quinta-feira, 30 de junho de 2011

Novos heróis da dieta

Os minerais ajudam a equilibrar o metabolismo e evitam o acúmulo de gordura

 

212-alimentos-minerais

 

A importância dos minerais na sua dieta

Eles são importantíssimos para o corpo ­ não há dúvidas nem novidade nisso. A notícia é que, de uns anos para cá, os minerais viraram os deuses da saúde no pódio dos especialistas. Eles, que sempre viveram à sombra das vitaminas, depois da consagração da medicina ortomolecular — aquela que aposta tudo na turma dos micronutrientes (vitaminas, aminoácidos e minerais) para estabelecer o equilíbrio bioquímico das células —, subiram na vida. Hoje, são reconhecidos como básicos para evitar a perda de vitalidade, o envelhecimento precoce, o aparecimento de doenças e o excesso de peso. Sim, os minerais também ajudam a combater as gordurinhas extras. Como eles fazem isso é o que você vai descobrir agora.

Assim como as vitaminas, os minerais são substâncias orgânicas que participam de várias funções no nosso corpo. Uma delas é regular o metabolismo. “Os problemas metabólicos podem ser uma das causas do excesso de peso”, explica Sylvana Braga, reumatologista do Hospital das Clínicas de São Paulo com especialização em medicina ortomolecular. “Para que se possa fazer essa correção, favorecendo o efeito da dieta, a presença dos minerais é imprescindível”, completa. Isso significa que, independentemente de você se exercitar e ter uma alimentação saudável, quando faltam determinados minerais o metabolismo fica mais lento.

Os heróis que mais trabalham para a retomada do ritmo certo são o cromo, o selênio, o magnésio, o potássio, o zinco e o vanádio. Eles também participam da digestão dos carboidratos, das proteínas e das gorduras. “Sem eles, o hormônio insulina também não consegue agir direito, o que complica o transporte do açúcar para dentro das células”, diz a nutricionista Lisnia de Paula Marinelle, de São Paulo. Ou seja, o açúcar que sobra circulando no organismo é transformado em gordura e armazenado, como todo excesso, onde a gente menos deseja: nas coxas, nos culotes e na barriga.

Outro vilão do corpo enxuto são os metais tóxicos. Quando transitam pelo organismo além da dose suportável, eles também contribuem para somar pontos na balança. O chumbo, por exemplo, deixa o metabolismo lento e causa depressão. E depressão, já viu, faz até a garota mais controlada do mundo comer mais, principalmente carboidratos. Os minerais têm o poder de se ligar a essas substâncias malignas e expulsá-las do organismo pela urina.

Mas, alto lá: nada de partir para uma megadose, deixando por conta dos minerais a tarefa de secar esse corpinho. Sozinhos, eles não emagrecem ninguém. “A perda e a manutenção do peso dependem de uma série de fatores, como mudar os hábitos alimentares, moderar nas porções e fazer exercícios”, ressalta Lisnia. Portanto, atenção: encare os minerais como coadjuvantes no projeto corpo magro. Se você gostou da idéia e ficou tentada a partir para um programa de automedicação, cuidado: em excesso, os minerais podem até fazer mal. O melhor caminho, aliás, é arquitetar cardápios que já contenham a sua cota de minerais suplementação, só com a bênção do seu médico. E onde é que os minerais moram? As fontes são mais restritas que as das vitaminas, mas uma dieta variada consegue fornecer a quantidade necessária. O mapa da mina você vai ver a seguir.

 

Cuidado com a overdose

Excesso de comida industrializada, stress e poluição podem prejudicar o fornecimento e a absorção dos minerais. É por isso que alguns médicos, especialmente os que seguem a linha ortomolecular, defendem a necessidade de suplementação. Mas fique esperta: qualquer nutriente ingerido acima das necessidades recomendadas se torna um medicamento. Isso quer dizer que as pílulas concentradas em minerais não devem ser consumidas sem a prescrição e o acompanhamento médico. Se a carência é ruim, o excesso não fica atrás. “Doses altas de um determinado mineral pode ser tóxico ao organismo, causando vários efeitos colaterais, como náusea, tontura e dores abdominais”, alerta Lisnia. Só um mineralograma, feito a partir da análise do fio de cabelo ou do sangue, pode apontar a necessidade de reposição dessas substâncias. “Se a deficiência for grave, difícil de ser corrigida apenas com mudanças na alimentação, os suplementos são prescritos temporariamente”, diz Sylvana Braga.

O que você deve colocar no prato

Só não vale exagerar na quantidade — junto com os micronutrientes vêm as calorias, bastante altas em algumas opções. O segredo é variar ao máximo as suas escolhas, além de seguir as quantidades sugeridas pela médica ortomolecular Sylvana Braga

Potássio
É essencial em muitas funções do organismo. Participa da síntese da proteína, por exemplo: se a proteína não é bem digerida, acaba virando estoque de gordura. Sua carência provoca retenção de líquido. O uso de diuréticos pode ocasionar perda de potássio. É um dos minerais mais facilmente encontrados nos alimentos. Necessidade diária para uma mulher adulta saudável: cerca de 600 microgramas. Principal fonte: limão (1 unidade). Outras opções: 1 copo (200 ml) de água-de-coco, 1 laranja, 1 colher (sopa) de amendoim, 1 banana-prata ou maçã, 1 colher (sopa) abacate, 1 prato (sobremesa) de espinafre, 3 buquês de couve-flor, 2 colheres (sopa) de feijão, 1 colher (sopa) de cebola, 1 colher (sopa) de uva passa, 1 copo (200 ml) de leite desnatado, 1/2 batata média.

Zinco
Ele tem papel regulador na ação da insulina, evitando o acúmulo de gordura abdominal. Também ajuda a manter o equilíbrio na produção dos hormônios da tireóide e contribui para a digestão das gorduras. O zinco é, ainda, capaz de melhorar o paladar, reduzindo o consumo de alimentos muito doces ou salgados. Necessidade diária para uma mulher adulta saudável: cerca de 10 miligramas. Principal fonte: ostra (1 unidade). Outras opções: 1 caranguejo, 2 colheres (sopa) de lula, 1 fatia pequena de pão de centeio, 2 colheres (sopa) de massa integral, 4 metades de nozes, 1 colher (sopa) de pistache, 3 amêndoas.

Vanádio
Ajuda na digestão da gordura, na absorção do cálcio e no metabolismo da insulina. A carência causa um desequilíbrio nos níveis de açúcar no sangue, aumentando a produção de insulina e os estoques de gordura. Ansiedade e depressão tendem a diminuir a concentração de vanádio no organismo. Necessidade diária para uma mulher adulta saudável: cerca de 200 microgramas. Principal fonte: ervilha (1 colher de sopa). Outras opções: 1 ostra, 1 colher (sopa) de salsa, 1 fatia de pão integral, 1 gema, 1 colher (chá) de pimenta vermelha.

