segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Peso Emocional - O que pesa mais: o corpo ou as emoções?

Por Laura Cavalcanti, psicóloga*

 

Emagrecer é muito mais do que eliminar peso corporal. Não basta ter vontade. O emagrecimento está infinitamente ligado aos processos psíquicos e vivenciais. Todo desenvolvimento acontece nas relações, portanto, o corpo  não pode ser excluído dessa grande dimensão da expressão humana. Nossas alegrias, tristeza e angústias constroem a nossa história e ajuda a definir o caminho oscilante do corpo que ganha e perde peso segundo nossas experiências relacionais.

Na maior parte das vezes, o foco de atenção permanece rígido em direção ao corpo concreto, exigindo sua mudança imediata apesar da constatação periódica do insucesso estratégico sobre o foco definido. Como resultado, recaímos sobre um caldo de ansiedade que nos torna refém de uma exigência intrínseca e ilusória onde o corpo assume o dever de ser magro, independentemente de suas emoções.

Quem já não ganhou ou perdeu peso emocional? Esse dado informativo, certamente percorre o currículo íntimo de cada um de nós. O corpo responde as emoções e oscila junto com elas. Sendo assim, é preciso identificar as razões que nos remete a esse quadro, pois do contrário, qualquer tentativa para perder peso, somente afasta o peso e não o elimina. A representação simbólica permanece dando notícias através do corpo e apelando ao seu dono o cuidado mais profundo a respeito do que realmente está pesado.

Lembrar que não somente as emoções ditas negativas são os vilões da distorção corporal. Lidar com todo um espectro emocional é exercício diário, pois demanda a capacidade de discernir e traduzir as emoções em forma de sentimentos passíveis de serem administrados. Quando não traduzidos, ou seja, quando não percebidos, identificados e nomeados, corre-se o risco de permanecer no campo da vulnerabilidade, tornando-se presa fácil para a tão conhecida exacerbação alimentar.

Comemos por ansiedade, na medida em que nos fragilizamos perante emoções não identificadas, sejam elas positivas e/ou negativas. Essa fragilidade fala de uma inabilidade para traduzir a vivência da emoção em sentimento reconhecido. Para melhor entendimento, uma sensação de alegria ou de tristeza pode nos causar desconforto pela inabilidade perceptiva. Sentimos e não sabemos o que sentimos. Algo nos retira do lugar seguro e confortável promovendo uma alteração inconsciente, criando uma ansiedade intrínseca a fim de controlar a onda de emoção. Nesse momento é importante observar o fluxo interno buscando nomeação adequada para a situação vivida. A partir daí, é possível enfrentar o sentimento, pois a emoção não tem forma, mas o sentimento oferece uma direção. Se feliz, podemos compartilhar a felicidade e assim distribuir a energia gerada de forma saudável e produtiva. Se triste, podemos também compartilhar com a intenção de dissolver a energia acumulada por conta de uma experiência desconfortável. Enfim, não importa se a emoção é boa ou ruim, o que vale é o destino que damos a ela. Na falta de uma direção, o canal para dissipar o acúmulo energético, acaba sendo pela conhecida via de conforto e alívio. Por pouco tempo, é lógico! Recorremos à comida na intenção de encontrar um ponto de equilíbrio entre a fragilidade do que vivemos e a inabilidade do que somos capazes de administrar.

Ganhar ou perder peso depende muito da nossa trajetória enquanto ser humano e de todo aprendizado sobre as experiências relacionais. Pensando assim, vale questionar: o que pesa mais, o corpo ou as emoções?

 

*Laura Cavalcanti é psicóloga com formação em Transtornos Alimentares e Obesidade, Psicoterapia Breve, Psicologia Hospitalar, Teoria e Clínica Psicanalítica, Análise Existencial e Relaxação Terapêutica. Criadora e fundadora do Projeto EMAGRECER DÓI? EMAGRECER DÓI? - Grupo de Apoio Emocional, que atende pacientes com dificuldade de emagrecimento.

 

Site do Projeto EMAGRECER DÓI?: http://www.emagrecerdoi.com.br/

6 comentários:

  1. ORAÇÃO DE EMAGRECIMENTO
    Deus criou todos os alimentos como fonte de vida,
    não como meio de escravidão;
    Senhor meu Deus, obrigado pela minha vida e pelo corpo que o
    Senhor me deu. Obrigado pela saúde e pelas coisas boas da vida.
    Com a Tua ajuda, quero ter sabedoria edomínio próprio para
    com minha alimentação.
    Deus, tire de mim toda ansiedade,insatisfação, medos ou fobias que muitas vezes me levam a refugiar-me no comer exagerado;
    Ajuda-me a ter o peso ideal para com minha altura E arranque de mim todo o descontrole emocional e alimentar.
    Pai, eu quero ter um corpo sadio e uma mente equilibrada;
    Liberte-me de toda obesidade, de todo descontrole hormonal,equilibre o meu metabolismo e abençoe todo meu ser.
    Em nome de Jesus, Amém.

    ResponderExcluir
  2. Realmente...quantas vezes eu não já ataquei uma caixa de bombons inteirinha só por causa da maldita TPM!!!! temos que fazer a reeducação da mente!

    Beeijos

    http://modabelezaeboaforma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Adorei o post.
    Acredito que em 99% das vezes o
    emocional fala mais alto.
    bjs
    http://dietabelissimasempre.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Olá!

    Achei o seu texto com significado valioso! vc falou de forma delicada e precisa, chamando atenção para o obvio. Mas qdo estamos numa tormenta emocional, as coisas perdem um pouco o sentido e o obvio não é tão aprente. Daí, qdo tudo começa a incomodar ao ponto do insuportável, inicia-se um novo processo optativo de boa sdescobertas e resgates.

    Engordei quase 20kg e agora estou colhendo os bons frutos de minha virada necessária.

    Obrigada pela singela colaboração!

    Abraço, Maria José.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Saudações a todos os membros do blog "Agora ou Nunca". Fiquei muito feliz em saber que esse meu texto, desenvolvido com muito carinho, conquistou mais um espaço de reflexão. Sempre será minha intenção dissolver velhos paradigmas que nos aprisionam em um corpo dissociado de nossa essência. Para tal, é preciso olhar e cuidar com generosidade e amorosidade do nosso corpo emocional. Vamos ampliar essa reflexão... é Agora ou Nunca!!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...