segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Livre-se dos problemas emocionais ligados à obesidade.

 

terapia

 

EMAGREÇA COM PSICOTERAPIA


É sabido que o emagrecimento ocorre quando o indivíduo gasta mais calorias do que ganha. Para atingir este objetivo, é necessário adotar uma alimentação adequada aliada à prática freqüente de exercícios físicos

Embora a receita pareça simples, na prática a situação é bem mais complicada. A dificuldade se deve ao fato da relação com a comida ser sempre investida de sentimentos que podem dificultar
o rompimento com antigos hábitos alimentares. Por tratar destas questões emocionais, a psicoterapia pode ser uma ferramenta muito útil na luta contra a obesidade.

Muitas são as situações em que o atendimento psicológico se faz indicado e não seria possível mencionar todas elas neste pequeno espaço. Abaixo descreverei alguns problemas emocionais que freqüentemente prejudicam a perda de peso e que podem ser tratados em psicoterapia:

1. Obesidade como conseqüência do ambiente familiar: em muitas famílias o alimento é usado para punir ou recompensar os indivíduos por suas ações. Não são raros os casos de mães que preparam refeições altamente calóricas para premiar um bom filho, ou o privam de comida quando se comporta mal (note que o alimento é usado como sinônimo de amor). Estas relações fazem com que muitos indivíduos adultos tenham dificuldade de aceitar a diminuição da ingestão de alimentos, tornando-se incapazes de seguir um plano de reeducação alimentar, sem que antes tratem esta dificuldade emocional.

2. O alimento como principal fonte de prazer e consolo:muitos são os casos de pessoas que sentem-se pouco satisfeitas em seus relacionamentos (familiares, amorosos, amizades) e não se realizam em suas atividades cotidianas. Para estas pessoas, a comida pode se tornar uma grande amiga: aquela que as consola nos momentos de tristeza e as acompanha nas horas de alegria. O alimento passa a ser a maior fonte de prazer e, desta forma, a obesidade se instala. Neste caso, não bastam recomendações alimentares; é necessário tratar o problema psicológico para que o emagrecimento possa ocorrer.

3. A obesidade como forma de tornar o corpo menos atraente: o amadurecimento emocional do ser humano passa pela aceitação do corpo sexualmente maduro. Entretanto, muitas pessoas tem dificuldade de lidar com esta transição do corpo infantil para o corpo adulto e acabam utilizando a obesidade com forma de esconder as mudanças. A camada de gordura passa a servir como uma defesa que protege a pessoa de se mostrar sexualmente atraente, evitando, assim, os sentimentos de insegurança e ansiedade que esta situação pode gerar. Para estes indivíduos, o emagrecimento é encarado como uma ameaça que lhes roubaria as defesas e isto os leva e a permanecerem eternamente na condição de obesos. Tratar estas dificuldades é um passo fundamental para que a perda de peso seja vista de forma positiva.

Para todos os casos aqui descritos a psicoterapia é o tratamento recomendado. Neste processo o indivíduo torna-se capaz de analisar e refletir sobre as questões que prejudicam a perda de peso e se prepara para superar estes obstáculos. Com o caminho desobstruído fica bem mais fácil seguir os planos de emagrecimento e atingir o objetivo esperado!

 

*Coluna publicada no site “CyberDiet” pela psicóloga Flávia Leão Fernandes.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Receita Light – Legumes Gratinados

 

legumes

 

1 porção = 65 g
número de porções = 7

Valor nutricional e calórico
por porção:

calorias = 65 kcal
carboidratos = 7.25 g
proteínas = 2.36 g
lipídios = 3.12 g

Ingredientes

- ½ xícara (chá) de abobrinha cozida
- 1 xícara (chá) de cenoura cozida
- ½ xícara (chá) de chuchu cozido
- sal
- 1 xícara (chá) de molho branco
- 2 colheres (sopa) de queijo ralado
- 2 colheres (sopa) de farinha de rosca

Modo de Preparo

Pré-aqueça o forno à 200º C. Coloque os legumes cozidos em uma forma refratária untada e polvilhada de sal. Despeje o molho sobre os legumes. Salpique com o queijo e a farinha de rosca. Asse até ficar levemente dourado.

 

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Corte calorias, mas com saúde!

 

A escolha certa é essencial para estar em forma hoje e sempre!

 

Um estudo publicado no início deste ano mostrou que o essencial na qualidade da alimentação e emagrecimento é controlar o peso através de algum modelo (ou método) para contar a ingestão de calorias, ou seja, não importa erradicar o consumo de carboidratos, proteínas ou gorduras, mas sim monitorar a quantidade de comida nas refeições.
Só que algumas pessoas podem não entender isso como sinônimo de hábitos saudáveis. Hoje, sabe-se que para o emagrecimento é necessário um cardápio adequado, composto por alimentos nutritivos e que a qualidade na alimentação também é fundamental para a redução e manutenção do peso. No entanto, se o indivíduo se prender apenas na sua “meta calórica”, poderá se desvirtuar do propósito de refeições equilibradas e, assim, consumir “porcarias” em porções menores.

Opção Certa!

Comer alimentos gordurosos ou com maior quantidade de açúcar, com mesmo valor calórico de outros (mais saudáveis), não faz diferença? Ô se faz... As escolhas do que comemos implica em efeitos positivos ou negativos para nossa saúde. É verdade que mesmo com uma dieta repleta de frituras, gorduras e alimentos industrializados, em curto prazo, é possível sim emagrecer se a pessoa seguir a sua meta diária de calorias ingeridas, porém esse comportamento colaborará para malefícios, como colesterol alto e diabetes. 
Respeitar as necessidades nutricionais é um dos quesitos para emagrecer e manter o corpo em forma. Vale ressaltar que na alimentação números idênticos não significa mesma qualidade.

