domingo, 30 de maio de 2010

Médicos criticam prática de dietas ‘bizarras’ para emagrecer

 

Para especialistas, só alimentação saudável e atividade física fazem efeito.
Existe dieta até que promete prevenir sintomas da tensão pré-menstrual.

Médicos endocrinologias e especialistas em glândulas ouvidos pelo Fantástico criticaram dietas “bizarras” que as pessoas fazem para emagrecer. As mais variadas dietas estranhas, no entanto, não ajudam a emagrecer com saúde, garantem os especialistas.

Entre as dietas mais estranha existe uma até que promete prevenir os sintomas da tensão pré-menstrual (TPM) e evitar que a mulher coma demais. “De todas as dietas que eu fiz a que eu mais gostei foi a da TPM (...) vai ser montado um cardápio de alimentos que vão prevenir os sintomas da TPM e ele funcionam muito bem, eu perdi peso e ganhei felicidade e tranqüilidade”, conta a dona de casa Liz Polania.

A estudante Adriana Sandoval, por sua vez conta que já fez muitas dietas. “Já fiz dieta do chá, dieta da bolacha de água e sal, dieta das frutas, dieta do nada, que não come nada, vive de água, de luz”.

Leonardo Fae diz que já fez uma dieta em que ingeria limão em jejum. Ele diz ter perdido sete quilos com este regime. “Fiz a dieta do limão (...) Tu inicia com um limão em jejum puro e vai até dez, quando dá dez você começa a retornar”. Adriana diz que também fez essa dieta e só conseguiu “uma gastrite crônica” como resultado.

Médicos criticam a prática das dietas bizarras. João Alberto Ferreira Mattos destaca a possibilidade de uma gastrite com a dieta do limão. “Não funciona. E a vida inteira chupando limão? Quando as pessoas acordam de mau humor, aquelas pessoas mal humoradas, o que foi, chupou limão hoje cedo?”, brinca.

Para a médica Zuleika Halpern, a mais absurda é a dieta em que as pessoas dizem se “alimentar de luz”. “Para mim, a mais absurda de todas é aquela que as pessoas se alimentam de luz. Tudo tem um limite na vida”.

Fazer dieta mastigando trinta e duas vezes cada porção de comida também não funciona, segundo os médicos. “Essa é uma das dietas da lista das esdrúxulas. Você calcula e depois da quinta garfada quem está em volta levanta e vai embora”, diz Mattos.

No cardápio das dietas bizarras existem ainda as que determinam que só se pode comer papinha de neném ou as que fazer um cardápio de acordo com o tipo sanguíneo. Existe até dieta espiritual que promete emagrecer com receitas do "além".

Para o médico Pedrinolla, é possível brincar até de criar uma “receita mágica” para os chocólatras. “A gente pode inventar aqui rapidamente a dieta do bombom(...) A pessoa vai emagrecer se ela comer só cinco bombons por dia e água, por exemplo”.

Os médicos destacam que para emagrecer não há outro jeito além de escolher alimentos de modo saudável e fazer atividades físicas. Pedrinolla destaca que nem é preciso fazer atividades físicas em grande quantidade, mas sim com frequência. “Sobre atividade física, a má notícia é que tem que fazer, a boa é que não precisa fazer tanto, mas tem que ter regularidade”. Ele destaca que o emagrecimento acontece quando a quantidade de calorias gastas é superior às ingeridas.

A médica Zuleika destaca a atenção à quantidade que se deve comer de cada alimento. “Não dá para comer tudo o que gosta todo dia, a quantidade que quer, a hora que quer, então tem que ter uma certa disciplina até pra comer”. Ela ressalta que se o regime não for equilibrado a pessoa pode voltar a comer até mais do que antes quando abandonar a dieta.

 

Fonte: Do G1, com informações do Fantástico

sábado, 22 de maio de 2010

Dieta do bem

 

frutas

 

Que tal perder um quilo por semana? Achou pouco? Então conheça a primeira lição da reeducação alimentar: só vale emagrecer com saúde. E para isso, é necessário selecionar o que você insere em seu organismo. Para entender um pouco mais sobre o tema, conversamos com a nutricionista Thaís Artur; o doutor em endocrinologia Fillipo Pedrinola; a nutricionista e coordenadora do Centro de Educação Alimentar da Sanovita, Thais Seabra; e a nutricionista Daniela Hueb.

Todos são unânimes em afirmar que a perda de peso varia muito de acordo com a estrutura corporal e estilo de vida de cada mulher. Mas asseguram que perder de 500 gramas até um quilo a cada sete dias é extremamente saudável para qualquer pessoa.

1 – Coma de tudo

“O corpo humano precisa de vários nutrientes diariamente – carboidratos, proteínas, lipídios, vitaminas e minerais –, portanto só uma alimentação variada, contendo carnes, massas, integrais, frutas e saladas, pode suprir tudo o que precisamos”, explica Daniela Hueb. Portanto, aquela história de cortar alimentos está mais do que ultrapassada. Ao agir assim, você deixará de ingerir algum nutriente que precisa e isso trará danos ao seu corpo.

2 – Lugar de comer é à mesa

Se você ficava brava toda vez que sua mãe mandava sentar-se à mesa para fazer a refeição, agradeça a ela por ter esse hábito. “É importante comer com calma, sentir o sabor de todos os alimentos e mastigar devagar”, explica a doutora Thais Seabra. Portanto, nem pense em comer assistindo à TV.

3 – Não à fome

“A fome é um sinal que o corpo dá quando começa a cair a glicemia e o organismo entra em um processo de desnutrição”, afirma Thais Seabra. Por isso, quando sentimos fome por um longo período, comemos muito na refeição seguinte. E isso não é nada bom quando se pretende perder peso.

4 – Beba água

A água é fundamental porque facilita a limpeza do organismo e ajuda a eliminar as toxinas. Também é responsável pela absorção de algumas vitaminas hidrossolúveis.Condicione-se a beber dois litros por dia. Se você é daquelas que preferem sucos, invista nos naturais ou, então, abuse de melão e melancia, que tem muita água na composição.

5 – Dá-lhe frutas

Coma frutas diariamente. Além de deliciosas, são alimentos naturais que só farão bem ao organismo. Vale todas as opções que há no mercado, mesmo aquelas que são mais calóricas, como a banana e o abacate. “Basta comer um pedaço, não precisa consumir tudo se não quiser”, diz Thais Artur.

6 – Jamais pule uma refeição

Ignore todos aqueles que insistem em dizer que não precisa jantar ou tomar café da manhã. Todos os entrevistados são unânimes em afirmar que precisamos comer de três em três horas, e pular uma refeição só trará más consequências. “Fazendo todas as refeições pode-se fracionar os alimentos de forma que as calorias que precisamos ingerir no dia sejam distribuídas”, conta Thais Artur.

7 – salada primeiro

Além de seguir as regras dos manuais de etiqueta que rodam por aí, comer as saladas primeiro, durante a refeição, faz um bem danado ao organismo. “Elas são ricas em fibras e ajudam a diminuir a fome”, explica Fillipo Pedrinola.

8 – Sim às massas

Está achando bom demais para ser verdade? Pois saiba que, de acordo com os entrevistados, as massas são necessárias, pois os carboidratos ajudam no regulamento do metabolismo. Além disso, eles representam 55% do total de calorias que ingerimos ao dia. Portanto, a macarronada está liberada. Mas vá com calma no molho: prefira os feitos com tomates porque o creme de leite engorda muito.

9 – Cachaça não é água

Confesse: você aceitou aquela teoria de que o que engorda é o petisco que a gente consome com a cervejinha, só para ir ao happy hour com menos culpa, não é? Mas já que decidiu entrar de cabeça na reeducação alimentar, está mais do que na hora de aceitar a verdade: bebida alcoólica engorda, sim!

10 – Carne vermelha com moderação

Você se sente estufada após a ingestão de carne vermelha? Saiba que não é a única. Esse alimento realmente demora muito mais para ser absorvido pelo corpo humano. “A carne vermelha tem muito músculo e, por isso, dá mais trabalho ao organismo para digerir”, exemplifica Thais Seabra. A dica é comer carne vermelha, no máximo, três vezes por semana.

