrescentando grãos (como quinoa e granola), carnes magras (como peito de peru e frango), temperos naturais (como orégano e pimenta-doreino) e molhos leves (como os feitos com iogurte natural e limão).
Um fio de azeite deixa o prato ainda mais saudável, pois esse tipo de gordura, sem excessos, faz bem ao coração. As frutas também são excelentes acompanhamentos para saladas. Pedaços de manga, abacaxi ou maçã dão um toque agridoce ao prato sem pesar nas calorias. Experimente!

Entenda mais sobre os nutrientes:


VITAMINA A E BETACAROTENO
Regeneram os tecidos, fortalecem o sistema de defesa do organismo. Fontes alimentares: Nos vegetais de cor amarela, alaranjado, verde-escuro.
VITAMINA B6
Participa no controle dos sintomas da tensão pré-menstrual. Fontes alimentares: Farelo de trigo, soja, aveia, amendoim, nozes.
ÁCIDO FÓLICO
Atua nos mecanismos de multiplicação das células. Fontes alimentares: Folhas verdes, brócolis, espinafre, aspargo, trigo, arroz integral, levedo de cerveja.
VITAMINA C
Fortalece as defesas do corpo e melhora a absorção de ferro. Fontes alimentares: Tomate, couve-flor.
VITAMINA D
Participa no aproveitamento de cálcio. Fontes alimentares: Gema de ovo, sardinha.
VITAMINA E
Auxilia na formação das gorduras, previne os radicais livres. Fontes alimentares: Cereais integrais, gérmen de trigo, espinafre, ovos, castanhas, soja, brócolis.
CÁLCIO
Previne a osteoporose, participa do controle da pressão arterial. Fontes alimentares: Queijos, iogurtes, brócolis, peixe, nozes.
FERRO
Previne a anemia. Fontes alimentares: Carnes, feijão, vegetais verdes-escuros.
ZINCO
Atua no metabolismo dos açúcares, fortalece a resistência imunológica. Fontes alimentares: Cereais integrais, nozes, sementes, ostras, fígado.

Por Isabelle Lindote
Fonte: Revista Zero/Ed. 06
Fotos: Símbolo Imagens

Games + Ginástica – Malhar também pode ser divertido!

 
Jillian Michaels Fitness Ultimatum 2010 - Wii

Jillian Michaels Fitness Ultimatum 2010 é um jogo de fitness similar a Wii Fit Plus e EA Sports Active. A anfitriã do game é a própria Jillian Michaels, conhecida pela série “The Biggest Loser”, adaptada como “Perder para Ganhar”.

O game se assemelha a um DVD de ginástica, no qual você deve desempenhar os mesmos movimentos exibidos pela treinadora de seu televisor. Para isso, é possível utilizar tanto o Wii Remote quanto o Wii Balance Board.
Caso o jogador se perca durante os exercícios, ele pode contar com o auxílio de uma barra, disponibilizada no canto da tela, que indica quando algo está errado. Além disso, ela também registra suas ações em uma espécie de diário.
O jogo conta com 17 exercícios diferentes, escolhidos pela própria Jillian Michaels. Você pode criar suas próprias linhas de exercícios ou optar pelas indicadas pela personal trainer. O plano de fundo de suas atividades também é personalizável, variando desde praias tropicais até locais cobertos por lava.

 


Região: NTSC
Plataforma: Wii
Download

 

FONTE: http://soft-games.blogspot.com

Fique de olho nas calorias dos líquidos

O problema é que a maioria das dietas só leva em conta o que comemos e muitas vezes esquecemos também de contabilizar o que bebemos