Seguem alguns exemplos:

300 Kcal Pastel de Carne *Lanche Natural Integral
200 Kcal Salgadinho Industrializado 40g Salgadinho de Soja 40g
105 Kcal Refrigerante 250 ml Suco de Açaí 250 ml
360 Kcal Batata Frita Média (Fast Food) **Wrap Napolitano
200 Kcal Sorvete de Chocolate (1 bola) Doce de Abóbora com Coco (3 colheres de sopa)

*Recheio de atum em água, cenoura, queijo cottage light, ricota e beterraba.
** Recheio (berinjela, abobrinha, tomate, cebola, mussarela de búfala em azeite)

Entenda como esses alimentos mais saudáveis contribuem para sua saúde:

• Pão Integral
: rico em fibras que promovem a saciedade;

• Cenoura, Abóbora e Beterraba
: atividade antioxidante que protege o corpo contra os radicais livres; além das fibras que melhoram o trânsito intestinal;

• Açaí
: rico em compostos antioxidantes e ácidos graxos que diminuem o depósito de gordura nas artérias, prevenindo doenças cardiovasculares;

• Soja
: ajuda a prevenir certos tipos de câncer, combater doenças cardíacas e é a fonte mais rica de proteína de origem vegetal.

 

FONTE: http://www.emagrecendo.net.br

 

Revista Corpo a Corpo 09.2009

 

Corpo a Corpo 09.2009

Released: 2009-09-14 | Pages: 9 | Size: 3,41 Mb | Format: Rar/Jpg

 

DOWNLOAD:

 

Fonte: http://mundo-das-revistas.blogspot.com/

 

Revista Corpo a Corpo - Outubro 2009

 

folder-galisteu

 

Servidor: EasyShare | Megaupload
Edição: Outubro de 2009
Tamanho: 11,4 Mb
Formato: Rar/Jpg
Idioma: Português

 

EasyShare

freakshare

Megaupload

uploaded

 

 

Fonte: http://downloadlivreonline.blogspot.com/

 

Revista Plástica & Beleza - 11.2009

 

 

folder-mirella

 

Estilo: Revistas
Edição: Novembro de 2009
Tamanho: 4,5 Mb
Formato: Rar / Jpg

DOWNLOAD:

ou

freakshare

Fonte: http://www.setimoceu.com.br/

 

Revista Pense Leve - Ed.207 - Outubro/2009

Pense Leve

DOWNLOAD:

-

 

Fonte:http://mundo-das-revistas.blogspot.com

 

 

 

Revista Dieta Já Edição 176 - 10.2009

 

Dieta Já 10.2009

 

DOWNLOAD:

 

 

Fonte: http://mundo-das-revistas.blogspot.com

 

 

Fim de ano - Veja como manter a linha nas festas

nut_festas Educação Nutricional para as Festas

Que tal começarmos com uma liçãozinha básica sobre educação nutricional para as festas?

Geralmente, nesta época do ano, as pessoas exageram na alimentação. Comem tudo aquilo que sentem vontade. Mas assim como em todos os outros dias do ano, é importante ter moderação, ou seja, comer de tudo mas sem exageros.

Para ter uma ceia equilibrada, é fundamental saber equilibrar a sua refeição.

No prato, deve constar um alimento de cada grupo: cereais (arroz, massas, batata, mandioca, etc.); carnes (carnes em geral), hortaliças (verduras e legumes, neste grupo você poderá ter mais de uma preparação), leguminosas (soja, feijão, ervilha e lentilha) e frutas.

Uma dica interessante para que o seu prato esteja repleto de diferentes tipos de vitaminas e minerais é que ele esteja colorido, porque assim há o fornecimento de nutrientes diferentes.

Outro ponto importante é a quantidade. Para que você não adquira uns quilinhos a mais após as festas, não exagerar nas quantidade é fundamental. Comer de tudo mas em quantidades pequenas é o segredo para saborear todas as delícias, sem culpas.

Pronto, agora que você já sabe todos os itens importantes para compor sua ceia para que ela esteja balanceada, vamos dar algumas dicas sobre como deve ser sua alimentação neste dias de festas:

- Como a ceia é somente à noite, não fique o dia inteiro sem comer. Faça as refeições durante o dia normalmente, optando por consumir preparações leves.

- Enquanto você elabora os pratos, evite ficar beliscando ou experimentando as preparações.

- Durante a ceia, faça apenas 1 prato. Não fique repetindo.

- Use e abuse das frutas e de sucos de frutas naturais.

- Muito cuidado com a bebida alcoólica. Escolha apenas um tipo de bebida para consumir durante à noite e beba com moderação.

- Quanto às sobremesas, dê preferência pelas frutas ou doces à base de frutas, como mousses, gelatinas e pudins, ao invés de doces muitos elaborados como pavês, tortas e etc. Evite repetir.

Seguindo as dicas e tendo uma ceia balanceada, conforme explicamos acima, você vai saborear de tudo, com saúde, sem ter que ficar preocupada em adquirir quilinhos extras. Na próxima semana, não perca a nossa matéria sobre como fazer compras light para as festas.

 

*Coluna assinada pela nutricionista Roberta dos Santos Silva,
no site "
CyberDiet"

Revista Boa Forma Brasil - Out 2009

 


boa forma - Out 2009

 

DOWNLOAD:

Download

 

 

 

FONTE: http://geddyheuer.blogspot.com

 

Revista Boa Forma Brasil - Nov 2009

 

Boa Forma Brasil - Nov 2009 

Servidor: EasyShare
Idioma: Português
Tamanho: 9 mb
Formato: .Rar

EasyShare

 

Fonte: http://revistariafree.blogspot.com/ 

 

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Música é a melhor companheira para exercícios físicos

musica_exercicio

Correr acompanhado de música se tornou tão comum que empresas já até lançaram aparelhos com acessórios especiais para os corredores. Mas, o que música e corrida, ou qualquer outro exercício, tem a ver?