Selênio
Esse mineral participa da síntese do iodo, que, por sua vez, é responsável pela produção do T4 (tirosina) e T3 (triiodotironina) ­ hormônios da tireóide que regulam o ganho e a perda de peso. O selênio ainda melhora o funcionamento das papilas gustativas, aguçando o paladar. Isso ajuda você a sentir melhor o gosto do doce e portanto aplacar a necessidade de mais e mais açúcar, diminuindo as calorias diárias. Necessidade diária para uma mulher adulta saudável: cerca de 200 microgramas. Principal fonte: castanha-do-pará (2 unidades). Outras opções: 1 ostra, 2 colheres (sopa) de lula, 6 camarões, 2 colheres (sobremesa) de farelo de trigo, 1 colher (sopa) de champignon.

Magnésio
Também atua no metabolismo dos carboidratos, das proteínas e das gorduras, além de ser fundamental na conversão de um aminoácido, o triptofano, em serotonina, evitando ataques a beliscos. O consumo excessivo de açúcar branco tende a reduzir os níveis de magnésio no sangue. Necessidade diária para uma mulher adulta saudável: cerca de 750 miligramas. Principal fonte: castanha de caju (1 colher de sopa). Outras opções: 2 colheres (sopa) de lula, 1 prato (sobremesa) de marisco, 1 fatia média de tofu, 1 copo (200 ml) de leite de soja, 1 colher (sopa) de cebola, 1 filé pequeno de peito de frango, 1 colher (sopa) de gérmen de trigo, 1 prato (sobremesa) de espinafre, 1 prato (sobremesa) de folhas verdes, 1 fatia de pão integral, 1 filé pequeno de linguado.

Cromo
O cromo participa da digestão dos carboidratos e das gorduras, evitando estoques na região do abdômen. Esse mineral estimula o organismo a produzir uma quantidade maior de serotonina (substância responsável pela sensação de bem-estar), deixando você mais resistente aos doces e a outros carboidratos. Gravidez, stress e o consumo excessivo de açúcar refinado diminuem os níveis desse mineral no organismo. Necessidade diária para uma mulher adulta saudável: cerca de 200 microgramas. Principal fonte: aveia em flocos (2 colheres de sopa). Outras opções: 3 amêndoas, 2 avelãs, 1 castanha-do-pará, 1 figo seco, 1 fatia de pão integral, 6 mariscos, 1 bife pequeno de fígado, 2 colheres (sopa) de lula, 1 fatia fina de queijo branco.

 

http://boaforma.abril.com.br

terça-feira, 28 de junho de 2011

Nova sopa de legumes dos Vigilantes do Peso

sopa-legumes-vigilantes-peso

A nova sopa de legumes dos Vigilantes do Peso ajuda a emagrecer e ainda aquece durante o inverno. Aprenda a prepará-la e conheça algumas dicas para turbiná-la!

O inverno chegou e está difícil de seguir a dieta? O segredo é adaptá-la à estação. Quer uma dica? Aproveite os dias frios para preparar sopas nutritivas que ajudam a emagrecer. Confira abaixo uma receita especial dos Vigilantes do Peso e não descuide da boa forma.

Sopa de legumes

Rendimento: 4 porções
Valor calórico: 190 calorias por porção

Ingredientes
· ½ xíc. (chá) de nabo
· 1 xíc. (chá) de cenoura
· 1 xíc. (chá) de abobrinha
· 1 xíc. (chá) de brócolis
· 6 xíc. (chá) de água
· 2 col. (chá) de azeite
· ½ xíc. (chá) de cebola roxa picada fina
· 2 sachês de caldo de legumes com 0% de gordura
· 1 xíc. (chá) de macarrão integral (penne ou parafuso)
· Salsinha fresca picada, a gosto, para decorar

Modo de preparo
Pique o nabo, a cenoura, a abobrinha e o brócolis em cubos pequenos e reserve. Ferva as seis xícaras de água enquanto dá continuidade ao preparo dos outros ingredientes. Em uma panela com capacidade para 4 litros, aqueça o azeite e refogue a cebola roxa. Junte o caldo de legumes, acrescente a água fervente e deixe cozinhar por 20 minutos, em fogo baixo. Adicione o macarrão e mantenha a sopa no fogo mais 12 minutos. Desligue, decore os pratos com a salsinha fresca e sirva.

Dicas para deixar a sopa mais poderosa

Confira os truques inteligentes que deixam suas refeições gostosas, práticas e eficientes!

Evite usar garrafas térmicas
Prefira tomar a sopa assim que terminar seu preparo. Os nutrientes se perdem se ficarem expostos à alta temperatura por muito tempo. Além disso, há risco de contaminação, já que o recipiente é difícil de limpar.
Congele a sopa em porções individuais
Se quiser preparar uma grande quantidade de sopa, congele-a em pequenas porções. Quando for consumi-la, você não precisa descongelar mais do que aquilo que pretende tomar e preserva os nutrientes.
Fique atenta à validade
Na geladeira, a sopa dura até dois dias.
Evite encher de acompanhamentos
Eles podem engordar muito! Dispense o pãozinho, os croutons, o parmesão...
Troque uma das refeições por sopa
Com essa medida, você perderá peso rapidamente. Lembre-se apenas de que a próxima refeição depois da sopa precisa ter alimentos sólidos, como saladas de folhas e legumes crus e carnes magras grelhadas.

Publicado em 27/06/2011

Por Fernanda Cury

Conteúdo do site ANAMARIA

 

Bomapetite

segunda-feira, 27 de junho de 2011

DIETA DA IDADE DA PEDRA

 

Dieta das cavernas

Há 25 anos, o americano Arthur De Vany come somente o que pode ser caçado, pescado ou colhido. Mas compra tudo no mercado da esquina

por Érika Kokay

 

Economista aposentado pela Universidade da Califórnia, Arthur De Vany, 73, tem toda pinta de nutricionista, seguindo e pregando por aí sua própria dieta. “Não caço, pesco ou planto, mas só compro alimentos que poderiam ser obtidos assim. Sou um homem das cavernas do século 21”, diz. Tudo começou em 1979, quando seu filho mais novo foi diagnosticado com diabetes, e De Vany virou um autodidata em nutrição. Descobriu que podia viver como há 40 mil anos e passou a seguir um cardápio pré-histórico, baseado em carne, frutas e vegetais. Desde 1986 ele adotou essa dieta integralmente.

Na sua casa, no interior de Utah, sempre há hortaliças, frutas de baixa caloria, carne vermelha, mariscos, nozes e azeite de oliva. Tudo o que ele e a mulher Carmela cozinham é comprado por Arthur em redes de atacado ou no supermercado da esquina (seu preferido).