Fique de olho nas calorias dos líquidosPOR ISABELLE LINDOTE

Beber durante as refeições é uma prática comum pela maioria dos brasileiros. Porém, você sabia que a ingestão de líquidos, principalmente gasosos, dilata o estômago e dificulta a digestão?
“A ingestão de bebidas gaseificadas aumenta a área gástrica e, com a capacidade do estômago aumentada, é preciso comer mais para sentir saciedade. Isso interfere diretamente na dieta de qualquer pessoa. O ideal é ingeri-los até 15 minutos antes ou apenas 2 horas após as refeições. Restrinja o volume a, no máximo, 200 ml”, sugere a nutricionista Juliana Pansardi, da Clínica Corpore (PR).
Para quem está de dieta e não abre mão da bebida alcoolica, Daniel Magnoni, cardiologista e nutrólogo do Hospital do Coração de São Paulo (HCor), avisa: “As bebidas alcoolicas possuem sete calorias por ml. Se o carboidrato, considerado o grande vilão das dietas de perda de peso, tem quatro calorias a menos que o álcool, quem precisa emagrecer não pode consumir drinques e afins achando que está imune aos quilinhos a mais”. Por isso, a ordem é, sempre que possível, substituir o vinho, a cerveja ou a caipirinha por um suco natural de baixa caloria.

LÍQUIDOS EM PRIMEIRO LUGAR
Marina Luiz, 32 anos, faz parte do time das pessoas que não abrem mão de um refrigerante nem de um drinque na balada. “Controlar a alimentação já é uma tarefa difícil, não poder ao menos tomar algo gostoso é muita tortura!”, desabafa a mineira. “Quero perder dois ou três quilos, como toda mulher, mas se for para abandonar minha caipirinha, prefiro manter meus pneuzinhos onde estão”.

Fique de olho nas calorias dos líquidos

BEBIDAS LIBERADAS

Na opinião da nutricionista Daniella Camargo (SP) o ideal seria a pessoa não beber nada ou preferir sucos de frutas, principalmente os cítricos, porque auxiliam na absorção de ferro. “Na pior das hipóteses, recomendo a ingestão de água, que não tem calorias e não engorda”.
Então, quais líquidos estão liberados para o consumo? Água, chás de ervas sem cafeína, sucos diluídos em água e pouco calóricos, como limão, acerola, morango, abacaxi, caju, manga, maracujá, pêssego, tomate fresco, pitanga e melancia. Entre os sucos que devem ser consumidos com moderação, estão os de framboesa, graviola, groselha, cacau e laranja, além das vitaminas de frutas com leite e a vitamina de abacate.
Para a nutricionista Patrícia Ramos, do Hospital Bandeirantes (SP), não é difícil manter uma dieta líquida saudável. “Deixe para o fim de semana o consumo de sucos industrializados já adoçados e refrigerantes”, diz a especialista.
Bruna Dialli, especialista em nutrição da Clínica Biodiet (SP), alerta: “Lembre-se que a bebida não sacia, seja ela qual for. Em vários casos, a ingestão aumenta o apetite. Muitas pessoas seguem uma dieta alimentar, mas se perde nas calorias dos líquidos”.
Há também outras bebidas que fazem muito bem à saúde e que não costumam ser levadas em conta, como leite e iogurtes. “Eles contêm cálcio e vitaminas, e fazem bem aos ossos e dentes”, explica Juliana Pansardi. “Se for tomar líquidos junto às refeições, como um hábito, modere a ingestão a apenas um copo tipo americano. Tomar suco natural e não refrigerantes é uma boa troca, pois esses últimos possuem calorias vazias, enquanto um copo de suco oferece muitas vitaminas e sais minerais”, finaliza.

 

Fonte: http://itodas.uol.com.br/

Revista: SHAPE OUTUBRO 2009 ON LINE

 

200844post_foto

EasyShare

 

FONTE: http://revistariafree.blogspot.com/

Metabolimo - Veja algumas dicas para acelerar.

 

1001652700

 

COMO ACELERAR OMETABOLISMO

Esta pergunta é feita praticamente por todas as pessoas que me procuram para emagrecer. Em seguida, geralmente vem à afirmação: “Eu tenho o metabolismo lento”.

 

Muitos não tem certeza, mas pelo fato de não estar eliminando peso já “culpam” o metabolismo. Diante disso é preciso analisar se realmente a pessoa está seguindo a proposta alimentar corretamente.