Diversos estudos recentes tentam ver a conexão entre ouvidos e motivação esportiva. Pelos últimos 20 anos, Costas Karageorghis, psicólogo do esporte ligado à Universidade Brunel, na Inglaterra, vem pesquisando o tema.

De acordo com o pesquisador, há diversos fatores que contribuem para que uma música se torne motivacional para melhorar o esporte: ritmo ideal, estrutura musical, impacto cultural e mensagens de associativas que podem motivar a chegar mais longe na atividade física. Nos dois primeiros itens os fatores são internos à musica, nos dois outros os fatores externos refletem como as pessoas interpretam a música.

As respostas rítmicas é ligada às batidas por minuto (BPM) da música e tem a ver com a cadência cardíaca do corredor (ou esportista). A estrutura musical tem a ver com melodia e harmonia, o que a faz ser mais musical e evitar a irritação. No rol de fatores externos há o gosto pessoal envolvido e o que as pessoas aprenderam a associar às mensagens contidas nas letras, por exemplo.

Escolhendo a música certa pode trazer benefícios à atividade física

Sincronizar as bpm’s com o exercício melhora a sua eficiência. Em um estudo recente, indivíduos que pedalavam no ritmo da música consumiam 7% menos oxigênio do que outros que simplesmente ouviam som ambiente. A música também serve para silenciar aquela voz na sua cabeça que diz que é hora de parar. As pesquisas mostraram que esse efeito dissociativo diminuiu em 10% a percepção de esforço durante enduros de intensidade moderada.

No estudo mais recente de Karageorghis, publicado no periódico Journal of Sport and Exercise Psychology, 30 indivíduos sincronizaram suas passadas a uma música que tinha um ritmo a 125 bpm, com possibilidade de escolhas entre músicas Pop e Rock. Aqueles que ouviam música tiveram um rendimento 15% superior aos que corriam sem música.

“A sincronização resultou em uma rentabilidade maior dos esforços feitos pelos atletas, enquanto os fatores ligados à motivação sentida pela música impactaram na exaustão voluntária (vontade de parar, independente do cansaço real)”, diz Karageorghis.

A pesquisa mostra também que, caso um corredor queira manter uma performance entre 30 e 70% do seu rendimento máximo, a seleção musical deve prever um aumento linear no ritmo, entre 90 e 120 bpm. Entretanto, quando chega-se ao platô de 70 a 80% de rendimento, os esportistas preferem ritmos entre 120 e 150 bpm. Acima dos 80% do rendimento máximo a maioria das pessoas preferem silêncio.

Outro estudo da Liverpool John Moores University, e publicado no Scandinavian Journal of Medicine & Science in Sports observou que ciclistas que ouviam uma música onde o bpm tinha sido alterado (com variações de 10% acima do ritmo original) melhoravam sua performance, mas não relatavam ter percebido a mudança na música.

Ao que parece, ajustar as batidas da música pode fazer com que seu cérebro e seus pés falem a mesma língua.

 

Fonte: http://oqueeutenho.uol.com.br - com informações da Brunel University

Mascar chiclete pode ajudar a perder peso!

chewing_gum

Um estudo da Universidade de Rhode Island apresentado na Convenção Anual da Sociedade sobre estudos da Obesidade mostrou que mascar chicletes sem açúcar ajuda a reduzir o consumo de calorias e aumentar o gasto de energia.

O hábito de mascar chicletes pela manhã mostrou que os indivíduos observados consumiam, em média, 68 calorias a menos na hora do almoço. Apesar disso não foi reportado fome ou compensação de ingestão de alimentos durante o dia. Esses indivíduos também diziam se sentir menos irritados ao longo de suas jornadas de trabalho.

Além disso, o chiclete (mascado antes e após as refeições) pareceu aumentar o gasto de energia. O aumento desse gasto de energia girou, aproximadamente, em torno de 5% a mais que dos indivíduos que não mascavam as gomas. As pessoas que mascavam chiclete também pareceram mais relaxados e menos atentos a ações ao seu redor.

Outros três estudos anteriores também mostraram que o hábito de mascar chicletes pode diminuir a vontade de consumir “snacks” (alimentos em pequenas porções para consumo instantâneo). Os nutricionistas também demostraram que pequenas diminuições de consumo calórico podem ter um impacto positivo e significante a longo prazo.

 

FONTE: http://oqueeutenho.uol.com.br/ - com informações do Wrigley Science Institute

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Culinária Light: TORTINHA DE MAÇÃ

 

As crianças costumam adorar esta versão de tortinha de maçãs, muito semelhante às que são servidas em grandes lanchonetes!

16 porções

84 Kcal

Ingredientes

Massa
250 gramas de massa de pastel comprada pronta
1 clara
1 colher de sopa de óleo para pincelar
2 colheres de sopa de leite em pó desnatado
1 colher de café de canela em pó para polvilhar
Margarina light para untar
Recheio
4 maças médias picadas
1 colher de sopa de suco de limão
4 colheres de sopa de adoçante dietético em pó próprio para forno e fogão
1 colher de chá de amido de milho

Modo de preparo

Recheio
Em uma panela, coloque as maças, o suco de limão, o adoçante e o amido de milho. Leve-os ao fogo por cerca de 5 minutos ou até as maças encorparem. Retire e espere amornar.
Montagem
Corte a massa de pastel em 16 retângulos. Bata a clara com um garfo. Então, pincele a borda de cada tortinha com a clara. No centro, distribua o recheio e feche bem. Unte uma assadeira com margarina light e coloque as tortinhas. Pincele com o óleo e leve ao forno médio (180º C), pré-aquecido, por cerca de 20 minutos ou até começar a dourar. Misture o leite em pó e a canela, polvilhe as tortinhas e sirva.