A dieta não inclui restrição de calorias. Em geral, ele come três refeições por dia, mas, às vezes, se contenta com uma ou duas. Arthur ainda mantém práticas diárias de exercícios como caminhadas, corridas e malhação na academia. “É importante variar a atividade física. É assim que os selvagens predadores viviam”, afirma o troglodita.

LRSE-NODIEVOb Arthur descreve os 25 anos de sua dieta troglodita em seu livro A Nova Dieta da Evolução (Larousse), que chegou ao Brasil em maio. A publicação aborda de teorias científicas sobre alimentação a dicas de cardápios e exercícios físicos. Mas não deve ser encarada como manual médico, afinal, Arthur é economista. Ainda assim, está convicto dos benefícios de seu estilo de vida. “Os genes e o metabolismo humano são bem adaptados a essa dieta, já que nossos antepassados comeram assim por pelo menos 2 milhões de anos.”

MENU DO DIA

O cardápio de Arthur é variado: “Não tenho rotina, assim como os caçadores-coletores não tinham". Na data em que falou com a galileu, suas refeições foram:
> CAFÉ DA MANHÃ Nada. Jogou duas horas de tênis em jejum
> ALMOÇO Grande prato de salada com salmão, preparado com azeite, alho e orégano. Bebida: água. Sobremesa: laranja
> JANTAR Costelinha de porco assada, couve e pimentas vermelhas grelhadas

 

Fonte: http://revistagalileu.globo.com/

Arroz engorda?

rice

Consumido em excesso,sim. Mas, em porções moderadas, pode atéa judar a emagrecer. Sem falar que vai bem com quase tudo e, junto com o feijão, forma o par mais perfeito da dieta. Conheça os vários tipos do cereal e vá reservando espaço no prato.

A acusação injusta de que o arroz engorda  tem induzido muita gente a  cortar o grão da dieta. Coincidência ou não, as estatísticas revelam  que, nos últimos dez anos, o brasileiro  reduziu em 40% o consumo do cereal. Uma pena: nenhum outro alimento combina tão bem com o feijão – o casamento é perfeito porque os aminoácidos de um se unem aos do outro, formando uma proteína completa e ajudando a reparar os músculos. Fonte de carboidrato, o arroz ainda fornece energia, outro combustível importante para o processo de recuperação da musculatura. O segredo para você obter apenas os benefícios desse alimento é fácil de adivinhar: maneirar na porção.

rice1 Uma pesquisa da Universidade de Tufts, nos Estados Unidos, mostrou que quem tira o arroz da refeição perde um forte aliado da dieta: na versão integral, ele reduz em 27% o risco do aparecimento da gordura abdominal, a mais perigosa para o coração e difícil de ser eliminada. Esse poder, segundo os especialistas, vem dos antioxidantes e das fibras presentes no cereal. As calorias são quase as mesmas  nos diferentes tipos: cerca de 165 em uma colher de servir. Não é pouco, mas ainda assim ajuda a economizar no total da refeição. Por que isso acontece? “Quando colocamos arroz no prato, a tendência é deixarmos de lado outros carboidratos, como macarrão e batata”, diz a nutricionista Solange Brazaca, professora da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), da USP.

A ideia não é que você coma arroz todo santo dia. Mas mostrar que, se quiser, pode ir em frente – afinal, são mais de 1500 espécies no mundo! A lista disponível por aqui é menor, mas não tanto que dê para cansar o paladar. É só fazer um rodízio entre eles. “Cada tipo de arroz tem um sabor específico e pede acompanhamentos diferentes, deixando o prato colorido e criativo”, orienta o chef de cozinha
Andrew S. Bushee, educador do Culinary Institute of Brazil, em Piracicaba (SP). A concentração de nutrientes também varia. Mais um motivo para você comer um tipo a cada dia.

BRANCO

arrozbranco É o mais consumido em todo o mundo, provavelmente por ser o mais barato e prático de preparar – conhecido como arroz fast food, fica pronto em menos de 15 minutos. Oferece aminoácidos e amido
(carboidrato), mas é pobre em vitaminas e minerais – nutrientes perdidos no processo de refinamento e polimento. Se for impossível trocar de vez pelo integral, procure sempre combiná-lo com feijão ou verduras – as fibras desses alimentos ajudam a reduzir o índice glicêmico do arroz
polido e reduzem o risco de ele engordar.

Segredos de preparo: use uma panela antiaderente e aqueça bem. Refogue a cebola com pouco óleo
e acrescente o arroz lavado e escorrido. Refogue até secar sem parar de mexer e só então acrescente a água fria ou quente (2 xícaras para uma de arroz) com sal a gosto. Deixe cozinhar em fogo brando. Combina com quase tudo, com exceção de massas.

PARBOILIZADO

PARBOILIZADO Mais nutritivo que o branco, oferece uma porção maior de proteína, vitaminas e minerais, especialmente cálcio. Isso porque o grão é pré-cozido ainda com a casca, o que provoca a migração desses nutrientes para o interior dele. Outra vantagem em relação ao branco: é mais firminho, o que revela a presença de amido resistente, oferecendo menor risco à dieta. E ainda  fica mais soltinho depois de pronto.

Segredos de preparo: os mesmos do arroz branco. Vai bem na sopa e com quase todo tipo de acompanhamento.

INTEGRAL

arroz integral Mantém preservada a película que envolve o grão. Por isso, o arroz integral é rico em vitaminas B1, B6 e B5 – importantes para o sistema nervoso e a saúde dos músculos, das células e do coração. Essas vitaminas também fazem parte do metabolismo do açúcar, da proteína e da gordura. O integral ainda oferece antioxidantes (selênio, vitamina E) e mais fibras do que qualquer outro tipo – esses nutrientes promovem saciedade e melhoram o funcionamento do intestino. Percebeu a importância
desse arroz para a dieta? Entre os integrais, os mais conhecidos são o cateto (arredondado), o agulhinha (alongado) e o vermelho. Além de ser o mais macio dos integrais, este último tem ferro, zinco e um componente (monocolina) que ajuda a reduzir o coletesterol ruim.

Segredos de preparo: evite lavar – assim, ele fica mais soltinho e saboroso – e toste sem óleo antes de acrescentar a água fria ou quente (3 xícaras para uma de arroz) com sal a gosto. Na panela normal leva cerca de 40 minutos para ficar pronto.

SELVAGEM

arrozselvagem Marrom-escuro por fora e claro e macio por dentro, o grão é classificado e consumido como arroz, mas, na verdade, é uma gramínia originalmente cultivada pelos índios americanos. As propriedades nutricionais são próximas as do integral, com a diferença de ter menos carboidrato. Coloque no prato sem medo de engordar! O sabor é marcante, ficando mais suave se misturado ao arroz branco ou integral.