Uma forma de acelerar o metabolismo é praticando exercícios regularmente, assim se gasta mais calorias. Comer várias vezes ao dia também, pois o organismo a cada 2 ou 3 horas (depende do intervalo das suas refeições), estará trabalhando para fazer a digestão e queimar as calorias e assim se torna mais ativo.

Alguns alimentos considerados como termogênicos, de acordo com alguns estudos, também provocam um gasto calórico, mas na minha opinião seria necessário um consumo elevado para que esse gasto fosse relevante.


Outra situação muito comum que acontece é a seguinte, o indivíduo faz uma restrição calórica excessiva quando começa uma dieta, querendo obter o emagrecimento o quanto mais rápido possível, no início o organismo responde bem, mas com o passar do tempo, começa estacionar, ou seja, entra no efeito platô, porque ele se acostuma com aquela quantidade ingerida, só que o indivíduo não tem o que fazer, pois não tem como diminuir ainda mais as calorias.


Nessa situação o melhor a fazer é aumentar as calorias e depois de um tempo diminuir devagar.
Por isso muito cuidado com dietas muito restritas e não almeje eliminar peso muito rápido, o correto é que a redução de calorias aconteça aos poucos, até que se conquiste a meta de peso.


Medicamentos, alterações na tireóide, estresse e outros fatores também podem alterar o metabolismo, por isso, analise bem se realmente o seu metabolismo é lento e faça as atitudes ou tratamento correto para acelerá-lo.

 

 

Fonte: http://cyberdiet.terra.com.br/

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Você sabe manter o peso?

 

Permanecer magra depois da dieta - esse é o novo desafio de quem se livrou dos quilinhos a mais. Confira nossas dicas!

Por Mariana Viktor

As frutas sempre devem estar presentes na sua dieta!Semanas e mais semanas de cardápio controlado e - maravilha! -, você alcança seu objetivo. Mas evite cantar vitória... Agora é hora de enfrentar a segunda parte da aventura de uma dieta: consolidar os resultados e manter o peso.
Eis o grande desafio: nesta etapa, inúmeras pessoas tendem a deixar o sucesso escapar pelos dedos e recuperam parte dos quilos anteriores, quando, muitas vezes, não terminam por engordar ainda mais. Por isso, preste bem atenção: para se fixar no novo patamar, há a necessidade de encarar um meio termo entre as refeições reguladas dessa fase do regime e a liberdade total à mesa. "Tal período deve ser visto como uma extensão da reeducação alimentar, em que ocorre a adequação definitiva de hábitos e gostos", observa Cynthia Antonaccio, nutricionista da Equilibrium Healthy Food, de São Paulo (SP).

Passo a passo
A rigidez deve ser relaxada de maneira gradual e planejada. Isso quer dizer mais liberdade para variar os alimentos e a possibilidade de voltar a consumir alguns itens prediletos, porém sempre com bom senso e moderação. "O grande segredo é aprender a encontrar prazer na alimentação equilibrada. No começo, talvez seja difícil resistir às guloseimas... No entanto, com o passar dos dias, nos acostumamos a escolher comidinhas liberadas sem grandes sacrifícios", garante a nutricionista Luciana Mette, de Blumenau (SC).
Outro aliado é o tempo. "Ao manter o peso estável por um período mais longo, as chances de a conquista ser definitiva ficam maiores", avisa a nutricionista Mônica Beyruti, de São Paulo (SP). Isso ocorre porque o organismo se habitua a funcionar com o novo percentual de gordura, deixando de acionar os mecanismos de proteção que, no início de um regime ou logo após a fase restritiva, são responsáveis pela tendência de se recuperar os quilos perdidos. Para ajudála nessa empreitada, listamos 14 dicas e um menu sob medida para estabilizar seu peso... para sempre!

1. CONTINUE FRACIONANDO AS REFEIÇÕES

A estratégia visa a controlar a fome ao longo do dia, evitando ataques - sobretudo noturnos - à geladeira. Mais do que isso: é importante nunca ficar de estômago vazio, pois o próprio processo de digestão consome calorias. Pular refeições, então, nem pensar! Quando isso acontece, na próxima vez que se sentar à mesa, fica fácil comer além da conta. Na seqüência, vem a culpa, a ansiedade... e o resto da história é bem conhecida. Chega disso, certo?