 

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Ovário policístico pode atrapalhar a dieta, você sabia?

 

O aumento de peso é um dos sintomas desse mal que atinge diversas mulheres, mas é sanado com tratamentos específicos e de maneira rápida

POR JANETE TIR

Da primeira menstruação até a menopausa, os ovários liberam mensalmente os óvulos que vão para o útero. Daí, acontece a menstruação ou, se eles encontrarem um espermatozóide nas trompas, a fecundação. Para que isso ocorra é preciso ter uma sintonia fina entre vários hormônios que circulam pelo organismo. Mas, às vezes, a engrenagem metabólica pode ter pequenas falhas e o óvulo, em lugar de seguir o seu curso normal, fica preso numa “bolhinha” na parede do ovário, formando um ou vários cistos. Quando esta situação é freqüente e, ainda, aparecem outros sinais como menstruação irregular, pêlos pelo corpo, aumento de peso, pele oleosa e infertilidade, os especialistas são unânimes na conclusão: é a temída Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP).


Este problema, que atinge 20% das mulheres, é diagnosticado com exames de ultra-som e pode, sim, levar a um excesso de peso. Por outro lado, aqueles nem tão inocentes quilinhos a mais também podem se tornar o fator decisivo para a formação de vários cistos no ovário. Complicado? Nem tanto, segundo Dolores Pardini, endocrinologista e professora da Escola Paulista de Medicina. “Há 20 anos, ovário policístico era sinônimo de obesidade. Mas estudos revelaram que esta síndrome pode acontecer também na mulher magra que se comporta metabolicamente como obesa. E, na que é obesa, o quadro pode ser agravado com a associação de diabetes mellitus. O desequilíbrio hormonal gera os cistos no ovário, com conseqüente aumento de peso, o que pode desencadear ou agravar a síndrome pré-existente”, diz.


“Algumas mulheres têm uma resistência periférica aumentada à ação da insulina no tecido gorduroso. Elas não são diabéticas, mas, às vezes, é preciso até usar remédios para diabetes para controlar a situação. Também, é fundamental uma dieta balanceada e atividades físicas regulares”, explica a ginecologista Ana Paula Junqueira Santiago.


Além dos quilos extras, a doença é responsável por um “aumento de oleosidade na pele, o que pode provocar o aparecimento de acne, pêlos no rosto e queda de cabelo”, enfatiza a nutricionista Tânia Regina Bonetti, que também enfrenta o problema. Ela só encontrou solução equilibrando a alimentação e fazendo exercícios. “Quando passo um tempo sem ir à academia, apesar de tomar medicamentos para controlar a insulina e balancear a comida, já sinto os sintomas voltarem”, afirma.

 

Às suas pacientes, que também seguem um controle mensal com o médico, a nutricionista aconselha a dieta que ela mesma segue à risca:

1. Evitar cardápios ricos em gordura, principalmente as de origem animal que, além de engordar, elevam os números do colesterol no sangue;

2. Reduzir a ingestão de alimentos ricos em carboidratos refinados, como massas, pães, bolos, açúcares, refrigerantes tradicionais, doces em geral, dando preferência ao consumo de produtos integrais;

3. Tirar de vez do menu diário as frituras, o excesso de óleo e os alimentos prontos, que só servem para acrescentar peso e oleosidade à pele;

4. Ingerir alimentos ricos em vitamina C, como frutas, verduras cruas e legumes, e em vitamina E, encontrada em óleos vegetais, nozes e amêndoas;

5. As refeições devem ser pouco volumosas e várias vezes ao dia (café da manhã, almoço e jantar, com pequenos lanches intermediários), para não ficar sem comer por mais de 3 horas;

6. Não se esqueça de reduzir o consumo de sal e as bebidas alcoólicas. A dieta e os exercícios são uma recomendação e tanto, mas também é preciso ir ao médico para controlar a síndrome. “Normalmente são indicados anticoncepcionais para regular a menstruação e dar um descanso aos ovários, medicamentos para controlar a resistência à insulina e antiandrogênicos que vão inibir o aparecimento de pêlos (hirsutismo) no rosto, nos seios e na barriga. E para quem quer engravidar são receitados remédios que estimulam a ovulação”, conclui a ginecologista.

 

Controle total com alimentação balanceada

A nutricionista Tânia Regina Bonetti sugere algumas substituições que vão trazer mais saúde para o organismo, reduzir o peso e controlar a síndrome. Experimente!

EVITE:
- leite e iogurtes integrais
- manteiga
- chantilly e creme de leite
- queijos amarelos: prato, mussarela, parmesão, gorgonzola, provolone, roquefort, camembert, cheddar
- carnes gordas (cupim, picanha, costela, carne seca, contra-filé), bacon, torresmo, empanados
- embutidos (salsicha, linguiça) e frios (mortadela, salame, presunto, rosbife)
- aves com pele
- carne vermelha
- frituras e preparações à milanesa
- pão doce com creme, pães recheados, folhados, croissant
- biscoitos recheados, amanteigados, waffle
- enlatados, conservas e defumados
- chocolate, bolos recheados, sorvete cremoso, doces em geral, balas
- açúcar branco, mascavo, mel
- bebidas alcóolicas, refrigerantes

PREFIRA:
- leite desnatado e iogurte desnatado ou com baixo teor de gordura
- margarina
- iorgurte desnatado batido
- queijo branco (minas, ricota, cottage)
- carne magra (coxão mole, coxão duro, patinho, lagarto, filé-mignon)
- peito de peru e chester
- frango, peru, chester sem pele
- peixes
- cozidos, ensopados, grelhados, assados
- pães integrais, pão de aveia, pão francês, pão light, pão sírio
- biscoitos integrais e sem recheio
- verduras e legumes frescos ou congelados
- frutas frescas
- adoçante sem excesso
- sucos naturais e água de coco

Fonte: Revista Dieta Já Ed. 131

SEGUNGA SEM CARNE

 
Um dia só mas faz diferença, sim!