11 – Evite frios

É duro. Nós sabemos. Mas o queijinho, o salaminho e aquele presunto defumando devem ser evitados, ou, pelo menos, consumidos com muita moderação.

12 – Cuidado com os dias de folga

O perigo está nesses momentos que desencanamos de tudo. “Os dias de folga podem acabar com os resultados de uma semana inteira”, adverte Fillipo Pedrinola.

13 – Faça trocas

Altere o azeite pelo limão. Eleja o iogurte desnatado para temperar a salada ao invés da maionese e o creme de leite. Se sentir muita vontade de beber durante uma refeição, prefira um chá gelado ou limonada a um refrigerante.“Também use com moderação mostarda, catchup e molhos prontos”, diz Fillipo Pedrinola.

14 – Anote tudo

Parece metódico, mas é super importante. “É fundamental colocar tudo no papel para ter consciência do que está comendo diariamente”, diz a Dra. Thais Seabra. Só que não vale mentir para si mesma e omitir aquelas balas que você comeu após o almoço. Anote tudo mesmo, sem exceção. Só assim conseguirá identificar todos os seus excessos.

15 – Pratique exercícios

Alinhar a prática de exercícios físicos à reeducação alimentar é o caminho mais rápido quando se pretende perder aqueles quilos extras. Não precisa fazer maratonas, nem séries excessivas em academias. Comece com caminhadas, suba escadas e acostume-se a dar uma volta sempre após o almoço.

 

Fonte:Revista Barbara/ed.3

lliella_FFlavors_apple2

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Onze dicas para o seu emagrecimento não estacionar

O ponteiro da balança travou? Não se desespere! A nutricionista Bruna Petrungaro da Triathon Academia, de São Paulo, mostra como reverter o quadro e retomar a perda de peso

1Verifique se o número de refeições diárias está sendo feito de forma fracionada (cerca de cinco ou seis ao longo do dia). Como o processo de digestão consome calorias, quanto mais vezes ele for repetido, maior será a queima calórica.

2 Invista na atividade física regular, especialmente nos aeróbicos e na musculação. O aumento da massa magra aumenta o metabolismo e, desta forma, você reacelera o seu emagrecimento. Já treina? Converse então com o seu instrutor. Talvez seja o momento de mudar as séries (e carga) dos exercícios praticados.

3 Preste atenção à qualidade dos alimentos, e não apenas à quantidade. Adote um cardápio variado (sempre!), que contemple todos os grupos alimentares -carboidratos, proteínas e gorduras.

4 Relaxe! Lembrese de que um emagrecimento seguro - feito de forma lenta e gradual - aumenta suas chances de conseguir uma mudança definitiva dos hábitos alimentares, sem o temível efeito sanfona.

5 Se você estiver com dúvida em relação à dieta seguida, consulte um nutricionista para definir um novo plano alimentar para você voltar a eliminar peso.

6 Atenção ao café da manhã! Se já faz a refeição matinal de forma completa e equilibrada, mantenha-o desta forma. Caso contrário, leve à mesa, por exemplo: pão integral, queijo magro, peito de peru light, café com leite e uma fruta. Assim, evita "picos de fome" ao longo do dia e, consequentemente, o corpo armazena menos gordura.

foto: shutterstock

8 Atenção absoluta aos deslizes no final de semana. Os quilos perdidos de segunda a sexta serão facilmente recuperados se houver "escapadas" recorrentes nesses dois dias.

9 Avalie o cardápio seguido. Se for restrito (com poucas calorias e pouco variado), a possibilidade de ceder às tentações é bem maior. Você resiste no início, porém, não demora a abrir exceções. Resultado? Perda de peso estacionado.

10Nada de se estressar. Este é um dos fatores que também trava a balança. Que tal realizar passeios que a agradam? Você relaxa e, de quebra, tira o foco da comida.

11 Mantenha-se estimulada e determinada sempre! Não é porque o ponteiro parou que você irá retomar os velhos hábitos alimentares e voltar a engordar.

 

Fonte: Por Shirley Santos, Revista “Dieta Já” Edição 172/2009

BBD_knottedribbon1

Estudo sugere que Dietas restritivas podem aumentar os níveis do hormônio do estresse!

Você já deve ter notado o quanto uma pessoa fica mal humorada quando está fazendo dieta. Agora, os resultados de um novo estudo da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, podem nos ajudar a entender as razões dessa relação: a restrição de calorias poderia aumentar os níveis do hormônio do estresse - o cortisol - no organismo.

O estudo envolveu 99 mulheres, que foram divididas em quatro grupos: aquelas orientadas em como seguir a dieta clássica de restrição de calorias (consumo de até 1200 por dia) e que foram instruídas a contá-las; aquelas que tiveram a mesma restrição, mas comendo alimentos pré-empacotados e sem contagem de calorias; aquelas que não faziam a dieta, mas contavam calorias; e mulheres que não faziam dieta e não contavam calorias.

Avaliando questionários sobre estresse e a medição dos níveis de cortisol na saliva das participantes, os pesquisadores notaram que a restrição de calorias, além da perda de peso, também foi responsável pelo aumento nos níveis do hormônio do estresse em seu organismo.

Embora os resultados apontem para uma relação entre a restrição de calorias e o estresse, os pesquisadores destacam que mais estudos são necessários para confirmar e desvendar os mecanismos envolvidos nessa associação. “O cortisol tem muitos outros trabalhos no organismo, então, precisamos descobrir exatamente o que está acontecendo”, disse a pesquisadora Janet Tomiyama. “Ainda assim, qualquer coisa que você puder fazer para reduzir seu estresse enquanto faz dieta é uma boa ideia.

Mais uma vez se confirma que a reeducação alimentar é a melhor solução para a redução e o controle do peso!

Nada de dietas restritivas, além do mau humor, elas são as grandes responsáveis pelo odiado efeito sanfona.

Fonte: Psychosomatic Medicine

Como a internet pode ajudar no emagrecimento

Utilize corretamente a Internet para Emagrecer

O Brasil é líder mundial em conexão doméstica pela Internet. Uma janela se abre na tela do computador e em segundos todo tipo de informação está disponível para o usuário. Porém muitas vezes é difícil selecionar entre o que é veiculado de forma criteriosa e o que não tem fundamento. É preciso muita atenção para tirar bom proveito das informações que estão ao alcance de todos na rede eletrônica.

internet1 As falsas dietas atribuídas a instituições ou autores de renome podem ser verdadeiras armadilhas. Uma delas, denominada Dieta da Sopa do Incor - Instituto do Coração do Hospital das Clínicas de São Paulo, promete fazer com que as pessoas percam 7,5kg em 7 dias. A indicação, segundo sites e blogs, é dirigida a pacientes que precisam perder peso rápido. A ouvidoria do Incor afirmou que a dieta é falsa. Pior ainda, não é indicada para ninguém.

Esse exemplo serve para alertar os que desejam emagrecer rapidamente sobre o perigo de dietas sem nenhum rigor científico.
É indispensável checar as fontes de onde partem as informações.

Por outro lado, há muita coisa boa e gente séria trabalhando pela Internet. O uso correto do computador facilita a vida de quem sabe aproveitar o conteúdo honesto. Com isso é possível pesquisar e aprender coisas novas, interagir com outras pessoas, fazer boas compras, participar de conferências e de sites que trazem benefícios.

Esse é um campo em rápida expansão, com inovações tecnológicas ocorrendo todos os dias. A tecnologia derruba barreiras e torna o mundo menor, força mudanças e altera o estilo de vida das pessoas.

Entre os milhões de conteúdos disponíveis na Internet há sites de apoio ao emagrecimento. Os confiáveis trazem o alerta de que não é possível dispensar o trabalho de nutricionistas, endocrinologistas, psicólogos e psiquiatras, sempre que for necessário.

Nestes sites, além de toda orientação nutricional e de exercícios físicos, os participantes contam com o apoio e incentivo de profissionais que procuram esclarecer dúvidas, orientar, motivar e melhorar a auto-estima de quem deseja emagrecer e conquistar um corpo mais saudável.

