terça-feira, 13 de setembro de 2011

Emagreci. E agora?

apos-dieta

Saiba a importância de continuar a cultivar hábitos da sua reeducação alimentar!

 

Ao longo do processo de emagrecimento temos que nos atentar a uma série de recomendações e segui-las com comprometimento e consciência para que os resultados sejam atingidos de maneira satisfatória. E quando essa meta for atingida? Será que as orientações não serão mais necessárias?

A paulista Mara Pintor, que participou do Programa Emagrecendo e emagreceu quase 14kg, ressalta a importância de não deixar de lado tudo aquilo que se aprende sobre reeducação alimentar, mesmo após ter atingido a meta: “Não quero deixar a impressão que tudo caiu do céu. Foi um trabalho continuo e tudo contribuiu para que tivesse um bom resultado, mas fazer uma reeducação alimentar exige tempo e aprendizado. Não é do dia para a noite que tudo acontece, porém tem que começar um dia e depois que se aprende, parece que tudo funciona melhor.
Isso quem diz é seu corpo, você passa a ter maior disposição, o intestino trabalha melhor. O grande dia foi maravilhoso e inesquecível. Adotei este estilo de vida e pretendo continuar assim se Deus me permitir, quero ter filhos e poder ensinar-lhes tudo corretamente”.

Quando o organismo cumpre o seu ciclo bioquímico adequadamente, o corpo não fica nem gordo nem magro demais, isso porque os neurotransmissores equilibram os mensageiros responsáveis pelo controle da saciedade. A pessoa que sofre de compulsão alimentar não consegue encontrar o limite, importando-se apenas com as sensações de prazer imediatas que provém da alimentação descontrolada.

Comendo o que se quer, na hora em que se quer e na quantidade que se quer, o organismo acaba se desestabilizando, sem normas. De acordo com especialistas, situações negativas, ansiedade, raiva, estresse e a depressão contribuem para acelerar comportamento de compulsão e isso pode ser "descarregado" em situações do dia a dia, como fazer compras ou até no momento das refeições.


"É importante o processo de sequência da reeducação alimentar e continuar com os bons hábitos adquiridos juntamente com o acompanhamento nutricional"

 

O chamado “efeito sanfona” pode ser ocasionado também por essa característica, é o que explica o Mestre e Doutor em Psiquiatria, Arthur Kaufman: "Não é fácil a decisão de iniciar um regime. Prova é que normalmente começam na segunda-feira, o dia mais difícil da semana. A pessoa obesa ou com sobrepeso começa com carga total: exercícios e restrição alimentar. Ela, porém, frequentemente, faz isso de forma compulsiva, da mesma forma que antes comia de forma compulsiva. Ou seja, como não houve nenhuma abordagem psicoterápica para procurar resolver os problemas emocionais que levam à ingestão excessiva, a compulsão não foi tratada, ela apenas mudou de objeto. À medida que vai obtendo sucesso e emagrecendo, ela começa a dar menos importância ao rígido regime a que se propôs, e aos poucos vai relaxando tanto a freqüência à ginástica quanto a restrição alimentar: começa a se conceder “prêmios” (em salgados calóricos e doces) como compensação ao excesso de trabalho, às brigas com o chefe, às desavenças sentimentais, etc. E lentamente vai voltando o antigo padrão de comer em excesso e/ou comer alimentos incompatíveis com o regime proposto, além da alegada “falta de tempo” para prosseguir nas atividades físicas. Algum tempo depois, então, tudo começa novamente, parece que não houve nenhum aprendizado com o erro anterior. É este emagrece-engorda intermitente que caracteriza o chamado efeito sanfona”.

A nutricionista Daniela Carvalho ressalta a importância de seguir as orientações adequadas e manter os hábitos alimentares que vão de acordo com a qualidade nutricional, mesmo depois da pessoa já ter atingido a meta: “Após a redução de peso conquistada, o organismo se adapta à quantidade de calorias e tipos de alimentos consumidos durante o processo de emagrecimento (consumo de frutas, verduras, legumes, peixes, integrais, entre outros) e entra em harmonia. Caso ocorra um consumo maior de calorias e ingestão de alimentos que tinham sido descartados do dia a dia, essas calorias em excesso irão ser armazenadas na forma de gordura corporal e o individuo voltará a ganhar peso, fazendo com que o corpo entre em “desarmonia”. Por isso é tão importante o processo de sequência dessa reeducação alimentar e que o individuo continue com os bons hábitos adquiridos juntamente com o acompanhamento nutricional.

Fonte: Por Dionisio Alexandrini Neto

http://www.emex.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...