Participe da Campanha Segunda Sem Carne: uma vez por semana, elimine a carne do seu cardápio. Você pode conhecer os restaurantes vegetarianos ou simplesmente montar um cardápio sem nenhum tipo de carne. É uma ação simples e de grande impacto.

campanha

Surgido nos EUA em 2003, movimento que procura diminuir o consumo de carne ganha adeptos em vários lugares do mundo e ficou famoso quando o ex-Beatle Paul McCartney lançou a campanha na Grã-Bretanha.
Pois no Brasil o movimento "Segunda Sem Carne" decolou em 4 de outubro no Parque Ibirapuera/SP, dia de São Chico de Assis, incentivando as pessoas a deixarem de consumir carne pelo menos uma vez por semana. Em toda segunda-feira, você terá esse chamado de redescobrir sabores e ampliar o repertório de alimentos do seu cardápio, ajudando a própria saúde e a do planeta.
A Campanha é uma promoção da Sociedade Vegetariana Brasileira e da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente, com apoio do Greenpeace, do Instituto Pólis, do Slow Food São Paulo, Revista dos Vegetarianos, Agência de Notícias de Direitos Animais, Instituto Nina Rosa, entre outros.

Entre na comunidade Segunda Sem Carne e apoie a Campanha
http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=91831909

Acompanhe as novidades em

http://www.svb.org.br/segundasemcarne/
e no blog http://diasemcarne. wordpress. com/

Cobertura de lançamento em http://www.vidavegetariana.com/ site/especiais. php?page= especiais/ segunda-sem- carne/index

 

 

SEGUNDA SEM CARNE - O Diário Oficial da Cidade de São Paulo publicou artigo sobre o lançamento da campanha "Segunda sem Carne" na cidade de São Paulo, no dia 3 de outubro, cuja intenção é "incentivar as pessoas a deixar de consumir carne uma vez por semana".
Hoje é dia de... não comer carne
Essa é a proposta da campanha Segunda sem Carne, que foi lançada no Parque do Ibirapuera no sábado.
Sabia que a indústria da pecuária é responsável por 18% das emissões globais de gases causadores do efeito estufa e por 80% do desmatamento do bioma amazônico? E que para produzir um quilo de carne são gastos 15 mil litros de água? Esses são três dos argumentos usados pela Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) para convencer as pessoas a abandonar o consumo desse tipo de alimento. São justificativas que estão por trás da nova campanha desse grupo, a Segunda sem Carne.
O movimento tenta convencer carnívoros a se tornarem vegetarianos ao menos uma vez por semana. "Além de preservar a natureza, essa atitude é benéfica para a saúde, porque previne, por exemplo, diabete e problemas cardiovasculares", prega a socióloga Marly Winckler, presidente da SVB e "vegan" há 14 anos (o tipo de vegetariano mais radical, que não come ovos, não toma leite nem usa roupas de lã ou de seda). "O ideal seria que deixassem de consumir qualquer derivado de animais todos os dias. Mas adotar esse hábito na segunda já é um começo", acrescenta.
A campanha foi lançada oficialmente no sábado, em evento organizado pela SVB e pela Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente na Marquise do Parque do Ibirapuera, na zona sul da cidade de São Paulo. Houve palestras, oficinas, aulas de ioga e outras atividades que se estenderam até domingo. "Animais são abatidos com crueldade e entupidos de hormônio", afirma o secretário do Meio Ambiente, Eduardo Jorge, que deixou de comer carne vermelha há 20 anos. "É revoltante ver como eles são tratados. Com a Segunda sem Carne pretendemos conscientizar as pessoas de que não é bom colaborar para tamanha violência."
Após o evento, a secretaria pretende divulgar o projeto em escolas, empresas, bares, restaurantes, mercados e consultórios de médicos e nutricionistas. Os empresários que aderirem assinam um termo em que se comprometem a incentivar seus funcionários a reduzir o consumo de carne.
Lançado em 2003 nos Estados Unidos, o Meatless Monday (traduzido aqui como Segunda sem Carne) ambiciona reduzir a produção mundial de bois, frangos e afins em 15%. "Para tal, basta a população virar vegetariana uma vez por semana", explica Marly Winckler, presidente da SVB. "Escolhemos a segunda por ser um dia em que as pessoas costumam adotar hábitos novos, como dietas." A ideia se espalhou por outros países, como Bélgica e Austrália. Em junho deste ano, foi lançada na Inglaterra pelo ex-beatle Paul McCartney.
No Brasil, a Segunda sem Carne tem adesão de grupos de vegetarianos. "Vou divulgar para meus amigos carnívoros", diz o geógrafo Vinicius Madazio, ovo-lacto (não ingere carne, mas come derivados como ovos e leite) desde 2003. "Já há mais pessoas preocupadas com a natureza do que quando eliminei a carne de minha dieta. A campanha vai ajudar a aumentar a conscientização da população." Na época em que Madazio virou vegetariano, ele lembra que era difícil encontrar restaurantes do gênero na cidade. "Mas, desde então, o leque de opções cresceu muito", conta. Reflexo do aumento do número de pessoas que vêm abdicando de frangos, bois, peixes.
Segundo a SVB, o Brasil tem cada vez mais vegetarianos. "Prova disso é que nosso número de membros aumenta cerca de 20% ao ano", afirma Marly Winckler. Hoje, a organização tem mil associados. Na cidade de São Paulo, a demanda por produtos para esse público está maior. O restaurante vegetariano Moinho de Pedra, por exemplo, recebe 350 pessoas por dia em seu espaço na Chácara Santo Antônio. "É o dobro do nosso público de cinco anos atrás", comemora a proprietária, Tatiana Cardoso. "Lotamos desse jeito porque as pessoas estão preocupadas com o ambiente e com a saúde." (FILIPE VILICIC)

Fonte: Jornal dos Espíritos

ssc-logo

As verdades sobre dietas e exercícios mudaram!

