terça-feira, 30 de agosto de 2011

Compulsão por açúcar, o que fazer?

 

compulsao-por-doces O açúcar faz parte da dieta da maioria dos brasileiros.
Doces, deliciosas sobremesas e bebidas que precisam ser adoçadas requerem a utilização de açúcar, ou a sua substituição.

Mas o açúcar pode gerar um hábito difícil de ser eliminado e que atrapalha muitas dietas. Entenda um pouco mais sobre o açúcar no emagrecimento.

A nutricionista funcional, Giovanna Arcuri, afirma que o açúcar cria um hábito nas pessoas, por isso é tão difícil de tirá-lo totalmente. "Mas com esforço conseguimos viver bem com poucas quantidades. Precisamos nos controlar", afirmou. Ela afirma que podem existir fatores orgânicos que levem a um grau de dependência física pelo açúcar ou somente fatores psicológicos que nos levam a um forte impulso ao seu consumo, por trazer lembranças confortáveis e sensações positivas. Mas não há estudos que comprovem a dependência psicológica por doces.

Segundo a nutricionista podemos substituir o doce por frutas, por alimentos lights, por chocolate 70% cacau e frutas secas e desidratadas como, por exemplo, nozes, amêndoas, macadâmia e castanha-do-Pará. "Todos esses alimentos auxiliam no equilíbrio dos níveis de glicemia no sangue, ajudando assim, a diminuir a vontade louca por doces", lembrou.

Os doces mais calóricos são aqueles com preparação de açúcar refinado, creme de leite e amanteigados. Algumas vezes as receitas podem ser adaptadas trocando o açúcar por adoçantes próprios para culinária.

Mas para emagrecer, nem sempre o açúcar tem que ser eliminado totalmente da dieta. "Devemos evitar ao máximo as preparações com o açúcar refinado e fazer a substituição dele por frutas e açúcar orgânico mascavo", afirmou a nutricionista.

A nutricionista explica que o açúcar refinado e os encontrados nas balas e doces sobrecarregam o pâncreas, que é uma glândula responsável pela produção da insulina - um hormônio transformador do açúcar (sacarose) em glicose. A glicose em excesso vira gordura e se acumula no organismo, causando doenças cardiovasculares como, obesidade, diabetes, hipertensão arterial, entre outras.

O açúcar vem da cana, que é rica em minerais e vitaminas. A nutricionista explica. "Em compensação, o açúcar refinado é necessitado de todos os nutrientes e age mais como uma droga. Passa rapidamente através da parede do estômago, causando níveis de açúcar no sangue a subir e depois cair o pique. Com isso, em poucos dias, seu corpo torna-se fisicamente dependente e aí parar de consumir o açúcar pode ficar muito difícil", concluiu a nutricionista.

Fonte: Por Catharina Apolinário

http://cyberdiet.terra.com.br

sábado, 27 de agosto de 2011

Carboidrato liberado à noite

 

Estudo acaba de revelar que comer esse nutriente depois das 18h ajuda a perder peso
Por TaigaCazarine

carboidratos Se você vive fazendo dieta, aqui vai uma notícia incrível: uma pesquisa da Hebrew University, de Jerusalém, revelou que pessoas que comem carboidrato no jantar e preferem proteína no café da manhã e no almoço podem perder cerca de 11 kg em um período de 6 meses. Além disso, os especialistas afirmam que dar prioridade a carboidratos à noite te deixa mais satisfeita do que se colocar no prato arroz, pão ou massa durante as refeições ao longo do dia. Portanto, nada de se sentir culpada se hoje à noite você arriscar um prato de macarrão. Só não vale exagerar.

 

Fonte: http://www.revistashape.com.br

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Qual seu tipo de metabolismo?

 

interrogacao

Saber se você precisa de mais carboidrato ou proteína faz toda a diferença
na dieta

Por Eliane Contreras

 

Qual será o seu tipo?

Há meses você come só uma lasquinha de pão por dia na tentativa de perder peso e nada – a balança não dá o mínimo sinal de que o esforço está valendo a pena. Então preste atenção: seu metabolismo pode ser do tipo carboidrato. Quer dizer que seu organismo precisa de porções mais generosas desse nutriente para funcionar bem e, assim, queimar os estoques de gordura com mais facilidade. Sim, você pode comer pão e massa sem culpa. Seu tipo metabólico é proteína? Nesse caso, carnes e leguminosas devem ser prioridade no seu cardápio. Ainda existe o tipo misto, que pede proteína e carboidrato quase na mesma proporção. A gordura também é importante na quantidade adequada para o seu tipo metabólico.


Classificar o metabolismo em três tipos foi a maneira que o médico e nutrólogo Wilson Rondó Jr. – autor do livro Emagreça e Apareça – Descubra Seu Tipo Metabólico (Editora Gaia) – encontrou para montar uma dieta próxima à química do nosso organismo. Quem testou aprovou: “Quanto mais restringia o pão e o arroz, mais dificuldade eu tinha para emagrecer. Comecei, então, a seguir uma dieta com mais carboidrato e menos proteína – ideal para o meu metabolismo. Em três meses, perdi 16 quilos”, comemora a cirurgiã-dentista Michele Gomes, 25 anos, de São Paulo. Tipo proteína, a enfermeira paulistana Susy Ezaki, 40 anos, fez o contrário: diminuiu o carboidrato e aumentou a proteína. Secou o excesso em um mês e meio.

 

Faça o teste e descubra

Faça o teste e descubra o seu tipo de metabolismo
Marque verdadeiro ou falso nas questões com base no que realmente acontece com você. Evite responder pensando naquilo que sabe que é certo, mas não pratica. Se nenhuma das opções tem a ver com seus hábitos, pule para a próxima sem marcar nada. E, se tiver dúvida, pense melhor e responda depois.
Parte 1

1. Sempre tenho fome no café-da-manhã
( ) V ( ) F
2. Na hora do almoço, meu apetite desperta
( ) V ( ) F
3. Tenho bastante fome no jantar
( ) V ( ) F
4. Não consigo ficar mais de quatro horas sem comer
( ) V ( ) F
5. Fazer um lanche entre as refeições me deixa bem
( ) V ( ) F
6. Penso em comida o tempo todo
( ) V ( ) F
7. Fico mais bem disposta quando como carne ou peixe
( ) V ( ) F
8. Refeição sem carne não mata minha fome
( ) V ( ) F
9. Carne ou alimentos gordurosos me dão energia
( ) V ( ) F
10. Troco facilmente o doce por salgado
( ) V ( ) F
Some as perguntas que respondeu falso (F) e multiplique-as por 2. Faça o mesmo com as que marcou verdadeiro (V).
Parte 2
1. Não consigo ficar em jejum
( ) V ( ) F
2. Comer antes de dormir melhora meu sono
( ) V ( ) F
3. Beber suco de laranja pela manhã me faz mal
( ) V ( ) F
4. Ficar à base de fruta não me satisfaz
( ) V ( ) F
5. Café me deixa acelerada
( ) V ( ) F
6. Meus olhos e/ou nariz costumam ficar úmidos
( ) V ( ) F
7. Faço xixi várias vezes ao dia
( ) V ( ) F
8. Tenho que tossir com freqüência para limpar minha garganta
( ) V ( ) F
9. Gosto de dormir até mais tarde
( ) V ( ) F
10. Quando me corto, a ferida cicatriza rápido
( ) V ( ) F
Marque 1 ponto para cada item assinalado.
Resultado
1. Se o total de respostas falsas for igual ou maior a 18, seu tipo metabólico é CARBOIDRATO.

2. Se o total de respostas verdadeiras for igual ou maior a 18, seu tipo metabólico é PROTEÍNA.
3. Se o total de respostas falsas for menor de 18 e o de verdadeiras também, seu tipo metabólico é MISTO.
Agora que você sabe o resultado do teste, procure a seguir o cardápio correspondente ao seu tipo. Ele traz as porções ideais de carboidrato, proteína e gordura, além de sinalizar os itens que podem provocar alergia alimentar. Daí vem inflamação nas células, o que contribui para o ganho de peso. Suspenda esses alimentos durante a dieta, e garanta o sucesso na balança.
Certificado de garantia
Pode acontecer de você responder algumas alternativas do teste de maneira inadequada e chegar a um resultado que não corresponde ao seu metabolismo verdadeiro. Por isso, fique atenta aos sinais abaixo. Se depois de 15 dias você apresentar um ou mais deles, repita o teste e recomece a dieta certa para o seu tipo.
1. Continua ganhando peso.
2. Tem compulsão a determinados alimentos.
3. Apresenta variações de humor (depressão, alegria, euforia...).
4. Se sente fraca, sem disposição.
5. Fica resfriada ou gripada com freqüência.

