terça-feira, 30 de abril de 2013

Fuja dos excessos no bufê

 

Veja os resultados de uma pesquisa sobre o comportamento das pessoas no bufê livre e saiba o que realmente ajuda a comer menos

Poucas situações podem causar um tropeço tão grande para quem está cuidando do peso como os restaurantes self-service com bufê livre.

Mas uma nova pesquisa publicada na edição deste mês do American Journal of Preventive Medicine sugere duas estratégias que podem ajudar quem está de dieta a sobreviver ao “massacre de calorias”: pegar um prato menor e circular o bufê antes de escolher o que comer.

Os bufês livres têm duas coisas que preocupam os nutricionistas: porções ilimitadas e muitas, muitas escolhas – duas coisas que podem elevar muito a contagem de calorias de uma refeição.

“Uma das coisas que a pesquisa mostra é que, quando confrontadas com um monte de alimentos de uma só vez, as pessoas tendem a comer mais. É a tentação de querer experimentar uma variedade de alimentos que torna particularmente difícil não comer demais em um restaurante desse tipo”, diz Rachel Begun, nutricionista e porta-voz da Academia de Nutrição e Dietética dos Estados Unidos – ela não está envolvida no novo estudo.

Bufê: oferta ampla dificulta escolhas sensatas

Ainda assim, algumas pessoas não abusam nos bufês. Isso fez o autor do estudo, Brian Wansink – ele dirige o laboratório de alimentos e marcas na Universidade de Cornell em Ithaca, Nova York – se questionar como essas pessoas fazem para se conter diante de tanta fartura de delícias.

“As pessoas costumam dizer que a única maneira de não comer demais em um bufê é nem entrar em um”, disse Wansink, um psicólogo que estuda os estímulos ambientais ligados ao excesso.

“Mas há um monte de pessoas em bufês que são realmente magras. Nós nos perguntamos: o que os magros fazem nesses locais que os gordos não fazem?”

Wansink mobilizou uma equipe de 30 observadores treinados que cuidadosamente coletaram informações sobre os hábitos alimentares de mais de 300 pessoas que visitaram 22 bufês livres em restaurantes chineses em seis estados norte-americanos.

Escondidos em cantos onde poderiam assistir a tudo muito discretamente, os observadores verificaram 103 coisas diferentes sobre a forma como as pessoas se comportavam ao redor do bufê. Eles registrados informações sobre com quem os clientes estavam e em quais locais sentaram – perto ou longe do bufê, em uma mesa simples ou uma rodeada por estofados, voltada para o bufê ou longe dele.

Os observadores também anotaram que tipo de utensílios os comensais usaram (garfos ou pauzinhos), se eles colocaram um guardanapo sobre o colo, e até mesmo quantas vezes eles mastigaram um único bocado de comida. Eles também foram treinados para estimar o índice de massa corporal (IMC) de uma pessoa apenas olhando para ela. Índice de massa corporal é a relação entre o peso de uma pessoa a sua altura, e os médicos o usam para avaliar se uma pessoa está acima do peso.

Os resultados do estudo revelaram diferenças fundamentais na forma como as pessoas mais magras e mais gordas se aproximaram do bufê.

“Os magros são mais propensos a explorar a comida. Eles tendem a olhar para as diferentes alternativas antes de se lançar em alguma delas”, disse Wansink.

“Já os mais pesados se limitam a pegar um prato, olhar para cada item e dizer: ‘Eu quero isso? Sim ou não’.”

Em outras palavras, disse Wansink, as pessoas magras tendem a se perguntar quais pratos elas mais querem entre todas as opções oferecidas, enquanto as pessoas mais pesadas se perguntam se querem cada alimento, um de cada vez.

Pessoas magras também foram cerca de sete vezes mais propensas a escolher pratos menores, se eles estavam disponíveis, do que as mais pesadas.

Esses comportamentos também pareceram ajudar as pessoas a comerem menos. As que olharam as opções antes de se servir e usaram um prato menor também fizeram menos viagens ao bufê, independentemente do peso que tinham.

Pessoas magras sentaram, em média, 5 metros mais longe do bufê que as pessoas mais pesadas. Elas também mastigaram a comida um pouco mais – foram cerca de 15 mastigações por bocado para aqueles que estavam com peso normal em comparação com 12 para aqueles que estavam acima do peso.

Esses comportamentos não foram diretamente associados com menos viagens ao bufê, mas os pesquisadores pensam que eles podem ser alguns dos hábitos que ajudam as pessoas mais magras controlar o peso.

“O interessante é que quase todas essas mudanças foram inconscientes. Elas se tornam hábitos ao longo do tempo”, disse Wansink.