2. INGIRA NO MÁXIMO 70% DO QUE TERIA VONTADE

Você não precisa viver contando calorias o tempo todo, mas tem de se impor algum limite, principalmente logo após sair de um regime mais restritivo. Uma idéia fácil e simples de pôr em prática é diminuir - sempre! - as quantidades que coloca no prato. Dessa forma, consegue-se manter o peso sem privações, saboreando de tudo um pouco. Lógico que esse 'de tudo um pouco' não significa abusar dos alimentos gordurosos e hipercalóricos. Vegetais, cereais e carnes magras devem ser itens freqüentes na sua listinha, combinado?

3. COMA FIBRAS TODOS OS DIAS

Além de melhorar o funcionamento do intestino, as fibras (contidas, por exemplo, no farelo de trigo, na aveia, nas frutas e nos vegetais) contribuem na eliminação do colesterol nocivo e no aumento da sensação de saciedade - favorecendo, assim, a perda de peso. Para minimizar o desconforto dos gases e das cólicas, que costumam surgir nas primeiras semanas de consumo regular desse componente, aumente a quantidade ingerida gradativamente. Procure também beber pelo menos seis copos de água diários, para facilitar a ação e potencializar a satisfação que proporcionam.

As fibras também são importantes na dieta

4. OPTE POR ALIMENTOS INTEGRAIS

Essa decisão faz as fibras ganharem ainda maior espaço em seu cardápio. Os integrais são também nutricionalmente mais ricos e de digestão um tanto complexa, garantindo que a fome demore a reaparecer. Já os alimentos refinados fornecem apenas energia e quase nenhum nutriente. E, como são rapidamente digeridos e metabolizados, logo o estômago começa a reclamar...

5. CONSUMA IOGURTE NATURAL DIARIAMENTE

Este tipo de laticínio estimula o desenvolvimento de lactobacilos e bifidobactérias intestinais benéficas à saúde, que equilibram o pH do órgão e combatem a ação dos microorganismos ligados às doenças. Como é no intestino que ocorre a absorção de grande parte dos nutrientes, mantê-lo saudável e funcionando bem é garantia de um metabolismo mais eficiente.

6. ABUSE DE FRUTAS, LEGUMES, VERDURAS E CEREAIS

Além de importante fonte de fibras, esses alimentos são ricos em antioxidantes, que combatem os chamados radicais livres - substâncias produzidas pelo próprio organismo (como reação a poluição, fumaça de cigarro e outras toxinas) que prejudicam a saúde das células. "Eles são fonte de vários minerais, como selênio, magnésio, zinco e vanádio, que participam da digestão dos carboidratos, das proteínas e das gorduras", explica a nutricionista Luciana Mette. Sem isso, a insulina também não consegue agir direito, o que prejudica o transporte do açúcar para dentro das células. Resultado? Sobra açúcar circulando no organismo, que é transformado em gordura, armazenada por sua vez em regiões como coxas, culotes e barriga.

7. TENHA UMA LISTA DE RESTRIÇÕES CLARAS

Nela, devem constar alimentos que definitivamente não fazem falta e que são os grandes responsáveis por resultados desastrosos na balança. É o caso das frituras, das carnes gordas, dos salgadinhos, dos embutidos, do leite e seus derivados na versão integral, dos doces e refrigerantes.

8. NADA DE EXAGERAR NO JANTAR!

A partir das 19 horas, o metabolismo diminui bastante e passa a queimar menos calorias. Resultado: a probabilidade de aumentar o estoque em forma de pneuzinhos, culotes e companhia é ainda muito maior. O ideal, então, é apostar em pratos leves, como saladas e sanduíches integrais, e nas sopas e cremes.

