terça-feira, 3 de julho de 2012

Dietas drásticas provocam o efeito sanfona

 

Veja algumas dicas para driblar o efeito sanfona e mantenha o peso (magro!) de uma vez por todas

 

efeito-sanfona

O efeito sanfona te atrapalha? Descubra o que está errado na sua alimentação

 

O efeito sanfona, aquele "engorda-emagrece-engorda", tem como causa principal a alimentação desregulada. “Infelizmente, as pessoas buscam emagrecer rapidamente e deixam de consumir alimentos essenciais ao metabolismo”, explica Luciana Harfenist (RJ), nutricionista funcional e diretora da Clínica de Nutrição Multidisciplinar Luciana Harfenist (RJ).

Yole Brasil Luz (RS), nutricionista da Associação Brasileira de Nutrição (ASBRAN), concorda e completa as causas do efeito sanfona: “A redução drástica na alimentação provoca redução do nível de leptina no sangue (hormônio encarregado de produzir saciedade no cérebro) e aumento nas concentrações de grelina (hormônio produzido no estômago com função de estimular o apetite), levando o paciente a recuperar rapidamente o peso perdido e entrar no efeito sanfona”.

Segundo Luciana, o emagrecimento rápido leva à perda da massa magra e diminuição do metabolismo basal (energia necessária para o organismo funcionar em repouso). “Por isso, ao encerrar a dieta, o peso volta rapidamente”, esclarece Luciana.

De acordo com Yole, qualquer pessoa pode desenvolver o problema e adverte: “Estudos recentes revelam maior incidência em mulheres, mas nada muito significativo. O que torna a pessoa vulnerável ao efeito sanfona é estar sem acompanhamento psicológico, nutricional e físico”.

Já Luciana afirma que as pessoas sedentárias, ou que ficam horas sem comer estão mais propensas a desenvolver o efeito sanfona. “A ingestão de carboidratos e fibras geram um aumento gradativo da glicemia e da insulina e, dessa forma, manteremos a saciedade por 3 a 4 horas”, explica.

Controle o metabolismo:

A primeira regra para quem sofre do efeito sanfona é controlar a alimentação. “Comer a cada três horas mantém o metabolismo ativo, ou seja, fazer de cinco a seis refeições ao dia. A alimentação deve ser rica em alimentos funcionais com baixo índice e carga glicêmica (açúcar). Uma dica para evitar o efeito sanfona é apostar nas folhas verdes e roxas” explica Luciana. O ideal é fazer um prato bem colorido.

Yole aponta que os exercícios também participam no controle doengorda-emagrece. “Não caia na ilusão das dietas fáceis e milagrosas. Procure a ajuda de um profissional habilitado”, complementa. Outra dica que a nutricionista dá é se preocupar com opós-dieta: “Mantenha o acompanhamento médico até que o padrão alimentar esteja incorporado. Além dos exercícios também é importante não descuidar do psicológico que influencia muito no ganho de peso”, explica.

Hábitos e alimentos que ajudam a frear o efeito sanfona:

- Frutas (indicado comer cinco por dia).

- Castanhas, que é fonte importante de vitamina E, magnésio e ômega 3 (o ideal é ingerir um tipo todos os dias).

- Salada crua no almoço e jantar.

- Peixes e carnes magras.

- Mastigue por mais tempo os alimentos.

- Pães integrais com baixo índice glicêmico.

- Óleos essenciais que modulam a inflamação: azeite extravirgem,óleo de macadâmia, óleo de castanha-do-Pará.

- Água (de seis a oito copos diários).

- Evite excessos alimentares.

 

Veja algumas dicas para driblar o efeito sanfona e mantenha o peso (magro!) de uma vez por todas

Dieta para controlar o efeito sanfona

Café da manhã

- Vitamina (leite de soja, frutas e cereais) ou pão integral (2 fatias ao dia), ou queijo branco (duas fatias ao dia), ou cereal integral (2 colheres de sopa ao dia)
- 1 fruta
- Chá de ervas (em dias frios)

Lanche

- Barra de gergelim (1 unidade), ou fruta, ou iogurte light, ou nozes e castanhas sem casca e assadas (30 g ao dia/ 2 colheres de sopa cheias)

Almoço

- Folhas verdes
- Arroz integral, preto ou massa integral
- 2 colheres de sopa de quinoa, ou milho, ou amaranto, ou batata, ou batata doce, ou inhame ou aipim. 
- 100 a 120 g de uma porção de proteína magra (frango, boi, soja, ovo, peixe), com preferência aos peixes
- 3 a 4 colheres de sopa de hortaliças do grupo B: cenoura, beterraba, vagem, quiabo, ervilha fresca, chuchu, maxixe, abobora vermelha ou abobrinha verde.
- 1 concha de leguminosas: feijão (todos os tipos e cores), ervilha, lentilha ou grão-de-bico.
- 1 a 2 colheres de sopa ao dia de azeite de oliva extravirgem.

Lanche

- Barra de gergelim (1 unidade), ou fruta, ou iogurte light, ou nozes e castanhas sem assadas (30 g ao dia/ 2 colheres de sopa cheias)

Jantar

Repita as opções do almoço diminuindo as porções. Não esqueça de beber 2 litros de água por dia.

Fonte: Reportagem: Caroline Sarmento - http://corpoacorpo.uol.com.br

 

608928odknwa27n6

2 comentários:

  1. Já fui vítima do efeito sanfona provocado por dietas malucas. Agora faço reeducação alimentar pra toda a vida, aprendi a comer corretamente e me sinto muito bem. Bjo.

    ResponderExcluir
  2. Adorei o blog, muito lindo, amei tudo. Parabéns mesmo, vou sempre estar aqui (:

    ontendency.blogspot.com

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...