Fome emocional: deixe os sentimentos fora do prato

“As observações do estudo são perspicazes e úteis. Mas em alguns aspectos, são como olhar para as razões pelas quais algumas pessoas se molharam mais cedo do que outras quando o Titanic afundou. A questão mais importante foi: o navio estava afundando, e todos estavam no mesmo barco”, pondera David Katz, diretor do Centro de Pesquisa em Prevenção da Universidade de Yale, que não fez parte da pesquisa.

Katz disse que o melhor conselho para quem está controlando o peso é, em primeiro lugar, evitar as tentações do bufê. Se isso não for possível, escolha o que vai comer e não preencha o prato todo.

* Por Brenda Goodman

http://saude.ig.com.br

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Atividades rotineiras também queimam calorias

 

Levar seu cachorro para passear te ajuda a queimar calorias

Atividades rotineiras também queimam calorias

Academia recheada de aparelhos e colchonetes, música alta e muita gente motivada costumam compor o cenário idealizado por quem deseja mandar as gordurinhas para bem longe. Mas não é preciso passar algumas horinhas na academia para atingir este objetivo.

Existem atividades rotineiras praticadas ao ar livre que, se bem feitinhas, podem lhe ajudar a manter a forma, sabia? Quer uma ajudinha? Então confira alguns exemplos de ações aparentemente descompromissadas que o personal trainerRobson Santos indica como bacanas para deixar o corpo mais enxuto:

Caminhada diária: seja para ir ao trabalho, fazer compras ou qualquer outro motivo. Procure andar ininterruptamente por pelo menos 25 minutos em ritmo médio para obter melhores benefícios.

Levar o cachorro para passear: essa também é uma ótima alternativa para melhorar a tanto a qualidade de vida do seu cão como a sua. Você aproveita e faz uma boa caminhada.

Utilizar bicicleta como transporte: se tiver a possibilidade troque o carro pela bicicleta. Além de mais saudável é mais ecológico e sustentável.

Brincar com os filhos: ninguém tem mais energia e disposição do que as crianças. Por isso, participar de jogos e brincadeiras com elas, além de muito bom para o relacionamento, é uma excelente atividade para queimar calorias e manter a saúde. Pega-pega, queimada, bola... São tantas opções de brincadeiras, não é?

Fazer exercícios ao ar livre é sempre mais prazeroso. Mas é preciso tomar alguns cuidados. Robson fez uma listinha bacana para a gente:

Hidratação: leve uma garrafinha com água para ir bebendo ao longo da atividade. Na academia ou clube sempre temos água disponível para a hidratação e o ambiente é normalmente climatizado para diminuir a sudorese, regalias que a rua não tem.

Trânsito: andar pelas ruas pode ser mais prazeroso do que na esteira, mas também é mais perigoso, pois dividimos espaço com carros, motos e bicicletas que nem sempre respeitam os pedestres ou ciclistas. Procure planejar um trajeto seguro e sempre preste muita atenção ao trânsito.

Música: a gente sabe que uma musiquinha deixa o dia sempre mais animado e quando ela embala nossa atividade física é melhor ainda. Porém, na rua, evite ouvir música em fone de ouvido em trajetos onde você divide espaço com veículos. Assim é possível prestar atenção ao redor e tomar as atitudes necessárias em caso de perigo.

Proteção da pele: se for treinar durante o dia use sempre protetor solar, mesmo nos dias encobertos, pois a longa exposição aos raios solares pode trazer riscos à saúde.

Sobre o horário ideal, Robson pensa que é melhor evitar treinar entre 11h e 16h, já que nesse período os raios solares representam mais riscos. "Também temos que tomar cuidado ao treinarmos muito cedo ou muito tarde, por questões de segurança. Certifique-se de que o local é seguro e bem iluminado."

 

FONTE: Por Juliana Falcão (MBPress)

http://maisequilibrio.terra.com.br

 

bcf28e_859e6e859fda85e8957336593d17cbfc

Descubra os motivos para evitar o consumo de refrigerante

 

http://www.bemparana.com.br/maximosaude/wp-content/uploads/2011/03/refrigerante.jpgO refrigerante possui ingredientes que nada contribuem para a saúde. O açúcar ou adoçante (no caso dos light ou zero) provocam a queima de vitaminas e minerais da dieta. Em excesso, o refrigerante aumenta as taxas de glicose e triglicerídeos. É uma bebida viciante, devido à presença de cafeína.

Outro ingrediente perigoso é o ácido fosfórico. Ele reduz a absorção de cálcio, podendo comprometer a manutenção da massa óssea. Além disso, são ricos em corantes, acidulantes, conservantes e possuem teor altíssimo de sódio, que causa retenção de líquidos, elimina cálcio e reduz a disponibilidade de magnésio na circulação, facilitando a formação de gordura corporal.
É uma bebida nutricionalmente pobre, por apresentar apenas calorias vazias (não oferece nenhum benefício). Contribui para o aumento de peso e o aparecimento de celulites (células de gorduras inflamadas).