9. NÃO CORTE AS PROTEÍNAS DO MENU

Elas são importantes para regular a digestão dos carboidratos. "Se você comer macarrão com carne, por exemplo, engordará menos do que só ingerir o macarrão, mesmo que o número de calorias seja igual. Isso porque a proteína da carne torna mais lenta a liberação do açúcar do carboidrato encontrado na massa", explica a nutricionista Mônica Beyruti. Dê preferência às proteínas magras que compõem as carnes brancas (peixes e aves), a clara do ovo e a soja. O mesmo vale para os doces. "Caso queira saborear uma guloseima no intervalo das refeições, coma antes uma proteína magra - um iogurte natural ou uma fatia de peito de peru, por exemplo - ou um alimento rico em fibras, como uma laranja, que também auxilia a reduzir a liberação do açúcar", recomenda a especialista.

Abuse das frutas, dos legumes e das verduras, que são ricos em fibras

10. NÃO DEIXE DE INGERIR ALGUMA GORDURA

A chamada "gordura saudável", presente nas castanhas, nos peixes e no azeite de oliva, ajuda a manter o peso ao provocar sensação de saciedade, além de reduzir o mau colesterol e aumentar o bom. Um estudo realizado nos EUA com uma centena de voluntários confirma isso. Durante 18 meses, um grupo seguiu a dieta-padrão de baixa caloria, farta de carboidratos e pouca gordura, enquanto o outro fez um regime pobre em calorias em que 35% delas provinham de fontes de gordura saudável. No final, aqueles que restringiram a gordura ganharam em média 3 kg, enquanto os que consumiram as saudáveis perderam 4 kg.

11. FAÇA DA ATIVIDADE FÍSICA UM HÁBITO

Segundo o American College of Sports Medicine (ACSM), para uma pessoa de 60 kg perder até 1 kg por semana é preciso que nesse mesmo prazo ela queime 3.500 calorias. Pois bem: 60 minutos de caminhada por dia equivalem ao gasto de 2.700 calorias semanais. Grande ajuda, não é mesmo? A atividade aeróbica - que, além da caminhada, inclui a corrida, o ciclismo e a natação - também acelera o metabolismo. Por isso, quem leva esses exercícios a sério consegue emagrecer (e manter o peso) mais facilmente.

12. ESCOLHA OS CARBOIDRATOS

Existe uma enorme diferença entre os carboidratos de alto índice glicêmico, presentes na farinha e no açúcar refinados, por exemplo, e os carboidratos de baixo índice glicêmico, encontrados normalmente na composição de legumes, verduras e grãos integrais e que - eis o ponto - acabam criando condições adequadas para o processo de emagrecimento. Entenda o porquê: depois de digerido, todo carboidrato se transforma em açúcar, mas a quantidade produzida pelo alto índice glicêmico é muito maior. Para transformá-lo em energia, o corpo libera insulina em quantidade proporcional. A questão é que, em excesso, essa substância não só estoca muita gordura como dificulta a perda de peso.

13. MANTENHA O ESTRESSE SOB CONTROLE

Viver tensa, ansiosa, sempre a mil por hora é um passo para cair em uma armadilha bastante perigosa: a compensação do estado psicológico alterado na... geladeira, no restaurante, na padaria, no supermercado. Há ainda mais um bom motivo para não deixar que o 'bichinho' do estresse tome conta de você: ele aumenta o apetite devido a uma reação combinada de neurotransmissores e hormônios que também leva ao acúmulo de gordura, principalmente nas regiões do abdômen, do tronco e do rosto.

14. ADOTE UMA DIETA INTERMEDIÁRIA

Entre o regime bem rígido e a vida normal, vale adotar um cardápio balanceado e pouco restritivo. Um padrão de referência na manutenção de mulheres que medem entre 1,65 m e 1,70 m e praticam atividade física pelo menos uma hora, duas vezes por semana, é de 1.800 calorias diárias (como na dieta que apresentamos nas páginas seguintes). Se você for sedentária ou mais baixa, o ideal é diminuir o valor calórico para cerca de 1.500 calorias. Porém, vá com calma quando chegar a hora de liberar o menu. "Para descobrir um nível ideal de consumo, pode-se aumentar somente 100 calorias a cada semana e checar sempre o resultado na balança", aconselha Cynthia Antonaccio.

Fonte: Revista Dieta Já

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...