 

Metabolismo tipo carboidrato

60% carboidrato
25% proteína
15% gordura

Você pode comer porções generosas de carboidrato. Mas não fique só no pão e na massa. Esse nutriente também deve vir das verduras, legumes e frutas
Opção 1
Café-da-manhã
• Fruta (1 fatia média de mamão ou 1/2 caqui)
• 2 fatias de pão de fôrma integral com geléia diet
• 1 pote de iogurte natural desnatado (adoçante, opcional)
Lanche
• Fruta (1 pêra ou maçã)
• 1 xíc. de chá de ervacidreira ou camomila
Almoço
• 1 prato (sobremesa) de alface, rúcula e tomate com 1 col. (chá) de azeite extravirgem
• 5 col. (sopa) de arroz integral
• 2 col. (sopa) de feijão
• 1 filé pequeno (80 g) de peixe (pescada ou linguado) grelhado ao molho de alcaparra
Lanche
• 1 fatia de pão de fôrma integral light com 1 fatia fina de queijo-de-minas
Jantar
• 1 prato (sobremesa) de couve refogada
• 4 col. (sopa) de arroz integral
• 1 filé pequeno (80 g) de frango grelhado
Opção 2

Café-da-manhã
• Fruta (1 banana pequena ou 1 fatia de mamão)
• 1 xíc. (chá) de leite de soja (café e adoçante, opcionais)
• 2 torradas integrais com cream cheese light
Lanche
• Fruta (1 maçã ou pêssego)
Almoço
• 1 prato (sobremesa) de alface e agrião com 1 col. (chá) de azeite extravirgem
• 6 col. (sopa) de arroz integral com cenoura e abobrinha
• 1 omelete (2 claras de ovo com 1 fatia de peito de peru e cebola)
Lanche
• 1 barra de cereais light
Jantar
• 1 prato (sobremesa) de brócolis no vapor
• 2 batatas assadas com ervas, alho-poró e 2 col. (chá) de azeite extravirgem
• 1 filé pequeno (80 g) de peixe (linguado, saint-peter ou badejo) grelhado
Opção 3

Café-da-manhã
• 1/2 papaia com 2 col. (sopa) de aveia
• 1 xíc. (chá) de leite desnatado (café e adoçante, opcionais)
Lanche
• Fruta (1 pêra ou 2 figos)
• 2 biscoitos integrais com 2 fatias finas de queijo-de-minas
Almoço
• 1 prato (sobremesa) de alface e pepino com 1 col. (chá) de azeite extravirgem
• 3 escumadeiras de macarrão integral com molho de tomate
• 2 col. (sopa) de abóbora no vapor
• 1 filé pequeno (80 g) de peixe (pescada ou badejo) assado com cogumelo (champignon, shimeji ou shiitake)
Lanche
• 2 torradas integrais com queijo cottage
Jantar
• 2 col. (sopa) de abobrinha no vapor com 1 col. (chá) de azeite extravirgem
• 4 col. (sopa) de arroz integral
• 1 filé pequeno (80 g) de frango grelhado
O que evitar
Carne, leite, feijão e lentilha em excesso. Esses alimentos são fonte de purina, uma categoria de proteína que pode provocar alergia alimentar no tipo carboidrato.

Metabolismo tipo proteína

30% carboidrato
40% proteína
30% gordura
Doses extras de proteína e gordura são essenciais para o seu organismo, mas é importante que esses nutrientes venham de carne magra, além de grãos e castanhas

Opção 1

Café-da-manhã
• 2 fatias de pão integral com 2 col. (sopa) de pasta de grão-de-bico
• 1 copo (250 ml) de leite semidesnatado (café e adoçante, opcionais)
Lanche
• Fruta (1 maçã pequena)
• 1 xíc. (café) de castanhas (amêndoa ou nozes)
Almoço
• 1 pires (chá) de rúcula e tomate-cereja com 1 col. (sobremesa) de azeite extravirgem
• 1 escumadeira de macarrão integral com mussarela de búfala
• 2 col. (sopa) de soja em grão cozida
• 2 coxas de frango (120 g) assadas sem pele
Lanche
• 1 pote de iogurte natural desnatado (adoçante, opcional)
Jantar
• 1 pires (chá) de couve-flor no vapor com 1 col. (sobremesa) de azeite extravirgem
• 3 col. (sopa) de arroz integral com amêndoas
• 1 fatia grande (120 g) de lombo magro assado
Opção 2

Café-da-manhã
• 2 torradas integrais com 1 ovo mexido
• 1 copo (250 ml) de leite de soja batido com 3 col. (sopa) de abacate (adoçante opcional)
Lanche
• 4 amêndoas (ou 2 castanhas-do-pará)
Almoço
• 1 pires (chá) de repolho e tomate com azeite extravirgem
• 4 col. (sopa) de quinoa em grão cozida (ou proteína de soja texturizada refogada)
• 1 filé grande (120 g) de peixe (badejo, pescada ou salmão) grelhado
Lanche
• 1 barra de proteína
Jantar
• 1 pires (chá) de vagem cozida com 1 col. (chá) de azeite extravirgem
• 1 col. (sopa) de arroz integral
• 2 col. (sopa) de feijão
• 4 pedaços (120 g)
Opção 3

Café-da-manhã
• 2 fatias de pão integral com 2 fatias de queijo-de-minas e 2 fatias de peito de peru
• 1 pote de iogurte natural desnatado (adoçante opcional)
Lanche
• Fruta (1 maçã ou pêra)
• 4 amêndoas (ou 2 castanhas-do-pará)
Almoço
• 1 pires (chá) de agrião e cenoura ralada com 1 col. (sobremesa) de azeite extravirgem
• 3 col. (sopa) de arroz integral
• 3 col. (sopa) de feijão
• 1 bife grande (120 g) de filé mignon ao molho madeira
Lanche
• 1 copo (200 ml) de leite desnatado batido com 1 col. (sopa) de proteína em pó (tipo whey protein) e 2 ameixas secas
Jantar
• 1 pires (chá) de chuchu no vapor com 1 col. (sobremesa) de azeite extravirgem
• 2 col. (sopa) de arroz integral
• 1 omelete (2 ovos e 2 fatias médias de queijo-de-minas)
O que evitar
Especialmente doces e produtos feitos com farinha refinada. São alimentos que aceleram a produção do hormônio insulina, famoso por favorecer o estoque de gordura, em todos os tipos metabólicos. Mas no tipo proteína o estrago é ainda maior.

Metabolismo tipo misto

50% carboidrato
30% proteína
20% gordura
Você pode comer carboidrato, proteína e gordura em proporções mais equilibradas. Escolha as fontes mais saudáveis: massas e grãos integrais, carnes magras e gorduras boas
Opção 1

Café-da-manhã
• Fruta (1 rodela média de abacate ou mamão
• 1 xíc. (chá) de leite desnatado (café e adoçante, opcionais)
• 2 torradas integrais com queijo cottage
Lanche
• Fruta (1 fatia de abacaxi, melão ou melancia)
Almoço
• 1 prato (sobremesa) alface com beterraba e cenoura raladas com 1 col. (chá) de azeite extravirgem
• 1 e 1/2 escumadeira de macarrão integral com ricota
• 1 sobrecoxa média (80 g) assada (sem pele)
Lanche
• 1 iogurte de fruta light
Jantar
• 3 col. (sopa) de ervilha fresca no vapor
• 3 col. (sopa) de arroz integral
• 2 col. (sopa) de grão-de-bico cozido
• 1 filé médio (100 g) de peixe (badejo ou pescada) grelhado com molho de mostarda

Opção 2

Café-da-manhã
• 1 xíc. de chá de erva-cidreira, chá verde ou erva-doce
• 2 torradas integrais com 2 fatias de peito de peru
Lanche
• 1 pote de iogurte natural desnatado (adoçante opcional)
Almoço
• 1 prato (sobremesa) de alface, tomate e azeitona com 1 col. (chá) de azeite extravirgem
• 1 prato (sobremesa) de brócolis no vapor
• 4 col. (sopa) de arroz integral
• 2 col. (sopa) de lentilha
• 1 filé médio (100 g) de frango grelhado
Lanche
• 1 fatia de pão integral com cream cheese light
Jantar
• 1 prato (sobremesa) de alface e rúcula com 1 col. (chá) de azeite extravirgem
• 1 pão sírio médio integral
• 1 porção pequena (80 g) de tiras de filé mignon grelhado
Opção 3

Café-da-manhã
• 1 copo (250 ml) de leite de soja batido com 2 ameixas secas
• 2 fatias de pão de fôrma integral light com requeijão light
Lanche
• Fruta (1 banana pequena ou pêssego)
• 2 castanhas-do-pará
Almoço
• 1 prato (sobremesa) de agrião e rúcula com 1 col. (chá) de azeite extravirgem
• 4 col. (sopa) de arroz integral
• 3 col. (sopa) de feijão
• 1/2 berinjela recheada com carne moída
Lanche
• 4 damascos secos
• 1 pote de iogurte natural desnatado (adoçante, opcional)
Jantar
• 1 prato (sobremesa) de palmito e tomate com 1 col. (chá) de azeite extravirgem
• 3 col. (sopa) de purê de mandioquinha
• 1 filé pequeno (80 g) de peixe (pescada ou saint-peter) grelhado com cogumelos champignon, shimeji, shiitake)
O que evitar
Pães e massas ricos em glúten. Essa proteína é de difícil digestão e, por isso, está relacionada à indigestão e alergia alimentar no tipo misto.

 

Fonte: http://boaforma.abril.com.br

 

divider

Dietas com baixa caloria podem deixar os ossos fracos?

 

Nem sempre. "Se a dieta oferecer 1000 miligramas de cálcio por dia, o organismo estará recebendo a quantidade mínima necessária para preservar os ossos", explica a nutricionista Olga Amancio, da Universidade Federal de São Paulo. Como saber se o cardápio oferece essa dose diária do mineral? É fácil. Ele deve conter, por exemplo, 1 copo grande (300 ml) de leite (integral, semidesnatado ou desnatado) enriquecido com cálcio, mais 1 fatia (50 gramas) de queijo branco e 3 porções de folhas verde-escuro (couve-manteiga, escarola e espinafre) - alimentos que cabem muito bem numa dieta entre 1000 e 1200 calorias.

 

Fonte:  http://boaforma.abril.com.br/

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

O poder dos sucos verdes

Green_juice

Os sucos verdes são ótimos para regular o intestino e melhorar a pele.

 

Num mundo cheio de apelos comerciais, nada mais comum do que lançar moda. Porém, um tanto incomum, é o fato que, eventualmente, essas modas estão baseadas em estudos sérios e pesquisas científicas e trazem grandes e verdadeiros benefícios à saúde, de maneira rápida e prática. Esse é o caso dos sucos verdes. Frequentemente abordados pela mídia, esse tipo de bebida é feito a partir de alimentos crus, frutos secos e frescos, vegetais, sementes e grãos germinados, todos de origem orgânica.