Fonte: http://www.sonutricao.com.br/

Saiba tudo sobre o iogurte grego

 

Com quase o dobro de gorduras, que garantem sua cremosidade, o produto também contém mais sódio e calorias

Saiba tudo sobre o iogurte grego Jefferson Botega/Agencia RBS

Com maiores quantidades de gordura (e de calorias), o iogurte grego conquistou os consumidores

 

Muito consumido na Europa e trazido ao Brasil há menos de um ano, a variedade de iogurte oriunda da Grécia está dando o que falar entre os consumidores brasileiros. Por ser uma espécie com quantidades maiores de proteína, mas também de gordura, a variedade apresenta textura e sabor que se destacam em relação às outras opções disponíveis — principalmente quando o quesito é cremosidade.

A diferença já começa no processo de fabricação. Segundo a nutricionista Anália Barhouch, mestre e doutoranda em obesidade pela Faculdade de Medicina da PUCRS, embora a fórmula seja mantida em sigilo pelos fabricantes, é possível perceber que o processo de fabricação do iogurte grego é muito diferente do processo comum.

— Apesar de ter quase o dobro de gorduras do que a versão de polpa (4g contra 2,4g, em porções de 100g), ele tem menos açúcar e boa digestibilidade — acrescenta Anália.

A professora e coordenadora do curso de Engenharia de Alimentos da Unisinos, Janice da Silva, explica que a textura mais firme do iogurte grego é resultado de uma concentração de seus componentes sólidos, o que também faz com que ele tenha mais proteína e gordura. Essa concentração pode ser alcançada de duas formas, que variam de acordo com cada fabricante: por um processo industrial, que remove parte do soro do produto, ou pela adição de ingredientes como proteínas lácteas, creme de leite ou gomas naturais espessantes.

— Este é considerado um iogurte especial e a qualidade dos produtos obtidos pelos dois métodos é bastante elevada. Ele é uma alternativa mais natural e saborosa para quem consome os produtos lácteos fermentados — completa a especialista.

Versão light pode ser opção

Disponível nas prateleiras do país desde julho de 2012, o iogurte grego se renova em 2013, chegando ao mercado gaúcho também na versão light. Com a mesma textura, mas apenas metade da quantidade de gordura do que a versão normal, essa será uma opção mais indicada para quem está de dieta.

— O tradicional pode ser utilizado por quem não tem diabetes, colesterol alto ou que apresente bom gasto energético — diz a nutricionista Anália.

Uma pesquisa da EuroMonitor, de 2011, mostrou que o brasileiro consome 6,5 quilos de iogurte por ano, bem atrás de países como Holanda (o país campeão mundial no consumo) e menos até do que os argentinos. Para Anália, no entanto, os dados representam a existência de um mercado em expansão para o setor de iogurtes no Brasil.

Consumo no mundo

Uma pesquisa da EuroMonitor 2011 apontou os holandeses como os campeões do consumo de iogurte. Os brasileiros vêm bem mais atrás. Compare:

Holanda 41,9kg

França 20,7 kg

Argentina 9,2kg

Brasil 6,5kg

Tabela Nutricional

100g do iogurte grego

Carboidratos – 15 g

Proteínas – 4,6g

Gorduras totais – 4g

Gorduras saturadas – 2,3g

Sódio – 75mg

Calorias – 113 kcal

100g de iogurte de polpa

Carboidratos – 17g

Proteínas – 2,9g

Gorduras totais – 2,4g

Gorduras saturadas – 1,6g

Sódio – 36mg

Calorias – 95 kcal

100g de iogurte grego light

Carboidratos – 9,8g

Proteínas – 4,3g

Gorduras totais – 1,9g

Gorduras saturadas – 1,1g

Sódio – 58mg

Calorias – 73 kcal (versões de fruta) ou 78kcal (naturais)

Açúcar e colesterol

As quantidades de açúcar não são especificadas pelos fabricantes, que apenas informam se o produto contém ou não o nutriente. Todos os tipos de açúcares são incluídos nas gramas em carboidratos. As informações sobre o colesterol também não são especificadas, mas cabe ressaltar que todos os derivados do lácteos contém colesterol, exceto aqueles que são zero gordura ou desnatados. A legislação brasileira não exige que a quantidade desses nutrientes (açúcar e colesterol) sejam especificados nas embalagens.

Fonte: nutricionista Anália Barhouch

 

Entenda a diferença

Os produtos lácteos podem trazer diversos benefícios à saúde e a indústria tem apostado em novidades nos últimos anos. Veja quais são e porque fazem bem:

Iogurte comum

O que é: o tradicional iogurte é um alimento obtido a partir da fermentação do leite pelas bactérias ácido-lácticas Streptococcus salivarius subesp. thermophilus e Lactobacillus de lbrueckii subesp. bulgaricus. Esta fermentação, além de produzir um alimento muito saboroso e apreciado, proporciona um incremento de cerca de 400% no teor de aminoácidos livres em relação ao leite.