Segredos de preparo: coloque direto na água fria (2 xícaras para uma de arroz) com sal. Depois de ferver, cozinhe em fogo brando por 40 minutos sem tampar a panela. Pode ser servido quente ou frio, na forma de salada

PRETO

arrozpreto A cor e o sabor acastanhados desse arroz, ainda novidade no mercado brasileiro, dão ao grão um perfil gourmet. Mas vale colocá-lo no prato com frequência, pois contém uma quantidade surpreendente de compostos fenólicos – antioxidantes potentes contra o envelhecimento. Assim como o integral, oferece vitaminas do complexo B e uma boa dose de fibras e de proteína. Ou seja, tem tudo para fazer sucesso no prato de quem está em busca da boa forma.

Segredos de preparo: refogue demoradamente o arroz (sem lavar) com a cebola antes de pôr a água ( 2 1/2 xícaras para uma de arroz) quente com sal. Deixe cozinhar em fogo brando por cerca de 50 minutos. Combina com frutos do mar,  peixe e frango. Experimente misturá-lo com arroz branco (preparados separadamente) para deixar o prato mais colorido.

ARBÓREO

Arborio De origem italiana, é um grão curto, gordinho e branco. O nome soa ecológico, mas seu perfil nutricional é semelhante ao do arroz branco polido, ou seja, tem mais carboidrato do que proteína. Fibras, vitaminas e minerais também passam longe. Mas é perfeito para o preparo de risoto, pois absorve bem os temperos e, depois de cozido, fica durinho por fora e cremoso por dentro. Para baixar o índice glicêmico do grão, junte uma proteína magra (frango, peixe) e uma fonte de fibras (rúcula, abobrinha) à receita e, claro, dispense a manteiga.

Segredos de preparo: não pode ser lavado e deve ser mexido durante o preparo para soltar o amido, deixando o risoto cremoso. Acrescente a água (ou caldo de legumes, peixe ou carne) quente aos poucos, em quantidade suficiente para o grão ficar al dente.

BASMATI

BASMATI Variedade indiana, tem grão longo, que fica macio e soltinho depois de cozido, com aroma de nozes e sabor delicado. É perfeito para o preparo de paella, receita típica espanhola, e pratos apimentados, como  os indianos. Nas refeições do dia a dia, pode substituir tranquilamente o arroz branco.
Prefira a versão integral – para garantir uma dose maior de proteína e fibras – do que o basmati polido.

Segredos de preparo: no caso do basmati polido, siga o processo do branco. Na versão integral, evite lavar e toste antes de acrescentar a água (2 xícaras para uma de arroz) quente
ou fria com sal. Demora cerca de 40 minutos para ficar pronto

MOTI

arroz moti É o famoso arroz japonês. Assim como o branco polido, tem mais carboidrato do que proteína e quase nada de fibras, resultando em um grão que dispara os níveis de açúcar no sangue, o que engorda.
Mas esse “defeito” é amenizado quando ele vem acompanhado de peixe e alga – ingredientes do sushi e do temaki. Mesmo assim é bom não exagerar na quantidade. Depois de cozido, o moti também rende uma boa massa para o preparo de bolinho – mas evite, pois é frito.

Segredos de preparo: lave bem, mergulhe na água (2 xícaras para uma de arroz) com sal e deixe ferver. Abaixe o fogo e cozinhe por 15 minutos. Deixe descansar por mais 10 minutos ainda com a panela tampada e pronto.

 

 

Fonte: http://boaforma.abril.com.br/

3036basmati_rice

sábado, 25 de junho de 2011

Coloque 4 frutas poderosas na sua dieta

 

4 frutas power

Estas delícias são repletas de vitaminas, minerais e outros nutrientes – tudo de bom para a saúde

Por TaigaCazarine

Você gosta de frutas? Então, não deixe de colocar estas 4 delícias no seu cardápio do dia a dia. De acordo com o livro A Fantástica Dieta dos Sucos, da nutricionista Amanda Cross, elas são essenciais para a sua saúde. Confira!

 

melão Melão
Altamente nutritivo e diurético, funciona como desintoxicante e antibacteriano por conta do seu alto teor de potássio e de vitaminas A, C e do complexo B. Tem bastante água, por isso é um excelente reidratante.

Cherry red summer apple isolated on white Maçã
Com vitaminas do complexo B, C e E, potássio e fibras, é antioxidante, ajuda na digestão e ativa o sistema imunológico. A casca dá uma força e tanto para reduzir o colesterol do organismo devido ao alto teor de pectina.

manga Manga
É perfeita para recuperar a energia depois da malhação: tem betacaroteno, vitaminas C e do complexo B, ferro, fósforo, cálcio, potássio, magnésio e zinco.

mamão Mamão papaia
A enzima papaína ajuda a quebrar as moléculas de proteína, o que melhora a digestão. Tem betacaroteno, que possui ação antioxidante, e vitamina C.

 

Fonte: http://www.revistashape.com.br

Emagreça sem gastar muito

 

Especialistas dão dicas de alimentos saudáveis e baratos e atividades físicas sem custo. Assista à receita exibida no Vida e Saúde de Santa Catarina em 21/05/2011.

 

Fonte: http://www.clicrbs.com.br

Receita - Torta doce com fibras, feita com castanhas, ameixas e grãos

 

 

Assista à receita exibida no Vida e Saúde de Santa Catarina em 28/05/2011.

ANOTE A RECEITA
TORTA DE FIBRAS
- ameixa sem caroço picada
- 3 colheres sopa aveia grossa
- 1 xícara e meia açucar mascavo
- 1 xícara de farinha de trigo branca
- 1 xícara de farinha trigo integral
- 2 colh sopa de fermento
- 3 colh sopa de germe de trigo
- 3 colh de linhaça
- 3 colh de leite de soja em pó
- 3 colh de uva passa
- 3 colh de castanha do pará moida
- 3 colh de fibra grossa
- 1/2 copo de óleo
- pitada de sal
- 1 colh sopa de raspa de limão
forno 280° 45 minutos

Fonte: http://www.clicrbs.com.br

Bomapetite

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Economize nas calorias durante as festas de São João

GRD_prato-festa-junina

Festas de São João: Veja como tornar o cardápio menos calórico e mais saudável!

 

Não se pode negar que o cardápio das festas juninas combina perfeitamente com o frio e é de dar água na boca. No entanto, os alimentos tradicionais da comemoração de São João são bastante calóricos e, principalmente em função da quantidade de sal ou açúcar, não muito saudáveis. Contudo, tornar a festança mais light não é impossível.