 

Nos últimos 20 anos alguns conselhos que ouvimos dos endocrinologistas e dos educadores alimentares sofreram fortes transformações. Descubra como elas podem te ajudar!

Por Laís de Castro

Escolhemos as cinco mudanças mais polêmicas do comportamento dos médicos e dos educadores físicos e revivemos. Estas mutações são naturais em todas as disciplinas e procedimentos que existem. Trata-se de um processo gradativo da evolução científica, aplicado ao dia-a-dia e dito de uma maneira leiga. Veja, segundo o Dr. Alfredo Halpern, (endocrinologista e professor livre-docente do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo) como eram as prescrições anteriores e quais são as atuais.

Medioimages/Photodisc / Getty Images              

ANTES Fique longe da balança se você está tentando perder peso

HOJE Você pode pesar-se sempre que quiser. Claro que não vai subir 30 vezes por dia na balança. Mas não é proibido saber seu peso. Até vale a pena, porque pode acompanhar sua dieta. Faça isso também com suas roupas, que vão ficando mais folgadinhas... Agora, se alguém disser que não está emagrecendo porque está queimando gorduras e ganhando massa muscular, desconfie. "Uma mulher pode ganhar ½ quilo de massa muscular caso ela trabalhe com pesos, durante um mês, todos os dias, em exercícios pesados" diz o Dr. Alfredo Halpern. Considerando que você não é uma fisioculturista, não acredite que novos músculos estão tomando o lugar de velhas gorduras. O médico avisa: "algo mais está sabotando seu regime". O melhor, de uma dieta, é ver o ponteiro da balança ir descendo.


Faça assim
: pese uma vez por semana, no mesmo dia, na mesma hora, com a mesma roupa.


ANTES

Você precisa submeterse a um exame físico completo todos os anos

HOJE Essenciais: mamografia, exames ginecológicos e de sangue (com níveis de colesterol) devem ser feitos, dependendo de seu histórico familiar de saúde, idade e estilo de vida. De resto, é preciso muito pouco. Isso não significa que você deve esquecer que seu médico existe. Não confunda a necessidade de visitá-lo uma vez por ano com a de fazer um check-up anual. O médico vai tirar sua pressão, fazer um exame clínico total, olhar seus olhos e conversar sobre tudo o que você sentiu durante 12 meses. E decidir se esta visita clínica é suficiente ou não. O exame físico total não é obrigatório. Portanto, não se assuste caso não seja solicitado.

ANTES Tomar litros e litros de água por dia vai ajudar a emagrecer mais depressa

HOJE "Não há nenhuma evidência científica de que beber água sem parar auxilia emagrecer ou preencher seu estômago de tal maneira que o faça perder a fome", explica o endocrinologista Alfredo Halpern. "Seu corpo não recebe esse líquido como se fosse alimento e tampouco há água no mundo que diminua o apetite", diz ele. Portanto, você precisa estar bem hidratada, mas nunca deve confundir água e alimento. As mulheres necessitam de cerca de 8 copos de líquidos por dia, mas 20% dessa quantidade pode ser adquirida (e assim é) por meio da alimentação: frutas, legumes, verduras e grãos (como laranjas, ou feijão, por exemplo) fornecem líquidos ao organismo, devem ser levados em consideração.

"Não há nenhuma evidência científica de que beber água, sem parar, preencha o estômago de maneira que faça alguém perder a fome"
(Dr. Alfredo Halpern, endocrinologista de São Paulo)

ANTES Para evitar lesões, faça alongamento antes do seu exercício físico

HOJE Essa é a maior de todas as polêmicas. Segundo o Dr. Halpern, ninguém quer dizer que o alongamento deve ser descartado. "No entanto, alongar um músculo frio é bastante perigoso e pode causar dores e estiramentos. Portanto, faça seu alongamento integral depois dos exercícios e não antes".

Para alongar antes, proceda da seguinte forma: aqueça, com exercícios de baixo impacto, durante cinco minutos, seus músculos. Em seguida, pode alongar os três maiores grupos musculares não mais do que três vezes. Nada mais. Encare a ginástica que faz habitualmente e depois, sim, pode alongar à vontade.


ANTES

Para queimar o máximo de calorias e gordura, exercite-se no limite extremo que seus testes permitirem

HOJE Existem maneiras mais eficientes de perder peso e gordura. A melhor estratégia é fazer o que se chama Interval Training (ou treino intercalado), variando constantemente a intensidade de seus batimentos cardíacos durante os exercícios. Trabalhe moderadamente durante três minutos, volte ao máximo permitido pelos seus testes. Permaneça três minutos e volte a moderar após três minutos. Faça isso durante 20 a 30 minutos. Ele explica: por exemplo, você queima 400 calorias trabalhando no seu limite máximo permitido. Se trocar esse trabalho monótono por um circuito intercalado, vai queimar 100 calorias extras nas horas seguintes (depois de já estar parado). Isto acontece porque seu corpo precisa dar um duro danado para voltar ao estado de repouso natural, após tantas variações realizadas ao longo dos exercícios.

Fonte: Revista Dieta Já / Ed. 117

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Escolhas Simples - Neste verão, batalhe por um corpo mais saudável.

 

psy_verao

ESTAÇÃO VERÃO


Os dias são mais longos, as noites mais curtas. A temperatura se eleva e a vontade das pessoas para sair de casa aumenta. É o verão que está chegando! E não há como negar que todos querem estar em boa forma física para não fazer feio na praia ou na piscina.

 

As roupas de verão são menores, mais curtas, decotadas, e o corpo fica mais exposto. Para quem não conseguiu eliminar peso durante o ano, o desejo de emagrecer rapidamente pode levar a armadilhas de promessas malucas de emagrecimento.