Benefícios: o iogurte tem muitas propriedades nutricionais e funcionais. Ele é um alimento com baixo índice glicêmico (aqueles sem açúcar) e colabora com a manutenção de uma boa flora intestinal, o que pode fazer você sentir mais saciedade. Prefira o consumo de iogurtes naturais, adicionando o sabor em casa complementando-o com frutas frescas ou secas, cereais, sucos naturais, geleias, mel, entre outras opções. É uma forma de diminuir os aditivos que fazem parte dos iogurtes saborizados, deixando o alimento mais saudável.

Bebida láctea

O que é: a bebida láctea é produzida a partir da mistura do leite com o soro de leite proveniente do processamento de queijos. Pode ser fermentada ou não, adquirindo diferentes versões.

Benefícios: a grande vantagem do consumo de bebidas lácteas está nos benefícios que as proteínas do soro lácteo trazem à saúde. Elas ajudam a manter a massa magra do organismo e também colaboraram para aumentar a imunidade. Dentre as proteínas do soro podem estar presentes peptídeos (proteínas hidrolizadas), que colaboram com diminuição de pressão arterial.

Iogurte probiótico

O que é: o termo probiótico refere-se a culturas de micro-organismos vivos que promovem efeitos benéficos à saúde humana, melhorando as propriedades da microbiota intestinal original. Neste grupo estão as bifidobactérias e alguns lactobacilos. O iogurte probiótico é um produto fermentado com as tradicionais bactérias do iogurte associadas às bactérias probióticas.

Benefícios: o consumo de iogurtes probióticos beneficia principalmente o intestino. Eles podem melhorar distúrbios intestinais e, ainda, melhorar o funcionamento do sistema imune. O gênero de bactérias Bifidobacterium bifidum, por exemplo, cria um ambiente favorável para o crescimento de bactérias "amigáveis" no intestino grosso e no trato vaginal. Acredita-se que as bifidobactérias sintetizam vitaminas que podem ser usadas pelo corpo humano, incluindo tiamina, ácido fólico, ácido nicotínico, piridoxina e vitamina B12. Produzem ácido acético e láctico. Também aumentam a absorção de ferro, cálcio e magnésio.

 

Fontes: professoras Renata Ramos (Mestrado Profissional em Nutrição e Alimentos), Daiana de Souza e Janice da Silva (Engenharia de Alimentos), ambas da Unisinos.

http://diariocatarinense.clicrbs.com.br/sc/variedades/vida-e-saude

domingo, 28 de abril de 2013

Consumir massa à noite pode ser benéfico para a saúde

 

Incluir o macarrão na refeição noturna na quantidade certa contribui para um sono tranquilo.

Consumir massa à noite pode ser benéfico para a saúde Isabela Alimentos/Divulgação

Por ser rico em carboidrato o macarrão é um dos principais alimentos do grupo dos energéticos e compõe a base da pirâmide alimentar.

Muitas pessoas ainda são resistentes ao consumo de carboidratos, principalmente à noite, por acharem que não é benéfico para a saúde ou que engorda. Esse mito foi mais uma vez quebrado, desta vez por uma pesquisa recente feita pela Universidade Hebraica de Jerusalém, que comprovou que consumir carboidrato após as 18h, na quantidade adequada, é benéfico para a saúde. Para Tereza Cibella, nutricionista da Equilibrium, o estudo desmistifica a crença e reforça que carboidrato não é vilão da alimentação.

— O que o estudo aponta é que o ganho de peso não está relacionado ao carboidrato consumido à noite e sim à qualidade da alimentação no restante do dia, ao sedentarismo e ao exagero na quantidade de alimentos consumidos — afirma Tereza.

Consumir carboidrato à noite favorece o aumento do hormônio leptina, substância que pode diminuir o apetite durante o dia, auxiliando na manutenção do peso. Também contribui para uma noite de sono tranquila. A nutricionista ressalta ainda que o carboidrato, fonte de energia para o corpo, é tão essencial para uma boa alimentação como vitaminas, proteínas, minerais e fibras.
Por ser rico em carboidrato o macarrão é um dos principais alimentos que faz parte do grupo dos alimentos energéticos e compõe a base da pirâmide alimentar. Isso acontece porque a massa possui um baixo Índice Glicêmico (IG), ou seja, diminui a velocidade do nível da glicose no sangue, proporcionando saciedade mais prolongada e digestão mais lenta, dando ao organismo tempo necessário para absorver todos os nutrientes e vitaminas que o alimento oferece. A nutricionista ensina como deixar a refeição noturna ainda mais leve.

— O ideal é combinar a massa com legumes e verduras, carnes magras (peixes e frango) e fibras (como aveia, linhaça e sementes em geral). A quantidade a ser consumida sugerida é de um prato raso, com um ou no máximo dois pegadores de massa o que equivale a 200 g de macarrão cozido — finaliza Tereza.