O trabalho de conclusão de curso das naturólogas Beatriz Eksterman Mastroeni e Larissa Mazza Lepri Macedo Savazzoni tratou de forma científica o tema, relacionando-o a um incômodo também muito em pauta: a constipação, popularmente chamada de "intestino preso". Na entrevista abaixo as naturólogas falam um pouco de seu trabalho e dos resultados apurados em sua pesquisa.

DE ONDE SURGIU O INTERESSE DE VOCÊS PELO ESTUDO CIENTÍFICO DO SUCO VERDE?

Especialistas: O nosso interesse teve início quando incorporamos a bebida em nosso dia-a-dia. A Beatriz teve a oportunidade de participar, em 2008, de um curso de Alimentação Viva com o Dr. Alberto Gonzalez, onde aprendeu uma receita de suco verde. A partir de então começamos a consumi-lo praticamente todos os dias em casa. Essa experiência trouxe ótimas mudanças em nós mesmas e em nossas famílias, tanto físicas como comportamentais. Foram essas observações que despertaram o interesse em estudar cientificamente os aspectos do suco verde em conjunto à proposta da Naturologia.

POR QUE VOCÊS PENSARAM EM USAR O SUCO VERDE EM RELAÇÃO À CONSTIPAÇÃO?

Especialistas: Sempre fomos muito interessadas pela influência do trato gastrointestinal na saúde e já sabíamos que queríamos focar mais precisamente o intestino, bem como o suco verde. Acabamos concluindo que seria ideal a realização de um estudo sobre a constipação intestinal. Esse sintoma é frequente e prevalente em mulheres, potencialmente desencadeador de diversas patologias e capaz de apresentar melhoras a partir de medidas educacionais e hábitos alimentares.

COMO FOI REALIZADO O ESTUDO?

Especialistas: A pesquisa contou com 15 mulheres adultas (de 20 a 59 anos) selecionadas através dos Critérios de Avaliação ROMA II - instrumento usado para considerar a constipação intestinal. Em um restaurante localizado na praça de alimentação da universidade realizamos 18 encontros, três vezes por semana, no período da manhã, para o consumo do suco preparado por nós.

Era oferecida a cada participante uma porção de 250ml do Suco Verde Padronizado. O aspecto educacional e a abordagem naturológica foram aplicados por meio de uma palestra inicial explanatória sobre conceitos e noções relacionados à constipação intestinal e à saúde, além de "cartinhas educativas" distribuídas às voluntárias a partir da segunda semana de pesquisa.

O QUE FOI MAIS SURPREENDENTE NOS RESULTADOS QUE VOCÊS ENCONTRARAM?

Especialistas: Observamos melhoras muito positivas como: aumento na frequência de evacuações, 90% de melhora na consistência das fezes; diminuição da intensidade da constipação; e aumento do consumo de verduras e de alimentos integrais. Muitas voluntárias também relataram por depoimentos escritos, ao final da pesquisa, melhora em aspectos como humor, disposição e atenção. Além disso, mencionaram mais atenção em relação aos seus hábitos alimentares e intestinais, começaram a notar e respeitar seus próprios organismos e uma das participantes, em especial, que chegava a ficar até 15 dias sem evacuar, após a pesquisa melhorou sua frequência para 3 vezes por semana.

QUAIS AS PRINCIPAIS CONCLUSÕES QUE VOCÊS TIRARAM DESSE TRABALHO?

Especialistas: Observamos que o Suco Verde Padronizado contribuiu positivamente para a melhora da constipação funcional das voluntárias que participaram da pesquisa. Esse efeito justificou-se principalmente pelo teor de fibras do suco, que também se mostrou capaz de ajudar na introdução ou mesmo na readaptação de hábitos alimentares saudáveis - o que é fundamental para a reversão da constipação intestinal funcional. Apesar disso, entendemos que a abordagem Naturológica contribuiu, de forma fundamental, para a melhora observada, em função das medidas educacionais e da relação de troca estabelecida entre as pesquisadoras e as voluntárias.

NO TRABALHO DE VOCÊS O SUCO FOI USADO COMO UM FATOR DE ESTÍMULO AO EQUILÍBRIO FISIOLÓGICO. MAS O SUCO VERDE TAMBÉM PODE SER USADO COMO ALIMENTO?

Especialistas: Com certeza! O Suco Verde Padronizado é um alimento. Ele pode ser incorporado no dia-a-dia das pessoas e foi elaborado justamente para se tornar uma opção simples, acessível e prática de promover a saúde. Além de ser composto por ingredientes que, com exceção da maçã, são encontrados durante todo o ano. Isso facilita a escolha por alimentos orgânicos.

COMO PREPARAR UMA RECEITA SIMPLES E EFICAZ DE SUCO VERDE PARA QUEM QUER CUIDAR DE SUA SAÚDE INTESTINAL? E PARA UMA REFEIÇÃO LEVE E NUTRITIVA, DE FÁCIL DIGESTÃO?

Especialistas: Para fazer o Suco Verde Padronizado, separe os seguintes ingredientes:

  • suco de 2 laranjas peras
  • 2 folhas de alface (qualquer variedade)
  • 4 folhas de escarola,
  • 2 folhas de couve manteiga,
  • 1/2 cenoura com casca,
  • 1 maçã Fuji,
  • 1 colher de sopa de linhaça hidratada*

*Hidratação: deixe a semente de linhaça de molho, em um recipiente de vidro, com água filtrada. O pote deve ficar tampado durante a noite (mais ou menos por oito horas), dentro da geladeira. Feito isto, despeje as sementes em uma peneira e lave-as em água corrente filtrada.

Como preparar: Coloque o suco de laranja no copo do liquidificador junto com os seguintes ingredientes: alface, escarola e couve. Com o auxílio da cenoura, bata todos estes ingredientes até formar uma substância homogênea. Após este processo, coe com o coador de voil. Transporte o líquido que foi coado de volta para o copo do liquidificador (previamente higienizado) e bata junto à maçã fuji picada e à semente de linhaça hidratada. Assim feito, beba o suco imediatamente!

Obs.: Dê preferência aos ingredientes orgânicos. Em caso de não tê-los, utilize a cenoura sem casca.

 

Fonte: Por KATIA LEITE - Com formação universitária em Naturologia, dedica-se a atendimentos individuais e em grupo em São Paulo. Busca nos elementos da natureza os instrumentos que ajudam a manter e recuperar a saúde. contato: katiaaj@hotmail.com .

http://www.personare.com.br

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

9 atitudes que NÃO funcionam quando você decide emagrecer

 

A scale with a tape measure wrapped around it tied in a bow. The display window says HELP!  White background. Dieting concept. A decisão de reduzir peso não está fora de você, nos amigos, em falsas esperanças, nas promessas, nos remédios… Está dentro de você e tem a ver com sua auto-estima. Quando você decide que quer emagrecer, precisa adquirir confiança em si mesma, acreditar que vai obter resultados, mesmo que demore algum tempo, mas que seja para toda a vida. E a única forma de conseguir isso é mudando a cabeça e as atitudes no que se refere à sua alimentação.

Veja algumas atitudes que não funcionam quando você decide emagrecer:

1 – Fechar a boca e passar fome.

2 – Fazer jejum.

3 – Fazer promessa para deixar de comer doces, tomar refrigerante ou outr tipo de alimento que ama de paixão.

4 – Pular refeições.

5 – Pesquisar em farmácias para ver o que tem de novidade em matéria de remédios, chás, shakes para emagrecer. Conseguir a fórmula, mas sem vontade de mudar…

6 – Consultar aigos para saber o que estão fazendo de novo para emagrecer.

7 – Ver como os famosos estão fazendo…

8 – Fazer uma aposta com algum amigo ou parente, com prazo de tempo apra perder determinados quilos.

9 – Deixar para começar a dieta na segunda-feira.

fonte: Livro A dieta do bom humor – Drª Sonia Tucunduva Philippi

http://mdemulher.abril.com.br/blogs/karlinha/

Mais fome nos dias frios

 

Entenda por que a vontade de alimentos quentes e gordurosos aumenta quando a temperatura está baixa
Por TaigaCazarine

Pensar_em_comida Você já percebeu que no frio, toda vez que vai comer, dá aquela vontade de escolher algo bem gostoso e quentinho? Saladas e legumes, nem pensar! Calma, não precisa se sentir culpada. Esse desejo é comum e tem explicação. Quando os termômetros despencam, o organismo tenta manter sua temperatura ideal. Por isso, sente mais necessidade de carboidratos e gorduras, nutrientes que fornecem energia em um piscar de olhos e ajudam a aumentar a produção de calor, aquecendo o corpo. Ou seja: está explicado aquela vontade de devorar bolos, torradas, pães, massas e doces. “Não há como escapar. O jeito para não estragar a dieta é controlar o desejo e não abusar. Além disso, supere a preguiça e pratique uma atividade física para ajudar a queimar calorias”, diz o gastroenterologista Laércio Ribeiro, da Federação Brasileira de Gastroenterologia.

Fonte:  http://www.revistashape.com.br

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Cuidado com o jejum antes dos exercícios físicos

 

fitness Não é muito difícil alguém dizer que acorda e vai para academia sem tomar café da manhã, ou que depois de um dia de trabalho vai praticar exercícios sem comer nada.

Isso geralmente acontece por falta de tempo, por não ter se programado ou com a intenção de queimar mais calorias e emagrecer mais rápido.

Mais sabia que para ter um bom desempenho na prática de exercícios, e em conseqüência queimar gordura corporal é essencial ter se alimentado de forma adequada antes de praticar exercícios? Ficar um longo período sem se alimentar pode resultar em vários sintomas desagradáveis, como: raciocínio confuso, cansaço, dores de cabeça, tontura, etc.

São sintomas relacionados ao processo de hipoglicemia, isto é, a queda da glicose na corrente sanguínea.

Durante o exercício há um aumento do gasto energético e ocorre uma alteração no metabolismo. Se você estiver sem comer há muito tempo ocorre a queda da glicemia, então o organismo começa a usar a proteína como fonte de energia, e dessa forma você perde massa magra (massa muscular). O seu rendimento também cai muito, você se sente cansado, não tendo o mesmo desempenho que teria se estivesse se alimentado corretamente.