Quase sempre as promessas são impraticáveis e ninguém consegue cumpri-las durante muito tempo.
O pior é que podem ser perigosas para a saúde. Emagrecer não implica seguir padrões absurdos de alimentação. Muitas pessoas conseguem eliminar peso com segurança e de maneira simples,
estabelecendo padrões saudáveis para a vida toda.

Com a reeducação alimentar, o emagrecimento ocorre de forma equilibrada, sem dúvida a melhor alternativa para conquistar saúde. A saúde nada tem em comum com corpos anoréxicos. A preocupação com o peso é comum a muitas pessoas, porém a busca do corpo perfeito pode provocar distúrbios patológicos. É preciso ter bom senso para estabelecer metas e respeitar a própria estrutura anatômica.

No verão o corpo transpira mais, com perda de água e sais minerais que precisam ser repostos para evitar desidratação. Além disso, o metabolismo pode diminuir. A exposição ao sol nas praias e piscinas intensifica a perda de líquidos. Essa perda, associada a uma alimentação inadequada, pode produzir intoxicação alimentar e outros problemas graves.

O primeiro cuidado consiste em alimentar-se em pequenas quantidades, várias vezes ao dia. Evite comidas ricas em gordura e abuse de frutas, verduras, legumes e sucos naturais. Bebidas alcoólicas favorecem a eliminação de sais minerais, além de comprometer a disposição física.

E os sorvetes? O que fazer com a irresistível vontade de tomar sorvetes? É simples. Respeite o seu desejo, mas escolha os de fruta ou iogurte, e sem coberturas. A virtude está no meio e seu corpo agradece.

Aproveite para fazer caminhadas com amigos. Você estará se exercitando e ao mesmo tempo usufruindo a companhia de pessoas de sua estima. Procure não falar demais e nem muito rápido, pois isso pode comprometer a capacidade respiratória exigida nas caminhadas.

No mar ou na piscina, não fique apenas tomando sol. Exercite-se nadando, pulando ondas, caminhando dentro da piscina. Brincando você estará fazendo exercício aeróbico e fortalecendo os músculos.

Você já experimentou cuidar de uma criança pequena na praia, na piscina, no parque ou dentro de casa? Ufa! No fim do dia a criança poderá estar com a pilha carregada e você com muitas calorias a menos.

Andar de bicicleta também é uma ótima opção para quem quer exercitar-se neste verão. Aproveitando bem as oportunidades, você poderá obter muitos benefícios para o corpo.

Não se preocupe excessivamente com a aparência, mas cuide-se para melhorar a saúde. Saiba que aquela barriga de tanquinho da professora de aeróbica não é obrigação de ninguém. Batalhe para ter um corpo saudável e já estará no caminho certo!

 

*Coluna assinada pela psicóloga Flávia Leão Fernandes,
no site "CyberDiet"

2343458ktsdb76a5w

Sedentarismo não explica crescimento de obesidade entre os jovens nos EUA

 

A maioria dos jovens americanos não é tão ativa quanto deveria u19501453 ser, mas a falta de exercícios parece não ser determinante para as crescentes taxas de obesidade nessa faixa etária, segundo estudo da Universidade Johns Hopkins, nos EUA. Avaliando dados de uma pesquisa do governo, colhidos no período entre 1991 e 2007, os pesquisadores descobriram que, apesar de os jovens estarem passando mais tempo em academias e menos tempo vendo TV nos últimos anos, as taxas de obesidade permanecem em crescimento.

As análises indicaram que os níveis de exercícios não alteraram no período avaliado – apenas 35% dos adolescentes consultados no ano de 2007 cumpriam as recomendações para atividades físicas –; a porcentagem de participantes que faziam aulas diárias de educação física aumentou de 25% em 1995 para 30% em 2007; e a de jovens que passavam mais de três horas por dia vendo TV reduziu de 43% para 35% no período. Mas essas mudanças não foram suficientes para frear os números da obesidade.

Estima-se que aproximadamente um terço das crianças e adolescentes americanos tenha sobrepeso ou obesidade. E os especialistas destacam que, apesar de os resultados do estudo indicarem que os níveis de exercícios “provavelmente não são a principal explicação para o recente crescimento da obesidade entre os adolescentes americanos”, não significa que seja saudável que os jovens sejam sedentários.

Os pesquisadores acreditam que a piora na alimentação, com o consumo cada vez maior de fast food, possa ser um dos fatores responsáveis pela obesidade adolescente. Porém, mais estudos são necessários para desvendar esses fatores e para descobrir quais as abordagens mais eficazes contra esse problema de saúde pública.

 

 

FONTE: http://blogboasaude.zip.net/

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

A hora de perdoar é agora

capa-hora-perdoar

 

Um ato amoroso que começa em nós mesmos e demanda muita reflexão e autoconhecimento. Daí pode-se voar para uma vida mais saudável – pois o perdão ajuda a barrar uma série de doenças – e surge uma deliciosa e perene sensação de paz.

Texto • Chantal Brissac

Uma técnica havaiana, chamada oponopono, que significa “amar a si mesmo”, prega a cura interior antes de trabalhar o que está fora. Em outras palavras: à medida que você se cuida, seu mundo se modifica para melhor. Segundo o escritor e arquiteto Carlos Solano, essa técnica, usada para fazer prosperar a condição da casa, também pode ser adotada em prol dos relacionamentos amorosos, familiares e profissionais. “Eu sinto muito, eu te amo” é um dos mantras do oponopono, uma amorosa forma de dizer perdão. “Acho que o fato de perdoar, seja um acontecimento, seja uma pessoa, afeta a estrutura inteira de sua vida. Tanto faz escolher perdoar se primeiro ou a outra pessoa. O que conta é entrar na freqüência do perdão, que libera o peso do passado e abre caminhos”, afirma Solano.