 

A indicação é a mesma tanto para homens quanto mulheres. Veja abaixo duas sugestões de combinações com massa e se delicie sem culpa:

Linguine ao Molho de Frango com Palmito

Ingredientes:
1 embalagem de Linguine com Ovos.
4 colheres (sopa) de margarina light.
3 dentes de alho, picados.
500 g de peito de frango, cozido e desfiado.
3 tomates maduros, sem pele e sem sementes, picados.
50 g de azeitonas verdes, picadas.
300 g de palmito em rodelas.
Sal e cebolinha picada a gosto.


Modo de Preparo:
Comece preparando o refogado de frango com palmito. Numa frigideira média, aqueça a margarina light e refogue o alho.
Junte o frango, os tomates, a azeitona, o palmito, mexa delicadamente e deixe refogar por mais 3 minutos.
Acerte o sal, salpique a cebolinha e reserve.
Numa panela grande ferva 5 litros de água com sal.
Coloque a massa e mexa de vez em quando, até que a água volte a ferver.
Deixe cozinhar de acordo com o tempo indicado na embalagem ou até que fique 'al dente', ou seja, macia, porém resistente à mordida.
Escorra a massa, acomode num refratário grande, acrescente a margarina light, o refogado de frango com palmito, envolva delicadamente com a ajuda de dois garfos grandes e sirva a seguir.

Rendimento: 6 porções.
Calorias por porção: 586 kcal.

Parafuso Nutritivo com Frango e Legumes

Ingredientes:

1 embalagem de macarrão parafuso.
½ kg de filé de frango, em tirinhas.
2 colheres (sopa) de óleo de canola ou soja.
4 dentes de alho, picados.
10 tomates maduros, sem pele e sem sementes, picados.
2 folhas de louro.
2 xícaras (chá) de mini cenouras.
5 buquês de brócolis.
1 abobrinha média, em cubos.
50 g de queijo parmesão light, ralado.
Sal a gosto.

Modo de Preparo:
Numa tigela média, junte o frango e tempere com sal.
Numa panela média, aqueça o óleo, refogue o alho, acrescente o frango e deixe fritar até dourar.
Junte os tomates, as folhas de louro e deixe cozinhar até o tomate ficar macio.
Acerte o sal, retire as folhas de louro e reserve.
Numa panela média, junte as mini cenouras, o brócolis, a abobrinha e deixe cozinhar em água e sal até ficaram macios, escorra e reserve.
Numa panela grande ferva 5 litros de água com sal e cozinhe a massa. Para isso, coloque a massa e mexa de vez em quando, até que a água volte a ferver. Deixe cozinhar de acordo com o tempo indicado na embalagem ou até que fique 'al dente'.
Escorra a massa, acomode num refratário grande, acrescente o molho de tomate com frango, os legumes e envolva bem com a ajuda de dois garfos grandes.
Polvilhe o queijo parmesão e sirva a seguir.

Rendimento: 6 porções.
Calorias por porção: 860 kcal.

Bomapetite5[4]

 

 

Fonte: http://diariocatarinense.clicrbs.com.br/sc/variedades/vida-e-saude

sábado, 27 de abril de 2013

Culinária Light: Pasta de ricota

 

rendimento é de 5 porções

350Pasta-ricota

Ingredientes:

Ricota - 140g ou 4 fatias médias
Cenoura ralada - 24g ou 2 colheres de sopa
Salsinha (crua) - 16,89g ou 1 colher de sopa
Requeijão light - 30g ou 1 colher de sopa cheia
Azeitona verde (em conserva) - 4,8g ou 2 unidades
Azeite de oliva (extravirgem) - 1,2ml
Orégano (seco) - 2,5g ou 1/2 colher de sopa

Modo de preparo:

Higienize a salsinha e pique bem, assim como a azeitona. Amasse a ricota com um garfo e misture bem com os demais ingredientes, até formar uma pasta. Se necessário, adicione um pouco de sal. Conserve em refrigeração.

Tabela nutricional da pasta de ricota

Calorias:
Total: 294,10 Kcal
Porção: 58,82 Kcal

Proteinas:
Total: 23,18 g
Porção: 4,64 g

Lipídios:
Total: 17,74 g
Porção: 3,55 g

Colesterol:
Total: 98,00 mg
Porção: 19,60 mg

Carboidratos:
Total: 11,596 g
Porção: 2,32 g

Fibras:
Total: 1,50 g
Porção: 0,30 g

Bomapetite5[4]

Motivacional: Proud–Heather Small

 

 

Eu examino a janela da minha mente.
Reflexões dos medos que sei que deixei para trás.
Então estou saindo do normal.
Posso sentir minha alma subindo.
Eu estou no meu caminho.
Não posso parar agora
E você pode fazer o mesmo, sim.