Comidas-Festa-Junina

 

Confira as calorias de cada item e saiba como cortá-las do cardápio junino:

- Espiga de milho (100 g): 130 kcal

- Pipoca (30 g): 150 kcal

- Pipoca doce (30 g): 230 kcal

- Quentão (150 ml): 400 kcal

- Bolo de fubá (1 fatia fina): 95 kcal

- Pé de moleque (1 unidade): 70 kcal

- Pinhão (100g): 280 kcal

- Chocolate quente (150 ml): 250 kcal

- Canjica de milho (50 g): 180 kcal

- Amendoim (15 g): 80 kcal

Veja as dicas da nutricionista Julia Dubin Melnick:

- Reduza pela metade a quantidade de açúcar indicada na receita para ingerir menos calorias ou utilize adoçantes feitos para cocção no lugar do açúcar. Outra opção é misturar os dois;

- Utilize leite desnatado nas receitas no lugar de leite integral;

- No quentão, coloque adoçante sucralose no lugar do açúcar. Ele é natural e menos calórico;

- Se fizer chocolate quente, utilize os achocolatados lights no lugar do comum. Você pode utilizar também o cacau em pó;

- Utilize gorduras lights no lugar da comum. Por exemplo, se na receita diz para utilizar margarina comum, utilize a light. O mesmo vale para o creme de leite;

- Cuidado com a quantidade: não vá à festa com muita fome, procure comer algo antes;

- Após a festa, retome sua alimentação ainda no mesmo dia para manter o peso;

- Amendoim é muito calórico, mas se quiser ingerir mesmo assim, prefira o não tostado sem sal, é mais saudável.

 

Fonte: Correio do Estado.

Os 10 melhores alimentos para a saúde

 

 

Assista à reportagem exibida no Vida e Saúde de Santa Catarina em 11/06/2011.

 

Fonte: http://www.clicrbs.com.br

Receita - Sanduíche natural com maionese light caseira

 

Assista à receita exibida no Vida e Saúde de Santa Catarina em 18/06/2011.

 

Sanduiche Natural
Ingredientes:
Proteina de soja
alface
tomate
cenoura
milho
Maionese natural:
- 1 dente de alho
- 1 colher de sal
- 5 colheres azeite de oliva
- tempero verde a gosto
- suco de 1 limão
- creme de maisena (1 copo de água + 2 colheres sopa maisena)

 

Fonte: http://www.clicrbs.com.br

 

Bomapetite

Os 10 piores alimentos para a saúde

 

 

Nutricionista explica porque você deve passar longe destas tentações. Assista à reportagem exibida no Vida e Saúde de Santa Catarina em 04/06/2011.

 

Fonte: http://www.clicrbs.com.br

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Emagrecendo utilizando temperos

 

Temperos detox para emagrecer

Incorpore-os na sua dieta

temperos-detox

 

Se você tem o hábito de usar pimenta, canela, orégano, salsa, cúrcuma e gengibre no dia a dia, ótimo! Essas especiarias e ervas ajudam a eliminar as  toxinas, que, em excesso no organismo, aumentam a resistência à perda de peso. A nutricionista Patrícia Davidson Haiat, do Rio de Janeiro, complementa a listinha de temperos detox: alecrim, mostarda (semente), louro, cravo e páprica. "Eles potencializam as enzimas do fígado - principal orgão responsável  pela eliminação das substâncias inimigas", explica Patrícia. E ainda deixam a comida mais saborosa, reduzindo a necessidade de sal. Isso também favorece a perda de peso!

 

Fonte: http://boaforma.abril.com.br

Palestra - Dr Marcio Bontempo falando sobe alimentação

Alimentação Natural e Seus Benefícios
Dr Marcio Bontempo
Programa Sem Censura
http://www.megaupload.com/?d=NYCNSGJ0


Marcio Bontempo

 

O Dr. Marcio Bontempo é médico, com formação em homeopatia, medicina ortomolecular e saúde pública. Já publicou quarenta e uma obras relacionadas à saúde, sendo um dos responsáveis pela implantação da Medicina Natural científica no Brasil. Respeitado pelos colegas médicos, o Dr. Bontempo sempre se dedicou a uma medicina geral mais coerente, mais preocupada com o ser humano, menos farmacológica e mais cumpridora do seu dever fundamental, que é restaurar a saúde e não apenas combater os sintomas. Realizou até hoje cerca de duzentos cursos intensivos de Medicina Natural, em muitas cidades brasileiras, tendo proferido mais de quinhentas palestras, além de participações com trabalhos em congressos médicos e simpósios, nacionais e internacionais. Representou o Brasil em diversos eventos médicos e ligados à saúde, nos Estados Unidos, Chile, Equador e na França.

O autor é membro hoje de diversas entidades médicas, ambientalistas, vegetarianas e de proteção aos animais, tanto nacionais como internacionais e um dos mais dedicados defensores da conscientização alimentar em prol de um mundo mais pacífico, justo e humano.

 

Fonte: Grupo Genesis do Conhecimento

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Dicas paraacelerar seu metabolismo

 

aprenda-a-como-acelerar-o-seu-metabolismo

 

A ideia de ter muito mais pique, ficar bem-disposta e ainda perder peso atrai você? Então, pode comemorar! Algumas atitudes têm o poder quase mágico de acelerar o metabolismo. Isso faz o organismo estocar menos gordura. Junto com os quilinhos a mais, vão embora o cansaço e a preguiça!

Essa maravilhosa fórmula está no novo livro de Jim Karas, considerado um guru da boa forma nos Estados Unidos. A obra, chamada A Onda de Energia de Sete Dias, ainda não está disponível no Brasil. As dicas do autor, associadas a uma alimentação saudável, ajudam você a perder até 4 quilos em uma semana!


1. A cada 3 horas...
Faça refeições pequenas a cada três horas - isso faz o corpo gastar mais calorias. "Assim, a digestão fica lenta, e isso ajuda a emagrecer. Quando a pessoa faz só duas ou três grandes refeições ao dia, o corpo estoca gordura! Quem come de pouquinho em pouquinho tem um metabolismo mais rápido", explica o endocrinologista João César Castro Soares. E mais: longos períodos sem comer provocam uma queda brusca do nível de açúcar no sangue. A consequência disso? Ataques à geladeira!


2. Mais proteínas, menos carboidratos
De acordo com o endocrinologista e nutrólogo Wilmar Accursio, comer mais proteínas é uma maneira de usar o metabolismo a favor da perda de peso. Quando comemos 100 calorias de proteínas, gastamos cerca de 25 delas no próprio trabalho de digestão. Por outro lado, ao ingerir 100 calorias de carboidratos, queimamos apenas 8 delas; no caso das gorduras, somente 4! "Portanto, 100 calorias de peixe (proteína) engordam menos do que 100 calorias de pão (carboidrato), que engordam menos do que 100 calorias de bacon (gordura)", diz Accursio. Outras fontes de proteína são carne bovina, frango, ovos, leite e derivados.