Assim, a Internet adquire praticidade e comodidade. A qualquer hora do dia ou da noite, em qualquer terminal de computador conectado à rede mundial, é possível acessar informações que podem ser extremamente úteis. Também é muito interessante a possibilidade de interação entre os participantes de um site de emagrecimento que ofereça esse serviço.

Pessoas que enfrentam o mesmo problema trocam experiências e informações para identificar e promover as ações necessárias para atingir o objetivo de conquistar um corpo mais saudável.

Como o uso da internet está associado à idéia de ritmo de vida acelerado, a ilusão de emagrecer rapidamente atrai muitas pessoas. Porém, como o peso indesejado levou meses ou anos para surgir, não será em uma semana que ele poderá desaparecer. Além disso, esse tipo de emagrecimento não é saudável e pode trazer conseqüências prejudiciais para o resto da vida.

Use bem a Internet e leve a sério sua saúde, não se deixe seduzir por promessas milagrosas que são oferecidas por pessoas desonestas.

 

Fonte: Coluna assinada por *Flávia Leão Fernandes (CRP 06/68043).
*Psicóloga clínica, Mestre em Psicologia pela Universidade de Londres, Inglaterra e especialista em Psicologia Hospitalar
com enfoque em obesidade.

http://cyberdiet.terra.com.br/

 

lliella_FFlavors_wrap1

terça-feira, 18 de maio de 2010

Dicas: Você vai amar os vegetais

 

 

Pare de torcer o nariz. Os aliados da saúde podem ser mais atraentes do que você imagina. Veja as receitinhas deliciosas (e fáceis de preparar)!

Geladeira saudável

 

"Aprenda, com a nutricionista Maria Pia, a transformar a sua geladeira numa aliada da dieta."

Happy hour com os amigos: como controlar a dieta

 

 

Tem encontro com os amigos no barzinho? Aprenda a comemorar sem escorregar na balança.

sábado, 15 de maio de 2010

Culinária: Torta light de laranja

 

receita-torta-light-de-laranja

Preparo: Demorado (acima de 45 minutos)
Rendimento: 8 porções
Dificuldade: Médio
Calorias: 198 por porção

 

Ingredientes:

· 200 g de ricota passada pela peneira
· 2 colheres (sopa) de adoçante dietético para forno e fogão
· 2 claras em neve
· 4 colheres (sopa) de leite em pó desnatado
· 1/2 xícara (chá) de água
· 1 colher (chá) de raspas de casca de limão
· Gotas de corante vegetal amarelo
· 1 colher (chá) de fermento em pó

Creme:
· 5 laranjas
· 2 colheres (sopa) de amido de milho
· 2 gemas
· 1 colher (chá) de margarina light
· 2 colheres (sopa) de adoçante dietético para forno e fogão

Cobertura:
· 1 caixa de gelatina dietética sabor abacaxi
· 1 xícara (chá) de água fervente
· 1/2 xícara (chá) de água gelada
· 3 laranjas

Modo de preparo:

Bata a ricota com o adoçante. Junte as claras aos poucos. Dissolva o leite na água e junte a ricota. Ponha as raspas de limão, o corante e o fermento. Misture e despeje em uma forma untada. Asse em forno baixo.

Creme:
Esprema as laranjas e coe. Junte o amido de milho e as gemas. Leve ao fogo baixo até levantar fervura. Retire do fogo, misture o adoçante e a margarina. Deixe esfriar.


Cobertura:

Numa panela pequena, dissolva a gelatina na água fervente. Leve ao fogo baixo por um minuto, sem parar de mexer. Retire do fogo e adicione a água gelada. Leve à geladeira e deixe endurecer até ficar como uma clara crua. Descasque as laranjas, separe em gomos e retire a pele. Ponha o creme sobre a massa assada, disponha os gomos de laranja e cubra com a gelatina de abacaxi. Deixe na geladeira por três horas e sirva.

 

 

Bom apetite1

Comer mal é um vício ou temos escolha?

Um novo estudo sugere que a gordura cria dependência como cocaína e heroína. O guru da alimentação saudável dá 20 lições para evitar ser refém do lixo alimentar
 
Revista Época

Quando alguém menciona drogas viciantes, o que vem à mente são substâncias ilegais como cocaína, crack ou heroína. Pelo que se sabe, não há níveis seguros para o consumo dessas drogas. A orientação é ficar longe delas. Desde a semana passada, a ciência médica acrescentou à lista de produtos capazes de provocar dependência algo assustadoramente próximo de nós: a comida gordurosa. Um estudo com ratos publicado na revista Nature Neuroscience sugere que o consumo de alimentos ricos em gordura leva ao desenvolvimento de um tipo de dependência parecida com a que afeta os viciados em cocaína ou heroína. O cérebro dos ratos superalimentados, assim como nos dependentes químicos, apresenta uma queda acentuada nos níveis de substâncias responsáveis pelas sensações de prazer, conhecidas como receptores de dopamina. Com menos receptores, o organismo precisa de quantidades de gordura cada vez maiores para que o cérebro registre satisfação. É o mesmo mecanismo cerebral do vício humano em drogas. A pesquisa, feita apenas em ratos, confirmou em laboratório pela primeira vez aquilo de que muitos especialistas já suspeitavam: certos tipos de comida viciam.

“Espero que este estudo mude a maneira como muitos pensam sobre comida”, diz Paul Johnson, coautor do estudo realizado no Scripp Research Institute, da Flórida. “Ele demonstra como a oferta de comida pode produzir superalimentação e obesidade.”

Ao vincular dependência química à alimentação, a pesquisa divulgada na semana passada lança uma série de novas questões – e reanima velhos fantasmas – no debate sobre comida. Levada às últimas consequências, ela pode até mesmo sugerir que os consumidores são manipulados pela indústria do fast-food do mesmo modo como jovens são aliciados por traficantes na porta das escolas. Trata-se do tipo de estudo que traz alento àqueles que acreditam que somos reféns de uma indústria alimentar inescrupulosa, incapaz de manifestar uma preocupação genuína com a saúde – e afirmam que o cidadão precisa de regras quase policiais para controlar a comida, assim como precisa da polícia antidrogas.

A diretora do Nida (o instituto do governo americano contra o abuso de drogas), Nora Volkow, chegou a afirmar que o novo estudo ajudará a aplicar o conhecimento adquirido no combate à dependência química ao tratamento da obesidade. Depois de proibir o fumo e limitar o consumo e a propaganda de álcool, a brigada dos militantes pelo controle alimentar passa, portanto, a dispor de mais argumentos para defender restrições à batata frita ou ao churrasco. “É improvável que proíbam a picanha como fizeram com a cocaína”, diz o neurocientista Jorge Moll, coordenador do Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino, do Rio de Janeiro. “Mas o experimento com ratos sugere que deixar de comer compulsivamente não depende só de força de vontade.”

Afinal, o que há de fantasia e de realidade nessa visão? Estaríamos indefesos diante da gordura como diante do tabaco – e seu consumo deveria ser restrito? Até que ponto a indústria alimentar tem tanto poder de controlar o que come o consumidor? Não é possível a cada um de nós, de acordo com nosso livre-arbítrio, escolher uma alimentação saudável e viver comendo bem?

Para responder a essas questões, é preciso analisar de perto as evidências científicas. Os próprios experimentos com ratos sobre o vício oferecem evidências ambivalentes. Em seu estudo, Johnson e seu colega, Paul Kenny, dividiram os animais em três grupos. O primeiro grupo foi alimentado com ração comum. O segundo teve acesso restrito a comida gordurosa, comparável à que encontramos numa lanchonete. O terceiro teve acesso quase ilimitado. Os ratos do último grupo se esbaldaram numa comilança compulsiva. Ao final de 40 dias, estavam mais gordos e, além do maior peso, foi observada alteração nos centros cerebrais de prazer similar à de ratos drogados com substâncias como cocaína e heroína.