O que você tem feito hoje para se sentir orgulhoso?
Nunca é tarde demais para tentar.
O que você tem feito hoje para se sentir orgulhoso?
Você poderia ser tantas pessoas,
se apenas fugisse para a liberdade.
O que você tem feito hoje para se sentir orgulhoso?

Ainda há tantas respostas que não sei.
Perceba que questionar, é como nós crescemos.
Então estou saindo do normal.
Posso sentir minha alma subindo.
Eu estou no meu caminho.
Não posso parar agora
E você pode fazer o mesmo, sim.

O que você tem feito hoje para se sentir orgulhoso?
Nunca é tarde demais para tentar.
O que você tem feito hoje para se sentir orgulhoso?
Você poderia ser tantas pessoas,
Se apenas fugisse para a liberdade.
O que você tem feito hoje para se sentir orgulhoso?

Precisamos de uma mudança.
Faça-o hoje.
Posso sentir meu espírito se erguendo.
Precisamos de uma mudança.
Faça-o hoje.
Porque posso ver um horizonte nítido.

O que você tem feito hoje para se sentir orgulhoso?
Então o que você tem feito hoje para se sentir orgulhoso?
Você poderia ser tantas pessoas,
se apenas fugisse para a liberdade.
Então o que você tem feito hoje para se sentir orgulhoso?
O que você tem feito hoje para se sentir orgulhoso?
O que você tem feito hoje.
Você poderia ser tantas pessoas
Se apenas fugisse para a liberdade.

 

2081163md1m5z8dpr

Momento de Reflexão

 

chicoxavier

 

 

824595vgem2zpoof

Desejo a todos um maravilhoso fim de semana!

Beijos,

Linne.

824595vgem2zpoof

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Reeducação alimentar é para a vida toda!

 

emagreca-com-a-reeducacao-alimentar-1-24

 

De acordo com a nutricionista Gabriela Marcelino, da empresa Congelados da Sônia, há uma grande diferença entre “estar de dieta” e passar por uma mudança definitiva na alimentação. Chamada de reeducação alimentar, essa mudança deve ser para a vida toda e influenciar desde sua escolha dos alimentos no supermercado até o momento de escolher o que vai ao prato.

Não tenha urgência em emagrecer todos os quilos acumulados. Afinal, o que você ganhou em meses não deve ser emagrecido em semanas. O emagrecimento rápido, além de não ser saudável, não é duradouro na maioria das vezes. Crie metas e coloque-as em um diário alimentar. Isso fará com que você visualize a evolução de sua reeducação.

Neste mesmo diário, crie o hábito de anotar todos os alimentos consumidos. Dessa forma, você perceberá o que realmente consome e se esses alimentos são saudáveis e ideais para a sua saúde.

Tenha cuidado, ainda, com o estresse, que muitas vezes leva ao ganho de peso, o que é constatado por muitos profissionais na experiência clínica de consultório. Porém, recentes pesquisas feitas pelo Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos (NIH) comprovam que a  suspeita tem fundamentos científicos.

A hora da refeição nos remete a uma situação prazerosa. Há alimentos que nos transportam a algum momento de nossa vida – há pessoas que consomem alimentos doces pois lembram a infância, ou ainda, outras que relacionam refeições salgadas à comida da mãe.

Comer pode também acaba sendo uma fuga. No ambiente profissional, a saída da rotina estressante para o “cafezinho” acaba sendo acompanhada de petiscos calóricos, que, aliados ao trabalho sedentário e a falta de horários, acarreta quilos a mais na balança.

Seguem, então, algumas dicas para se fugir de modo saudável do “cafezinho com petiscos” no escritório:

  • Tenha sempre uma fruta de fácil consumo reservada (ou leve um pote com uma salada de frutas já preparada);
  • Tente incluir chás calmantes;
  • Se puder, deixe torradinhas integrais num pote junto ao café;
  • Beba água (com gás, sem gás, com gotas de limão e adoçante, veja como lhe agrada mais para aumentar o consumo);

E quando atingir sua meta de peso ideal (que é aquele com que você fica saudável e se sente bem), você vai perceber que vai ser possível aumentar algumas quantidades dos alimentos habituais ou comer livremente algumas vezes. Mas, basicamente, você deve manter o ritmo da reeducação alimentar durante a semana: carnes magras, pouca gordura, legumes, verduras e frutas à vontade.

Tenha mais disciplina e programe o que vai comer, e deixe a “animação” para os fins de semana e épocas festivas.

Comece agora um planejamento para a sua reeducação alimentar: marque dia, hora e determine qual sua meta desejada! Procure um profissional e faça uma avaliação. Leia as dicas especiais de nutricionistas e médicos e ponha em prática!