3. Água gelada e chá à vontade
"Se você está desidratada, a fadiga toma conta do seu corpo. Nessas horas, o metabolismo despenca", alerta Jim Karas. O conselho dele: beba água gelada e chá - sem açúcar, é claro - em grande quantidade. Ele se baseia em pesquisas que comprovaram o poder benéfico dessas bebidas. "Quando uma pessoa toma diariamente de oito a dez copos de água gelada, ela consegue queimar cerca de 200 calorias a mais. Isso porque o organismo precisa de energia para elevar a temperatura do líquido de 5 para 37 oC - a temperatura ideal do nosso corpo", afirma o médico João Soares. Os chás mate e preto contêm cafeína, uma substância que também acelera o metabolismo. Eles podem ser bebidos gelados e são muito saborosos.


4. Noites inteiras
Nada de sono picado e noites maldormidas. Se você deseja emagrecer, precisa dormir muito bem por, no mínimo, oito horas sem interrupção. Quando isso não acontece por algum motivo, seus hormônios se desequilibram e a irritação toma conta de você. Como consequência, a fome aumenta. Para dormir tranquilamente, procure deixar o quarto bem escurinho, separe travesseiros e cobertas confortáveis, e tome um banho morno antes de ir se deitar.


5. Oxigênio emagrecedor
Respirar fundo é relaxante - e emagrece! Encher os pulmões de ar diminui seus níveis de cortisol, um hormônio "ruim" ligado ao estresse e à queda do metabolismo.  Não é à toa que suspiramos quando estamos irritadas - afinal, esse ato realmente tem efeitos calmantes. Mais oxigênio para o corpo significa mais disposição e facilidade para perder peso.

Fonte: Revista Ana Maria

d1

Revista Veja - Edição 2221 - Longevidade. Os donos do tempo

 

image001

Editora: Abril

Idioma: Português

Edição: 2221

Data: 15/06/2011

Formato: PDF

Páginas: 176

Tamanho: 55,9 mb

Scan & PDF: Antfer

Conteúdo da Revista:

* Longevidade. Os donos do tempo. Os suplementos,

as dietas, os exercícios e os estilos de vida dos primeiros

seres humanos que estão conseguindo retardar o relógio

biológico. 10 mitos da vida longa.

* Battisti. Perigo, terrorista à solta.

* Vida digital. O que muda com a computação em nuvem.

* Gleisi Hoffmann. A nova cara do governo Dilma.

DOWNLOAD:

http://hotfile.com/dl/121067303/79a5ea4/A8491-V2221-150611.pdf.html

 

Fonte: Grupo Expresso Literário

quarta-feira, 15 de junho de 2011

10 dicas para ajudar a sua dieta

dieta

Um
Fazer 100 abdominais não tornará a sua barriga em "tanquinho" para o verão. Em vez disso, concentre-se em exercícios para todo o corpo, assim você irá maximizar as calorias queimadas.
Dois
Quer maximizar os seus resultados e utilizar melhor o seu tempo na academia? Faça "repouso ativo" entre os exercícios. As opções mais fáceis são polichinelos ou pular corda.
Três
Trabalhar com um parceiro, ou ainda melhor, um personal trainer! Ter alguém que não deixa você fugir das suas responsabilidades pode fazer a diferença entre você continuar a dar desculpas ou começar a ver os resultados.
Quatro
Ser o único responsável pela sua alimentação, pode ajudar com a sua dieta. Escreva tudo o que você come e envie para um amigo(a) todos os dias. O seu amigo(a) também deverá enviar o dele(a) para você. Escrever o que você está comendo funciona bem quando há alguém que irá te lembrar das suas boas e más escolhas.
Cinco
Os exercícios não devem ser apenas no ginásio! Cerque-se de pessoas que tenham uma vida saudável, assim vocês poderão ir para passeios, caminhadas, caiaque ou escolha qualquer outra atividade que faça mover o seu corpo.
Seis
Não subestime o poder do sono. Um adulto normal e saudável deve dormir entre sete a nove horas por noite. Não dormir o suficiente pode causar queda no metabolismo e aumentar o estresse, aumentando a probabilidade de evitar exercícios.
Sete
Confuso sobre o que comer no café da manhã antes de um treino? Basicamente, qualquer coisa é melhor do que nada, mas para ser "top notch", escolha alimentos que são ricos em carboidratos complexos para dar-lhe a energia que você precisa. Cereais com muita fibra e com leite desnatado ou iogurte com granola são escolhas excelentes.
Oito
Inscrever-se para uma corrida ou um evento que vai motivar você a treinar. Mesmo se é uma caminhada de 5K, quando o evento estiver chegando, vai te motivar ainda mais.
Nove
Fique longe de bebidas esportivas ou bebidas energéticas. A melhor maneira de manter-se hidratado é apenas água.
Dez
Uma coisa simples que você pode comprar é um hodômetro. Se você não pode ir para a academia, vá fazer uma caminhada ou corrida. Você queimara por volta de 100 calorias a cada milha (1,6 km). Utilize o hodômetro para monitorar a sua distância a pé, quando você estiver caminhando no seu bairro ou parque.

Fonte: fitsugar

d1

Livro: Você É O Que Você Come - Dra. Gillien McKeith

 

Lançamento Gênesis do Conhecimento

Você É O Que Você Come - Dra. Gillien McKeith

 

Você é o que você Come1

 

digitalização, formatação e revisão - Lucia Garcia
agradecimentos ao doador do ebook para o Memorial do Conhecimento

Sinopse:

A Dra. Gillian McKeith modificou os hábitos dos Piores Comedores da Inglaterra com resultados incríveis. Descubra essas fabulosos segredos dietéticos e prepare-se para conhecer o novo você.

. Faça o teste de QI alimentar para descobrir o que sua dieta está lhe proporcionando.

. Acabe com suas ansiedades.

. Evite problemas de saúde relacionados à alimentação como o diabetes.

. Descubra como as pequenas mudanças farão uma grande diferença.

. Coma mais... e não menos.

Siga os conselhos simples e o plano inicial de sete dias da Dra. Mckeith e você verá a diferença e a facilidade de que algumas mudanças são capazes. Experimente para ver...

Links:
Megaupload:

http://www.megaupload.com/?d=V8RZB8A2

Mediafire:
http://www.mediafire.com/download.php?k4c41rvrg41w7h7

OBS. Somente no formato .PDF
Tamanho: 68 MB

 

Este e-book representa uma contribuição do grupo Genesis do Conhecimento para aqueles que necessitam de obras digitais como é o caso dos Deficientes Visuais e como forma de acesso e divulgação para todos.
É vedado o uso deste arquivo para auferir, direta ou indiretamente, benefícios financeiros.
Lembre-se de valorizar e reconhecer o trabalho do autor, adquirindo suas obras

Fonte: Grupo Genesis do Conhecimento

terça-feira, 14 de junho de 2011

Cinco hábitos que ajudam a boa digestão

Acabe com a sensação de mal-estar e estômago pesado após as refeições

 

Acabe com a sensação de mal-estar após as refeições - Foto: Getty ImagesAlguns hábitos simples durante as refeições, e logo depois delas, são indispensáveis para que o corpo faça uma boa digestão. Confira como cinco atitudes que, incorporadas a sua rotina, podem facilitar a absorção dos nutrientes dos alimentos pelo organismo e prevenir incômodos, mal-estar e aquela sensação de estômago muito cheio.