Os militantes passam a ter mais argumentos para
defender restrições à batata frita e ao churrasco

Peter Yang
ORGÂNICO
Pollan na feira. Ele é contra qualquer comida que nossos avós não reconheceriam como tal. Mas isso deixa muita coisa saudável de fora

 

Mas outra experiência realizada em 1981, também com ratos e tóxicos, lança outra luz sobre o tema. Ela foi conduzida pelo psicólogo canadense Bruce Alexander, da Universidade Simon Fraser. Alexander construiu um verdadeiro parque de ratos, com 8,8 metros quadrados. O lugar era aquecido, com brinquedos coloridos e bastante espaço. Os ratos do parque e outro grupo de ratos – estes engaiolados – receberam água com morfina por 57 dias, até ficar viciados. Depois, passaram a ter água pura como opção. O grupo enjaulado continuou consumindo água com morfina. Os ratos do parque reduziram gradualmente o consumo da droga. Apesar dos sintomas de abstinência, quando recebiam água com morfina, preferiam beber água pura. Alexander usou a experiência para demonstrar que, num ambiente saudável, os ratos – e por analogia talvez as pessoas – conseguem se livrar mais facilmente de um vício. Basta ter condições de fazer a escolha certa.

Convivemos com substâncias potencialmente perigosas o tempo inteiro – álcool, tabaco, remédios e uma infinidade de substâncias ilegais –, sem que nos tornemos necessariamente reféns delas. Com a comida não é diferente: tudo depende das escolhas individuais e das circunstâncias. Há diferentes predisposições ao vício, diz o psiquiatra Marcelo Niel, da Universidade Federal de São Paulo. Alguns podem usar drogas recreativamente sem se viciar, outros ficam totalmente dependentes. Essa diferença depende de componentes genéticos e ambientais, ainda não completamente esclarecidos. O comportamento compulsivo seria uma válvula de escape para ativar centros de prazer. “Em alguns pacientes que comem compulsivamente, se tiramos a comida, eles podem desenvolver sintomas psiquiátricos mais pronunciados”, diz Niel.

Há, portanto, uma dose de oportunismo nas comparações entre gordura e drogas e na defesa de restrições draconianas à indústria alimentar. O ativista americano Michael Pollan ficou conhecido com o livro O dilema do onívoro como um dos maiores críticos da forma como é feita a comida que chega a nossa mesa. Pollan e o italiano Carlo Petrini, fundador do movimento Slow Food (o oposto do fast-food), afirmam que a indústria não para de nos empurrar porcarias goela abaixo. Mas mesmo Pollan acredita que, para combater a obesidade e a má alimentação, o melhor caminho é respeitar o livre-arbítrio. Em seu novo livro, Food rules (Regras da alimentação), lançado nos Estados Unidos no final de 2009, ele sugere que retomemos o controle de nossa vida alimentar por meio da cozinha tradicional, que nos foi legada por nossos pais e avós.

Revista Época

O trabalho de Pollan fornece um dos alicerces do movimento global pela revalorização da comida natural. Ele se propõe a responder a uma questão pertinente à alimentação em qualquer país industrializado: abandonar os modos antigos à mesa e ceder às novidades do mundo moderno faz bem ou faz mal à saúde? Ele já tinha vendido até a semana passada mais de 700 mil exemplares nos EUA. O livro, que não tem data para sair no Brasil, se organiza em torno de 64 frases que qualquer adolescente instruído é capaz de entender (20 delas estão reproduzidas no fim da página). Nos textos curtos que acompanham cada regra, Pollan faz parecer que ninguém precisa acompanhar o noticiário científico nem ouvir nutricionistas para fazer escolhas alimentares certas. Para ele, comer bem é mais simples do que a brigada policial da nutrição ou a indústria querem que a gente pense. Basta se guiar pelas tradições, confiar na cultura alimentar passada de mãe para filho e abandonar tudo o que cheire a ciência moderna como principal referência quando se trata de comida. “Ao longo de quase toda a história da humanidade, os homens acharam a resposta sobre o que comer sem a ajuda de especialistas”, diz Pollan.

Em seu livro anterior, Em defesa da comida, Pollan defendia uma tese parecida. Para ele, a divulgação fragmentada das descobertas da ciência sobre o papel dos nutrientes na saúde humana confunde mais do que ajuda. Ele chama isso de “nutricionismo”. A indústria, afirma Pollan, aproveita as descobertas científicas da semana e lança no mercado alimentos com substâncias pretensamente mágicas. Esse posto já foi da gordura ômega 3, presente naturalmente em peixes como salmão e adicionada artificialmente em algumas marcas de óleo de cozinha. O argumento científico subjacente é que, segundo algumas pesquisas, o consumo do ômega 3 está associado à redução de doenças cardiovasculares. Mas a indústria não diz, segundo Pollan, que a substância não faz milagres sozinha, sobretudo quando integrada a uma dieta desbalanceada. “Quem se preocupa com a saúde provavelmente deveria evitar produtos que fazem alegações quanto a benefícios para a saúde”, diz Pollan.

Iniciada no exterior, a pregação pela alimentação tradicional e natural já chegou ao Brasil. A paulistana Ceni Salles é uma das primeiras brasileiras a investir nela. Em sua infância, numa chácara em Suzano, na região rural do Estado, conviveu com 1.200 espécies de vegetais. Nos anos 80, criou um restaurante natural, Cheiro Verde, e depois uma loja de alimentos orgânicos, o Empório Siriuba. Nos últimos anos, diante da demanda, especializou-se em prestar consultoria para restaurantes e hotéis, montando cardápios. Hoje, é uma das líderes do movimento Slow Food no Brasil. “Adoro os livros do Pollan”, diz ela.

Há duas semanas, o encontro Terra Madre reuniu em Brasília 700 produtores, chefs famosos e pesquisadores da área de alimentos. Eles pregam a convivência entre produtores e consumidores. “Somos todos coprodutores”, diz Ceni. “Nossas escolhas como consumidores orientam o mercado produtor.” Diversas organizações estão se mobilizando para promover o consumo consciente de alimentos. Numa pesquisa do Datafolha divulgada no mês passado, 75% dos pais de crianças entre 3 e 11 anos afirmaram estar preocupados com a qualidade da alimentação dos filhos e com a enorme oferta de guloseimas industrializadas.

Embora tenha seus méritos, a tese anti-industrial de Pollan resvala no radicalismo. Não existe, na vida real, uma divisão absoluta entre o tradicional e o inovador ou entre o natural e o industrializado. A indústria de alimentos não é homogênea. Cada empresa trabalha de acordo com valores diferentes. Não é difícil encontrar, no mesmo supermercado, exemplos de alimentos bons e ruins para a saúde. Ao contrário do que reza o radicalismo de Pollan, produtos inovadores inimagináveis no tempo de nossas avós não são necessariamente nocivos. Tampouco o contrário é verdadeiro. Feijoada completa e leitão à pururuca, embora tradicionais e deliciosos, não são os pratos mais saudáveis em qualquer cardápio.

A industrialização dos alimentos contribuiu para melhorar a saúde. O médico nutrólogo Durval Ribas Filho, presidente da Associação Brasileira de Nutrologia, afirma que a industrialização aumentou a expectativa de vida no mundo ocidental. Em 1900, a longevidade média no Brasil era de 44 anos. Hoje, é de 72, com o aumento da obesidade. Antes da industrialização, todos os alimentos estavam à mercê do tempo e apodreciam mais rapidamente. Nem todos sabiam o momento certo de jogar a comida fora. “A insegurança alimentar predominava”, diz Ribas. No contexto em que se misturam boas e más inovações, a contribuição de Pollan é nos alertar para a necessidade de escolher com cuidado aquilo que comemos. A melhor maneira de comer, aquela que permite evitar a obesidade e preservar a saúde, é escolher o que há de melhor entre as várias opções. Da comida feita no fogão a lenha à prateleira do supermercado, hoje há mais chances de escolher alimentos de qualidade. Ninguém precisa consumir a gordura que provoca obesidade e dependência química em ratos. A informação sobre a indústria de produção e distribuição de comida é a melhor forma que temos para exercer de maneira saudável nosso direito de escolha e nosso livre-arbítrio. Ela ainda é nossa melhor arma contra qualquer vício.