Como vivemos em um país quente, quanto mais leve e de fácil digestão os alimentos forem, melhor para sua saúde.  Leve seu squeeze na bolsa para não perder a vitalidade com a desidratação, abasteça-o com água fresca e alterne com suco de frutas.

Procure fazer pequenos lanches saudáveis de 3 em 3 horas. Escolha picolés de frutas e, se levar seu próprio lanche, mantenha-o numa bolsa térmica. Tenha cuidado com a comida vendida nas praias (opte por alimentos industrializados). Faça programas saudáveis, o verão combina com amigos, aquele bate-papo no final da tarde, após um dia cheio de eventos.

Considere tudo isto como um novo aprendizado capaz de gerar novas atitudes. Como uma revolução positiva na sua vida que lhe vai trazer saúde, leveza e alegria, sem a necessidade de mudanças radicais.

Congelados da Sonia®
Tel.: (21) 3461-9779 | SP: 08000240083

Fonte: http://www.rionoticias.com.br/

terça-feira, 23 de abril de 2013

Alimentação saudável: 60 dicas para você

 

60 dicas de alimentação saudável

Se você deseja emagrecer, não sabe por onde começar e pretende partir para o "tudo ou nada", espere um pouco e reflita. Será que vale a pena arriscar a sua saúde para ficar magro rapidamente? Pense bem, será que não é hora de adotar uma alimentação saudável?

O nosso corpo, quando entra em uma alta restrição alimentar, não entende o que está acontecendo.

Publicidade

Ele não sabe distinguir se a deficiência energética é porque desejamos ter um corpo mais bonito ou se esperamos ficar mais saudáveis.

Imagine-se no deserto, onde há pouca comida, pouca água. O que acontecerá quando encontrar alimento e bebida? Você sentirá vontade de devorar o mundo e comer tudo que vê pela frente, não é verdade? Nada mais natural, já que o nosso organismo entende que devemos nos preparar para a próxima restrição, armazenando uma parte do que ingerimos, o que dificulta o emagrecimento.

O que isso significa? Que altas restrições alimentares não são boas para você, definitivamente não é alimentação saudável e não irá ajudá-lo a eliminar peso com saúde e muito menos o ajudará no período de manutenção.

Então, esqueça o "tudo ou nada" e siga as próximas 60 dicas para que possa ter uma alimentação saudável e uma vida melhor.

1. Evite dietas milagrosas em que há uma grande eliminação de peso em um curto período de tempo.

2. Não faça uma alimentação baseada em um único tipo de alimento ou nutriente.

3. Mesmo tendo exagerado nos dias anteriores, faça, pelo menos, 5 refeições por dia.

4. Pequenos lanches entre as refeições principais irão evitar a vontade de devorar o primeiro prato que encontrar pela frente.

5. Não belisque entre as refeições.

6. Esqueça dos snacks (salgadinhos) e da bolacha recheada.

7. Deixe na gaveta do escritório barrinha de cereais, bolacha integral (ingira, no máximo, 3 unidades).

8. Frutas e iogurtes light são excelentes lanches.

9. Se tiver vontade de comer um doce, coma-o. Mas lembre-se: somente um pedaço ou unidade. Isso é melhor do que devorar uma caixa de bombom no final do dia.

10. Comece sempre a refeição com um caprichado prato de saladas.

11. Evite o uso de óleos para temperar as saladas. Use vinagre ou suco de limão.

12. Macarrão é permitido, mas cuidado com o molho.

13. Molho branco, quatro queijos, bolonhesa são muito mais calóricos quando comparados com o ao sugo. Portanto, não abuse!

14. Não repita a refeição.

15. Evite beber refrigerantes, mesmo os light ou diet.

16. Evite água gaseificada. Bebidas com gás dilatam o estômago dando uma falsa sensação de saciedade.

17. Bebidas isotônicas devem ser evitadas. São calóricas e, para não atletas, a água ainda é o melhor hidratante.

18. Prefira sucos naturais.

19. Utilize adoçante nos sucos e no cafezinho.

20. Beba, no máximo, 4 xícaras pequenas de café por dia.

21. Ingira bastante água durante o dia. No mínimo, 1,5 litro ou 8 copos.

22. Leve sempre uma barrinha de cereais na bolsa. Quando bater aquela vontade de comer alguma coisa, você já sabe a que recorrer.