1 - Mastigue bem
Coma devagar, mastigue bastante os alimentos e tire o máximo de prazer da sua refeição. Por causa da correria da vida moderna, muitas vezes engolimos a comida sem mastigar, dificultando a digestão e absorção dos nutrientes dos alimentos. A nutricionista Roberta Stella destaca que o resultado dessa agitação são gases em excesso e abdômen inchado. Fora que seu corpo acabará gastando mais energia para fazer a digestão e você fatalmente ficará com mais sono e cansaço após as refeições.

 

2 - Coma em paz
A hora da refeição deve ser a mais tranquila possível. Evite discussões, brigas e levar o trabalho para a mesa. "Preocupações podem tornar qualquer prato indigesto, até o mais saudável, pois o estado emocional afeta as secreções gástricas indispensáveis à boa digestão", afirmam a médica Leninha Valério do Nascimento e a jornalista Áurea Pessoa no livro Beleza - Desafios da Ciência e da Tecnologia. Elas destacam, ainda, que não são apenas os aborrecimentos que atrapalham a digestão. Uma forte emoção boa tem o mesmo efeito.


3 - Não beba durante as refeições
Os líquidos deixam o estômago em dez minutos, levando com eles os sucos digestivos. A situação piora se a bebida for quente, pois o calor irá enfraquecer os tecidos do estômago. Outra desvantagem é que a saliva possui enzimas que atuam na quebra molecular dos alimentos, e os líquidos atrapalham esse processo. Ao se misturarem à saliva eles a deixam "frágil". Isso significa que o estômago terá mais trabalho e o organismo gastará mais energia para digerir os alimentos. 

 

4 - Tome chá depois da refeição
Acabou de comer? Um chá é uma ótima pedida para finalizar. Roberta diz que ele ajuda a livrar da sensação de inchaço logo depois da refeição. "Quente, a bebida ajuda a dissolver as gorduras e diminui a formação de gases intestinais", afirma.

OBS. Como a  Aline Ferreti, do blog “Vida de SPA”, ressaltou em seu comentário, não é aconselhado ingerir bebidas com cafeína após as refeições, pois podem prejudicar a absorção de Cálcio e Ferro. O ideal é ingerir  2h após uma refeição. Esse aviso é principalmente para o chá verde, que possui cafeína.


5 - Evite esforço físico e relaxamento
Ao sair da mesa, descanse um pouquinho, mas não durma. Logo após as refeições é bom evitar atividades físicas intensas e, no outro extremo, dormir. "O sono depois de comer faz com que o metabolismo do corpo diminua. Os exercícios físicos também são ruins porque reduzem a quantidade de sangue disponível para digerir os alimentos. Das duas formas, a comida fica mais tempo retida no organismo, que produz toxinas geradoras do mal-estar", ensina a nutricionista.

 

Fonte: http://www.minhavida.com.br

 

d1

29 Alimentos que dão músculos!


comidaabre1
Ponha-os no seu cardápio, se você quiser crescer mais. Confira aqui por quê.