Para ler a reportagem completa no site, clique AQUI 

 

 

Fonte: Conteúdo do site da Revista Época

Francine Lima (texto) e Sattu (ilustrações)

19 maneiras de perder 200 calorias

 

Quer perder peso, mas detesta exercícios físicos? Então, conheça algumas atividade que vão lhe ajudar a queimar gordura sem perceber

05_caes_ajudam

 

Se você acha que para queimar gordura é preciso se matar para fazer um monte de abdominais, está muito enganada! Existem algumas atividades que ajudam a perder peso de forma agradável e muitas vezes divertidas. Confira:


1. Faça um pão doce para o lanche do domingo, sovando bem a massa. Só não caia na tentação de experimentar durante o preparo!
2. Dispense as sacolinhas plásticas e carregue a bolsa retornável no supermercado durante uma hora. A atitude pesa muito no braço, mas pouco no bolso. Afinal, a sacola cheia fica com mais de 10 kg.

3. Peça emprestada a bicicleta do seu filho e pedale no fim de semana. Quando cansar, faça uma pausa. Cinquenta minutos vão passar rapidinho.
4. Dê uma geral no seu guarda-roupa durante 1 hora e 20 minutos. Experimente tudo que você não usa há tempos e separe as roupas que "encolheram". Em breve, elas entrarão no seu corpinho enxuto!
5. Aproveite a rapa no armário para separar todas as peças que precisam ser lavadas. Gaste meia hora para esfregar à mão as roupas delicadas - lingerie, blusinhas, vestidos de festa - e pendurá-las no varal.
6. Caminhe com seu cachorro pelo bairro em ritmo acelerado. Dê três voltas no quarteirão pela manhã e mais três no fim do dia.
7. Quando chegarem a alguma praça, arremesse a bolinha para seu cão por 30 minutos. Repita a brincadeira no passeio noturno. Seu companheiro de quatro patas vai emagrecer junto com você!
8. Sem pressa, suba oito andares de escada, respirando pausadamente durante o esforço. Se puder, adote esse hábito todos os dias.
9. Entre no YouTube, digite "Não Quero Dinheiro" e tente imitar Ivete Sangalo. Repita a música cinco vezes até acertar toda a coreografia direitinho!
10. Decore a sala com uma folhagem bonita, cobrindo o fundo de um vaso com uma camada de pedras. Adicione partes iguais de terra e composto orgânico, e misture bem. Ponha a planta na cova e aperte a terra em volta. Você vai levar uns 40 minutos para terminar o plantio.
11. Tire um tarde para engraxar aquela bota que você usou durante todo o inverno. Dê uma renovada também no verniz de outros três pares de sapatos.
12. Brinque durante 50 minutos de esconde-esconde com seus filhos e sobrinhos. Para entra na brincadeira, você tem de bater cara, tá?
13. Vai passar as férias com a família na praia? Caminhe durante 45 minutos no mar, com a água batendo na altura das canelas.
14. Faça dois bons castelos de areia com seu filho - e não se esqueça de caprichar no filtro solar dos dois!
15. Experimente montar um quebra-cabeça de 500 peças em duas horas.
16. Repita com a gente: "Não cairei nas garras do pastel, não cairei na garras do pastel, não cairei nas garras do pastel!". Agora, vá a pé até a feira mais próxima e faça as compras. Deu fome? Coma uma fatia de abacaxi.
17. Proponha uma nova posição sexual a seu parceiro, ficando de cócoras sobre ele. Você aumenta seu prazer porque estica todos os músculos vaginais.
18. Durante o banho, use a bucha vegetal para fazer uma boa esfoliação. Depois, massageie o corpo todo com um hidratante. Termine o ritual com chapinha e uma sessão de automaquiagem.
19. Enquanto assiste a novela, ataque a pilha de roupas para passar, caprichando nos colarinhos das camisas.

Fonte: por Lívia Lopes - Conteúdo do site ANAMARIA

 

678974vz9ogs7v2i

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Descubra como medir as suas porções

 

 

Use as palmas e os dedos da sua mão como medida para não exagerar no tamanho do prato.

Gelatina uma doce aliada

 

A tradicional sobremesa pode ser, sim, uma boa companhia na luta contra a balança. Confira seus benefícios e mande embora os quilinhos extras de forma gostosa.

 

gelatina Leve, colorida e deliciosamente refrescante, ela tem tudo a ver com o verão. E também com quem deseja enfrentar a temporada de corpo à mostra, de bem com a silhueta. Isso porque, além da sobremesa geladinha aparecer bonita na categoria de produtos saudáveis, também ajuda a emagrecer. O segredo para tantas qualidades está na sua composição: é um alimento de baixas calorias, formado basicamente por proteínas, água e sais minerais, isento de gorduras e colesterol e, o melhor, pode ser consumido por todas as pessoas. Mas será que gelatina ajuda mesmo a emagrecer? A resposta é sim, desde que inserida em uma dieta balanceada, dizem a nutricionista da Clínica Luisa Catoira (SP), Daniella Camargo, e a endocrinologista e nutróloga Valéria Goulart (SP), que apontam o estímulo à saciedade como um dos aspectos mais positivos na luta contra os quilinhos extras. O efeito ocorre por razões como o alto teor de aminoácidos, que age sobre o centro do apetite, como um moderador natural da fome. "Como ela retarda o esvaziamento do estômago, provocando saciedade e hidratação por mais tempo, dá para evitar as beliscadas engordativas fora de hora", destaca Daniella. Essa, porém, não é a única maneira de tirar proveito da gelatina em nome do bem-estar e da forma física: a versão diet é uma escolha vantajosa, pois é isenta de açúcar, e pode ser incluída como lanche intermediário entre as principais refeições, seja na sua versão tradicional ou batida com iogurte, leite desnatado ou suco. A praticidade do preparo, o baixo custo, as poucas calorias (a versão light tem em média quatro calorias por porção) e o rendimento são outros pontos que facilitam sua inclusão no cardápio diário.

fonte de colágeno
entretanto, os benefícios não param aí. eles se estendem para a beleza da pele, do cabelo, dos ossos e das unhas também. e tudo em razão da matéria-prima da qual se origina. A médica e nutróloga Valéria Goulart (Sp) explica que a gelatina - também chamada de colágeno hidrolisado - é produzida pelo processamento do colágeno retirado da pele, das cartilagens e dos ossos de diversos animais, especialmente do boi. Graças a essa proteína, o alimento ajuda a estimular a síntese de colágeno humano, mantendo a tonicidade e a elasticidade da pele e prevenindo o surgimento da flacidez. para entender o que isso significa, basta imaginar que o colágeno constitui cerca de 1/3 de toda a proteína do corpo humano e, aos 50 anos, produzimos aproximadamente 35% da quantidade necessária para manter tudo firme e forte.

sem milagres
As boas notícias do consumo regular desse alimento aparecem em diversos estudos que comprovam sua importância para prevenção e tratamento de doenças, além de pesquisas que demonstram que os aminoácidos presentes são importantes para preservação de cartilagens, tendões, ossos e pele. "A revista espanhola Archivos de Medicina del esporte mostra a prevenção de lesões provocadas em atividades esportivas diminuídas com o uso do colágeno hidrolisado. Já pesquisas nos estados unidos e na europa comprovam que a gelatina previne dores articulares e até artroses", reforça a médica. enfim, o poder está comprovado e todos podem desfrutá-lo, pois a gelatina é liberada para adultos, crianças e idosos. para turbinar os resultados no nosso corpo, a dose indicada é de dez gramas por dia, o equivalente a uma colher de sopa. Mas, atenção: a melhor opção para consumo não é aquela de caixinha, que compramos no supermercado.

"A recomendada é a proteína hidrolisada, bem concentrada e com efeitos muito mais visíveis. o ideal é colocar uma colher de sobremesa da gelatina em pó em sucos, doces, iogurtes, vitaminas, musses, saladas de frutas ou até na própria gelatina industrializada", ensina Valéria Goulart. "Vale ressaltar também que, apesar de todos os benefícios, não devemos basear nossa dieta em um só alimento.

As frutas, que são ricas em vitamina, água, mineral e fibra, por exemplo, não devem sair do cardápio diário", salienta daniella Camargo. então, dê uma forcinha para a perda de peso, aliando essa delícia geladinha a uma dieta equilibrada e orientada por um profissional. para que o regime seja ainda mais efetivo, some a eficiência de uma atividade física e espere os resultados.

 

FoToS: SHuTTerSToCK

O que dizem por aí...