Quem pratica exercícios de manhã e não realiza o café da manhã ficará facilmente mais de dez horas em jejum. Isso pode favorecer o aparecimento de infecções, já que o organismo está debilitado devido à falta de nutrientes.

O ideal é consumir pelo menos uma fonte de carboidrato (pão, fruta, barra de cereais, aveia, torrada) uma a duas horas antes dos exercícios. Caso a refeição anterior seja o café da manhã, almoço ou jantar, é importante fazer uma refeição balanceada, com mais grupos alimentares.

 

Fonte: Por Roberta dos Santos Silva
Nutricionista-chefe do programa Cyber Diet, formada pela Universidade Católica de Santos CRN-3 14.113

http://cyberdiet.terra.com.br

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Ouse não comparar

 

"Você chama de violentas as águas de um rio que tudo arrastam; mas não chama de violentas as margens que o aprisionam."
Bertolt Brecht

 

Se você quer ser um miserável mortal, faça comparações.

Você compara quando coloca uma pessoa do lado da outra com propósito de enfatizar as diferenças ou mostrar as semelhanças. Isto se aplica a lugares e coisas também. Podemos nos tornar tão hábeis nessa atividade que conseguimos até fazê-la inconscientemente pela força do hábito.

Inadvertidamente, as rodas de nosso pensamento escorregam para dentro do buraco desse hábito odioso. As comparações aparecem em pelo menos dois padrões. Padrão um: Nos comparamos aos outros. Quase todos nós chegamos à presunçosa opinião que temos sobre nós mesmos por meio de comparações. Julgando os outros, concluímos: "Não sou como essa pessoa. Sou superior a essa gente". O orgulho não existe no vácuo.

Quando nos elevamos num "pedestal" inevitavelmente deixamos outras pessoas na poeira. Um poema de autor não identificado trata de maneira inteligente essa triste característica da humanidade.


Outra noite sonhei que a morte chegara;
E as portas do céu se abriram totalmente.
Com bondosa graça, um anjo
Conduziu-me para dentro.
Lá dentro, para minha surpresa,
Estavam pessoas que conheci na Terra.
Algumas que julguei e rotulei de
Não adequadas ou de pouco valor.
Palavras indignas me chegaram aos lábios,
Mas jamais saíram deles.
Pois todos os rostos demonstraram grande surpresa,
Ninguém me esperava ali!
Em vez de se comparar com outras pessoas, avalie-se de acordo com
seu próprio potencial. Quando você utiliza esse padrão, sempre é
capaz de chegar mais longe e de sonhar mais.

Padrão dois: Comparamos os outros com os outros. Isso é pior do que injusto, é estúpido e freqüentemente cruel. As crianças sofrem muito com adultos bem intencionados que listam os talentos de uma criança na frente de outra em uma errônea tentativa de motivação.

Muitos conheceram a mágoa e a frustração de ouvir pais e professores fazendo comentários pouco elogiosos, como: "Por que você não consegue tirar A como seu irmão mais velho?". E outras demonstrações semelhantes de pouco caso: "Viu como Tiago aprendeu a nadar rápido! Então por que você está com tanto medo?". Esse tipo de comparação é tóxica - envenena a auto-imagem da criança e sufoca a motivação que os pais buscavam disseminar.

Mas as crianças não são as únicas vítimas. As pessoas comparam escritores, radialistas, atores, líderes, personalidades, esposas e mães, familiares e amigos, casas e carros, empregos e salários, maridos e pais. Isso é odioso!

São as diferenças variadas que mantêm nossas atitudes positivas e prazerosas. Tentar comparar um dia com outro e depois reclamar porque hoje não foi tão bom quanto ontem, seria uma tolice e uma loucura completa.

O mesmo princípio se aplica a todas as pessoas. O empenho de parecer com alguém a fim de sermos valorizados é um insulto ao nosso verdadeiro ser. Sim, podemos sentir-nos inspirados pelo exemplo dos outros e tentar desenvolver qualidades semelhantes de caráter, mas elas terão de ser expressas do nosso próprio jeito.

Deus, nosso sábio e criativo Criador, teve o cuidado de fazer cada um diferente do outro e também não fez ninguém perfeito! Quanto mais rápido aceitamos e apreciamos esse fato, mais profundamente aceitamos e apreciaremos o próximo, tal qual nosso projetista havia planejado. Realmente, só uma coisa seria pior do que a constante comparação: se todos fôssemos iguais. Você consegue pensar em algo mais desagradável?

"Não sei o segredo do sucesso; mas o do fracasso é querer agradar a todos."
Herbert Bayard Swope

 

Fonte: Por Daniel C. Luz
Autor dos livros Insight I e Insight II DVS Editora

http://cyberdiet.terra.com.br

imagesb

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Unindo Forças

 

dieta-casal-emagrecer-junto

 

Quando duas pessoas se escolhem como parceiros, estar juntos pode significar união de forças. Muitos casais têm características físicas semelhantes: às vezes os dois são obesos e às vezes ambos são magros.

Outros casais diferem, quando um parceiro tem necessidade de controlar a alimentação para emagrecer e o outro não. Estas diferenças podem acarretar problemas de relacionamento, dependendo da forma como o casal lida com elas.

Quando os dois parceiros precisam controlar o peso para manter um corpo saudável, a ajuda mútua pode ser um estímulo em direção às conquistas positivas. Como hoje em dia as relações sociais acontecem muito freqüentemente em bares, restaurantes ou em jantares em casa de amigos, é necessário saber selecionar o que comer, tendo sempre em mente a orientação obtida com nutricionista.

Não cair em tentação, ou pelo menos em grandes tentações, já que ninguém é de ferro, é o grande lance. O casal pode conversar antes de ir a alguma comemoração e se posicionar de forma determinada a não ingerir alimentos calóricos. Nesse caso a cumplicidade se torna parceira importante. Vale também fazer uma alimentação leve antes de sair para comemorações, pois o apetite será menor, diminuindo assim o risco de comer de forma incorreta.

Quando num casal apenas um dos parceiros precisa emagrecer, aí então o incentivo do outro é importante e delicado. Sabemos que o metabolismo difere de pessoa para pessoa. Assim, muitas vezes a quantidade e a qualidade do que se come pode gerar conseqüências diferentes para cada um dos parceiros

Todo relacionamento humano está repleto de diferenças, mas quando se fala com clareza, sobre a necessidade de controlar a alimentação e se pede a ajuda do outro para realizar esta tarefa, as chances de sucesso são maiores. No dia-a-dia, a alimentação do casal deve privilegiar alimentos mais leves e isto pode ser uma vantagem não apenas para quem está mais obeso, mas também para o parceiro mais magro que descobrirá neste tipo de alimentação uma forma mais equilibrada de viver.

Corpo e mente com saúde é o que todos desejamos. O apoio e a cumplicidade do outro sempre fazem muito bem, e podem ajudar a conquistar as metas que estabelecemos para nossas vidas. É muito importante que o casal converse e faça planos para que haja sempre união de forças e seus sonhos sejam realizados, pois a frustração é um dos principais motivos para o fim dos relacionamentos.

Fonte: Por Flávia Leão Fernandes
CRP 06/68043 Psicóloga clínica, Mestre em Psicologia pela Universidade de Londres, Inglaterra e especialista em Psicologia Hospitalar com enfoque em obesidade.

http://cyberdiet.terra.com.br

blog divider (1)

Peso ideal = peso saudável?

 

balança,peso

Atualmente o que mais os profissionais da área da saúde indicam, é que as pessoas estejam dentro do peso considerado saudável, e assim evite o aparecimento de doenças como obesidade e outras relacionadas ao excesso de peso.

Porém, é essencial observar de que forma as pessoas conseguem ou tentam atingir esse peso.
Imagine falar para uma pessoa "chocolátra" que existe a dieta do chocolate, na qual consiste em comer apenas chocolate durante o dia e que assim ela eliminará peso. Seria um sonho não é? Mas pode ser que funcione, se ela reduzir o total de calorias e estas forem apenas provenientes de chocolate, ela até poderá emagrecer, mas os resultados serão desastrosos!
O peso na balança poderá cair, mas o aumento de gordura corporal e o surgimento de doenças como colesterol elevado, gastrite e outras, é quase inevitável. É preciso ter consciência que para emagrecer para valer, pensando em saúde, é importante ter uma alimentação balanceada, que forneça todos os nutrientes importantes para o seu organismo.
Uma pesquisa recentemente divulgada na mídia, fala-se sobre o perfil nutricional de modelos brasileiras. Verificou-se que apesar da maioria estar dentro da classificação saudável do IMC (Índice de Massa Corporal), muitas estão com a porcentagem de gordura corporal elevada e estão deficientes em nutrientes essenciais para o corpo. Apenas 8% cuidam do peso corretamente com dieta balanceada e atividade física.
A busca em estar bela nas passarelas, faz com que façam dietas desequilibradas e tenham atitudes erradas do ponto de vista nutricional, como fazer jejum, ficar muito tempo sem comer, fazer compensações, etc. Dessa forma, as chances de desenvolverem distúrbios como transtornos alimentares aumentam cada vez mais, além da possibilidade de contrair outras doenças resultantes de uma má alimentação.
Por isso, estar no peso ideal não significa estar com um peso saudável! O caminho para alcançar o peso tão sonhado de forma saudável pode ser até mais longo, mas com certeza valerá a pena, pode ter certeza!

 

Fonte: Por Roberta dos Santos Silva
Nutricionista-chefe do programa Cyber Diet, formada pela Universidade Católica de Santos CRN-3 14.113

 

imagesb

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Queijos e vinhos – Dicas para saborear sem medo

queijos-e-vinhos

O frio já chegou e junto com ele ficam mais frequentes as reuniões na casa dos amigos, algumas regadas a fondue, outras a cremes e massas e ainda a famosa, e calórica, combinação de queijos e vinhos.