23. Ingira legumes todos os dias.

24. Coma pelo menos 2 frutas diariamente.

25. Prefira ameixa, melancia, melão, morango que são menos calóricas.

26. Cuidado com as frutas secas. Por serem desidratadas é fácil ingerir mais calorias com as naturais.

27. Ingira carnes menos calóricas como peixe, frango (peito), peru, patinho, contrafilé.

28. Cuidado com o salmão. Ele apresenta mais calorias do que outros peixes.

29. Retire a pele das aves. Ela contém basicamente gordura.

30. Evite atum e sardinha conservados em óleo. Já existe a versão light.

31. Miúdos e vísceras são ricos em gorduras saturadas. Então, minimize o consumo desses alimentos.

32. Retire a gordura visível das carnes, como por exemplo, a da picanha.

33. Evite alimentos fritos. Dê preferência aos grelhados ou cozidos.

34. Embutidos (mortadela, presunto, salame) devem ser evitados.

35. Enlatados são ricos em sódio; por isso, prefira os alimentos naturais.

36. Manteiga, creme de leite, chantilly, massa podre são ricos em calorias e colesterol. Evite-os.

37. Queijos amarelos (mussarela, provolone, prato, parmesão) devem ser evitados.

38. Dê preferência aos queijos brancos como o de minas, frescal, ricota e cottage.

39. Evite as preparações gratinadas.

40. Dê preferência aos alimentos desnatados como leite e iogurtes.

41. Se não tem boa aceitação ao leite desnatado, fique com o semidesnatado.

42. Evite chocolates, inclusive o diet.

43. Ingira alimentos ricos em fibras como legumes, verduras e frutas.

44. Consuma maçã, pêra, uva com a casca.

45. Pizza prefira as menos calóricas como de escarola, rúcula, mussarela. Mas fique somente na primeira fatia.

46. Tomate seco, por ser conservado em óleo, deve ser evitado.

47. Bebidas alcoólicas são calóricas. Consuma esporadicamente e em pequena quantidade.

48. Uma taça de vinho diariamente faz bem para a saúde. Mas nada adiantará se não tem o hábito da boa alimentação e é sedentário.

49. Em barzinhos evite os petiscos como amendoim, batata frita, castanha de caju, carne seca ou salgadinhos.

50. Evite os fast-food. Os alimentos servidos são normalmente ricos em gorduras.

51. Se não tiver saída, prefira uma unidade de cheeseburguer, refrigerante light e batata frita pequena. Dispense a sobremesa.

52. Em restaurantes por quilo, passe primeiro por todas as opções antes de escolher os alimentos. Isso evitará exageros.

53. Para a sobremesa, prefira frutas da época.

54. Evite sorvetes de massa. Opte pelo picolé de fruta.

55. Em sorveteria por quilo, prefira os sorvetes de frutas. Passe reto pelas coberturas e chantilly.

56. Nunca vá ao supermercado com fome. Vá sempre após uma refeição. Isso evitará pegar balas, chocolates e salgadinhos.

57. Não compre alimentos que devem ser evitados.

58. Compare os rótulos dos alimentos e verifique se os light e diet são menos calóricos. Nem sempre isso é verdade.

59. Nunca acumule a fome. Por isso deixe na geladeira legumes picados (cenoura, pepino, salsão) e gelatina diet. Eles não prejudicarão o seu emagrecimento.

E, por fim, vale essa dica:

60. Movimente-se!! Você não precisa ir à academia! Caminhar 3 vezes por semana pelo bairro, por 40 minutos cada sessão, irá ajudá-lo a ter mais saúde!

Por:
Roberta Stella
Nutricionista formada pela Universidade de São Paulo (USP)

 

Fonte: http://cyberdiet.terra.com.br/

Viagem em forma!

 
Estar longe de casa não é motivo para deixar de se movimentar

 

Por mais desculpas que apareçam para deixar os exercícios de lado, os benefícios de mexer o corpo são sempre mais vantajosos. Pessoas ativas vivem melhor, tendem a ser mais dispostas, com melhor autoestima e saudáveis. Mesmo assim, nem sempre as atividades físicas permanecem na rotina das pessoas. Em viagens, muitas pessoas param totalmente os exercícios, mas há opções para quem quer continuar se movimentando.
O esforço pode parecer exagerado, mas deve ser considerado principalmente se você viaja com muita frequência ou quando a viagem for por vários dias. Portanto, veja algumas dicas para você se exercitar mesmo estando longe de casa:
Antes de tudo, coloque um tênis e roupa apropriada para caminhadas na mala. A desculpa de ter esquecido esses itens já não vai funcionar; procure saber, com antecedência, se o hotel em que você ficará hospedado possui área fitness, com academia ou piscina. Lembre-se também de levar roupa adequada para cada caso; quando já estiver no lugar de destino, escolha alguns dias para deixar o táxi e o ônibus um pouco de lado e fazer passeios a pé. Além de se movimentar, essa é uma maneira divertida de conhecer melhor a cidade e o estilo de vida dos moradores; informe-se sobre a existência de parques ou de pistas de caminhadas; evite usar escadas rolantes e elevadores; antes de viajar, peça dicas e orientações ao profissional que cuida de seus exercícios físicos, caso possua; coloque a sua criatividade em prática e tente encontrar o seu próprio jeito de se exercitar.

Fonte: Sites MedlinePlus, Centers for Disease Control and Prevention (CDC).

FONTE: http://www.unimed.coop.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...