O consumo regular ajuda a prevenir celulite e a dar tonicidade à pele?
A gelatina irá agir indiretamente na celulite, promovendo a melhoria da elasticidade cutânea e ajudando a diminuir o acúmulo de líquidos entre as células.

Mas sozinha não faz milagre, principalmente porque o problema, infelizmente, não tem cura.

Ela possui gordura?
Não. A gelatina é isenta de gordura, colesterol e carboidratos. É constituída de 87% de proteína, 1% de sais minerais e 12% de água.

Dá saciedade de verdade?
Sim, o alto teor de aminoácidos age sobre o centro do apetite estimulando a satisfação.

Além disso, no estômago ela se junta a uma grande quantidade de água ingerida, contribuindo para que não haja exagero nas refeições.

O alimento funciona para mulheres na menopausa?
Sim, pois nesse período acontece a maior perda de colágeno (2% por ano, após 45 anos de idade), devido à deficiência de estrógeno, que diminuirá os fibroblastos (células que produzem o colágeno).

qual é melhor?
A gelatina pode ser encontrada em pó com sabor, em folha, na forma de colágeno puro em pó ou em cápsula.

E há diferença entre elas: a versão em caixinhas que compramos no supermercado possui colágeno em menor quantidade que a adquirida em lojas de suplementos alimentares e produtos naturais.

Nesses locais, normalmente, é vendido o colágeno em sua forma mais pura, em pó ou em cápsulas, e não é necessário receita para comprá-lo. o ideal, porém, é sempre contar com a orientação de um nutricionista ou médico para avaliar a real necessidade do suplemento na dieta e a quantidade recomendada.

 

Força no potinho

chiffon

chiffon de café
Rendimento: 8 porções
Calorias por porção: 75
Tempo de preparo: 40 min.

Ingredientes
2 col. ( chá) de gelatina sem sabor
½ xíc. (chá) + 2 col. (sopa) de leite desnatado
30 g de chocolate meio amargo
1 ½ col. (chá) de café solúvel
1 col. (chá) de essência de baunilha
10 cubos de gelo e água o suficiente para cobri-los
6 claras
1 col. (sopa) de açúcar
¾ xíc. (chá) de chantilly industrializado

Modo de fazer
Amoleça a gelatina no leite e leve ao fogo baixo, mexendo até dissolver. Adicione o chocolate (reserve uma colher para enfeitar), o café e a baunilha. Cozinhe, mexendo sempre até o chocolate derreter. Coloque o gelo e a água numa vasilha grande. Transfira a mistura de chocolate para uma tigela. Coloque-a sobre a água de gelo e mexa bem até a mistura gelar. na batedeira, bata as claras em neve, adicionando aos pouco o açúcar. reserve. retire do gelo a tigela com a mistura de chocolate e adicione ¼ de xícara (chá) de chantilly , misturando levemente. Aos poucos, incorpore as claras à mistura. despeje numa fôrma e leve à geladeira até firmar. Ao servir, coloque chantilly e chocolate ralado.

 

suco de gelatina

suco gelatina

Rendimento: 1 porção
Calorias por porção: depende da fruta de sua escolha (por exemplo, uma laranja tem 86 cal.)
Tempo de preparo: 5 min.

Ingredientes
1 copo (200 ml) de água
1 fruta de sua preferência
1 col. (sopa) de gelatina em pó

 

musse de limão

mousse_de_limao
Rendimento: 8 porções
Calorias por porção: 40
Tempo de preparo: 10 min. (+ 4 h de geladeira)

Ingredientes
1 ½ xícara (chá) de água fervente
2 envelopes de gelatina de limão dietética
1 xícara (chá) de cubinhos de gelo
1 xícara (chá) de iogurte desnatado

 

 

Fonte: Conteúdo do site: revista “Corpo a Corpo

Bookworm Eyelet 02

Tratamento contra bactérias do intestino ajuda a combater obesidade

 

Algumas delas têm capacidade de fazer corpo acumular mais gordura. Criança pode herdar da mãe micróbios ligados ao ganho de peso.

 

Microorganismos que moram no intestino podem ser um dos grandes obstáculos para quem quer perder peso. Um novo tratamento que ajuda a emagrecer com saúde reduz a quantidade de bactérias no intestino, que, segundo estudos recentes, atrapalham o emagrecimento, mesmo quando a pessoa faz exercícios físicos e evita os alimentos que engordam.

A nutricionista Ana Letícia Bentes se submeteu à nova técnica, e comemora a redução dos centímetros e dos quilos. Ela segue uma dieta rica em fibras, come de três em três horas e toma suplementos naturais. O resultado, ela diz, é o fim do efeito sanfona.

“Quando tinha força de vontade, quero emagrecer, estava no meu limite, perdia logo uns cinco quilos e ficava dois, três meses bem. Depois largava de mão e voltava a engordar de novo. Para mim o mais importante hoje é o bem estar físico, emocional, psicológico. O emagrecimento vem como uma consequência disso. Acho que fica um bem estar geral”, lembra Ana Letícia Bentes.

A obesidade é considerada uma epidemia pela Organização Mundial de Saúde. No Brasil, há 17 milhões de obesos, quase 10% da população.

“Quando uma pessoa magra e uma pessoa gorda ou com excesso de peso consome a mesma refeição, por exemplo, um sanduíche, aquela mais gorda tem mais capacidade de reter as calorias daquele mesmo sanduíche. Isso porque as bactérias que são ruins e que estão no intestino também têm a capacidade de fazer acumular mais gordura, então as pessoas tem mais facilidade de acumular peso por esses dois motivos”, explica a nutricionista Patrícia Davidson.

Gravidez
A busca pelo equilíbrio no intestino começa na gestação. Se a mãe engorda muito na gravidez, a criança herda as bactérias ligadas à obesidade. A luta continua ao longo da vida. O número dessas bactérias cresce bastante com consumo excessivo de bebidas alcoólicas, gorduras e carboidratos.

O tratamento inclui a reeducação alimentar, associada ao consumo de bactérias conhecidas como probióticos, que equilibram a flora intestinal. Além das fibras encontradas principalmente na cebola, no alho e na farinha de banana verde, que pode ser usada em várias receitas.

 

Fonte: http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/

Perder peso rapidamente é a chave para manter o emagrecimento, diz estudo

A melhor forma de manter o peso após o emagrecimento, ao contrário do que se acreditava, é perder peso rapidamente nos estágios iniciais de tratamento contra a obesidade, e não gradualmente, segundo recente estudo da Universidade da Flórida, nos EUA.

A pesquisa incluiu 262 mulheres obesas de meia idade que participaram de um programa de emagrecimento que incluía o incentivo a comer menos calorias e a aumentar a intensidade dos exercícios, com o objetivo de perder 450 gramas por semana. E os resultados indicaram que aquelas que perderam cerca de 680g por semana no primeiro mês tinham maior probabilidade de manter o peso em longo prazo, comparadas àquelas que perderam menos peso.

De acordo com os autores, as mulheres com rápida perda de peso no primeiro mês eram cinco vezes mais propensas a manter 10% da perda de peso em 18 meses, contrariando as crenças de que uma perda gradual aumentaria as chances de sucesso no tratamento. Porém, mais estudos são necessários para confirmação dos resultados e para desvendar suas razões.

 

Fonte:  http://blogboasaude.zip.net/

Viver em regiões de tráfego intenso pode engordar, sugere pesquisa

acidentes_automoveis Pessoas que vivem em locais onde o tráfego de veículos é classificado como incômodo ou perigoso podem ter maior risco de se tornarem obesas, segundo recente estudo da Universidade de Alberta, no Canadá. Avaliando dados de 822 pessoas entrevistadas por telefone, os pesquisadores descobriram que “quanto mais as pessoas percebiam que tráfego era um problema em sua vizinhança, mais propensas elas eram a ter maior IMC” (índice de massa corporal), indicando obesidade.