Mas saiba que dá para aproveitar essa reunião sem colocar em risco a sua dieta e evitar os indesejáveis quilinhos a mais no final do Inverno. O segredo é sempre a moderação.
Elaboramos uma tabela de calorias com os queijos mais comuns e a quantidade de sódio e gordura presente em 1 porção de 20g de cada tipo.

tabela

*Clique na imagem para ampliar.

Se a reunião acontecer na sua casa, dê preferência pelos queijos menos calóricos como a ricota temperada, mussarela de búfala, mussarela comum, queijo minas frescal comum e light e mesmo o queijo camembert.
O vinho apesar de conter propriedades nutricionais que fazem bem à saúde também deve ser consumido com moderação, devido ao seu alto valor calórico. 1 taça de vinho, seja ele tinto, branco ou rosé, tem em média 70kcal.
Apesar do nome "queijos e vinhos", muitas vezes estão disponíveis outros alimentos como pães e frios. Também nessa parte é importante ficar atento, dê preferência aos frios menos gordurosos como o peito de peru.

 

Por: Camila Rebouças de Castro
Nutricionista - CRN-3 14.112

http://cyberdiet.terra.com.br

 

ShabbyBlogsDividerC

12 sugestões de lanches saudáveis

 

lanche saudavel

 

Você que precisa fazer refeições de três em três horas, mas não quer prejudicar sua dieta, esqueça os chocolates diet e salgadinhos.

Confira várias opções de lanches saudáveis que contêm, cada um, até 100 calorias.


1 - sanduíche quente de pão árabe pequeno integral com uma fatia média de queijo minas derretido e orégano
2 - torrada integral com pasta de grão de bico (uma colher de sopa) ou de atum com requeijão light, ou com ricota temperada com azeite e azeitonas
3 - pequeno sanduíche (uma fatia de pão integral cortada ao meio) com duas unidades de mussarela de búfala e uma unidade de tomate seco (lavar bem o tomate seco para tirar o óleo)
4 - uma xícara de café com um mix de castanhas, amêndoas e nozes
5 - uma fatia de abacaxi, melancia, ou pêra
6 - uma banana amassada com uma colher de sopa de aveia e uma colher de chá de mel
7 - seis ovinhos de codorna ou seis azetonas
8 - salada de frutas com uma colher sopa de granola com mel no lugar do açúcar
9 - um punhado de frutas desidratadas (damasco, uva passa, banana passa)
10 - um potinho de iogurte light
11 - um chocolatinho amargo com 70% de cacau (20g ou um tablete)
12 - uma fatia média de queijo branco cortada em cubinhos com azeite e orégano

Fonte: Por Jessica Moraes

 http://cyberdiet.terra.com.br

 

Blog_Divider_shabbymissjenndesigns

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Quer perder a barriga? Maneire na carne vermelha

carne-vermelha

Por Fábio de Oliveira

É o que dá para concluir dos resultados de um estudo publicado no periódico International Journal of Obesity. A pesquisa analisou a relação entre o consumo de carne vermelha e a ocorrência de obesidade usando o índice de massa corpórea (IMC) e a medida da circunferência da cintura em americanos adultos. Só para ter uma ideia, IMC acima de 30 e cintura além de 94 centímetros para os homens e 80 centímetros para mulheres já indicam um quadro obeso. 
Os cientistas recorreram a dados obtidos num trabalho realizado entre 1999 e 2004 nos Estados Unidos, oNational Health and Nutrition Examination Survey. A avaliação dessas informações revelou uma associação positiva entre o consumo de carne vermelha e o maior risco de obesidade e obesidade central, o nome técnico da popular barriga de chope. Além disso, quem ingeria maiores quantidades de bifes e afins também apresentou um consumo energético diário mais elevado. Em suma, novamente a carne vermelha sai com a pecha de malvada.

 

Fonte: http://saude.abril.com.br

Batata na dieta!

batata

Geralmente quem está de dieta para emagrecer foge da batata, já que a primeira imagem que vem a cabeça é aquela batata frita que todos adoram, mas que é cheia de gordura e engorda. Mas sabia que a batata tem propriedades interessantes para a saúde e que existem muitas formas de prepará-la para que fique saborosa e saudável? Conheça agora suas propriedades e confira dicas para o preparo.

Propriedades Nutricionais
Além de fornecer energia, por ser fonte de carboidrato, a batata contém vitaminas B e C, potássio, fibras e amido resistente, que auxilia no bom funcionamento intestinal e ajuda a prevenir doenças crônicas, como câncer e doenças do coração. A quantidade de minerais presentes na batata pode variar muito de acordo o tipo da batata, o clima, o local de plantio e o armazenamento.
A batata doce é rica em betacaroteno, substância antioxidante que traz benefícios à saúde, por isso tem grande quantidade de vitamina A.
A casca da batata possui alta concentração de propriedades antioxidantes também. Tem mais proteínas do que na polpa. Por isso, retire a casca somente depois de cozida.
100g de batata cozida tem aproximadamente 85 kcal, menos do que 100g de arroz! Por isso a troca é válida para quem está de dieta.
Dicas para o preparo
Batatas com baixo teor de água são indicadas para serem fritas e para preparar nhoques. Já as que têm alto teor de água, podem ser utilizadas para cozimentos. Para preparar batata assada recheada, o tipo mais recomendado é a batata inglesa.
As batatas devem ser bem lavadas e escovadas antes de cozinhar, para remover todas as sujeiras e microorganismos da casca.
Existem várias maneiras saudáveis de preparar a batata, por exemplo: Cozida com água e pouco sal e depois regar azeite e salpicar salsinha, dourar no forno com ervas, como o alecrim, pode acrescentar um molho branco preparado com leite desnatado e creme de leite light. O purê também é uma ótima opção, pois além de ser um excelente acompanhamento, você pode preparar outros pratos com essa base. Batata recheada também é uma excelente sugestão para o lanche.
Batata frita pode?
Essa é a preferência nacional, para muitos é bem difícil resistir a essa verdadeira tentação. Realmente quando frita, a batata se torna mais atraente devido sua textura crocante. Porém, quando mergulhada no óleo, ela se torna bem menos saudável e com um valor calórico bem alto.
As batatas congeladas, bastante consumidas atualmente, são pré-fritas, em óleo aquecido antes do processo de congelamento. Dessa forma, elas já contêm gordura antes de serem fritas em casa, tornando a batata ainda mais calórica e com mais gordura.
Assim, se você não resistir, é melhor preparar em casa, com óleo novo, com a menor quantidade possível e acertar na temperatura para que fique crocante e saborosa. Mas antes experimente assar, ao invés de fritar, existem algumas formas, como por exemplo: cortar no formato palito, fazer um pré-cozimento e colocar para assar.

 

Por:
Roberta dos Santos Silva
Nutricionista-chefe do programa Cyber Diet, formada pela Universidade Católica de Santos CRN-3 14.113

 

Blog_Divider_shabbymissjenndesigns (1)

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Frango com salada não é sempre a opção mais saudável do cardápio

 

Não existe um alimento que seja mais saudável que o outro, é tudo uma questão de equilíbrio. O filé de frango tem menos calorias que o bovino – 150 contra 269 para os mesmos 100 gramas –, mas é pobre em ferro. O Bem Estar desta quinta-feira (5) trouxe o nutrólogo Eric Slywitch e a pediatra Ana Escobar, consultora do programa, para discutir o assunto.

Eles apresentaram quatro refeições bem nutritivas, que englobam os principais grupos de alimentos: frango com polenta, macarrão à bolonhesa, arroz com peixe (veja a receita da sardinha escabeche no fim do texto) e sanduíche de ovo. Além desses pratos, você confere o de milho com lentilha.

Arte Bem Estar receitas saudáveis (Foto: Arte / G1)

*clique na imagem para ver maior

 

Um levantamento do Ministério da Saúde mostra que a participação das carnes na alimentação dos brasileiros cresceu 50%. Somente os embutidos, como a salsicha, tiveram um aumento de 300% no consumo.

O Bem Estar foi às ruas e viu na prática como as pessoas gostam de carne. O repórter Renato Biazzi visitou uma churrascaria de São Paulo e propôs que os clientes trocassem algumas das carnes por lentilha ou feijão. Mas ninguém resistiu à tentação do churrasco.

Esse crescimento da demanda requer atenção. O ideal é limpar bem as carnes antes do preparo e optar pelas menos gordurosas. É na gordura que mora o grande perigo, pois ela eleva o risco cardíaco e a obesidade. Por isso, o governo recomenda um consumo diário moderado: um bife bovino ou outra proteína grelhada com 64 gramas, ou o tamanho da palma da mão.

Eric Slywitch ressaltou que é um engano pensar que carne não engorda porque se trata de proteína. O indivíduo pode ganhar peso, sim, e desenvolver problemas graves de saúde se abusar. Pelo acúmulo de gordura, podem aumentar as chances de doenças no fígado, câncer de cólon e reto.

Isso só ocorre, porém, se o consumo for exagerado. Na medida certa, a carne é uma boa fonte de nutrientes. Além de rica em ferro, é a principal origem de vitamina B12, presente ainda em leite e ovos. Essas duas substâncias são importantes para a produção de hemácias, células que transportam oxigênio e compostos pelo sangue. A deficiência delas, portanto, pode levar à anemia.

No caso dos vegetarianos, é importante consultar um médico ou nutricionista para garantir a substituição adequada dos alimentos e não ter riscos à saúde. Quanto mais restrita for a alimentação, isto é, se exclui carnes, leite e derivados e/ou ovos, mais importante é essa orientação.