SELEÇÃO DE EXPERTS
Fizemos a escalação destes 29 alimentos com o auxílio de Cynthia Antonaccio, nutricionista da consultoria Equilibrium, São Paulo (SP), Eliane Tagliari, nutricionista da Clínica Nutribioforma, Curitiba (PR), Vanessa Franzen Leite, nutricionista de Porto Alegre (RS), e Ian Marber, fundador da clínica The Food Doctor, Londres (Inglaterra)
SEMENTES DE GIRASSOL
Além de serem grande fonte de proteína, estão cheias de nutrientes importantes para os músculos. Exemplo: vitamina E, potente antioxidante que pode prevenir danos causados por radicais livres após treinos pesados. Um punhado de sementes de girassol é ótimo snack.
EDAMAME
Mais famosa como soja verde, é uma proteína vegetal, de baixo teor de gordura, que tem todos os aminoácidos essenciais à formação dos músculos. Ponha-a na salada. Você compra em mercados orientais e lojas de produtos naturais.
FARINHA DE LINHAÇA DOURADA
À venda em lojas de produtos naturais, contém ômega-3, nutriente que reduz a velocidade da quebra de proteínas no organismo. Para formar músculos, você precisa armazenar novas proteínas mais rápido do que rompe as velhas. Ponha a farinha sobre frutas ou bata com sucos depois da malhação.
OVO
Além dos aminoácidos essenciais para construir e reparar os músculos, a gema do ovo possui alto teor de vitamina D, necessária para manter o tecido muscular saudável. O ovo está no café da manhã de todo atleta campeão. Inspire-se.
VITELA
Carne magra rica em minerais e vitamina B12, sem a qual o corpo não pode utilizar a proteína de forma eficaz. Bônus: a digestão da vitela é mais fácil, pois essa carne não tem muita gordura. Na grelha, vai bem com ervas e molho à base de vinho.
ABACAXI
Outra pedida refrescante para o pós-treino. Possui potássio, magnésio e cálcio: minerais diretamente envolvidos na contração muscular. Contém também as vitaminas A, B1 e C, que impedem a oxidação dos músculos. No supermercado, escolha o abacaxi com casca brilhante e levemente macia, folhas verde-vibrantes na coroa e cheiro doce.
AZEITE DE OLIVA
Um dos alimentos favoritos dos octogenários e viris campeões de flexão de braço da Toscana (Itália). Não à toa: tem gordura monoinsaturada, que impede a degradação do tecido muscular e protege articulações. Passe azeite no pão integral, em vez de manteiga, no café da manhã. Se você malha na hora do almoço ou à noite, use-o para temperar a salada.
CAFÉ
Estudos feitos com cápsulas de cafeína mostram que a substância é estimulante, incentiva o organismo a produzir energia – o que pode aumentar sua resistência, você treina por mais tempo. Pelo mesmo motivo, 1 xícara de café é capaz de ajudar você a despertar e a acelerar a queima de gordura. A bebida ainda tem propriedades antioxidantes.
ANCHOVA
Ok, o gosto é forte, há quem não curta. Mas deveria curtir: a anchova esbanja ômega-3, nutriente que também é anti-inflamatório. Você pode preparar o peixe no forno com legumes, azeite de oliva e ervas. Uma opção mais rápida? Comer a versão enlatada com torrada integral.
LEITE INTEGRAL
Segundo estudo publicado no Journal of Nutrition (EUA), ele é rico em CLA (Ácido Linoleico Conjugado), que preserva o tecido muscular. Deixe o skinny latte para a sua garota.
BRÓCOLIS
Não torça o nariz. Estes “minibonsais” contêm muita vitamina C. Um estudo da Universidade da Carolina do Sul (EUA) descobriu que doses elevadas do vegetal antes e depois do exercício diminuem a dor muscular. Cozinhe-o no vapor.
AÇAFRÃO-DA-TERRA
A curcumina, composto ativo do açafrão-da-terra, desencadeia o crescimento celular. Promove, assim, o aumento de músculos e a reparação deles após lesões. Num restaurante indiano, peça um prato com curry – tempero que leva açafrão-da-terra.
CARNE ORGÂNICA
Possui mais CLA e creatina, substância que aumenta massa muscular, diminui gordura corporal e melhora resistência, diz estudo canadense – nada supera a proteína 100% bovina na formação dos músculos! No Brasil, o principal certificador da carne orgânica é o Instituto Biodinâmico (ibd.com.br). Veja se a embalagem da carne tem o selo “Certificado Orgânico IBD”.
GENGIBRE
É redutor de inflamações. Pesquisa publicada no Journal of Medicinal Food (EUA) descobriu que gengibre alivia dor muscular com mais eficácia que aspirina. Bata fatias da raiz com frutas ou rale-a sobre a salada ou o arroz. Se você curte culinária japonesa, o gari (gengibre em conserva que acompanha sushis) também é vendido em mercados orientais.
IOGURTE NATURAL
Contém altas doses de cálcio – fundamental à contração muscular e à proteção dos ossos – e de aminoácidos essenciais ao funcionamento do organismo e que contribuem com o crescimento muscular. Ideal para a larica pós-treino. Outra vantagem: o baixo teor de lactose do iogurte facilita a digestão. Opção legal para quem não se dá bem com leite.
RICOTA
É feita a partir da proteína do soro do leite, rica em aminoácidos de cadeia ramificada que ajudam a impulsionar o crescimento muscular. A ricota não tem muito gosto, então sem medo ponha-a em ovos mexidos ou vitaminas de frutas. Você também pode, em vez de usar manteiga, passar ricota em torradas com geleia.
QUINUA
O grão que vem do Peru é uma das poucas fontes vegetais de proteína completa, ou seja, contém todos os aminoácidos essenciais – sem a gordura – à formação de músculos. Ok, quinua é gostosa como papelão. Mas você camufla o sabor dela misturando-a com outros alimentos, como espinafre, tomate, cogumelos, amêndoas, damasco.
PERU
A ave contém glutamina, aminoácido encontrado no músculo. Contribui com a síntese proteica, que leva ao crescimento de massa magra. Durante o preparo, regue o peru com vinho branco. A carne ganha sabor e não fica seca – você não ficará mastigando-a até o Natal!
KIWI
A vitamina C também está envolvida na formação do colágeno, proteína fibrilar que mantém seus músculos e suas articulações fortes. Um kiwi médio tem 74 mg dela – você precisa de 90 mg por dia. No supermercado, escolha os mais firmes, que cedem levemente ao tato: você aperta um pouco e depois não ficam com marca.
TAHINE
Feita a partir de sementes de gergelim, a pasta de tahine possui muito zinco. Este mineral atua no crescimento celular, na síntese de DNA e proteínas. De manhã, em vez de manteiga, experimente passar tahine na torrada.
AGRIÃO
É cheio de ferro: o minera ameniza a fadiga muscular causada por exercícios intensos, indica uma pesquisa da Universidade Cornell (EUA). O agrião ainda é rico em vitamina C. Não se esqueça dele na hora de montar a sua salada!
PEPINO
Apesar de protagonizar um histórico de insinuações maliciosas, o pepino pode andar de cabeça erguida: a pele dele contém sílica, componente necessário ao tecido conjuntivo – aquele que sustenta as partes moles do corpo, que liga todos os outros tecidos. Vale a pena comer pepino com casca!
AMÊNDOA
A semente oleaginosa esbanja gorduras saudáveis, fundamentais ao desenvolvimento de músculos. Possui ainda magnésio, que ajuda na contração deles. Amêndoa vai bem em saladas ou pura, como petisco da tarde.
GÉRMEN DE TRIGO
Essa parte do grão do trigo carrega cromo, substância que melhora a absorção da glicose nas células musculares, dando a elas energia extra. O germe de trigo ainda é rico em arginina, que ajuda a aumentar o fluxo sanguíneo para os músculos. Compre em lojas de produtos naturais e coma ao longo do dia, batido no leite ou junto à salada de frutas.
ESPINAFRE
Popeye sempre teve razão: espinafre aumenta a força muscular e a resistência – porque tem octacosanol. A verdura ainda é rica em vitamina E, poderoso antioxidante. Vale comê-la na salada ou cozida.
PIMENTA VERMELHA
Tem 60% mais vitamina C do que a pimenta verde. Ponha-a em temperos de molhos, carnes e frutos do mar. Vale notar: alguns tipos de pimenta vermelha, como a biquinho, são mais suaves. Outros, como a malagueta, são mais fortes.
PAPAIA
Esse tipo de mamão abriga papaína, substância que quebra proteínas em compostos de fácil absorção. Compre o de casca firme, sem manchas ou rachaduras, e que esteja começando a ficar amarelo. Receita cool: sirva em fatias com gengibre e limão.
CEREJA
O suco de cereja reduz a dor muscular, causada pelo exercício, aponta estudo publicado no British Journal of Sport Medicine (Reino Unido). Constatou-se ainda melhora na força do homem que toma a bebida. Também vale comer a fruta in natura. Escolha as mais firmes, brilhantes e com cabinho – a falta dele indica que elas foram colhidas há tempos…
ÁGUA
Cerca de 70% do músculo é formado por água. Logo, você precisa mantê-lo hidratado para ele ficar definido: isso ajuda na hipertrofia e na síntese proteica. Um pequeno nível de desidratação já atrapalha seu desempenho no exercício. Beba água antes, durante, depois da ma lhação e, no mínimo, 2 l por dia. Mas não exagere nisso nas refeições: prejudica a digestão.


*Adicionando ao post o comentário do Rafael - 27/09/11
Muito incompleto dizer que o leite tem CLA, mas esquecer que tem muita lactose o que impede a queima de gordura e absorção de proteína formando um tecido adiposo.

Que a Gema do ovo tem vitamina D, mas tem grande quantidade de colesterol e esquecer de dizer que a clara do ovo é onde se concentra a melhor proteína de valor biológico...

a matéria precisa ser mais realista.

Rafael
Consultor Nutricional 

________________________________

É sempre bom buscar mais conhecimento sobre as informações que nos são apresentadas. Para melhor entendimento, converse com seu nutricionista.

Abraços,
Linne.
 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...