De acordo com os autores, os resultados não comprovam que pessoas que vivem próximo a vias com maior movimento de carros são menos fisicamente ativas, mas apontam para a necessidade de uma avaliação mais profunda da “caminhabilidade” - incluindo fatores como densidade e diversidade da vizinhança, além de desenho das vias - nas zonas urbanas, para a construção de vizinhanças mais seguras para os pedestres e visando o desenvolvimento de abordagens que incentivem as pessoas a se exercitarem mais.

leia mais sobre a notícia no MNT (em inglês)

 

Fonte:  http://blogboasaude.zip.net/

Coma abóbora e turbine a dieta

 

abobora-dieta-ana-maria-697

Com 90% da polpa feita de água, a abóbora tem poucas calorias, mas vitaminas suficientes para ajudar você a comer bem sem engordar

Faça um pedido que parece impossível: comer algo gostoso, que vai bem em vários pratos, e não engorda. A abóbora atende seu desejo!

Ela é tão pouco calórica que 100 g da polpa cozida têm apenas 20 calorias. Além disso, o fruto da aboboreira, conhecido também como jerimum no Norte e no Nordeste, é muito saudável. Rico em minerais e vitaminas, tem betacaroteno, que diminui o risco de câncer e doenças cardíacas. Por tudo isso, trata-se de um ingrediente indispensável numa dieta equilibrada.

Da abóbora tudo se aproveita

abobora-dieta-ana-maria-2-6Veja como cada pedacinho do vegetal pode ser utilizado na culinária:

- Polpa
Dá sabor a pratos doces e salgados, como sopas, compotas e quibebes. A combinação com carne-seca é de dar água na boca. Você pode usá-la também em massas (veja a receita de nhoque na pág. ao lado) e panquecas. 
- Flores
Refogadas e à milanesa, até elas são comestíveis! Experimente adicioná-las à omelete. O gostinho das flores faz toda a diferença. 
- Brotos
Chamados de cambuquira, incrementam os ensopados e são servidos como acompanhamento de vários pratos assados. 
- Casca
Cozida, empresta um gostinho especial ao arroz, à farofa e à carne moída. 
- Sementes
Basta torrá-las por cerca de 12 minutos para que elas se transformem num saudável aperitivo.

 

Saiba em que pratos os 8 tipos de abóbora vão bem

abobora-55

Estas são as principais variedades, entre as mais de 100 existentes.

Japonesa (ou cabotiã)
Mais consistente e menos úmida, a polpa é ideal para preparar pratos salgados, como sopas e refogados.
Espaguete (ou gília)
Cozida, a polpa se separa da casca em longos fios, como espaguete. É ingrediente para pratos salgados, como molhos para massas e refogados com carne-seca.
Italiana
Conhecida como abobrinha, fica ótima refogada, recheada ou grelhada.
Menina brasileira (ou abóbora de pescoço)
É a mais comum e a maior de todas. Chega a pesar 15 kg. Pode ser consumida crua, ralada fininha ou em saladas.
Paulista
É muito parecida com a abóbora de pescoço (acima), só que menor. É boa para sopas, refogados e doces variados.
Moranga
A polpa é usada em refogados e sopas. Misture com carne-seca, frango ou camarão.
Do campo
O formato é o de uma pera. Adocicada, a polpa serve para fazer pães, doces e bolos.
Brasileirinha
Tem a casca verde e amarela, de onde vem seu nome popular. Ótima para refogados.

Benefícios à sáude

- Evita doenças
A abóbora é rica em betacaroteno, substância que previne contra câncer, derrame, catarata e doenças do coração. 
- Equilibra o colesterol
As fibras e a água ajudam a eliminar gorduras e regulam o intestino. 
- Tem minerais essenciais
As sementes da abóbora são fonte de ferro, zinco, fósforo, potássio e magnésio. 
- Revigora a pele
Possui vitamina B3, que estimula a formação do colágeno e evita problemas de digestão.

 

Fonte: Conteúdo do site ANAMARIA

 

lliella_FFlavors_pie1

Livro de receitas: 5 ingredientes - Vigilantes do Peso

 

livro-5ingredientes-grande

76 receitas de carnes, aves, massas e sobremesas deliciosas e muito fáceis de fazer, porque utilizam um número mínimo de ingredientes: apenas 5.


Tamanho: 2.7 mb
Formato: PDF

btn_download_blue

 

Fonte: site 4shared

O suco ou a fruta?

 

suco_blog2

Comer uma fruta, tomar um suco… dá tudo na mesma, né? Nada disso. Na hora das refeições a escolha pode fazer a maior diferença: a bebida, por utilizar no mínimo três porções de fruta, pode atrapalhar a dieta se for consumida junto com arroz e feijão (menu predileto de nove em cada 10 brasileiros). É muito carboidrato de uma vez só!

Portanto, na hora da refeição, opte por uma porção de fruta. De preferência, as cítricas: abacaxi, maracujá, acerola, limão e morango. Além de não atrapalharem o processo digestivo, elas contêm vitamina C, que melhora a absorção de ferro.

 

Fonte: Blog Zen Estresse

Combinações perigosas para sua dieta

Pão e leite, arroz e batata... Juntos, eles podem ser um crime contra a boa forma. Combine direitinho o que vai comer e perca até 2 kg por semana

Suco ou fruta na refeição

sucos2 As carnes e as massas são absorvidas pelo estômago. Já as frutas são processadas no intestino - e sofrem a ação do calor, das enzimas e de uma quantidade maior de ácidos. Por isso, fermentam facilmente.
Solução - Consuma suco ou fruta no lanche. É o ideal para não atrapalhar a digestão da refeição anterior e aproveitar as vitaminas, as fibras e os minerais desses alimentos.

Doce na sobremesa

sobremesa A digestão do doce pode atrapalhar - e muito! - a digestão dos alimentos salgados da refeição. Resultados: fermentação, toxinas, metabolismo lento e inchaço.
Solução - Assim como a fruta, o doce pode ser um bom lanchinho!

Cerveja ou vinho com comida

cerveja-vinho No calorzinho do estômago, as bebidas fermentadas passam por outro processo de fermentação. Isso atrasa a digestão, dobra o número de calorias dos alimentos e aumenta a produção de toxinas.
Solução - Não precisa eliminar o seu chopinho: basta tomá-lo separado das refeições e com água. Aliás, beber água entre as refeições elimina as toxinas e ajuda a perder peso.

Leite com outros alimentos

leite O leite fermenta com facilidade. Isso prejudica a digestão de outros alimentos, principalmente frutas e pães.
Solução - Quem tem intolerância à lactose deve trocar o leite pelos derivados, como queijo e iogurte. Se não é seu caso, tome um copo de leite no lanche ou na ceia, sem acompanhamento ou com 1 colher (chá) de achocolatado light.

 

Sobrepor refeições

Qualquer alimento que encontrar outro no estômago fermenta. Assim, o estômago pode aumentar, passando a armazenar quantidades maiores de comida. Desse jeito, você vai precisar comer mais para se sentir satisfeita.
Solução - Mantenha intervalos. Por exemplo: café da manhã às 7h; lanche da manhã às 9h; almoço às 13h; lanche da tarde às 17h; jantar às 19h e ceia às 21h.

Dois carboidratos na mesma refeição

batata-frango-ana-maria-653 Qualquer excesso desse nutriente vira gordura, além de prejudicar a digestão.
Solução - Opte por apenas uma porção em cada refeição (ou come o arroz, ou a batata).

 

Bebida em excesso durante a refeição

bebidas Dilui o suco gástrico e prolonga a digestão. Os refrigerantes produzem toxinas.
Solução - Tome 200 ml de água nas refeições. Evite refrigerante (mesmo light), pois ele contém muito gás e ajuda a aumentar o estômago.

 

Fonte: Conteúdo do site ANAMARIA

 

lliella_FFlavors_knot1

Mamãe nutrida - Dicas de alimentação para você ter uma gravidez saudável

 

gravidez

 

Mulheres com uma nutrição adequada durante a gravidez têm menos risco de complicações e dão à luz bebês maiores e mais saudáveis. Por isso, o Bem Leve dá dicas nutricionais para as futuras mamães terem uma gravidez saudável. Anote!

As gestantes devem consumir alimentos ricos em ferro como carnes vermelhas, fígado, peixes, feijões, beterraba, quiabo e hortaliças folhosas a fim de melhorar ou evitar a anemia.