Receita da sardinha escabeche
Ingredientes:
- 25 g de filé de sardinha
- 1/4 de cebola
- 4 fatias de tomate
- 1 colher de sopa de pimentão verde
- 1 colher de sopa de pimentão vermelho
- 1/2 colher de sopa de azeite de oliva
- 1 colher de sopa de vinagre
- 1/2 dente de alho
- Ramos de salsinha
- Sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Fazer uma "cama" em uma travessa com a cebola cortada em rodelas. Colocar as sardinhas e cobri-las com os demais ingredientes, finalizando com o óleo e o vinagre. Levar ao forno (coberto com papel alumínio) e deixar por 20 a 30 minutos.

 

Fonte: http://g1.globo.com/bemestar/

 

blog divider

domingo, 7 de agosto de 2011

Prato e copos menores ajudam a perder peso, afirma americano

 

Psicólogo americano propõe mudanças simples a quem quer emagrecer.
Tirar alimentos 'perigosos' da frente e comer na cozinha são outras dicas.

Pequenas mudanças no ambiente em que se vive, como usar pratos menores e copos mais finos, podem fazer toda a diferença na hora de perder peso, segundo estudo do psicólogo especializado em consumo Brian Wansink, da Universidade Cornell, em Nova York, e autor do livro “Comer sem pensar: Por que nós comemos mais do que imaginamos”.

Essas descobertas para uma vida mais saudável foram apresentadas em uma palestra na última sexta-feira (5), durante a 119ª convenção anual da Associação Americana de Psicologia, em Washington D.C.

Duas saídas simples e proveitosas, de acordo com Wansink, podem ser fazer refeições em pratos de salada em vez de pratos grandes e manter os alimentos não saudáveis fora da linha de visão em armários e geladeiras, além de colocar os mais saudáveis ao nível dos olhos.

Prato enorme (Foto: Divulgação/Brian Wansink/Cornell University)Pessoas que se alimentam em pratos grandes
tendem a comer mais, revela pesquisa americana
(Foto: Divulgação/Brian Wansink/Cornell University)

O pesquisador recomenda, ainda, comer sempre na cozinha ou na sala de jantar, e não em frente à televisão ou ao computador.

Quem fizer comida demais deve dividir o conteúdo em duas partes e congelar a metade antes de colocá-la na mesa. E é preciso ter consciência de que a obesidade não atinge apenas quem almoça ou janta em restaurantes.

"Nossas casas estão cheias de armadilhas de comida escondidas. E essas estratégias simples têm muito mais chance de êxito do que a força de vontade isolada. É mais fácil mudar o ambiente do que a sua mente", disse Wansink, que é PhD no assunto.

"A maioria de nós está cercada de caos para se concentrar, conscientemente, em cada mordida que dá e, depois, se perguntar se está satisfeita. O segredo é mudar seu ambiente para que ele funcione a seu favor e não contra você", destacou Wansink. Todas essas mínimas alterações podem ajudar a emagrecer até um quilo por mês, conforme o estudo.

O psicólogo identificou vários mitos sobre comportamento alimentar para explicar por que os americanos, em média, estão ficando mais gordos. "As pessoas não pensam que algo tão simples como o tamanho de uma tigela pode influenciar na quantidade que alguém, mesmo com alto grau de instrução, come”, afirmou.

No entanto, vários trabalhos mostram exatamente isso, incluindo um coordenado por Wansink – e publicado em 2005 – com 168 espectadores de cinema que comiam pipoca fresca ou murcha (feita há cinco dias) de recipientes com diferentes tamanhos. Na sessão do filme “O troco”, com o ator Mel Gibson, os voluntários consumiram 45% mais pipoca fresca em embalagens extra-grandes que nas grandes. Entre os que “optaram” pela pipoca amanhecida, a ingestão foi 34% maior quando o recipiente era tamanho família.

Livro comida (Foto: Divulgação)

 

Imagem do livro publicado em 2006 pelo pesquisador
americano Brian Wansink (Foto: Divulgação)

 

 

 

 

“Eles simplesmente não percebiam que estavam fazendo isso”, disse Wansink. E a estratégia também se aplica ao que se bebe: a pesquisa revelou que as pessoas põem 37% mais líquido em copos pequenos e largos do que nos compridos e finos de mesmo volume.

Até mesmo uma tigela de cereal infantil pode ser uma armadilha, segundo o psicólogo. Um estudo apontou que crianças de pesos diferentes que receberam uma tigela de 450 gramas eram mais propensas a se servir do dobro de cereais que os pequenos com uma tigela de metade do tamanho.

Dificuldade de parar
Outro mito, de acordo com Wansink, é o de que as pessoas têm noção de quando estão cheias e acabam parando antes de comer demais. O Laboratório de Alimentos e Marcas, onde o pesquisador atua em Cornell, projetou uma “tigela sem fundo”. Eles convidaram 60 voluntários para um almoço livre e ofereceram tigelas de 620 gramas com sopa pela metade. Metade dos participantes, sem saber, recebeu tigelas que eram lentamente preenchidas com sopa, por meio de um sistema de pressão instalado embaixo da mesa.

O resultado foi que as pessoas com “tigelas sem fundo” comeram 73% mais do que aquelas com recipientes normais. Quando questionadas sobre isso, porém, disseram que não perceberam ter comido demais. "A lição é não confiar no seu estômago para lhe dizer quando você está cheio. Ele pode mentir", afirmou Wansink.

Estar consciente dessas descobertas pode ajudar a população a fazer escolhas mais saudáveis, especialmente entre os que já estão tentando comer alimentos melhores, segundo o pesquisador. Em uma pesquisa com 2.500 americanos, quatro de cada cinco disseram que estariam satisfeitos ao perder menos de 8 quilos.

 

Fonte: http://g1.globo.com/bemestar/

ShabbyBlogsDividerK

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Estudo diz que dietas fazem células do cérebro se canibalizarem

 

Pesquisa publicada na revista 'Cell Metabolism' poderia explicar por que é tão difícil manter resultados de dietas de emagrecimento.

Da BBC

Um estudo publicado na revista científica Cell Metabolism pode ajudar a explicar por que é tão difícil seguir uma dieta de emagrecimento.

Segundo a pesquisa, quando se passa fome, os neurônios responsáveis por regular o apetite passam a comer partes deles mesmos.

Os cientistas acreditam que isso aconteceria porque após um período de jejum e o uso emergencial de reservas de gordura, o corpo receberia um sinal de que há uma falta de comida e faria com que as células se alimentassem delas mesmas.

Os experimentos realizados com camundongos em laboratório revelaram que o ato de 'autocanibalismo' destas células gera a liberação de ácidos graxos, que por sua vez resulta em níveis mais altos de uma substância química no cérebro (a proteína agouti, AgRP) que estimula o apetite.

Um dos responsáveis pelo estudo, o pesquisador Rajat Singh, do Albert Einstein College of Medicine, em Nova York, acredita que remédios que interfiram neste processo de autofagia das células do cérebro poderiam ajudar a tratar a obesidade, fazendo com que as pessoas sintam 'menos fome e queimem mais gordura'.

Segundo ele, quando a autofagia foi bloqueada nos neurônios dos camundongos, os níveis de AgRP não se elevaram em resposta à fome e os níveis de outro hormônio, o hormônio estimulante dos melanócitos, permaneceram altos. Esta alteração na química do corpo levou os camundongos a ficarem mais magros, já que eles comiam menos após um período de jejum e gastavam mais energia.

Por outro lado, Singh explicou que níveis cronicamente altos de ácidos graxos na corrente sanguínea, como acontece em pessoas com dietas ricas em gordura, podem alterar o metabolismo dos lipídios, 'criando um circulo vicioso de superalimentação e equilíbrio de energia alterado.'

O estudo também pode ajudar a explicar por que o apetite tende a diminuir com a idade, já que as células de um corpo mais idoso não conseguiriam realizar a autofagia tão bem.

 

Fonte: http://g1.globo.com/ciencia-e-saude

Prestar atenção no valor calórico dos alimentos ajuda a manter o peso

 

Veja o quanto um alimento muito calórico equivale de outras opções mais saudáveis e organize seu lanche.

 

Muitas vezes, consumimos alimentos que são verdadeiras bombas calóricas disfarçadas, enquanto outros não engordam tanto quanto parecem. E é importante ficar de olho nessas quantidades para não ultrapassar o valor diário recomendado: 2 mil calorias para mulheres e 2.500 para homens.

Para falar sobre somas, trocas, ajustes e equilíbrios calóricos, o Bem Estar desta quarta-feira (3) convidou o endocrinologista Alfredo Halpern e a nutricionista Mônica Beyruti.

No Jogo das Equivalências, o programa mostrou 25 alimentos, e um casal participante teve que acertar o valor calórico de cada um.

Calorias equivalentes (Foto: Arte/G1)

*clique na imagem para ver maior

A professora de dança Sueli Costa, de 53 anos, trabalhou a vida toda como bailarina clássica, é porta-bandeira há 16 anos e há 8 carrega o pavilhão oficial da escola de samba paulistana Rosas de Ouro. Ela se preocupa com a aparência: vai à esteticista, malha, faz tudo para melhorar o corpo por fora e também por dentro. Uma vez por ano, faz um check-up completo.

No café da manhã, por volta das 9h, Sueli come meio pãozinho ou duas bisnaguinhas e café com leite. Também gosta de presunto e queijo puros, sem pão. No almoço, opta por feijão. Massas, só uma vez por semana. Ela também adora verduras e legumes: alface, rúcula, tomate seco e abobrinha, além do champignon.

Ela e o marido, Osmar, trabalham à noite e, por isso, o jantar é uma refeição fundamental para o casal. Ela costuma preparar arroz, feijão, macarrão, frango, churrasco ou carne cozida. Gosta de batata frita, mas só fora de casa. Come de tudo, sempre com moderação. E é viciada em suco de melancia.

O empresário Osmar Costa, de 50 anos, tem uma vida sedentária e estressante: passa o dia inteiro sem se alimentar e come muito à noite. Procura dormir 7 horas por noite, mas reconhece que isso é difícil. No café da manhã, só cafezinho preto. No almoço, não costuma comer nada, e começa a trabalhar por volta do meio-dia. À tarde, raramente come algo no escritório, só quando sente fome.

