quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Gordura Localizada

Você corta todos os carboidratos da sua vida, vê mais a academia do que a sua própria casa e, mesmo assim, aquelas gordurinhas cismam em aparecer. Calma! Isso pode ter solução.

 

Lá nas aulas do Ensino Médio, você deve ter estudado que todos os animais mamíferos tendem a armazenar energia no corpo na forma de gordura para sobreviver aos grandes invernos– que dificultam a caça de alimentos e, portanto, pedem a hibernação dos bichos (como a dos ursos polares gordinhos). Você, assim como os ursos, também passou milhares de anos se adaptando a essa regra natural de prioridade à sobrevivência da espécie, e seu corpo acabou adquirindo, então, uma “memória evolutiva”.

E aí se encontra o problema. Sabemos que, agora, não há mais preocupação se vai faltar comida no frio – os grandes supermercados estão sempre a dispor, faça chuva ou faça sol. Mas nosso corpo continua achando que é necessário estocar energia. E o que ela vira? Sim, gordura localizada.

Coisa de mulher
A dermatologista Áurea Lopes (SP) explica que a gordura localizada é uma característica do corpo feminino. Ela fica muito evidente na mulher por, basicamente, três fatores: é uma gordura mais superficial; a pele feminina é mais fina; e existe um grande estímulo de estrogênio em seu corpo. Para
se ter uma ideia de quão sortudos os homens são, neles, além da gordura se encontrar em um nível mais profundo, a testosterona presente no organismo deles dificulta o acúmulo (tem um papel oposto ao do hormônio feminino).
Mas, obviamente, existem outros motivos para ela ficar tão explícita
no corpo da mulher.

Alimentação inadequada, como frituras e açúcar em excesso, sedentarismo e disfunções hormonais ajudam a aumentar essas camadas, causando um agravamento.“E a gordura localizada pode ser ainda hereditária, um fator genético de predisposição dessa retenção em algumas áreas do corpo”, lembra Áurea. Por isso, pode acontecer de, por mais que você se esforce para queimá-las, elas não sumirem nem com reza brava.

Acabando com tudo
O verão começa a dar sinais de que vai chegar e já bate aquela angústia de saber que precisamos colocar tudo em forma de novo. A nutricionista Priscila di Ciero (SP) recomenda, então, uma alimentação equilibrada: “A mulher pode fazer uma dieta 90% saudável, consumindo sempre alimentos integrais, e 10% fora da linha”, brinca. Isto é, aos finais de semana, pode haver um consumo de tudo o que existe de gostoso, desde que haja moderação! “O que agrava são os açúcares em excesso e o consumo de gordura de forma desequilibrada.” Isso porque existem dois tipos de gordura: a do bem, como o azeite e o óleo de coco virgem, que até ajudam a diminuir a localizada; e a do mal, que são as saturadas, encontradas em carnes vermelhas e leites integrais, por exemplo.

Mas, se apenas a dieta não está sendo suficiente, a Dra. Áurea explica: “Esse é um tipo de gordura realmente complicado de sair. Ela é compacta, e querer dissolver somente com dieta e exercícios é mesmo difícil”. Juntamente com a alimentação e a prática de exercícios físicos, existem tratamentos feitos em clínicas de estética que, se não eliminam por completo, dão bons resultados. “Mas nada é definitivo. Se não houver uma manutenção, ela volta. Tem de cuidar para o resto da vida”, adverte Áurea.

A mesoterapia é uma das formas mais procuradas. Enzimas pontuais são injetadas nos locais onde a gordura está, para ocorrer uma queima maior. Outro método é a utilização de aparelhos a laser, que a destroem. “Por fim, existe ainda a lipoaspiração”, que já anda bem popular.

Ajuda extra
Infelizmente, não existe nenhum alimento milagroso, que irá acabar sozinho com todo o seu “excesso de gostosura”. Mas Priscila sugere às suas pacientes o consumo dos chamados termogênicos. Este tipo de alimento aumenta a temperatura do corpo, acelerando o metabolismo. Havendo a combinação com exercícios físicos, eles ajudam a queimar a barriguinha (ou o lugar em que a sua gordura está instalada). Aposte, portanto, no chá verde, na pimenta vermelha e no gengibre (encontrado em raiz ou pó), que faz um chá delicioso.

Segunda chance à academia
Se você decidiu seguir à risca todos os conselhos, o personal trainer Handerson Oliveira, da Personal Pro-Fit (SP), indica os treinamentos em circuitos mistos para tratar a queima dessas gordurinhas: “O ideal é juntar
a prática aeróbica, que tem um volume de treino de alta frequência e pouco tempo de descanso, com a musculação”. Ele explica: exercícios aeróbicos são aqueles em que você se movimenta mais e perde calorias mais rápido, como corrida, por exemplo. Entretanto, eles só fazem efeito enquanto você estiver praticando.

Já a musculação queima as gorduras mais lentamente, mas continua fazendo efeito depois do término do exercício, podendo durar até 72 horas. “Se a mulher não tem tempo de fazer os dois tipos de exercício todos os dias, ela pode intercalar, fazendo aeróbica em um dia e musculação no outro”, ensina.

Handerson lembra, entretanto, de que outros fatores também devem ser considerados sobre a existência da gordura localizada: “Às vezes,
os exercícios não fazem efeito porque a mulher não leva uma vida saudável: bebe, fuma ou tem más noites de sono”. E, mesmo se for uma
predisposição genética, não significa que deve parar de se exercitar: “Os exercícios ‘enxugam’ o corpo ao máximo. Se, mesmo assim, ainda
sobrar alguma coisa, tem quem recorra ao bisturi. Mas, pelo menos, já vai sabendo de que aquela é a última alternativa, de que já se tentou de tudo antes”.

 

Por Ana Luiza Ribeiro

Fonte Revista Zero/ed.10

Foto: Símbolo Imagens

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...