Perdoar, afinal, não remete apenas ao outro, mas, primeiro, a si mesmo. E isso, acredite, faz um bem danado: para a saúde do corpo, para o bem-estar da alma, para os relacionamentos e é uma habilidade que pode ser aprendida e praticada por qualquer um por meio dos mantras do oponopono ou até por exercícios de autoanálise.


Essa segunda possibilidade é proposta pelo psicólogo americano Fred Luskin, que fez do perdão seu objeto de estudo. Luskin é diretor do Projeto do Perdão da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, e pesquisa isso há décadas. O tema é abordado em sua mais recente obra, Aprenda a Perdoar e Tenha um Relacionamento Feliz (ed. Ediouro). “Muitos casais se mantêm irritados durante anos com pequenas coisas, outros vivem ressentidos em casa ou no trabalho. Perdoar não é ser condescendente com a grosseria do outro ou se reconciliar com alguém que você não quer mais como parceiro. O perdão ajuda você a ter controle sobre seus sentimentos, é uma habilidade que pode ser aprendida e praticada em sua rotina”, disse Luskin em entrevista a BONS FLUIDOS. Isso significa tolerar o motorista que deu aquela fechada no trânsito, desculpar a atendente da loja pelo mau humor, se perdoar por sentimentos negativos, ações incorretas e histórias passadas.

O bem que faz para a saúde


Segundo o especialista Fred Luskin, perdoar ajuda a barrar o desenvolvimento de problemas cardíacos e reduz os índices de câncer e outras doenças ligadas aos sentimentos negativos. Além disso, traz o delicioso sentimento de paz. “Paz na mente, no corpo e no espírito. Há um grande alívio por não precisar guardar mais ressentimentos, rancores e mágoas. No início da prá tica, a paz surge em pequenas on das, mas, com o tempo, vai tornando a pessoa mais forte, mais cal ma e capaz de enfrentar outras dificuldades”, afirma.

 

Luskin ensina seu método em sete passos e tem um site sobre o assunto. Ele mostra, por exemplo, que precisamos aprender, primeiro, a desculpar as pequenas atitudes do dia-a-dia. As coisinhas que incomodam, como o fato de o seu parceiro ter esquecido de levar o cachorro para passear. Outros pontos em que o psicólogo americano toca: cada um de nós deve reconhecer que ninguém é perfeito – inclusive a gente mesmo –, aceitar o que não podemos mudar e ter paciência consigo. O pesquisador já exercitou o método de trabalho com casais, jovens e profissionais de empresas. Uma de suas experiências mais marcantes foi um projeto realizado na Irlanda do Norte com famílias que perderam os filhos por causa da violência política e religiosa. “Ao conseguir perdoar os assassinos de seus filhos, as mães deixaram a depressão e o pessimismo, adquirindo força para lidar com isso”, conta.


Para o teólogo Francisco Catão, escritor e professor de teologia do Centro Universitário Salesiano de São Paulo (Unisal), existem duas categorias de pessoas quando o assunto é perdoar: as que entendem o perdão e as que não entendem. “Essa atitude é a caixa-preta da paz”, afirma. E, assim como as teorias de Luskin e a técnica havaiana do oponopono, o teólogo Catão acredita que o ato de perdoar possibilita um grande aprendizado – sobre o outro e sobre si próprio – e coloca as relações humanas em outro patamar: “É o nível do amor, o que falta na humanidade hoje”, finaliza. Então, que tal começar o ano treinando o perdoar? Quem mais ganha com isso é você.

Hearts

A palavra em si

A palavra perdão guarda muitos significados. O filósofo Mario Sergio Cortella lembra que o prefixo per, em latim, sempre dá o sentido de “por inteiro, completo, concluído”. “Por isso, perdoar significa doar por completo, oferecer completamente, entregar sem retorno. Em outras palavras, perdoar é apagar de forma sincera e definitiva qualquer ressentimento e responsabilização de outrem por algo negativo que causou”, ele explica.

Hearts

Eu me perdoei

“Eu tinha 17 anos quando saí de meu primeiro relacionamento e conheci um DJ numa balada, Celso. Foi uma história turbulenta, que durou dez anos, recheada de ciúme e brigas. Quando descobri que ele havia me traído, resolvi perdoar. Mas era um perdão aparente. Eu não estava pronta para superar a mágoa: emagreci, não dormia direito, me sentia um lixo e nos separamos. Após a separação, conheci alguém que me fez enxergar a vida de outra maneira e me ensinou a amar e ser amada. Investi nesse outro amor, que terminou algum tempo depois. Recentemente, tive uma sucessão de acontecimentos desagradáveis e perdas doloridas. Sofri um acidente de carro, perdi uma tia querida e, em seguida, uma sobrinha de apenas 15 anos. Nesse momento, Celso se reaproximou e, até hoje, tem me ajudado a superar essas tristezas. Estamos vivendo um relacionamento de confiança e compreensão. E acho que isso só foi possível porque, nos últimos cinco anos, cuidei de mim e fui em busca de meus sonhos. Acredito que todas essas etapas foram vividas para que eu pudesse dizer que o perdoei de coração. Mas, principalmente, perdoei a mim – eu me sentia culpada pela morte de minha sobrinha. O que ajudou a ter esse entendimento sobre mim mesma? As longas conversas com os amigos, a leitura, o trabalho, as aulas de flamenco e de capoeira. No fim das contas, muita risada. A capacidade de ter mais bom humor no dia-a-dia é a melhor maneira de encarar a vida e buscar, em primeiro lugar, o autoperdão.”
CRISTIANE MARIA ALVES, 36 anos, profissional de informática

 

 

*Matéria publicada na revista “Bons Fluidos” – Dezembro de 2008.

http://bonsfluidos.abril.com.br/

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...