terça-feira, 4 de outubro de 2011

Os Segredos da Cozinha Vegetariana

 

veg1

 

A dieta vegetariana tem conquistado um número cada vez maior de adeptos e, indepententemente de ter surgido de um modismo e de configurar ainda hoje uma culinária alternativa é, sem dúvida uma opção saudável e saborosa baseada na exclusão de alimentos de origem animal.

Muito associada a uma alimentação sem graça, a cozinha vegetariana pode revelar verdadeiras surpresas na combinação de grãos, cereais, farináceos, ervas, verduras, legumes e frutas frescas e a soja; além de trazer benefícios à saúde.

Contudo, quem segue este tipo de dieta deve tomar muito cuidado substituindo os nutrientes de que se priva ao não comer carne.

A alternativa vegetariana

veg2 O Vegetarianismo surgiu nos anos 60 e, embalado com o movimento hippie, virou moda.

A palavra vegetariano, criado pelos fundadores da sociedade Vegetariana Britânica em 1842, vem do termo latim vegetus, significa "inteiro, sadio, vivaz", como em homo vegetus, que é uma pessoa mentalmente e fisicamente vigorosa. O significado original da palavra implica uma sensação filosófica e moral equilibrada de vida, muito mais do que uma dieta de legumes e frutas.

A dieta vegetariana baseia-se, primariamente, à exclusão de alimentos de origem animal do cardápio, utilizando-se de muitos grãos, cereais, farináceos, ervas, verduras, legumes e frutas frescas e a soja. Mas o termo "vegetariano" é usado com bastante imprecisão. Algumas pessoas autodenominam-se vegetarianos (ou semi-vegetarianos) por não comerem carne vermelha, embora ainda comam peixe ou frango.

Necessitamos 7 vezes mais terra para a criação de gado do que para o cultivo de vegetais. Os vegetarianos convictos dizem, então, que se todos comessem carne, haveria falta e terra para tal; não havendo espaço para o crescimento populacional.

As dietas vegetarianas, em geral, têm alcançado grande popularidade devido as atuais preocupações fisiológicas, religiosas, ecológicas e ao fato de ser considerada um estilo de vida mais saudável.

Dados epidemiológicos comprovam que uma dieta vegetariana associada a exercícios reguladores, promoveu uma diminuição nos casos de diabetes tipo II, câncer de cólon e de mama; doença cardiovascular e da vesícula biliar.

Não há o que negar: a alimentação vegetariana é leve e natural, mas exige cuidados já que tende a ter uma menor quantidade de ferro que as onívoras (dietas que contêm carnes).

Para que a deficiência não ocorra, há o cuidado de se acrescentar fontes de vitamina C (frutas cítricas, por exemplo) para melhorar a absorção de ferro pelo organismo.

Veja quais são os alimentos chave da dieta

  • Lentilha: ricas em proteínas, fibra, vitamina B, potássio, magnésio e zinco.
  • Flocos de aveia: contêm proteínas, tiamina, ferro, fibra e hidratos de carbono.
  • Sementes de gergelim: são ricas em cálcio e contêm vitamina E, magnésio, fósforo e zinco.
  • Leite, iogurte e queijo: contêm cálcio, fósforo, proteínas e vitamina A ( o leite e o iogurte retêm vitaminas do complexo B que se eliminam na elaboração de queijos)
  • Soja: contêm a proteína da melhor qualidade das leguminosas, algumas vitaminas do complexo B, gorduras polinsaturadas e fibra. Muito usada sob a forma de tofu (queijo à base de leite de soja) e carne de soja.

 

Considerações

veg3 Felizmente, não é preciso tornar-se vegetariano fanático para usufruir todos esses benefícios, basta diminuir o consumo de carnes gordurosas e aumentar o de vegetais e frutas. Assim, você manterá o excesso de gordura e colesterol fora da dieta e diminui o risco de doenças cardíacas, câncer intestinal, diabetes, hipertensão, hipercolesterolemia (colesterol elevado no sangue) e obesidade.

Tipos de vegetarianismo

  • Lactovegetariano: não consome carne bovina, suína, aves e peixes. Apenas leite e produtos lácteos;
  • Lacto-ovo-vegetariano: consomem leite, produtos lácteos e ovos, podendo apresentar uma alta taxa de colesterol;
  • Vegetariano estrito ou verdadeiro: não consomem nenhum alimento de origem animal. Este grupo é o único que apresenta risco real de deficiência de nutrientes, tendo que ser realizado um planejamento cuidado por um nutricionista;
  • Vegas: além de estritos, não utilizam roupas nem acessórios de origem animal, criando um estilo de vida vegetariano.
Adaptar-se ou não a essa alternativa?

Desvantagens

  • Sem leite e/ou produtos lácteos, o organismo pode ficar deficiente em cálcio e vitamina D, importantes para a construção e manutenção dos ossos e dentes.
  • Os vegetarianos restritos, a longo prazo, podem desenvolver anemia megaloblástica (deficiência de vitamina B12), encontrada apenas em alimentos de origem animal e é essencial para o sangue e células nervosoas.
  • A falta da proteína em si prejudica o bom funcionamento das células, além da falta de minerais, que são indispensáveis para a saúde do tecido.

Vantagens

  • Auxiliam na perda de peso, já que diminuem a ingestão de gorduras.
  • A ingestão de grande quantidade de fibra auxilia no bom funcionamento do intestino, diminuindo a prisão de ventre. O organismo deixa de acumular toxinas, já que diminuem o consumo de alimentos industrializados.

 

Nas Receitas

Dica: para intensificar o sabor incomparável de produtos frescos, utilize especiarias e condimentos, como manjericão, cebolinha, gengibre, alho, entre outros.

 

Fonte: http://www.cliqueagosto.com.br

 

10371538-healthy-eating

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...