É importante consumir fontes de ácido fólico, uma vitamina do complexo B que auxilia na formação do material genético de cada célula. Sua deficiência pode causar mal-formações no feto. Fontes: hortaliças folhosas verdes, leguminosas (feijão, ervilha, soja, lentilha), frutas cítricas (laranja, limão, caju, goiaba, morango, acerola, umbu), iogurte, cereais integrais (pão, arroz, macarrão, biscoitos, farelo de trigo).

As mulheres grávidas precisam de cálcio extra, principalmente no terceiro trimestre, quando os ossos do bebê estão endurecendo e os dentes estão se formando. Além disso, o corpo está estocando cálcio para a produção de leite. Além disso, a ingestão adequada de cálcio pode evitar câimbra nas pernas, cáries dentárias e pressão alta. Fontes: leite e derivados, folhosos verdes, feijões, aveia, abóbora, peixes etc.

Para evitar a obstipação (prisão de ventre) é importante comer alimentos ricos em fibra, como: folhosos, frutas com casca ou bagaço, vegetais crus, entre outros. Não esquecer a água (de oito a 10 copos por dia).

Procure evitar frituras e alimentos gordurosos, pois são de difícil digestão. Prefira óleos vegetais como os de soja, milho, girassol, canola, oliva etc.

Alimentos ricos em potássio (mamão, banana, maracujá, tomate, beterraba, folhosos, feijão etc) devem ser ingeridos para controle da pressão arterial, caso a mamãe não tenha problema renal.

Não coma grandes volumes de alimentos de uma só vez para não ter má digestão. É importante fazer todas as refeições, inclusive os lanches, estabelecendo um horário para cada uma. Mas lembre-se: a gestante não deve comer por dois!

Para evitar o mal-estar matinal que é comum até o terceiro mês, procure manter bolacha de água e sal ou torradas na mesa de cabeceira para comer pela manhã, antes de se levantar. Experimente também alimentos gelados e evite alimentos gordurosos e muito condimentados.

Se tiver azia, evite deitar imediatamente após comer. Mantenha a posição sentada. Espere de uma a duas horas e, então, deite do lado direito para ajudar o seu estômago a esvaziar.
A mulher grávida deve evitar o álcool completamente, pois o seu excesso está relacionado a deficiências mentais, retardo no crescimento e anormalidades comportamentais nos bebês.


Fonte: http://bemleve.com.br

*Luana Stoduto é nutricionista, formada pela Unigranrio e especialista em Administração de Serviços de Alimentação pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ).

 

lliella_FFlavors_flower1a

domingo, 9 de maio de 2010

Para todas as mães!

 

 

Ser mãe é uma escola.
                         Ser mãe é aprender a amar e ensinar a viver.
                          É aprender a sonhar e ensinar a realizar.
                    É aprender a educar e ensinar a ser feliz.
                                É ser a cada dia uma pessoa melhor.
                        Ser mãe é a melhor aula que a vida pode dar...

 

valeriavalente_maes23

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Culinária Light - Muffin integral de baunilha

 

muffinbaunilha

1 porção = 42 g (1 unid.)
número de porções = 6

Valor nutricional e calórico
por porção

calorias = 208 kcal
carboidratos = 14.88 g
proteínas = 2.56 g
lipídios = 15.36 g

Ingredientes


- 1 ovo
- 1/4 xícara (chá) de açúcar mascavo
- 1/3 xícara (chá) de óleo de canola
- 1 colher (chá) de essência de baunilha
- 1/4 xícara (chá) de farinha de trigo
- 1/4 xícara (chá) de farinha de trigo integral
- 1/2 xícara (chá) de aveia em flocos
- 2 colheres (chá) de fermento químico em pó
- canela em pó a gosto
- 1/4 colher (chá) de sal
- 1/2 colher (chá) de bicarbonato de sódio

Modo de Preparo


Coloque na batedeira o ovo, o açúcar, o óleo e a baunilha. Bata bem até misturar.
Em um recipiente coloque a farinha de trigo, a farinha integral, o fermento, a aveia e o bicarbonato. Misture os ingredientes secos e logo em seguida incorpore delicadamente ao líquido que foi batido. Logo depois coloque nas forminhas para muffins e leve ao forno a 180º C para assar. Enfeite com açúcar mascavo.

 

 

Bom apetite1

Culinária Light - Torta de Peito de Peru e Cottage

 

torta_peru

1 porção = 90 g (1 fatia média)
número de porções = 10

Valor nutricional e calórico
por porção

calorias = 125 kcal
carboidratos = 13.8 g
proteínas = 7.7 g
lipídios = 4.3 g

Ingredientes

Massa
- 3 colheres (sopa) de margarina light
- 1 clara de ovo
- 1 1/2 xícara (chá) de farinha de trigo
- 1 colher (chá) de salsinha picada
- sal a gosto

Recheio
- 100 g de peito de peru defumado picado
- 1 xícara (chá) de leite desnatado
- 2 ovos inteiros
- 100 g de queijo cottage
- 1 colher (sopa) de queijo ralado
- 1 colher (sobremesa) de salsinha picada
- sal e pimenta-do-reino a gosto
- 1 cebola média cortada em rodelas

Modo de Preparo

Para a massa: Misture os ingredientes da massa até formar uma massa firme. Reserve. Forre o fundo e os lados de uma fôrma refratária.

Para o recheio: Coloque sobre a massa o peito de peru. Bata o restante dos ingredientes no liquidificador, exceto a cebola e o queijo ralado. Coloque por cima do peito de peru. A seguir espalhe a cebola e o queijo ralado e leve para assar.

 

Bom apetite1

Termogênicos - Alimentos que te ajudam a emagrecer!

Os alimentos termogênicos são aqueles que quando passam pelo processo de digestão geram um gasto maior de energia, devido as suas propriedades, e por isso aceleram o metabolismo e de certa forma contribuem com o emagrecimento. Porém é importante deixar claro que só consumir estes alimentos não vai adiantar, é preciso antes de mais nada ter uma alimentação adequada e praticar exercícios físicos.

 
 

A seguir vou comentar um pouco sobre alguns alimentos considerados termogênicos que você poderá incluir em seu cardápio para dar uma forcinha no processo de emagrecimento.

Não existe uma recomendação estabelecida sobre a quantidade a ser ingerida desses alimentos, são apenas indicações. Outra coisa importante a ressaltar é que o consumo desses alimentos só deve acontecer se você não tiver nenhuma restrição médica.

 
Pimenta
A pimenta vermelha (caiena) possui uma substância chamada capsiacina que de acordo com um estudo realizado, mostrou que o consumo frequente (3g por dia) pode aumentar o metabolismo em até 20%. Você pode utilizar essa quantidade para temperar salada e outros pratos.

“A ingestão exagerada destes alimentos pode ser prejudicial. Por isso é sempre importante consultar um nutricionista, que irá elaborar um cardápio individualizado, propondo a quantidade adequada de alimentos termogênicos que você poderá consumir.”

Chá verde
O chá verde possui muitos benefícios ao organismo, entre eles a prevenção de doenças e colabora com bom funcionamento do trânsito intestinal, além de acelerar o funcionamento do metabolismo. Comece com 1 xícara de chá de cinco a dez minutos antes das refeições.


Gengibre
Assim como a pimenta, se for consumido frequentemente também pode aumentar 20% o metabolismo. Você pode mastigar um pedacinho por dia ou preparar um chá ou ainda incluir em sucos. O gengibre também é muito utilizado para enjôo.

Água gelada
Beber de 8 a 10 copos de água gelada por dia queima cerca de 200 calorias, pois é preciso elevar a temperatura da água gelada no organismo e isso gera uma energia maior.

Canela
A canela melhora o sistema imunológico e também tem poder termogênico. Você pode colocar uma pitada de canela no café ou em frutas. Por exemplo, que tal uma banana ou maçã no microondas com gotinhas de adoçante e canela?

É bom esclarecer que a ingestão exagerada destes alimentos pode ser prejudicial. Por isso é sempre importante consultar um nutricionista, que irá elaborar um cardápio individualizado, propondo a quantidade adequada de alimentos termogênicos que você poderá consumir.

 

Fonte: Coluna assinada por Roberta dos Santos Silva,
Nutricionista-chefe do programa Cyber Diet.

http://cyberdiet.terra.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...