No jantar, Osmar pega pesado. Em casa, a Sueli sempre se preocupa em ter salada. Ele diz que come sanduíche de lanchonete, mas dificilmente fast food e salgadinhos. Prefere comida feita na chapa. Não bebe nada de álcool há 16 anos, só água, refrigerante e café. Não gosta de leite nem suco, mas não dispensa um queijinho nem consegue voltar do supermercado sem uma caixa de bombom. Depois das refeições, sempre procura algum doce. E diz que não se preocupa com calorias nem rótulos.

Valor calórico dos alimentos
- Macarrão instantâneo = 400 calorias
- Bolo de chocolate = 350 calorias
- Misto-quente = 340 calorias
- Açaí com granola = 250 calorias
- Pudim de leite = 230 calorias
- Meio pão na chapa = 230 calorias
- Pão de queijo = 220 calorias
- Empadinha de palmito = 200 calorias
- Leite com achocolatado = 200 calorias
- Bife = 170 calorias
- Chopp = 120 calorias
- Leite = 120 calorias
- Suco de laranja sem açúcar = 120 calorias
- Bombom = 110 calorias
- Salgadinho = 100 calorias
- Filé de frango = 100 calorias
- Refrigerante = 80 calorias
- Pipoca = 70 calorias
- Brigadeiro = 60 calorias
- Meio mamão papaia = 50 calorias
- Café com leite e açúcar = 120 calorias
- Uma colher de leite condensado = 50 calorias
- Água de coco = 40 calorias
- Biscoito recheado = 40 calorias
- Bolacha água e sal = 20 calorias

Quantidade diária recomendada

Homem
Café da manhã – 500 calorias
Lanche da manhã – 250 calorias
Almoço – 750 calorias
Lanche da tarde – 250 calorias
Jantar – 750 calorias

Total: 2.500 calorias

Mulher
Café da manhã – 400 calorias
Lanche da manhã – 200 calorias
Almoço – 600 calorias
Lanche da tarde – 200 calorias
Jantar – 600 calorias

Total: 2.000 calorias

 

Fonte: http://g1.globo.com/bemestar


Blog_Divider_shabbymissjenndesigns (1)

Frutas secas tradicionais são tão saudáveis quanto frutas frescas

frutas secas

Versões como a da maçã e ameixa ajudam a cumprir meta de consumo

Por Minha Vida

Segundo trabalhos apresentados no 30º Congresso Mundial de Castanhas e Frutas Secas, em maio deste ano, o consumo de frutas secas é uma boa alternativa para alcançar a ingestão recomendada de frutas em uma dieta balanceada. Os pesquisadores presentes no evento afirmaram que frutas desidratadas como damasco, maçã, tâmara, figo, uva passa e ameixa deveriam ser postas lado a lado com as frutas frescas pelos formuladores de dietas.
As frutas desidratadas são ótimas fontes de fibra e, assim como as frutas frescas, têm baixos índices glicêmicos, desempenhando um importante papel na prevenção de diversas doenças metabólicas. Além disso, elas estão entre os principais alimentos ricos em potássio e ainda contêm grande variedade de antioxidantes, vitaminas e minerais, únicos para cada fruta.

papel manteiga folha

Um erro frequente encontrado nas comparações entre frutas secas e frescas, até então, era o fato de as análises utilizarem amostras de peso equivalentes. Como era previsível, a quantidade de açúcar presente na porção de frutas desidratadas era bem maior, já que ela não contava com o peso da água. Entretanto, se as porções e a quantidade de água forem levadas em conta, o açúcar natural das frutas e suas calorias se tornam equivalentes aos das frutas secas.
Organizado pela Fundação Internacional de Castanhas e Frutas Secas, o congresso uniu as principais indústrias do ramo e renomados pesquisadores da área de saúde. Estiveram presentes 30 estudiosos dos Estados Unidos, Grécia, Turquia, Japão e Reino unido.

Benefícios do consumo de frutas
Pouco importa se são secas ou frescas. O importante é não deixar de ingerir frutas. Elas são saborosas e contêm fibras e fitoquímicos capazes de reduzir os riscos de diversos tipos de câncer, além de serem importantes aliadas na luta contra o envelhecimento, diz a nutricionista Daniela Jobst. Conheça alguns dos principais benefícios de algumas delas.

1. Banana: ótima fonte de potássio, ajuda a regular a pressão arterial. Também são ricas em vitaminas do complexo B e C. Além disso, a fruta é ideal para ingerir entre as refeições, quando bate aquela vontade de atacar um doce, já que conta com triptofano, um elemento que aumenta os níveis de serotonina, o hormônio do bem-estar.
2. Pera: segundo um estudo realizado pelo Instituto de Medicina Social do Rio de Janeiro e publicado no Journal of Nutrition, comer três peras por dia ajuda a eliminar os quilos extras. A fruta é rica em vitamina A, C, vitaminas do complexo B, fibras e água.
3. Mamão: a papaína encontrada no mamão é altamente digestiva. Além disso, esta fruta tem excelente poder laxante.
4. Abacaxi: a bromelina encontrada no abacaxi é capaz de quebrar proteínas em pequenos pedaços, auxiliando na digestão de carnes e outras proteínas.
5. Goiaba: assim como o tomate, a fruta é rica em licopeno, substância que neutraliza a ação de radicais livres e estimula o sistema imunológico. Estudos apontam o licopeno como redutor de risco de câncer, principalmente de próstata.

 

Fonte: http://msn.minhavida.com.br

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Os benefícios de oito frutas brasileiras

 

Além de exóticas, elas têm grande valor nutricional e esbanjam sabor.

POR NATALIA DO VALE

Elas ficaram tão famosas e requisitadas pelo mundo que hoje não é difícil encontrar alguém comendo açaí ou mangaba pelas ruas do Japão ou em algum país europeu.
As frutas típicas do Brasil são conhecidas por seu sabor exótico e pelas inúmeras combinações que permitem preparar pratos variados e gostosos.
Além destas qualidades, as frutas apresentam valores nutricionais importantes e devem ser incluídas com frequência no cardápio. "Além de saborosas, elas previnem doenças, se adequam a dieta e enchem o prato de energia", explica a nutricionista do Dieta e Saúde, Roberta Stella.
A seguir, conheça as vantagens de consumir oito frutas da biodiversidade brasileira.

1. Açaí

acai Apesar do alto teor de gordura do açaí, trata-se em grande parte de gorduras monoinsaturadas (60%) e poli-insaturadas (13%). Estas gorduras são benéficas e auxiliam na redução do colesterol ruim (LDL) e melhoram o HDL, contribuindo na prevenção de doenças cardiovasculares, como o infarto. Cada 100g do fruto tem 262 calorias. "O açaí tem gorduras que fazem bem para a saúde e por isso deve ser incluído no cardápio, porém, o ideal é consumi-lo sem adição de complementos muito calóricos, isso ajuda a manter a dieta", sugere Robert Stella. Gorduras: 52%, Fibras: 25%, Proteínas: 10%.

2. Cupuaçu

 cupuacu O cupuaçu contém vitaminas, minerais e pectina, uma fibra solúvel que ajuda a manter bons níveis de colesterol. Além disso, sua polpa pode ser utilizada na preparação de sucos, sorvetes, vinhos, licores ou doces. As sementes podem substituir as do cacau na fabricação do chocolate e seu valor calórico é baixo. Cada 100 gramas da fruta tem 72 calorias. Carboidratos: 9,8 g, Proteínas: 1,2 g, Gorduras Totais: 1,1 g, Gorduras Saturadas: 0,0 g, Gorduras Trans: 0,0 g.

3. Castanheira do Pará

castanha A castanheira do Pará é uma das mais importantes árvores amazônicas. Seu fruto é muito rico em gorduras e proteínas. Além disso, tem dois nutrientes especiais: o selênio e a vitamina E, antioxidantes que bloqueiam os radicais livres, que destroem as células e com o tempo são responsáveis pelo aparecimento de doenças cardiovasculares e câncer. O consumo de uma castanha-do-pará por dia é capaz de suprir a necessidade diária de selênio, mineral que reforça o sistema imunológico. Cada 100 gramas leva 400 calorias. Proteínas: 14g, Gorduras: 66g, Carboidratos: 13g, Gordura saturada: 16g, Gorduras Polinsaturadas: 21g, Gorduras Monoinsaturadas: 23g.

4. Caju

caju O caju é rico em carboidratos, fibras, minerais (como cálcio, fósforo e ferro), vitamina C e complexo B. Para se ter uma ideia, ele tem três vezes mais vitamina C do que a laranja. Enquanto 100 ml de suco desta última contém 60 mg dessa vitamina, a mesma quantidade de suco de caju concentra de 200 a 250 mg e oferece cerca de 47 calorias. "Além do sabor pra lá de agradável, o caju apresenta oxidantes importantes para a saúde e tem pouca gordura. Pode ser consumido em saldas, doces e sucos", explica Roberta Stella.

5. Jaboticaba

jaboticaba Fruta com elevado valor nutritivo, a jabuticaba é riquíssima em vitaminas do Complexo B, principalmente B2 e niacina, aparecendo em menor quantidade a vitamina C e, ainda, sais minerais (ferro, cálcio e fósforo). As vitaminas do Complexo B tem como principais funções evitar problemas de pele, reumatismo, são essenciais ao crescimento e evitam a queda dos cabelos. Cada 100 gramas da fruta têm cerca de 40 calorias.

6.  Carambola

carambola A carambola é fonte de vitaminas A e C. Fornece ainda sais minerais como cálcio, ferro e fósforo. Tem sabor agridoce e sua cor varia do verde ao amarelo, dependendo do seu grau de maturação. A polpa é propícia para sucos e geleias. 100 gramas de carambola fornecem 29 calorias. "Além de saborosa e leve, a fruta apresenta função diurética ajudando no combate a retenção de líquidos", explica a nutricionista.

7.  Mangaba

mangaba Em dias de calor, saborear o suco de mangaba é uma boa pedida, pois a fruta é refrescante e ameniza os efeitos da alta temperatura. Mas não é só o suco que possui admiradores. Os doces e as sobremesas também enchem a boca d?água daqueles que apreciam a mangaba.Cada 100 gramas da fruta possui cerca de 65 calorias. Informação nutricional por 100g de mangaba: Energia: 66,21 Kcal, Proteínas: 1,20 g, carboidratos: 10,2 g e fibras: 3,40 g.

8.  Graviola

graviola Aproveitam-se as folhas, as flores, os brotos, os frutos verdes ou maduros da graviola. A polpa é branca, macia e fibrosa. Pode ser consumida in natura, mas é bastante apreciada em sucos, geleias e sorvetes. Cerca de 100 gramas de graviola fornecem em média 60 calorias, 25 mg de cálcio, 28 mg de fósforo e 26 mg de vitamina C.

 

Fonte: http://msn.minhavida.com.br

 

blog divider (1)

10 erros comuns na hora de cozinhar

cozinhando-para-si

Tudo o que você quer é ter um estilo de vida mais saudável? Pois uma maneira eficiente de conquistar esse objetivo é rever os ingredientes que você usa, o tipo de preparação e como manipular os alimentos

Por Rita Trevisan e Louise Vernier

Uma distração aqui, uma bobeada ali, e um exército de bactérias pode pegar carona naquela comidinha deliciosa que você preparou com carinho. E não são apenas os micro-organismos que ameaçam a sua saúde e a de quem vai provar suas especialidades à mesa. Alguns inimigos são bem visíveis, mas podem passar despercebidos por pura falta de informação. Estamos falando de ingredientes que, se usados de maneira inadequada, tornam-se nocivos. Por fim, os diferentes modos de cozinhar ou assar determinados alimentos também podem colocá-los a favor ou contra o seu propósito de viver mais e melhor. Felizmente, contornar tantos erros comuns não é tão difícil quanto parece. Veja, a seguir, as orientações de especialistas no assunto, que explicam tintim por tintim cada caso.

1 Não lavar as mãos antes de começar a cozinhar
Já parou para pensar que na superfície da mão extremamente bem cuidada, macia e sedosa, diversos vírus, bactérias e até coliformes fecais podem estar alojados, sem emitir qualquer sinal de vida? Pois os especialistas garantem que uma das maiores fontes de contaminação para os alimentos são, sim, as mãos de quem cozinha! “Esses microorganismos nocivos que ficam na superfície da pele contaminarão automaticamente alimentos crus ou prontos, bastando o contato com eles. O resultado pode ser uma intoxicação alimentar”, explica a nutricionista Maria Aparecida R. Silveira, coordenadora da área de qualidade alimentar da Controlare Segurança Alimentar.
Para acertar:“Lave as mãos antes de entrar na cozinha, com água e sabão”, indica a médica veterinária Cynthia Rubião, diretora da BioSafe, empresa de consultoria em segurança de alimentos. Simples assim!

2 Deixar a comida esfriar antes de colocar na geladeira
Se você é do tipo que morre de medo de estragar o refrigerador, guardando o feijão quentinho, recém-tirado da mesa, espere até ouvir essa! “Conforme a temperatura do alimento vai baixando, vamos criando condições cada vez mais propícias para a multiplicação das bactérias, dentro do alimento”, afirma Maria Aparecida. Em duas horas, o seu delicioso feijão já terá potencial para se transformar em material extremamente tóxico. “Depois disso, as bactérias chegam a dobrar de número a cada 20 minutos”, complementa o biomédico Roberto Figueiredo, ou Dr. Bactéria.
Para acertar:em vez de cuidar tão bem da geladeira, tenha dó da sua saúde. Mande logo o feijão e tudo o mais que você serviu no almoço direto para o lugar onde eles permanecerão sempre fresquinhos e a salvo dos micro-organismos.

3 Usar colher de pau para mexer os alimentos
A madeira é um material poroso que vai acumulando resíduos dos alimentos em seu interior. Daí, por mais que você lave depois de usar, muitos micro-organismos nocivos não vão sentir nem cosquinha e continuarão bem acomodados ali, comendo o que sobrou nas fissuras e nas lascas. Como se não bastasse, os bichinhos maus ainda se multiplicam! “Esses micro-organismos, com o tempo, começam a migrar para os alimentos”, alerta Cynthia.
Para acertar: pode até doer o coração, mas o certo é jogar a colher, junto com todos os outros utensílios de madeira que você tem em casa, no lixo! “Troque por similares de plástico ou vidro, que podem ser higienizados de maneira mais adequada e não juntam tantos resíduos de alimentos”, ensina Figueiredo.

4 Guardar os enlatados na geladeira, para comer depois
Eis um erro que os especialistas consideram gravíssimo! “Uma vez aberta, a lata já não pode ser vedada da maneira adequada. Com isso, fica muito mais fácil acontecer a contaminação por micro-organismos potencialmente perigosos”, esclarece Cynthia.
Para acertar:felizmente, existe um caminho do meio entre o desperdício e a sua falta de vontade de consumir a lata num só dia. “Basta transferir imediatamente o alimento para um pote plástico ou de vidro, que possa ser fechado”, diz Roberto Figueiredo, biomédico da Microbiotécnica.

5 Cozinhar vegetais em água fria
Um brócolis fresquinho reúne uma porção de propriedades nutricionais interessantes. Porém, ao colocá-lo para cozinhar, boa parte desses compostos ficarão boiando na água, em especial as vitaminas hidrossolúveis e os minerais. O mesmo acontece com a maioria dos vegetais que você não consome crus.
Para acertar:a pior forma de cozinhar os vegetais é mergulhando-os na água fria, esperando até que ela ferva. “Ao colocá-los já na água fervente, o tempo de cocção será menor e a perda de nutrientes, também”, explica nutricionista funcional Fernanda Granja. A melhor solução é cozinhá-los no vapor. “Aproveite a água da cocção para fazer molhos ou regar carnes”, ensina.

6 Usar apenas o azeite de oliva
O azeite de oliva extravirgem tem compostos antioxidantes, gordura monoinsaturada e é fonte de vitamina E. O caso é que boa parte desses benefícios desaparece quando o azeite é aquecido em temperaturas acima de 190oC, o que é comum na preparação de frituras. “Nessas condições, além de perder grande parte das propriedades nutricionais, o azeite pode oxidar, formando compostos que são tóxicos”, alerta Fernanda.
Para acertar: preserve sua saúde e seu orçamento doméstico reservando o azeite de oliva extravirgem, cujo preço é infinitamente superior ao dos óleos vegetais, para preparações frias, refogados e também ensopados. No momento de grelhar e fritar, procure utilizar os óleos de canola ou girassol, que são muito mais recomendados.

7 Tostar a carne ou colocá-la na grelha
"Quando alimentos gordurosos, como as carnes, são expostos a altas temperaturas por um determinado período de tempo, formam-se substâncias tóxicas chamadas de hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (HPAs), que são absorvidas pela carne. A queima do carvão também pode levar à produção desses compostos, que são carcinogênicos”, explica Cynthia.
Para acertar:quando o pecado da carne for inevitável, prefira um bife ao ponto. “A carne malpassada também apresenta grande risco de contaminação”, alerta Patrícia Nakasone Uchima, da Santa Casa.

8 Quebrar o ovo na pia da cozinha
Que é prático, é. Mas existe um motivo forte para mudar de vez esse hábito. Os ovos podem conter salmonella, uma bactéria que provoca diversas doenças gastrointestinais graves. “Em muitos casos, o alimento contamina a pia e, por contaminação cruzada, atinge outros alimentos”, explica o Dr. Bactéria. O contrário também acontece. Micro-organismos que caminham despreocupados pela sua pia podem decidir, de repente, mergulhar dentro daquela piscina amarela que nós chamamos de gema. E aí... já viu!
Para acertar:antes de usar, lave os ovos um a um com água e detergente neutro. “Depois, use uma colher limpinha para quebrar a casca”, indica Maria Aparecida.

9 Salgar demais
Não é nenhuma novidade o fato de que o sal faz mal à saúde. O que pouca gente sabe é que, sem querer, acaba abusando desse condimento no dia a dia, expondo-se a todos esses riscos. “A Organização Mundial da Saúde recomenda utilizar apenas 2 g de sódio por dia. Só que o brasileiro ingere, em média, entre 8 g e 12 g de sal (uma colher de sopa), o que equivale a 4,5 g de sódio. É mais que o dobro do recomendado!”, informa Patrícia.
Para acertar: “Cozinhe os alimentos sem sal nenhum, só com temperos naturais, como ervas. Depois, adicione uma colher de café (1 g) de sal, direto no prato, no almoço e no jantar”, sugere a nutricionista. Mas só isso não basta. É preciso controlar a ingestão de alimentos prontos e que já vêm de fábrica com uma quantidade enorme de sódio.

10 Abusar do creme de leite
Não dá para negar que ele é capaz de transformar qualquer molhinho borocoxô em uma iguaria dos deuses. O único problema é que o tal creme também multiplica as calorias da sua receita. “O creme de leite é obtido a partir da gordura do leite, que se acumula na superfície, formando aquela camada de nata. Por isso mesmo, ele torna qualquer preparação mais gordurosa e, consequentemente, mais calórica”, avisa Fernanda.
Para acertar: quer salvar seu acompanhamento sem comprometer a saúde? Então use a criatividade. “Substitua o creme de leite pelo leite semi ou desnatado, engrossado com amido de milho”, indica Patrícia. Ou use a versão light do produto. Outra dica: “Adicione o creme ao prato sempre depois que ele estiver pronto, para evitar que ele coalhe e embolote na preparação”, complementa Fernanda.

 

Fonte: http://revistavivasaude.uol.com.br

 

ShabbyBlogsDividerD

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...